Blog do Eliomar

O Naufrágio anunciado

Com o título “Naufrágio anunciado”, eis artigo do historiador Túlio Muniz.Ele aborda o naufrágio do navio búlgaro na costa de Fortaleza. Confira:

Há quase um ano ancorado em frente à Praia de Iracema, foi ao fundo o cargueiro búlgaro cuja história era mais que conhecida desde julho do ano passado: retido por decisão judicial por conta de dívidas trabalhistas, aguardando leilão de casco e da mercadoria, entregue a equipe de manutenção precária, e por aí vai. Entretanto, o naufrágio evidencia o quão falhas podem ser as atitudes das autoridades quando tomam atitudes sem considerar impactos ambientais imprevistos.

Cabem perguntas. Se havia equipe responsável pela manutenção e guarda, por que não agiu ou foi acionada a tempo? A carga, de granito, polui ou altera a geografia local? E a possibilidade de despregar óleo e tinta da embarcação, afetará em até que ponto a balneabilidade, as pessoas que ali frequentam, a flora e fauna característica deste ponto do litoral? Sim, ali existem golfinhos, por exemplo, e peixes consumidos pela população da capital.

Novas perguntas poderiam também servir de resposta, sobretudo esta: por que, até a solução da pendenga judicial, o navio não foi alojado em lugar mais apropriado para sua manutenção? Vizinho ao lugar onde se deu o naufrágio existe um estaleiro. Por fim, enquanto não vêm respostas quanto às causas e as responsabilidades pelo acidente, a única certeza é de que a cidade pagará a conta de mais uma intervenção na orla marítima urbana que pode causar danos imprevistos, paisagísticos inclusive. Por vezes irreversíveis, embora perfeitamente evitáveis.

*Jornalista e historiador, mestre em História pela UFC, e doutor em Sociologia pela Universidade de Coimbra, Portugal. Autor da tese de doutorado “A MÃO DO MAR”: A EMERGÊNCIA DO DISPOSITIVO PÓS-COLONIAL. UM ESTUDO COMPARADO DE MARITIMIDADE PORTUGAL-BRASIL”.