Blog do Eliomar

Arquivos

JAIR MENEGHELLI E CNI LANÇAM EM FORTALEZA O CARDÁPIO CAJU

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneghelli, participa, nesta segunda-feira, em Fortaleza, mais precisamente no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), a partir do meio-dia, do lançamento do Cardápio do Caju no Estado. A iniciativa do Sesi é apoiada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), através de suas associadas e objetiva divulgar o potencial do pedúnculo do caju e seu valor nutritivo.

Um almoço será oferecido pelo Sesi/Fiec para os parlamentares que aqui participarão da audiencia pública organizada pela Comissão Mista do Orçamento Geral da União, cujos trabalhos começam a partir das 9 horas, no plenário da Assembléia Legislativa. O presidente da CNI, deputado federal Armando Monteiro, e o presidente da Fiec, Roberto Macedo, serão os cicerones do encontro.

PRESIDENTE NACIONAL DO PP VEM DEBATER ORÇAMENTO E ELEIÇÕES 2008

O presidente nacional do Partido Progressistas, senador Francisco Dornelles (RJ), amanhece em Fortaleza nesta segunda-feira para participar de um café da manhã com a direção estadual do PP. Segundo o presidente regional da legenda, deputado federal José Linhares, o objetivo é avaliar a conjuntura estadual e preparar o partido para o embate 2008.

Dornelles conhecerá de perto, atrávés de café da manhã em local não divulgado, os recém-filiados ao PP, no caso um grupo de empresários que já decidiu que o partido terá candidato próprio a prefeito de Fortaleza ano que vem. Dois empresários são cotados para o embate: Régis Dias, ex-secretário do Desenvolvimento Econômico do Estado (Governo Lúcio Alcântara), e Alexandre Pereira, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Panificação (Abip).

Dornelles, após encontro com membros do PP, na condição de presidente do Comitê de Receitas do Congresso, participará da audiência pública na Assembléia do Ceará sobre o orçamento geral da União 2008.

RELATOR-GERAL DO PPA DA UNIÃO ESTÁ EM FORTALEZA PARA AUDIÊNCIA SOBRE ORÇAMENTO

O deputado federal Cláudio Vinhatti (PT-SC), relator do Plano Plurianual 2008-2011, já está em Fortaleza. Ele é mais um dos convidados para a audiência pública que a Comissão Mista do Orçamento Geral da União promoverá nesta segunda-feira, a partir das 9 horas, na Assembléia Legislativa do Ceará. A informação é do relator-geral da proposta orçamentária, deputado federal José Pimentel (PT).

Segundo Pimentel, o objetivo do encontro, que faz parte de uma série que a comissão promove por todas as regiões do Brasil, é democratizar o debate e procurar fazer a peça orçamentária 2008 mais justa e mais representativa dos interesses e reivindicações de todo o País. Em Fortaleza, os presidentes de assembléias legislativas terão assento no encontro, que terá ainda o presidente da Comissão Mista, no caso o senador José Maranhão (PMDB-PB)..

COMISSÃO MISTA DO ORÇAMENTO DA UNIÃO REÚNE-SE EM FORTALEZA NESTA SEGUNDA-FEIRA

E a Comissão Especial Mista do Orçamento da União fará, nesta segunda-feira, a partir das 9 horas, no plenário da Assembléia Legislativa do Ceará, uma audiência pública. O encontro faz parte de uma série que a comissão realiza pelas principais Capitais do País, dentro do objetivo de elaborar uma proposta orçamentária participativa. O presidetne da comissão, senador José Maranhão (PMDB-PB) e o relator-geral, deputado federal José Pimentel (PT), comandarão os trabalhos que se estenderão até o meio-dia.

Os presidente de assembléias legislativas dos Estados nordestinos, segundo confirmou neste domingo para o Blog o presidente do legislativo estadual cearense, Domingos Filho (PMDB), participarão dos debates, assim como representantes de órgãos federais e instituições interessados no tema. Segundo o relator-geral, José Pimentel, a ordem é colher sugestões do interesse do Nordeste para que o orçamento 2008 possa virar uma peça mais democrática e representativa dos interesses do País como um todo.

MENSALÃO TUCANO – AZEREDO NEGA RELAÇÕES COM EX-JUIZ ELEITORAL

“O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), alvo central da investigação do mensalão mineiro, negou neste domingo, 30, que sua campanha tenha feito qualquer tipo de pagamento ao ex-juiz eleitoral Rogério Tolentino, do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, em 1998, conforme reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo deste domingo. Tolentino é advogado do publicitário Marcos Valério, apontado como operador do mensalão em Minas e um dos 40 acusados pelo Supremo Tribunal Federal no mensalão petista.

Tolentino, por meio da assessoria de Valério, nega ter recebido recursos do “valerioduto mineiro”. Segundo ele, o montante de R$ 302,3 mil que recebeu entre agosto e outubro de 1998 refere-se a pagamento de honorários atrasados feitos pela agência SMPB, do publicitário. O advogado nega ainda que no período em que era juiz eleitoral tivesse votado “sistematicamente” a favor da coligação do governador tucano. A reportagem do Estado tentou falar diretamente com Tolentino, que indicou a assessoria do amigo: “Eu não respondo sobre esse assunto”. Assim como Valério, Tolentino é réu do mensalão petista e responde pelos crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha”.

(Agência Estado)

CIRO GOMES REBATE ÉPOCA E DIZ QUE MATÉRIA TENTA FORÇAR A BARRA CONTRA ELE

O deputado federal Ciro Gomes divulgou nota repudiando matéria da revista Época, que faz uma ligação sua ao caso do diretor Victor Ponte, do Banco do Nordestre do Brasil, envolvido em operações questionadas pelo Tribunal de Contas da União. Confira o teor da nota divulgado pela Folha Online:

“Brasília, 29 de setembro de 2007

A propósito da matéria “O amigo problema de Ciro”, da edição de 1° de outubro de 2007, venho, indignado, e em atenção aos seus leitores, esclarecer, com pedido de publicação na íntegra, o que se segue:

1. Não tenho nenhum amigo problema. Amigo problema, sob o ponto de vista ético, para mim, é ex-amigo;

2. O Ministério da Integração Nacional é, constitucionalmente, o gestor do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste (FNE). Nessa condição, o ministério recebeu do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) solicitação para autorizar, ou não, as condições em que poderia renegociar o pagamento das dívidas atrasadas de seus clientes. A atuação do Ministério nesse assunto limitou-se a encaminhar a consulta do BNB à Advocacia Geral da União (AGU), para que esta desse seu parecer;

3. Tão logo chegou ao Ministério da Integração Nacional, a consulta do BNB foi repassada à Advocacia Geral da União. Não houve, portanto, nenhuma demora.

4. É importante esclarecer que a consulta do BNB não se referia a nenhuma renegociação em particular, mas, sim, ao conjunto de todos os seus devedores;

5. Deixei o Ministério da Integração Nacional em março de 2006, antes de que a AGU se pronunciasse sobre o assunto;

6. Jamais, nem por exceção, pratiquei qualquer ingerência em qualquer operação do BNB. Vale esclarecer, aliás, que o BNB é subordinado ao Ministério da Fazenda, e não ao Ministério da Integração Nacional. Querer vincular meu nome a este assunto é forçar notoriamente a barra, pelo fato de ser amigo de um funcionário do segundo escalão do Banco;

7. Minha atitude foi exatamente na direção oposta a que se pode concluir da leitura da matéria. Informado, dias atrás, deste assunto pelo ministro Guido Mantega, recomendei a ele o que sempre fiz ao longo de minha vida pública: a abertura de um inquérito que apure tudo, aguardando o investigado, fora do cargo, as conclusões.

8. Como bem esclarece a reportagem de Época, minha posição sobre episódios dessa natureza é clara: se houve, da parte de quem quer que seja, algum erro ou irregularidade, esse alguém deve ser punido na forma da lei. Neste caso, o acusado alega ser absolutamente inocente de qualquer ilícito. Se não for verdade, que pague a mais severa punição. Para mim, sempre foi assim: quem errou, que pague;

9. O que me deixou indignado é a forçada tentativa de vincular esse episódio à campanha eleitoral do ano passado. O fato de ter escrito e assinado uma carta apresentando Victor Samuel a algumas pessoas, e dizendo claramente que ele falaria em meu nome acerca de uma contribuição para a campanha que meu partido desenvolveria, é uma tentativa de ser transparente e claro sobre um assunto a respeito do qual há muita controvérsia, que é a arrecadação de fundos para campanhas políticas.

10. Época, infelizmente, não menciona a seus leitores o segundo parágrafo da citada carta em que solicito, formalmente, contribuições de campanha para o partido e que diz que qualquer contribuição só será aceita se feita em obediência às “normas legais e éticas com que sempre pautei minha vida pública”.

11. Época sabe que não se fazem ilícitos eleitorais através de cartas nominais escritas, assinadas e públicas.

Ciro Gomes. “

Pois é, doutor Ciro, a campanha presidencal já começou nos grandes meios de comunicação. E o senhor, como sempre, virou alvo prioritário, porque tem coragem de questionar a postura vez em quando patidária desses grupos de mídia.

ESCOLHA DO DEFENSOR-GERAL – COMISSÃO ELEITORAL FAZ REUNIÃO NA TERÇA-FEIRA

A Comissão Eleitoral responsável pela formação da lista tríplice da qual sairá o (a) futuro (a) defensor-público-geral do Estado vai se reunir nesta terça-feira para definir as regras do pleito que deve ocorrer no máximo até 15 de outubro próximo. Formada a lista, ela será encaminhad para o governador Cid Gomes, que escolherá o felizardo ou felizarda. A comissão é formada por Benedita Damasceno, Tânia Mamede e Maria Cristina Aguiar, esta última uma das mais devotadas defensoras que já conheci, pois trabalha por gostar e é vocacionada. Bem, na disputa para entrar na lsita tríplice estão: Luciano Simões, atual defensor-público-geral; Renan Cajazeiras, Carlos Augusto Andrade e a atual presidente da Associação dos Defensores Públicos do Ceará.

DETALHE – Estamos abrindo novo post para o debate da categoria. Esperamos que sejam mntidos o nível e o respeito para com postulantes. Avisamos que qualquer mensagem fora das regras deste Blog será automaticamente excluída. Sem mais, vamos ao debate.

MENSALÃO TUCANO TAMBÉM TERIA PAGO JUIZ ELEITORAL MINEIRO

“Rogério Lanza Tolentino, advogado do publicitário Marcos Valério, foi juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais e recebeu dinheiro do valerioduto durante a campanha de 1998, quando o então governador Eduardo Azeredo (PSDB) tentou, sem êxito, a reeleição. A informação está publicada em reportagem publicada neste domingo pela Folha, assinada por Frederico Vasconcelos (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL).
Segundo relatório da Polícia Federal, no inquérito do valerioduto mineiro, entre agosto e outubro de 1998, foram feitos cinco pagamentos no total de R$ 302.350 ao juiz e a sua mulher, Vera Maria Soares Tolentino. Para a PF, seriam “recursos de estatais desviados para o caixa de coordenação financeira da campanha”.
Réu do mensalão do PT pelos crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, Tolentino foi juiz eleitoral no biênio 1998/2000, indicado para vaga de advogado em lista tríplice e nomeado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em 20 de julho de 1998.
Outro lado
O advogado Rogério Lanza Tolentino diz que todos os pagamentos da SMPB Publicidade no período em que foi juiz eleitoral “foram por prestação de serviços” e nega ter favorecido. “

(Folha Online)

DOM ALOÍSIO LORSCHEIDER ESTÁ NOVAMENTE INTERNADO EM PORTO ALEGRE

“O arcebispo emérito de Aparecida e ex-arcebispo de Fortaleza, cardeal Aloísio Lorscheider, está internado no Hospital São Francisco, em Porto Alegre (RS). Há uma semana seu estado de saúde se complicou e o quadro clínico atual é considerado estável, segundo os frades franciscanos que o acompanham. Dom Aloísio apresenta retenção de líquido e má funcionamento do aparelho digestivo. Ele está consciente e recebe visita normalmente. No próximo dia 8, ele completa 84 anos. Com a saúde debilitada desde agosto do ano passado, quando foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Monte Klinikum, em Fortaleza, dom Aloísio tem passado por internações clínicas e cirúrgicas.

No sábado pela manhã, frei Rodrigo, da Congregação dos Frades Franciscanos Menores, disse ao O POVO, por telefone, que o cardeal estava sem dor. “Quando conversamos, ele responde normalmente, mas está muito sonolento.” Frei Harri, que mora na Casa Provincial dos Franciscanos, em Porto Alegre, diz que a irmã de dom Aloísio, Anita e outros familiares chegam, neste domingo, do Paraná, para visitá-lo. Desde que era arcebispo de Fortaleza, o cardeal Lorscheider sofre de problemas cardíaco e também teve complicações pulmonares. A última vez que ele esteve internado foi há aproximadamente três meses. Ele sentiu-se mal no dia 29 de junho deste ano e ficou internado mais de 20 dias no mesmo hospital, que faz parte do Complexo Santa Casa de Porto Alegre. “

(Do Jornal O POVO de Domingo)

VÍTIMAS DE OPERAÇÃO DESASTROSA DA PM NÃO COMPARECEM PARA DEPOR

“O depoimento de Denise Campos marcado para as 9 horas da manhã deste sábado, no 34º Distrito Policial (Centro), não aconteceu. Ela estava na Hilux atingida por vários tiros durante uma operação policial na avenida Raul Barbosa. Segundo o advogado de Denise, Leandro Vasques, o italiano Innocenzo Brancati, marido dela, que também estava no carro e saiu ferido no braço e no pé, sentiu-se mal na noite de sexta-feira, alterando o estado emocional de Denise. A espanhola Mar Santiago, que também poderia depor ontem, não foi levada à delegacia. Segundo a delegada Rossicleide de Castro, titular do 34º DP, ainda não há nova data para as testemunhas serem ouvidas. A delegada também informou que, por enquanto, não irá ouvir novamente os dez policiais envolvidos na operação da última terça-feira na avenida Raul Barbosa. Os policiais militares serão indicados inicialmente por tentativa de assassinato não intencional. O inquérito será acompanhado pelo promotor militar Joathan de Castro Machado e por uma comissão composta por três delegados. Os PMs também foram afastados de suas funções e deverão passar por acompanhamento psicológico, um procedimento que está sendo adotado a policiais que se envolvem em situações semelhantes. “

Leia mais aqui

ÉPOCA TRAZ MATÉRIA ONDE TCU ENVOLVE TRANSPETRO DE SÉRGIO MACHADO

A Revista Época desta semana abre artilharia agora contra um dos nomeados por Renan Calheiros, o presidente do Senado. Trata-se do cearense Sérgio Machado que, de acordo com a área técnica da Petrobras, faz um ótimo trabalho. Confira o jeito, vez em quando, mesquinho de se fazer política no Brasil:

“A primeira e mais importante nomeação feita no governo Lula por Renan Calheiros envolveu o ex-senador Sergio Machado, do PMDB do Ceará. Desde meados de 2003, Machado é presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras que cuida dos navios da empresa, cujo orçamento anual é de R$ 3,65 bilhões. Machado assumiu o posto com a responsabilidade de renovar a frota de petroleiros do país. Para isso, lançou uma licitação de R$ 5,5 bilhões para construir 26 navios. De lá para cá, ele tem esbarrado nos órgãos de controle. O Tribunal de Contas da União (TCU) chegou a suspender a licitação em setembro de 2005, depois de encontrar irregularidades. Agora, uma nova auditoria encontrou mais problemas. Desta vez, o TCU não recomendou o bloqueio da licitação por causa das “enormes repercussões jurídicas, financeiras, econômicas e operacionais”. Segundo o ministro Aroldo Cedraz, relator do processo, o tribunal deverá acompanhar as obras de perto.

A frota atual da maior empresa do país tem 16 anos e é considerada ultrapassada. Só no aluguel de embarcações, a Petrobras gasta US$ 10 bilhões por ano, dos quais apenas 4% ficam no Brasil. Ao injetar dinheiro no projeto de renovação, o governo federal pretendia também dar um impulso à indústria naval brasileira. Em 2004, a Transpetro encomendou da consultoria McKinsey, uma das mais respeitadas do mundo, um estudo que contemplasse esse desejo. Foram estabelecidos critérios para que os estaleiros do país alcançassem níveis de excelência global. De acordo com o TCU, os parâmetros indicados pela McKinsey não estão nos contratos negociados. A Transpetro aceitou propostas aquém do plano inicial. A estatal afirma que “manterá um sistema de acompanhamento para assegurar que os estaleiros alcancem competitividade internacional”.

Entre as irregularidades levantadas pelo TCU, também há manobras financeiras, fraudes e contratos sem licitação. O financiamento dos navios, feito pelo BNDES com verba do Fundo de Marinha Mercante, já era vantajoso e, na nova licitação, ficou ainda melhor. Diante da fragilidade financeira de alguns consórcios que venceram as licitações para construir os navios da Transpetro, o BNDES recomendou que a estatal liberasse mais dinheiro durante a execução. Isso reduziu o custo dos estaleiros e aumentou o risco da Transpetro sem que ela tivesse nenhuma contrapartida.”

(Da Época para Assinantes)

ÉPOCA TRAZ DENÚNCIA CONTRA DIRETOR DO BNB QUE É ALIADO DE CIRO GOMES

A Revista Época traz matéria bombástica que, sem sobra de dúvida, já é o prenúncio de que a campanha presidencial vai ser quente em 2010. Um amigo de Ciro, aparece envolvido com operações nada condizentes dentro do BNB. Pode-se dizer que Ciro é falastraão e algo mais. Ele, no entanto, é homem de conduta irreparável até hoje. Confira:

“Duas semanas atrás, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, telefonou ao deputado Ciro Gomes (PSB-CE) para relatar que aplicaria uma punição a um amigo de infância de Ciro. Mantega mandara abrir um processo administrativo contra Victor Samuel Cavalcante da Ponte, diretor de administração do Banco do Nordeste. O motivo de tamanha cautela com a situação de um funcionário periférico é a forte ligação entre Ciro e Ponte. Os dois são amigos desde o tempo em que moravam em Sobral, no interior do Ceará.
Seus pais eram aliados na política regional. Ponte está no Banco do Nordeste na condição de apadrinhado político de Ciro. Nas eleições do ano passado, ele era o responsável pela arrecadação de recursos para a campanha a deputado de Ciro e de seu irmão, Cid Gomes, ao governo do Ceará. Homem de confiança de Ciro, Ponte enfrenta mais que o processo administrativo do Banco do Nordeste. É investigado também pela Controladoria-Geral da União e pela Polícia Federal por suspeita de fraude no Banco do Nordeste. Victor Ponte é acusado de assinar, de maneira irregular, um acordo que reduziu – de R$ 65 milhões para R$ 6,6 milhões – uma dívida da empresa Frutas do Nordeste do Brasil S.A. (Frutan) com o Banco do Nordeste. Ele assinou sozinho o acordo, mas, como diretor-administrativo, não tinha competência funcional para isso. A redução da dívida desobedeceu a uma proibição expressa da Advocacia-Geral da União (AGU).
Em junho do ano passado, no mesmo período em que Ponte autorizou a redução da dívida da Frutan, Ciro mandou a empresários do Ceará uma carta com o seguinte conteúdo: “Apresento-lhe meu amigo Victor Samuel, que lhe falará em meu nome, de Cid Gomes e de nosso partido político, o PSB, acerca de uma contribuição para a campanha que o partido desenvolverá nas eleições próximas, de outubro do corrente ano”.
‘‘Apresento-lhe Victor Samuel, que falará em meu nome acerca de uma contribuição para a campanha ’’ CIRO GOMES (PSB-CE), DEPUTADO FEDERAL, em carta enviada a empresários na campanha de 2006. “Ele é meu amigo de cem anos”, disse Ciro no ano passado, quando sua carta veio a público. Casado, 50 anos, um filho, Ponte foi subsecretário de Indústria e Comércio do Ceará no governo Ciro Gomes e sempre trabalhou nas campanhas do amigo. As denúncias contra Ponte aparecem como um incômodo justamente num momento em que tudo vinha dando certo na carreira política de Ciro. As pesquisas de opinião pública mostram que, entre os possíveis candidatos governistas à sucessão de Luiz Inácio Lula da Silva, ele é quem tem as melhores chances. O próprio Lula mencionou o nome de Ciro no último Congresso do PT, como um possível candidato da esquerda. Além de ser um dos preferidos de Lula, Ciro já tem o apoio de um bloco formado por seis partidos de esquerda. Para um político que vive hostilizando as “elites” e as “oligarquias”, a ligação com Victor Ponte e as irregularidades do Banco do Nordeste representam um abalo em seu discurso político.”
(Da Época para Assinantes)

GOVENO LULA DEVE ANUNCIAR CRIAÇÃO DA TV PÚBLICA NA PRÓXIMA SEMANA

O Planalto vai anunciar na próxima terça-feira a criação de uma nova estatal, a Empresa Brasil de Comunicação. É sob esse logotipo que funcionará a TV Pública. Convidada para presidir a nova emissora, a jornalista Tereza Cruvinel já se despediu de seus leitores no O Globo. A empresa Brasil vai incorporar as estruturas das já existentes Radiobras e TVE. A junção virá por meio de medida provisória. Prometida na semana passada, vai ao Congresso com atraso. Convém a Cruvinel acautelar-se. O último que entrou no governo enganchado numa MP, Roberto Mangabeira Unger, acaba de ser “demitido” pelo Senado.

Estima-se que a TV Pública terá orçamento de R$ 350 milhões em 2008. Com o tempo, o telespectador vai saber se o valor é compatível com a qualidade e com a audiência da emissora.

(Do Blog do Josias de Souza)

TASSO JEREISSATI AGENDA O SÁBADO PARA UM GIRO PELO INTERIOR

O presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati, cumprirá um agenda na chamada planície política local. Neste sábado, conferirá convenções municipais em três municipios. O primeiro é o Crato, onde, ao lado do prefeito Samuel Araripe (PSDB), confere a filiação de cinco vereadores à legenda. Depois vai à cidade de Senador Pompeu no período da tarde eno começo da noite passa por Crateús. Tasso já disse que o PSDB deverá ter candidato a prefeito em praticamente todos os municípios cearenses. Esss visitas fazem parte desse esforço.

Pela primeira vez, colocados na oposição, os tucanos enfrentarão as urnas. Vai ser um teste daqueles em matéria de mobilização para seus filiados.

OPERAÇÃO DESASTROSA – VÍTIMAS PEDIRÃO INDENIZAÇÃO AO ESTADO

O advogado Leandro Vasques, que defende os interesses da família do espanhol Marcelo Ruiz, vai entrar na Justiça com uma ação indenizatória contra o Estado. Ruiz acabou paraplégico, pois foi atingido com um tiro na coluna durante operação desastrosa da PolÍcia Militar que, em perseguição a assaltantes, metralhou o carro do espanhol na noite da última quarta-feira, na Avenida Raul Barbosa. Os PMs perseguiram um grupo que assaltou um caixa eletrônico do prédio da Emlurb.

Leandro Vasques disse que a ação policial não se configura como lesão corporal, mas como tentativa de homicídio. Os 10 PMs envolvidos na operação foram inidiciados por tentativa de homicídio não-intencional. “Basta examinar o veículo metralhado pela Polícia para se observar a altura das perfurações, que sugerem execução”, disse o advogado. Ele não precisou valores. O governador Cid Gomes já reconheceu o absurdo e, inclusive, pediu desculpas públicas às vítimas.

OPERAÇÃO DESASTROSA – PMs SERÃO INDICIADOS POR TENTATIVA DE HOMICÍDIO

Os dez policiais envolvidos na ação da última terça-feira na avenida Raul Barbosa serão indiciados por tentativa de homicídio não-intencional. Este é o entendimento inicial que consta do inquérito sobre o caso. De acordo com o advogado Leandro Vasques, representante das vítimas, inicialmente eles seriam indiciados por lesão grave. “Mas o fato de muitos dos tiros disparados terem atingido a cabine da Hilux, e não só os pneus, revela que os atiradores assumiram como risco produzir mortes. No caso em questão, a tentativa de homicídio foi indireta, mas os atiradores assumiram o risco de ter este resultado nos disparos”, explica Leandro Vasques. Ele representa Denise Campos e seu esposo, Innocenzo Brancati, vítimas da ação policial junto com os espanhóis Marcelino Ruiz e Mar Santiago. Denise deverá ser ouvida por volta das 9 horas da manhã de hoje no 34º Distrito Policial (Centro), encarregado das investigações. A titular do 34º DP, Rosicleide de Castro, informou que os policiais realizaram exame residuográfico no Instituto Médico Legal (IML) para saber se haviam feito uso de arma de fogo recentemente. “Reuni cópias do inquérito atualmente em andamento e as remeti ao Vice-Consulado da Itália e ao Consulado da Espanha para que as instâncias diplomáticas adotem as medidas”, completa.

Na noite do último dia 25, o casal Denise e Innocenzo foram buscar os amigos espanhóis Marcelino e Mar Santiago no Aeroporto Pinto Martins. Na volta, na avenida Raul Barbosa, em frente à torre de observação da Polícia Militar, o veículo deles foi confundido com o de um grupo de assaltantes que havia levado um caixa-eletrônico do Banco do Brasil na Emlurb, no Passaré. Os ladrões, segundo a Polícia, estariam em uma S-10 vermelha, com o caixa na carroceria; e em uma Hilux preta, que daria a cobertura ao bando.

Do Jornal O POVO leia mais aqui

GRUPO AZTECA, DO MÉXICO, QUER INVESTIR NO RECIFE E EM FORTALEZA

O presidente do Grupo Azteca, Ricardo Salinas, estará no Recife neste fim de semana para almoço de trabalho com o governador Eduardo Campos. Será neste domingo, a partir das 14 horas, no Palácio do Campo das Princesas. O empresário deverá anunciar o Recife como sede dos seus negócios no Brasil.

Já está praticamente certo que o Grupo Azeteca incluiu, segundo informações do Recife, a cidade de Fortaleza como um dos pontos para investimentos em 2008. A meta: abrir filial da Loja Elektra, do grupo, que é especializada em eletrodomésticos.

QUEM É?

O Banco Azteca é uma instituição de crédito de grande porte, com atuação em vários países da América Latina e que chega ao Brasil para oferecer um produto no qual tem experiência única. É especializado em microcrédito e já recebeu autorização do Banco Central para operar no Brasil. Tem mais de 1.400 agências e 15 milhões de clientes na América Latina. Além do Banco Azteca, o Grupo é composto por 12 empresas com atuação nas áreas de comunicação, tem três redes de televisão no México e uma de TV a cabo de alcance continental, e varejo, com a marca Elektra.

RELATORA DA PEC DA CPMF AVISA: QUER O FIM DESSA NOVELA CHAMADA CPMF

“A senadora Kátia Abreu (DEM-TO), que vai relatar na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado a proposta de emenda constitucional que propõe a prorrogação da cobrança da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) até 2011, vai recomendar aos senadores o fim da cobrança. Ela antecipou à Folha Online que além de sugerir a extinção da CPMF não está disposta a negociar mudanças em seu relatório com a base aliada. “Vou defender o fim da cobrança da CPMF porque sou contra imposto. A carga tributária no país é imensa. Quem é que agüenta?”, reagiu Kátia Abreu, escolhida relatora da proposta na CCJ pelo presidente da comissão, Marco Maciel (DEM-PE).

Considerada uma parlamentar “disciplinada” pelo DEM, Kátia Abreu segue orientações do líder da bancada no Senado, José Agripino Maia (RN), de Maciel, além do ex-presidente do partido Jorge Bornhausen (SC). Por este motivo, os governistas afirmam que o relatório dela será “duro e difícil” de negociar na CCJ. “Não vou atacar o governo, mas a CPMF. Sempre fui contra e é assim que eu penso. Não sei o que eles [os governistas] querem dizer em um relatório ‘ser duro e difícil'”, disse a senadora.
A expectativa do governo é que a proposta chegue