Blog do Eliomar

Gastos da campanha disparam no segundo mês no Ceará

“Só no segundo mês de campanha eleitoral, os sete candidatos a governador do Ceará, juntos, mais que triplicaram as despesas com suas candidaturas, sendo responsáveis por aumento de 254,3% nos gastos totais de campanha. Se no primeiro mês – de acordo com a primeira prestação de contas, feita no início de agosto – foram gastos R$ 3,3 milhões, agora, depois de dois meses, os gastos de campanha para governador já estão em R$ 11,8 milhões.

O valor, contudo, fica abaixo do que foi gasto no mesmo período das eleições de 2006, quando a segunda prestação parcial de contas apontou despesas de R$ 12,5 milhões (valor atualizado com base na inflação medida pelo INPC).

Entre as três candidaturas favoritas nas pesquisas de intenção de voto, quem puxa esse crescimento nas despesas de campanha é o candidato do PSDB, Marcos Cals. Suas despesas saltaram de R$ 820,9 mil no primeiro mês de campanha para R$ 3,2 milhões até o fim do segundo mês de disputa. O aumento foi de 296,6% de julho para agosto, conforme balanço feito pelo O POVO, com base nos dados da segunda prestação parcial de contas dos candidatos, publicados ontem pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A previsão de gasto do candidato, informada ao TSE, é de R$ 30 milhões e o valor já gasto por Cals representa só 10,6% desse limite.

Assim como Cals, quem se destaca no ranking dos que mais gastaram no último mês é Cid Gomes (PSB), atual governador, que disputa pela reeleição. Na primeira prestação de contas, no início de agosto, Cid havia gasto R$ 1,8 milhões. Um mês depois, de acordo com os dados publicados ontem, as despesas de campanha já estavam em R$ 7,1 milhões. Cid, cuja previsão de gasto é R$ 39 milhões, aumentou os gastos quase na mesma intensidade com que Cals potencializou suas despesas. Esse aumento atingiu percentual de R$ 295,1%. As despesas de Cid até agora representa 18,20% do limite de R$ 39 milhões.

Depois de Cid e Cals, aparece Lúcio Alcântara, que aumentou as despesas de campanha em R$ 101,5%, tendo gastado R$ 714,2 mil no primeiro mês e R$ 1,4 milhão em dois meses de campanha. O valor já gasto pelo candidato em sua campanha representa 2,8% dos R4 50 milhões estipulados para a Justiça.”

(O POVO)