100 Anos da Arquidiocese – Graças ao Senhor por seu crescimento

Com o título “Jubileu Centenário – boa nova em novos tempos”, eis artigo do arcebispo de Fortaleza, dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, sobre os 100 anos da Arquidiocese que serão comemorados nesta sexta-feira, no Condomínio Espiritual Uirapuru. Confira:

A história da evangelização no Ceará remonta ao século XVII, quando chegaram os primeiros missionários jesuítas em Ibiapaba, onde foi criado o primeiro aldeamento missionário. Em 1861, houve a instalação do bispado e posse do 1º bispo, dom Luís Antônio dos Santos, sacerdote que participou do Concílio Vaticano I.

Os anais da história marcam que a Diocese de Fortaleza foi criada a 6 de junho de 1854 pela Bula Pro AnimarumSalute (Pela Salvação das Almas) do papa Pio IX, desmembrada da Diocese de Olinda. A 10 de novembro de 1915, pela Bula CatholicaeReligionisbonum (O bem da Religião Católica) do papa Bento XV, foi elevada a Arquidiocese e Sede Metropolitana.

A Igreja vai crescendo pela geração de novas células do Corpo Místico de Cristo. Multiplicam-se as comunidades dos que, recebendo o Evangelho, tornam-se discípulos missionários de Cristo, membros da Igreja, cidadãos do Reino de Deus no mundo.

Da única Diocese do Ceará surgiram as Igrejas Particulares de Sobral e Crato (1914), Limoeiro do Norte (1938), Iguatu (1961), Crateús (1964), Quixadá, Tianguá e Itapipoca (1971). O Decreto Christus Dominus do Concílio Vaticano II define: “Diocese é a porção do Povo de Deus, que se confia a um Bispo para que a apascente com a colaboração do presbitério”.

Com o objetivo de facilitar o pastoreio do povo de Deus nesta Arquidiocese, há quase 30 anos ela foi dividida em Regiões Episcopais (RE), áreas com características específicas geográfica e cultural semelhantes. São seis RE metropolitanas e três que contemplam Paróquias na praia, na serra e no sertão.

Com a programação do Jubileu Centenário, damos graças ao Senhor pelo crescimento e vitalidade de Sua Igreja. Queremos reconhecer os dons do amor de Deus que tem sido tão abundante nos 100 anos passados desde que a Diocese de Fortaleza se desdobrou em tantas Igrejas Diocesanas (são 9 dioceses no Ceará). Graças pelos dons do Espírito no testemunho dos fiéis e das comunidades em sua vida e missão: santidade que é caridade em muitas formas de obras de misericórdia.

São novos os tempos, são grandes desafios, mas se tornam, para os discípulos-missionários de Cristo, oportunidades de testemunhar e anunciar como maior dom a “alegria do Evangelho” dado a todos, com maior coerência, zelo e ardor.

Na celebração eucarística jubilar, amanhã, 13, toda a Igreja no Ceará estará reunida em Fortaleza, no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), expressão dos frutos da graça de ser Igreja de Cristo, para expressar a comunhão de toda a Igreja e relançar nova a missão do Evangelho. “Firmes na fé, alegres na esperança e solícitos na caridade” para “nova evangelização em novos tempos”.

*José Antonio Aparecido Tosi Marques

pascom@arquidiocesedefortaleza.org.br 
Arcebispo Metropolitano de Fortaleza. 

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =