Blog do Eliomar

Arquivos

Cid deverá ter um megacomitê na terra de Roberto Pessoa

profvasconcelos

“Se depender do meu compromisso e esforço, o governador Cid Gomes repetirá o desempenho eleitoral do último pleito, onde teve em Maracanaú 68% dos votos”, disse, neste sábado, o Professor Vasconcelos, que foi candidato a prefeito desse município na última eleição.

Professor Vasconcelos já articula grupos para apoiar Cid Gomes e, na terra de Roberto Pessoa, pré-candidato a governador pelo PR, organiza um dos maiores comitês pró-Cid no Estado. “Vamos ter um comitê com quatro mil metros quadrados e uma megaestrutura para enfrentar Roberto Pessoa”, disse Vasconcelos.

Ele lembrou que o desempenho de Cid no pleito passado foi o maior da Região Metropolitana de Fortaleza e que a meta é repetir o tento.

Professor Vasconcelos não vê condições de Roberto Pessoa surpreender. Observa que o prefeito está desgastado em seu município,  não tem tempo de TV na propaganda e também carece de um programa de gestão. “Estos mobilizando várias lideranças partidárias e da sociedade civil principalmente”, diz.

PT prepara candidatura de Mercadante em São Paulo

“O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) formalizará em breve sua intenção de disputar o Palácio dos Bandeirantes em outubro. Ainda sem data marcada, o anúncio deverá ocorrer no máximo até o início de abril, segundo estimativa de dirigentes da sigla.

O primeiro a declarar formalmente que está fora do páreo para concorrer ao governo paulista foi o prefeito de Osasco, Emidio de Souza, que sacramentou a decisão em um ato organizado na noite de ontem, na capital paulista. Na chegada, disfarçou apontando como motivo de sua saída da disputa o fato de estar sujeito ao prazo de desincompatibilização, no próximo dia 2 de abril. Em seguida, admitiu que o partido entendeu que o melhor caminho seria lançar Mercadante para a vaga.

O evento ajudou a firmar também a ex-prefeita Marta Suplicy como o nome do PT para o Senado. Em viagem ao exterior, ela encaminhou por escrito uma mensagem a Emidio. “Dilma, Mercadante e eu precisamos de pessoas como você à frente das nossas campanhas”, afirmou Marta, na carta, dando a receita do palanque que será montado para a candidatura presidencial da ministra- chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.”

(Agência Estado)

Empresa, em site, dá como certa construção do estaleiro

A empresa STX que promete construir o estaleiro em Fortaleza já dá como certa sua realização. Falta apenas avisar aos cearenses. No site dela, a foto do projeto do estaleiro em destaque na página da empresa, no icone “latest images: new shipyard in brazil pode ser conferida.

http://www.stxeurope.com/mediacentre/ 
 
http://netmarinha.uol.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=26787:stx-europe-investe-us-100-milhoes-em-estaleiro-no-brasil&catid=15:outras&Itemid=7

Parlamentar cearense participa de seminário sobre Economia Solidária na Bélgica

eudesxavier

O deputado federal Eudes Xavier (PT) embarcou para a Bélgica. Engajado numa comitiva de parlamentares, participará em Bruxelas do Seminário Internacional sobre Economia Solidária.

Eudes Xavier integra a Frente Parlamentar pela Economia Solidária do Congresso que trabalha em torno de projetos de apoio a iniciativas de empreendedorismo, a partir do apoio financeiro de instituições como o BNDES e o Banco do Nordeste do Brasil.

O seminário vai se estender até o dia 26 e reunirá delgações de parlamentares de vários países. Especialmente aqueles que representam Países do Terceiro Mundo e Emergentes como é o caso do Brasil.

Papa pede desculpas pelos pedófilos da Irlanda

papajo

“O Papa Bento 16 pediu desculpas às vítimas de abuso sexual de crianças por padres católicos na República da Irlanda. Essa é a primeira declaração pública do Vaticano sobre o abuso sexual de crianças, que vem sendo cometido há décadas.

Em uma carta aos fiéis irlandeses, ele reconheceu que as vítimas e suas famílias se sentem traídas pela Igreja. “Vocês sofreram dolorosamente e eu verdadeiramente sinto muito”, disse Bento 16. A carta pastoral foi enviada na sexta-feira, mas seu conteúdo só foi revelado neste sábado (20) durante missas no país. O documento segue revelações de casos de pedofilia na Igreja Católica irlandesa, que abalaram a instituição.

O papa disse que houve “erros sérios” entre bispos na forma como lidaram com as alegações de pedofilia. A carta não pede a renúncia de nenhum bispo, mas alguns já se ofereceram para deixar seus postos. Escândalos envolvendo padres católicos também foram relatados em outros países, incluindo a Alemanha, país natal de Bento 16.

O papa disse que aqueles culpados de abusos devem “responder perante a Deus e aos tribunais propriamente constituídos pelas ações pecadoras e criminais que cometeram”. Bento 16 disse que espera que o documento “ajude no processo de arrependimento, cura e renovação”.

(BBC Brasil)

E picharam a pista de skate do calçadão do Cocó

O projeto de recuperação das margens do rio Cocó, na área da avenida Raul Barbosa, sofreu um ataque de vândalos neste fim de semana. A pista de skate, recentemente concluída e ainda não inaugurada pelo governador Cid Gomes (PSB) amanheceu toda pichada.

O local, bom lembrar, fica bem pertinho de uma cabine da Polícia Militar.

Quem teria feito tal absurdo?

(Informação do jornalista José Maria Melo, do DN)

Lula visitará canteiro de obras da siderúrgica do Pecém

presidente

O presidente Lula deve visitar o canteiro de obras da futura siderúrgica do Ceará, na área do Pecém, ainda neste semestre. O Planalto estima o dia 12 de abril.

Lula faltou ao ato da ordem de serviço, ocorrido ano passado no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, em razão de viagem ao Exterior, mas havia prometido a Cid Gomes que visitaria o projeto em andamento.

A agenda de quem sonha com o Senado

eunicioli  X  pimentell

O ministro José Pimentel (Previdência Social) receberá hoje, da Câmara Municipal de Independência, título de cidadania. Esse município, bom destacar, ganhou agência do INSS.

Já o deputado federal e presidente regional do PMDB, Eunício Oliveira, tem agenda ao lado do governador Cid Gomes (PSB), neste sábado.É a inauguração da estrada Granja-Viçosa do Ceará.

Nessa agenda, os dois – Pimentel e Eunício, têm algo em comum: vão  posar ao lado do eleitorado. Eunício está como pré-candidato a senador, enquanto Pimentel já é tido como pré-candidato pela maioria das bases petistas.

Mas ambos, nos bastidores, estão divididos. A cúpula nacional do PMDB priorizou Eunício e não vê com bons olhos o PT querendo lançar candidato ao Senado.

A criação de novos municípios. Você é a favor?

O jornalista Themístocles de Castro e Silva bate numa tecla interessantíssima: a febre de criação de novos municípios que se alastra pelo País e que, no Ceará, tem seus adeptos. Muitos veem como algo necessário; outros como aproveitamento político e divisão da pobreza. Confira:
As duas mobilizações do presidente da Assembleia, deputado Domingos Filho, vão resultar inúteis. A primeira, com o nome de reforma da Constituição, alegava que os deputados “precisavam legislar“, e, por isso, havia necessidade de entrar em vigor um dispositivo permitindo ao deputado apresentar projeto que aumentasse a despesa pública. Depois de mais de dois anos, verificou-se que houve apenas algumas emendas à Constituição, que poderiam ser apresentadas a qualquer momento, no decorrer da legislatura. Quem proíbe deputado estadual de apresentar projeto que aumenta a despesa pública é a Constituição, do contrário cada deputado tentaria levar para o seu município um pedaço da Secretaria da Fazenda.

A segunda mobilização está em curso, desta vez para criar municípios. Mais de 30, até agora. Em maio do ano passado, precisamente no dia 21, realizou-se em Brasília um seminário sobre criação de municípios, tendo sido principal expositora a sra. Paula Losada, assessora especial da Subchefia de Assuntos Federativos da Presidência. A esse seminário esteve presente o deputado Domingos Filho.

No dia seguinte, O Estado de S. Paulo, em matéria de Luciana Nunes Leal, registrou o seguinte: “Depois da farra de criação permitida pela Constituição de 1988, uma emenda constitucional acabou com os excessos ao exigir que os desmembramentos sejam regulamentados por lei complementar federal. Como essa lei não existe, novas iniciativas de criação de municípios estão suspensas. Durante o seminário foi lançada a Frente Parlamentar da Câmara, que vai apresentar uma proposta de lei complementar até o fim do ano“. Segundo a jornalista, entre outros requisitos definidos pelo governo está a proibição de iniciar processos de emancipação em períodos próximo às eleições, “para não contaminar o debate“, explicou Losada.

Agora, atenção para as exigências do governo, na hipótese de ser aprovada a lei complementar, conforme a assessora presidencial. “O governo quer também uma receita mínima per capita, a ser definida, e comprovação de viabilidade não apenas econômica, mais social, político- administrativa e urbano-ambiental“. As exigências são para evitar a criação de “currais eleitorais“.

Themístocles de Castro e Silva – Jornalista e advogado.

Tasso: "Serra demorou"

ENTREVISTA TASSO JEREISSATI

Em entrevista às págins vermelhas da revista IstoÉ, o senador Tasso Jereissati (PSDB) avalia o cenário eleitoral do País, critica a demora do lançamento da candidarura de José Serra e aponta diferenças entre o tucano e Dilma. Confira:

Istoé – O PSDB está preparado para enfrentar a ministra Dilma Rousseff, candidata da aliança governista e de um presidente superpopular?
Tasso Jereissati – Há duas diferenças em relação às últimas eleições em que tivemos um bom desempenho, na minha avaliação. A primeira, negativa para nós, é o fatode que a economia vai muito bem. A segunda, para mim determinante, é que Lula não será o candidato. Vamos enfrentar uma candidata que não tem nenhuma experiência eleitoral, nunca participou de eleição, e não é propriamente conhecida pela sua simpatia.

Istoé – Mas ela tem a popularidade do Lula.

Tasso Jereissati – É importante. A própria sigla, o PT, tem um percentual cativo de votos,seja qual for a circunstância. Mas ela não é o Lula e, na hora em que a eleição entrar num processo definitivo, de contraponto, vai prevalecer muito um candidato contra o outro. E acho que a Dilma não tem experiência política para assumir o País. É preciso muita habilidade para dirigir um país como o Brasil. A candidata do PT não conhece o Brasil com profundidade. Falta a ela visão de uma administração descentralizada e me preocupa muito essa tendência da Dilma ao autoritarismo.

Istoé – Qual a leitura que o sr. faz do crescimento de Dilma nas últimas pesquisas?
Tasso Jereissati – Não é surpresa que a candidata do PT, Dilma Rousseff, tenha crescido. Ela absorve parte dos votos tradicionais do PT, além daqueles que o Lula transfere. Dilma também se beneficia de uma campanha que já dura dois anos e que ela está fazendo totalmente sozinha, sem adversário, o que a superexpõe na mídia sem nenhum contraponto. E nós não colocamos nosso bloco em campo. Qualquer poste nessas condições também teria avançado.

Istoé – Há campanha antecipada?

Tasso Jereissati – A máquina pública está sendo usada ilegalmente. Só os tribunais eleitorais não percebem essa campanha explícita. Até no Senado já montaram um palanque para a ministra Dilma. A experiência do nosso candidato, a administração que ele tem feito e sua longa história política jogam a nosso favor. Também acho que vai pesar muito o fato de que este é um governo que mais escândalos produziu nos últimos anos.Toda semana tem um escândalo. Isso já está praticamente institucionalizado no governo do PT.

Istoé – O governador José Serra está demorando para oficializar a candidatura ao Planalto?
Tasso Jereissati – Acho que o Serra demorou. Estive com ele em novembro e disse que era um erro ficar apenas assistindo, mesmo com todas essas inconveniências. O problema é que você cria no País o clima de uma candidatura só. Com a nossa candidatura encolhida, o entusiasmo vai para o outro lado.Enquanto isso, a nossa campanha vai murchando. É como se, num jogo, a torcida adversária estivesse num clima de festejo e a nossa de moralbaixo, deixando o estádio antes de o jogo terminar. Isso é muito perigoso. O entusiasmo da militância é fundamental numa campanha. Esse erro foi cometido. Mas a gente tem que olhar para a frente. É reversível.

Istoé – Há quem diga que Serra só teria a perder se antecipasse a campanha, uma vez que ele rivalizaria com o presidente Lula e não com Dilma. O sr.concorda com essa tese?

Tasso Jereissati – Não concordo. Demos chance para a candidatura de uma ilustre desconhecida ganhar espaço. Está na cara que isso aconteceu. Agora não adianta mais chorar o leite derramado.

Istoé – O sr. ainda acredita na chapa Serra-Aécio?

Tasso Jereissati – Precisamos ter uma chapa que ganhe as eleições. Nem a candidata que está em campanha há dois anos anunciou seu vice. O que nós precisamos é ter logo o candidato na rua. É isso que vai construir essas alianças. Aarticulação em torno do vice é feita com o candidato na rua. Ele vai ter condições de, no momento certo, convidar a pessoa que vai ter mais capacidade de compor a sua chapa.

Istoé – Esse nome pode ser Aécio?

Tasso Jereissati – Não acho provável. Impossível não é, pois durante a construção de um projeto que envolve a Presidência da República muitas coisas podem acontecer.

Istoé – Ainda há tempo para a substituição de Serra por outro nome do PSDB?

Tasso Jereissati – Não trabalhamos mais com essa hipótese.

Istoé – É possível uma chapa pura tucana tendo o sr. como vice?

Tasso Jereissati – Sou candidato ao Senado. E nunca houve nenhum convite, contato ou conversa para que eu fosse vice. Há outros excelentes nomes e a escolha deve ser orientada pela necessidade ou não de reforçar a campanha em determinado setor do eleitorado ou região do País. Mas insisto que não podemos ter o vice antes de ter o candidato na rua. É preciso ter primeiro o candidato.

Istoé – Se Dilma Rousseff está em franca campanha ilegal, por que as ações da oposição no TSE ainda não tiveram êxito?

Tasso Jereissati – A Justiça está intimidada. Todo o Brasil está vendo. Há hoje um patrulhamento em cima de algumas decisões que possam ferir os interesses do governo. O governo tem uma capacidade de propaganda e comunicação grande. E usa isso para desvirtuar o mérito de qualquer questão. Qualquer decisão que fira os interesses do governo é logo tachada como não patriótica. Ou então se diz que tal decisão estaria a serviço de alguém. Quando o governo é alvejado por alguma denúncia, não se discute o mérito dela. Logo é colocada na praça uma contrapropaganda fortíssima acusando o jornalista e a empresa de estar a serviço deste ou daquele. Por exemplo, houve duas denúncias importantes nas últimas semanas. Uma delas, da própria ISTOÉ, envolve o coordenador de campanhada Dilma, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, com o Mensalão. A outra acusa o tesoureiro do PT. Não ouvi, até agora,nenhuma defesa com consistência. Só vimos contra-acusação.

Istoé – Falta discurso e projeto de país para a oposição?

Tasso Jereissati – Nosso discurso é aquele que o presidente Lula renegou a vida inteira e se apropriou quando virou governo. Quem primeiro implementou uma política econômica baseada em metas de inflação, controle fiscal e câmbio livre foi o PSDB. Lula a aprofundou. Quem criou o Bolsa Família, como política social de transferência de renda, fomos nós.

Istoé – Mas de que maneira vocês pretendem se diferenciar do atual governo e mostrar ao eleitorado que podem fazer mais e melhor?

Tasso Jereissati – Vamos mostrar na campanha que temos condições de fazer um governo sem roubo,sem escândalos e sem aparelhamento dos serviços públicos, com uma política externa mais equilibrada e maior eficiência nos serviços de saúde. Precisamos dar um salto de qualidade. Infraestrutura e educação precisam ser os elementos primordiais. Pretendemos fazer uma grande revolução na área educacional. Não é possível, por exemplo, não termos educação básica e fundamental de qualidade com esse cenário atual de economia pujante. É inaceitável que sejamos apenas o 65° no ranking da educação básica.

Istoé – O sr. acredita que o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) manterá a candidatura a presidente?
Tasso Jereissati – Não sei o que o Ciro vai decidir, mas ele tem reiterado que vai ser candidato a presidente.

Istoé – A alternativa Ciro é importante para o País e para o processo eleitoral?

Tasso Jereissati – Não temos tradição do bipartidarismo. Eu, particularmente, acho importante que a população tenha mais alternativas na hora de escolher seu candidato.

Istoé – Em2002, o sr. apoiou Ciro Gomes na eleição presidencial, mesmo depois deJosé Serra sair candidato. Há quem duvide do seu engajamento nacampanha de Serra agora.
Tasso Jereissati – Eu voto no candidato do PSDB e vou trabalhar pelo candidato do partido. Em 2002, realmente aconteceu de eu apoiar o Ciro, mas as condições,naquele momento, foram muito especiais e particulares. Alguns erros foram cometidos na campanha do Serra, que espero não se repitam este ano, e havia uma candidatura que representava o sentimento de todo o Estado do Ceará. Hoje as circunstâncias são diferentes e já disse com muita clareza ao Serra que vou trabalhar pela candidatura do PSDB.

Istoé – Mas a chapa que o sr. costura no Ceará com o governador Cid Gomes não deixa o Serra sem palanque no Estado?

Tasso Jereissati – Não estou costurando uma chapa com o Cid. Estamos estudando várias opções e há um consenso dentro do partido de que essa alternativa precisa aguardar um pouco os rumos da eleição presidencial, pelo fato de ter um candidato cearense, ligado ao governador do Estado, concorrendo à Presidência da República. O palanque do partido para a Presidência da República será do PSDB em qualquer circunstância. O palanque de Serra está assegurado. Dependendo das conveniências decorrentes da eleição nacional, os arranjos locais poderão ser diferentes.

Istoé – Se a oposição perder esta eleição, o lulismo pode ficar 30 anos no poder,como vaticinou o ex-porta-voz do Planalto e cientista político André Singer?

Tasso Jereissati – Tenho convicção de que esse tempo passou na América do Sul. Houve algumas recaídas, como é o caso do chavismo. Há ainda uma tentativa, na Colômbia, de fazer um movimento personalista em torno do atual presidente. Mas na volta aos tempos de peronismo e getulismo, exemplos totalmente populistas, não acredito. Construímos uma sociedade moderna com instituições bastante sólidas. Temos uma classe média cada vez maior e mais politizada. Esses fatores não vão permitir o retorno desse tipo de populismo ou política populista baseada em personalidades.

Editorial do O POVO quer estaleiro, mas lamenta a disputa política em torno do projeto

Eis Editorial do O POVO deste sábado. Quer o estaleiro e, principalmente, bom senso entre envolvidos para que o Ceará não perca o projeto. Que venha o projeto, mas não a qualquer preço. Confira:
Desde que o governador Cid Gomes divulgou, em janeiro, a possibilidade de se construir um estaleiro na Praia do Titanzinho, para a produção de navios gaseiros, o assunto permanece na pauta de debates. A grande repercussão obtida é proporcional à importância do tema, pois empreendimento de tal envergadura terá repercussão em toda a cidade.

Os defensores do equipamento destacam o número de empregos que o estaleiro poderá gerar, afirmam que os possíveis problemas ambientais serão mínimos e que o empreendimento pode compatibilizar-se com outros projetos para o local. Aqueles que rejeitam o estaleiro no Titanzinho argumentam os danos ao meio ambiente; a “vocação“ do bairro para o turismo, e afirmam que fábrica de tal tipo faz parte do “antigo paradigma industrial“ & defendendo sua construção fora da área urbana.

Uma coisa é certa: o modelo industrial vem dando lugar, em todo o mundo, à predominância das atividades de serviço. Vive-se a chamada “era do conhecimento“, em que prevalecem a educação e outros valores que apontam para a perspectiva de um futuro melhor. Mas há de se reconhecer que projetos da “antiga indústria“ ainda são necessários para o desenvolvimento do Ceará e do Brasil, mesmo porque o desenvolvimento se dá de forma diferenciada em cada país ou região.

Esses fatos exigem desprendimento que nos obriga a mirar cuidadosamente o futuro e não apenas a olhar de forma precipitada o presente. Visto dessa forma, os empreendimentos industriais só devem ir adiante depois de cuidadosos cálculos que possam estabelecer os benefícios e os malefícios de sua instalação, levando-se em conta os danos sociais e ambientais, em confronto com os possíveis ganhos econômicos. Deixando de fazer essa análise percuciente, podemos carregar o estigma de legar às futuras gerações um beco sem saída.

Dito isso, O POVO defende que se demandem todos os esforços para que o estaleiro se fixe no Ceará, alertando que isso não pode ser feito a qualquer preço. Temos a certeza de que é possível pesar e quantificar tecnicamente todos os fatores envolvidos, e é isso que se pede, de modo a tomar a decisão que atenda às necessidades do presente sem comprometer o futuro.

O jornal lamenta que o empreendimento tenha se transformado em disputa política – e delas este jornal não toma partido. A história demonstra que O POVO sempre se põe a favor dos interesses do Ceará, acima de eventuais circunstâncias políticas.

Entendemos que o debate tomou um rumo emocional, incompatível com o salutar confronto das ideias. A realidade é mais complexa e vai além da divisão artificial que se criou entre os “contra“ e os “a favor“ do empreendimento. É chegada a hora de deixar de lado o embate infrutífero e considerar as questões técnicas essenciais. Entre os dois extremos há de haver espaço para o diálogo, pelo bem do Ceará e de sua gente, uma preocupação que, com certeza, nos guia a todos.

Ex-BBB entre "celebridades" que querem disputar vaguinha no Congresso Nacional

bamab

“Imagine uma sessão na Comissão de Constituição de Justiça da Câmara presidida pelo ex-craque Romário (filiado ao PSB). Em plena apreciação de uma proposta de interesse nacional relatada pelo também ex-jogador Edmundo (o “Animal”, membro do PP). Os dois discutem a inclusão de uma emenda proposta pelo Trapalhão Dedé Santana (PSC), radicalmente contestada pelo cantor e apresentador Netinho (PCdoB). Diante do impasse, o humorista Sérgio Malandro (PTB) pede vistas (um tempo extra para analisar a matéria). Ainda que a imagem acima pareça remeter a um antigo episódio da Escolinha do Professor Raimundo, a situação não é totalmente improvável no ano que vem. Todas essas celebridades não apenas se filiaram a partidos políticos como pretendem disputar em outubro uma vaga na Câmara dos Deputados.
 
Desde que o cantor Agnaldo Timóteo levou um aparelho de telefone para falar com sua mãe em seu primeiro discurso como deputado federal em 1982, o número de artistas e celebridades que se aventuram no mundo da política só tem aumentado. Se antes do golpe militar de 1964, o máximo de fama fora da política que se poderia esperar eram escritores como Jorge Amado, num Congresso formado, em sua maioria, por profissionais liberais, como médicos e advogados, os novos tempos da era da mídia na redemocratização mudaram os ares da Câmara e do Senado. Se no começo desse período havia artistas com militância política reconhecida, como a atriz Bete Mendes, que integrou a primeira bancada do PT e acabou expulsa do partido por votar em Tancredo Neves na eleição indireta de 1985 no Colégio Eleitoral, agora a opção política das celebridades parece ter se tornado mais banal.
 
E elas vêm com força em 2010. E, em vez dos palcos, a nova leva é oriunda na maioria dos gramados de futebol.  E não apenas na Câmara dos Deputados. Ao lado do cartola Márcio Braga (presidente do Flamengo, filiado ao PMDB), que já foi deputado, há o ex-técnico da Seleção Brasileira Vanderlei Luxemburgo (petista). Os dois estão de olho em uma cadeira do Senado. O jogador de futebol Túlio Maravilha (do PMDB) almeja o governo de Goiás. Ainda no ramo futebolístico, há o jogador Vampeta que, filiado ao PTB, ainda não definiu qual cargo eletivo irá disputar.

Quer um cantor sertanejo? Que tal Sérgio Reis (candidato pelo PR)? Casa dos Artistas ou Big Brother Brasil? Quem prefere o reality show do SBT, pode optar pelo ator André Gonçalves (filiado ao PMN), que participou de uma das edições da Casa dos Artistas. Já quem votou para que Kleber “Bambam” ganhasse a primeira edição do BBB, pode agora arranjar para ele uma vaga no Parlamento, pelo PTB. André Gonçalves e “Bambam” sonham ser deputados. Não definiram ainda se estadual ou federal. Se aquelas “milhões” de pessoas que  apresentador Pedro Bial jura toda semana que votam no paredão do BBB estiverem a postos, “Bambam” já está eleito.

O ex-boxeador Maguila, também filiado ao PTB, vive o mesmo dilema de André Gonçalves e “Bambam”: ainda não definiu que cargo disputará. “Eles [Maguila e Vampeta] são pré-candidatos com muita chance de serem candidatos. Estamos preparando as chapas”, disse ao Congresso em Foco o secretário de Comunicação do PTB, Ênio Rocha, informando que o partido decidirá seu escrete de celebridades em 27 de junho, na convenção estadual da legenda.

O PTB é o partido que mais apostou na busca de celebridades para puxar votos nas eleições de outubro. Segundo Ênio, embora nada esteja definido, há a possibilidade de que sejam lançados pela legenda nomes como Sérgio Malandro, suplente de vereador em São Paulo; Paulo Zorello, campeão mundial e presidente da Confederação Brasileira de Kickboxing (“um nome sempre lembrado pelo partido”); e Eduardo Braga, filho do “rei” Roberto Carlos. Ainda não há definição sobre quais cargos eles disputarão.”

* Leia mais no Congresso em Foco.

CGU vê irregularidades em licitações em 91,66% de Prefeituras já visitadas

“Dos 120 municípios fiscalizados pela Controladoria-Geral da União (CGU), 110 apresentaram algum tipo de problema em suas licitações, o que significa 91,66% do total. Esse é o resultado das duas últimas edições do Programa de Fiscalização por Sorteio.

No Ceará, no município de Saboeiro, a Prefeitura assinou, em 2007, contrato com o Departamento de Obras Contra a Seca (Dnocs), no valor de R$ 534 mil, para a construção dos açudes de Parelhas, na comunidade do Sítio Galeias; Lajedo, na comunidade do Sítio Lajedo; e Juazeirinho, na comunidade do Sítio Juazeirinho. A CGU verificou que os açudes estão localizados em terrenos de difícil acesso e não foram encontradas residências nas proximidades, demonstrando que as obras estão servindo apenas aos proprietários das terras próximas aos açudes.

Em Senador Pompeu, a CGU verificou que a prefeitura pagou por serviços não-executados. Para realizar as obras de reformas da Escola Pedro Holanda, na zona rural, a prefeitura contratou uma empresa, pelo valor de R$ 123 mil. Durante a inspeção os auditores da CGU constataram que o primeiro pagamento foi feito em 5/2/2009, mas a planilha apresentada pela Secretaria Municipal de Obras era datada de 4/1/2009, como se já tivessem sido executados 33% dos serviços, o equivalente a mais de R$ 40 mil. No entanto, segundo os fiscais, o processo licitátorio só foi aberto em 20/01/2009. Nos pagamentos posteriores (R$ 46 mil em 18 de fevereiro; R$ 11 mil em 10 de março; e R$ 25 mil em 2 de abril de 2009), os fiscais não identificaram as planilhas dos serviços efetuados.

O município de Aparecida de Goiás, na região metropolitana de Goiânia, é o que tem o maior número de irregularidades, segundo a CGU. A prefeitura de Aparecida aplicava, de acordo com a CGU, uma prática conhecida como “licitação guarda-chuva” para contratar várias obras de saneamento básico e infraestrutura. A administração municipal considerava a tabela do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), mantido pela Caixa Econômica Federal, para indicar os custos de materiais e serviços de obras executadas com recursos da União. Nos 11 contratos foram detectados sobrepreço, que custou aos cofres públicos R$5 milhões.

Em Cocos (BA), a CGU constatou a simulação em duas licitações relacionadas a recursos repassados pelo Ministério da Educação. Primeiro, para 51 compras de materiais elétricos com preços propostos pelas empresas participantes do certame, que tinham a mesma diferença percentual para todos os itens . Em segundo, no orçamento de construção e ampliação de escolas municipais.

No município de São Bento (MA), das 57 empresas participantes de obras entre 2006 e 2008, 26 não foram localizadas. A prefeitura alegou que não há obrigação de confirmar o endereço das empresas licitantes. Para a CGU, o curioso é o fato de a licitação ter sido do tipo convite, o que faz suport que a administração saiba onde elas funcionam.

Fraudes relacionadas a notas frias, desvio de dinheiro público e não execução de obras também foram verificadas em outros municípios, como em Porto Grande (Amapá), onde as obras de eletrificação rural foram realizadas pela Eletronorte, por meio do Programa Luz para Todos, e não pela empresa contratada pela prefeitura, que recebeu todos os recursos para a compra dos transformadores, cabos de alumínio e a implantação dos postes de madeira.

Desde 2003, o programa fiscaliza recursos da ordem de R$11,3 bilhões em todo o país. Ele já chegou a 30,5% dos municípios brasileiros, com 1.701 municípios visitados.

Os relatórios das visitas dos sorteios 28º e 29º foram enviados aos ministérios que transferiram aos municípios, ao Ministério Público Federal e dos estados, ao Tribunal de Contas da União (TCU), à Câmara dos Deputados e ao Senado, além das prefeituras municipais e às câmaras municipais para análise e providências. Os relatórios estão disponíveis no site www.cgu.gov.br.”

 
(Agência Brasil)

TRT-7ª Região elegerá novos desembargadores

“O Pleno do Tribunal Regional do Trabalho – 7ª Região, sob a presidência do desembargador federal José Antônio Parente, vai escolher, às 14 horas da próxima terça-feira, mais dois desembargadores federais do órgão. Um será por antiguidade e a tendência é ser eleita a juiza Maria José Girão.

Já a outra vaga é por merecimento e envolve quatro juízes na disputa para entrarem na lista tríplice a ser enviada para o presidente Lula. São eles: Tarcísio Limaverde, Maria Roseli, Plauto Carneiro e Gerson Quezado.

Está prevista também uma outra vaga que, no entanto, virou motivo de disputa entre a OAB e o Ministério Público do Trabalho.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

E por falar em chuva…

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=93qL0ZgGixQ[/youtube]

Pois é, amanheceu chovendo em vários pontos do Ceará. São José, que foi lembrado durante toda a sexta-feira, continua mandando bênaçãos, no que agradece o agricultor. Vamos torcer pra que a chuva chegue, mas chegue de mansinho que é pra ver se nasce uma planta no chão. Sem maiores problemas.

Rede Globo faz matéria com trabalho de ONG de Juazeiro do Norte

mideria

Crianças e adolescentes ganham apoio social.

A atuação da ONG Instituto de Ecocidadania Juriti, de Juazeiro do Norte (Região do Cariri), que apoia cerca de 120 crianças será apresentada para todo o País. Isso será feito pela Rede Globo, quegravou matéria para o programa Ação Global apresentado aos sábados por Serginho Groisman.

A coordenadora da ONG Juriti, Ana Cristina Diogo, disse que o interesse da Globo surgiu a partir do que viram no site da Organização Não Governamental (www.juriti.org.br).

Entre esse sprojetos, está o “Expresso Digital”, que utiliza um ônibus e se constitui numa ilha digital itinerante na qual muitas crianças e idosos têm a oportunidade de acesso à internet. PSão ofertasdos cursos de informática e velhos computadores são transformados em peças de arte e brinquedos. O ônibus percorre os diferentes bairros de Juazeiro.

(Com site Miseria)

Presidente da Funasa deve disputar vaga de deputado federal

danilofte

O presidente da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), o cearense Danilo Forte, deverá se desincompatibilizar do cargo até o próximo dia 2. A informação é de lideranças peemedebistas que já o incluem na lista dos pré-candidatos a uma vaga de deputado federal pela legenda.

Danilo Forte tem evitado comentar sobre postulação, mas vem circulando o Interior cearense cumprindo as tarefas normais de seu cargo. Há, no entanto, prefeitos já acertando com ele apoio no caso da confirmação de sua candidatura. Um desses casos é Antôno Goes, prefeito de Pedra Branca.

Caso Bancoop – Mais uma comissão do Senado vota convocação de Vaccari

“A Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) será a quarta comissão do Senado a votar requerimento pedindo a convocação do ex-diretor financeiro e ex-presidente da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários) e atual tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, para responder a denúncias de irregularidades na aplicação de recursos de fundos de pensão públicos na cooperativa. O requerimento abre a pauta da reunião da CMA da próxima terça-feira (23), às 11h30, mesmo dia em que Vaccari foi convocado a depor na CPI das ONGs.

O teor de requerimento do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) aprovado pela Comissão Parlamentar de Inquérito das ONGs, nesta quinta-feira (18), é idêntico ao apresentado à CMA. Além do ex-presidente da Bancoop, o senador pede a convocação de depoimento do promotor de Justiça José Carlos Blat, responsável pela investigação do caso pelo Ministério Público de São Paulo; do corretor de câmbio Lúcio Bolonha Funaro, que teria detalhado ao MP o esquema de desvio de dinheiro dos fundos de pensão para o caixa dois de campanhas eleitorais do PT; e Hélio Malheiro, irmão de Luiz Malheiro (falecido em 2004), que foi dirigente da Bancoop e de uma ONG dedicada a deficientes auditivos que teria recebido vários cheques da cooperativa entre novembro de 2003 e março de 2005.

A convocação desses depoentes se repete em requerimento do senador Papaléo Paes (PSDB-AP) aprovado, nesta quarta-feira (17), pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Por solicitação do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), foi incluído nesta lista o nome do advogado da cooperativa, Pedro Dallari. A CDH ainda não agendou a data de início desses depoimentos, nem de realização de diligência em São Paulo para avaliar in loco a situação de centenas de cooperados lesados ao adquirir empreendimentos imobiliários junto à Bancoop. O requerimento de diligência foi apresentado pelo senador Heráclito Fortes (DEM-PI), presidente da CPI das ONGs, e aprovado nesta mesma reunião da CDH.”

(Agência Senado)

Estaleiro – Luizianne anuncia encontro decisivo com Cid para o dia 29

luiziannelins

A prefeita Luizianne Lins (PT) anunciou, nesta sexta-feira, que terá reunião decisiva com o governador Cid Gomes (PSB) no próximo dia 29, no Paço Municipal, para tratar sobre o projeto de construção do estaleiro Promar na praia do Titanzinho.  O anúncio foi feito durante entrevistra à jornalista Carla Soraya, dentro do programa “Tarde Livre”, da TV Diário.

Luizianne disse que esse encontro será decisivo para o empreendimento, mas reiterou que continua contra a localização do projeto.

Luizianne chegou a chamar o estaleiro de “trambolho” e afirmou que, para a construção ser possivel no Serviluz será necessário mexer no Plano Diretor da cidade. Ela voltou a afirmar que tem um projeto, com apoio do Programa de Desenvolvimetno do Turismo (Prodetur), para integrar toda a orla da praia do Futuro, no que o Titanzinho, a “esquina de Fortaleza”, está incluido.

Para Luizianne, o estaleiro não tem sustentabilidade, uma vez que serão construídos apenas oito navios. Também disse que estaleiro construido em zona urbana não é registrado em nenhuma capital brasileira. Mesmo com tantos argumentos contrários, Luizianne dise queespera um consenso com Cid Gomes.

Ela até sugeriu que o estalerio fosse construido na área da Industria Navl do Ceara´(Inace) ou no Coplexo industrial do Pecém, que, em seu Planio Diretor, reserva área para esse tipo de empreendimento.

(Foto – Paulo Moska)