Blog do Eliomar

Líder sindical alerta: Estado quer contratar empresa para gerir assistência à saúde dos servidores

15 2

Com o título “Assistência à saúde do servidor público sob ameaça”, eis artigo de José Rodrigues, membro do Fórum Unificado das Associações dos Servidores Públicos do Estado. Ele aborda decisão do governador Cid Gomes de abrir licitação para contratar uma empresa com o objetivo de gerir a assistência à saúde da categoria. Confira:

Para quem bem conhece a história dos Serviços e Servidores Públicos Estaduais e tem acompanhado toda sua trajetória, em especial, a partir dos Governos TASSO e CIRO FERREIRA GOMES, logo constatará o prejuízo que estes senhores governantes causaram a esta mesma rede pública estadual em todos os níveis.

Senão vejamos: o extinto IPEC, hoje ISSEC – Instituto de Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Ceará, tem enfrentado uma guerrilha de ameaças e desmanches contínuos, que somente tem gerado prejuízos àquelas pessoas que, há anos, contribuem para sua existência e funcionamento plenos, até porque, ao longo dos tempos contribuíram mensalmente para sua manutenção e até parte do seu custeio em condicional.

Mas, lamentavelmente, já em 1986, nos GOVERNOS TASSISTAS, começaram a sofrer os desmandos e descasos tão corriqueiros de falência que, naquela época 2 órgãos públicos dominavam o maior rol de reclamações e denúncias por parte de seus contumazes usuários e dependentes até hoje existentes, como a CAGECE e IPEC, pelos maus atendimentos prestados à sociedade.

Com o passar dos tempos, novos governos foram assumindo e, até hoje, nenhum deles tem preservado a manutenção efetiva desse Instituto que, além de cuidar da Assistência à Saúde dos Trabalhadores Públicos Estaduais, ainda mantinha a preservação e continuidade de seu quadro previdenciário – SUPSEC, instância esta que hoje sofre os mesmos problemas enfrentados pela Assistência à Saúde. Isso, além de conviver também com a ameaça de falência em suas cifras e rendas mensais para garantia no futuro da aposentadoria de milhares de trabalhadores públicos estaduais.

E hoje ? Assistimos ao desenrolar da falta de compromisso e prioridade dos governos que teimam em destruir o bem público, em detrimento dos seus quadros de pessoal visando acabar com o regime estatal, e exclusivamente tornar a coisa pública em bens lucrativos para auferir dividendos como é o caso do CARTÃO ÚNICO e o pagamento dos vencimentos, salários e proventos em forma de remuneração. Tudo com o intuito operacional de angariar mais recursos públicos em prol de seus aliados políticos e outros fins partidários, etc… surge edital para a contratação de uma Nova Empresa Privada para absorver o erário público ainda existente.

José Francisco Rodrigues

Membro Efetivo do FUASPEC

Assessor Sindical da ASENMESC