Blog do Eliomar

Deputados do PSDB querem Tasso e Cid juntos em 2010

cidtasso

O PT deixa essa cena se repetir em 2010?

“Com o argumento da “afinidade política”, deputados do PSDB querem ver o senador Tasso Jereissati (PSDB) e o governador Cid Gomes (PSB) juntos na campanha pela reeleição de ambos em 2010. Grande parte dos parlamentares tucanos consultados pelo O POVO veem a aliança de Cid com o PT como uma questão secundária e que não lhes diz respeito: o importante é o apoio do Palácio Iracema. “Eu defendo Tasso e Cid juntos pelo fato de terem uma afinidade, uma história, o mesmo estilo de governar”, argumentou o deputado Osmar Baquit (PSDB).

Conforme O POVO mostrou no último domingo, a cobiçada segunda vaga da coligação em torno da reeleição de Cid pode acabar num apoio “informal” à candidatura de Tasso, que também vai tentar a reeleição em 2010. O PT, que queria lançar um candidato a senador, ao lado da já anunciada candidatura do deputado Eunício Oliveira (PMDB), pode ficar apenas com a vaga de vice-governador.

Afinidade
Não é apenas a “afinidade” que motiva os deputados do PSDB a apoiarem uma coligação informal com o grupo de Cid. A disputa por bases eleitorais é a principal resposta para o apoio tucano ao governador.

Para o líder da bancada do PSDB na Assembleia, João Jaime, “tudo é possível” e, caso uma aliança – mesmo informal – seja concretizada, será vista “com bons olhos”. “Mas também tem a questão nacional”, disse, lembrando que, em 2002, por causa da verticalização, houve um apoio de Tasso à senadora Patrícia Saboya (PDT) nos moldes do que se pensa para 2010. “Na época, a Patrícia era do PPS e não podia coligar aqui, por conta das questões nacionais, mas acabou saindo com Tasso”, lembrou. No entanto, o deputado afirmou que um “acordo branco”, se houver, se daria apenas no âmbito legal, porque na prática será efetivo.

Já o vice-líder da bancada do PSDB na Assembleia, Tomás Filho, avalia que o apoio oficial será mais vantajoso, mas apenas se as condições do cenário nacional permitirem. “A gente tem uma candidatura forte a presidente e necessita de palanques estaduais”, argumentou.

Uma das mais ligadas a Tasso, a deputada Tânia Gurgel analisa o fato de Cid hoje estar com o PT. “Fica difícil a compreensão, mas olho para o lado do que já fizeram juntos (Cid e Tasso). Mas não sei como fica a verticalização, o palanque nacional”, disse.”

(Jornal O POVO)