Blog do Eliomar

Entre Pagot e aloprados, governistas terão dia duro

“Esta terça-feira promete emoções fortes para o governo. Além das incertezas que envolvem o depoimento hoje do diretor-geral do Dnit, Luiz Antonio Pagot, no Senado, os partidos da base terão de se dividir em mais duas outras frentes para evitar que a oposição ressuscite o escândalo dos aloprados.

Na pauta das comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Assuntos Econômicos (CAE), estão para votação requerimentos de convocação do petista Expedito Veloso, secretário-adjunto na Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal, que admitiu à revista “Veja” o suposto envolvimento do ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, na fabricação de um falso dossiê contra seu adversário tucano, José Serra, na campanha pelo governo de São Paulo em 2006.

— Vamos ter de dividir a nossa tropa, pois não teremos apenas de cuidar do Pagot. Temos de acompanhar as reuniões da CAE e CCJ para não sermos surpreendidos — admitiu o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), adiantou que sua prioridade será resolver a votação de requerimentos indesejados pelo Palácio do Planalto.

Na CAE, além da convocação de Expedito Veloso, a oposição também protocolou pedidos de convocação da ministra Ideli Salvatti (Secretaria de Relações Institucionais) e da ex-senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que também teriam tido conhecimento prévio do dossiê preparado pelos aloprados do partido.

— Neste quadro, o depoimento do Pagot é o menos premente. Primeiro, temos de organizar a votação dos requerimentos — confirmou Jucá.

Para facilitar a divisão de tarefas, a bancada do PT deverá se reunir às 8h30m para destacar seus representantes para cada comissão.

— Se está difícil para gente, imagina para a oposição, que tem menos gente — brincou Lindbergh Farias.”

(Globo)