Blog do Eliomar

PR e PPS querem apoio do PSDB para tentar derrotar Cid Gomes em 2010

“Uma viagem atrás da outra ao Interior do Ceará, propaganda intensiva da gestão e quase nada de oposição na Assembleia Legislativa são ingredientes que fazem do governador Cid Gomes (PSB) o candidato favorito às eleições estaduais de 2010. Apesar da vantagem, confirmada pela mais recente pesquisa do Datafolha, adversários apostam que se o PSDB decidir romper com Cid, seu conforto cai por terra. Para siglas como PPS e PR, os tucanos serão o fiel da balança na disputa do ano que vem.

A sondagem publicada pelo jornal Folha de São Paulo na última terça-feira aponta o atual governador com na dianteira com percentuais que variam de 44% a 53% da preferência do eleitorado, em quatro diferentes cenários – mais de 20 pontos à frente do segundo colocado em cada panorama. O placar elástico, entretanto, foi minimizado por um dos principais articuladores da oposição e presidente estadual do PPS, Alexandre Pereira. “O maior adversário (em potencial), que é o PSDB, ainda não se decidiu. Quando o senador Tasso Jereissati (principal nome da sigla) abraçar nossa candidatura, quando o bloco de oposição se consolidar, isso muda“, arriscou.

O prefeito de Maracanaú e único pré-candidato declarado à sucessão de Cid, Roberto Pessoa (PR), tem marcado presença ao lado de Tasso, em busca da benção tucana. Com 13% e 14% das intenções de voto, segundo o Datafolha, Pessoa disse ser “um candidato viável“, mas ainda “pouco competitivo“, devido ao “pouco tempo de exposição na mídia“ e às indefinições que rondam sua futura aliança. A resposta do PSDB, conforme ele tem dito, é esperada para janeiro.

Mesmo diante da ansiedade do grupo, o presidente estadual do PSDB, Marco Penaforte, continua reticente. “Até a hora de tomarmos a decisão, vamos estar abertos a todas as forças, com exceção do PT, com quem não nos coligaremos em hipótese alguma.“

Contraditório e evitando dar pistas sobre a tendência do partido para 2010, ele elogiou o desempenho do governador na pesquisa. Logo depois, garantiu que, no Ceará, o PSDB fará palanque para o candidato tucano à Presidência da República – o que pode significar rompimento com o governador.

Tranquilidade
Do outro lado do balcão, a tese de um dos apoiadores incondicionais de Cid, o deputado federal Eunício Oliveira (PMDB), é que, se o grupo de Tasso quiser juntar-se à aliança governista, será bem-vindo. Do contrário, nada mudará para a base aliada. “Em 2006, ganhamos as eleições sem o PSDB”, relembrou.

O parlamentar, que será candidato ao Senado com apoio declarado de Cid, destacou que “pelo que mostrou a pesquisa, é como se Tasso andasse de bicicleta e Cid de moto“. Segundo o Datafolha, o senador teria 23% dos votos, contra 44% do governador, caso as eleições fossem hoje.”

(Jonal O POVO)