Blog do Eliomar

Acrísio aglutina militância petista e possui densidade eleitoral, aponta defensor da candidatura

384 28

Diante do “compromisso orgânico com as classes trabalhadoras, além de possuir densidade eleitoral e aglutinar a militância petista”, é que o professor da UFC e da Unifor e militante do Núcleo Américo Barreira, Newton de Menezes Albuquerque, defende em artigo enviado ao Blog a candidatura Acrísio Sena à sucessão de Luizianne Lins. Confira:

Há meses acompanhamos através da mídia a movimentação de nosso partido na definição do próximo candidato do PT à Prefeitura de Fortaleza. Candidatura que terá o compromisso de encarnar nossas aspirações coletivas e a defesa dos valores e patrimônio político e administrativo identificado no âmbito federal com os governos Lula/Dilma e na esfera local com o governo Luizianne Lins. Tudo isso em um momento econômico grave em que se engendra e expande uma crise profunda do capitalismo neoliberal e seu paradigma de Estado mínimo e de um mercado desregulado que tem repercutido brutalmente sobre a destruição das condições de vida da classe trabalhadora no mundo. Crise esta que só não estendeu ao Brasil e ao conjunto da América Latina pela capacidade que os governos de esquerda em nosso continente tiveram de articular uma nova compreensão das relações entre Estado e sociedade, fundamentando um padrão distributivo, planejador e fortemente indutivo de desenvolvimento, inclusive, e principalmente, no plano social.

De qualquer forma teremos nas próximas eleições para prefeito sérios desafios pela frente no sentido de consolidar a disputa ético-política contra direita neoliberal incrustada no condomínio liberal-conservador PSDB/DEM/PPS em que o internacional, nacional e o local se interligarão, exigindo de nós petistas e da esquerda um nível de acúmulo e de formulação político-ideológica qualificada.

No caso de Fortaleza cabe-nos defender o modelo democrático-popular de gestão do Estado seja no plano federal, seja no municipal forjando um campo simbólico de representação das forças populares e dos setores médios que enfrente as referências urbanísticas do Capital imobiliário. Afinal pressões ingentes do Capital sobre Fortaleza se farão mais intensas em razão da Copa de 2014, dada o montante de investimentos em obras de infraestrutura que terão que ser feitas em nossa cidade e os interesses plutocráticos a que estão umbilicalmente ligados.

Para isso precisaremos de um candidato forte, não exclusivamente ou preferencialmente em sua dimensão eleitoral que aglutine PSB, PMDB e quejandos, mas notadamente no campo dos movimentos sociais, das entidades representativas, dos setores urbanistas que possa traduzir o que representamos socialmente e que amplie nossa presença junto à Sociedade Civil.  E de um candidato que tenha visibilidade pública associada à credibilidade política e social fundamental para dotar nossa candidatura de força, credibilidade nas eleições que se aproximam. Nosso tempo é curto e os adversários usaram de todas as armas tradicionais como a infâmia, a calúnia e a difamação, assim como a boataria.

Teremos uma eleição onde a direita estará fragmentada, repartida em várias alternativas, sem força eleitoral visível, mas com profunda penetração na mídia e nos grandes grupos econômicos ligados à construção civil, à especulação imobiliária, etc. O que poderá dotar alguma dessas candidaturas de sinergia social e de capacidade de enfrentamento com nosso campo democrático-popular. Para contrarrestarmos a força orgânica do Grande Capital e da difusa presença da mídia em nossa cidade, precisamos de uma candidatura que dialogue densamente com nossa tradição de esquerda socialista, radical e visceralmente compromissada com as classes populares e com os setores médios que vivem e fazem a nossa cidade a partir dos afetos e da lida diária das maiorias trabalhadoras. Um candidato que desperte confiança, que sintonize “instintamente” com os pobres, com os desassistidos, com os recém-incorporados ao consumo pelo governo Lula/Dilma, dos que sofrem na periferia os efeitos perniciosos da dominação classicista, dos que gritam com a força de seus pulmões lutando pela criação de novos direitos, por mais liberdade, igualdade e fraternidade!

Respeitamos o debate partidário e a liderança da companheira Luizianne Lins para tratar de nossa futura candidatura, mas também achamos que temos o direito fraterno de auxiliá-la nesse momento a visualizar novos horizontes e palmilhar caminhos no sentido de reafirmação de nosso projeto político-ideológico e estratégico comum. Portanto é pensando nisso que viemos no âmbito interno do PT propor que a candidatura do companheiro Acrísio Sena seja acatada como aquela que no atual momento melhor corresponde as tarefas conjunturais e partidárias, corporificando nossos compromissos históricos com Fortaleza e com as forças populares.

Cremos que o companheiro Acrísio Sena reúne qualidades que sem minimizar a dos demais companheiros do PT devem ser sublinhadas com particular atenção e que enumeramos abaixo:

I) Tem compromisso orgânico com as classes trabalhadoras, com os setores populares, comprovadas por sua origem social e pelas lutas que travou ao longo de sua trajetória militante socialista;

II) Possui densidade eleitoral já provada, bem como, ocupou função decisiva como Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, mais alto cargo legislativo de nossa cidade, mostrando em algumas oportunidades que substituiu nossa prefeita capacidade e tino administrativo inquestionáveis;

III) Soube construir enquanto Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza um sólido leque de confluência com os setores urbanistas na consecução de um fórum permanente de discussão sobre a cidade;

IV) Aglutina nossa militância petista dando-lhe coesão e temperando-lhe de energia utópica, absolutamente indispensável para o enfrentamento eleitoral que se avizinha, especialmente com a força da grana, do Grande Capital imobiliário.

Por tudo isso e por acreditar em nossa capacidade de ousadia e temperança político-ideológica já revelada em outra conjuntura pela companheira Luizianne Lins, assim como, pela companheira Maria Luíza Fontenelle, ao arrostar toda sorte de adversidades e descaminhos, nós, militantes petistas de diferentes correntes e vinculações internas vimos a militância petista propor o nome do companheiro Acrísio Sena como a alternativa de luta, de compromisso e de disputa social, política e ideológica a Prefeitura de Fortaleza.