Blog do Eliomar

Ex-gestor de Luizianne apela a RC para que faça Hospital da Mulher funcionar integralmente

82 11

Com o título “Hospital da Mulher, uma conquista do povo de Fortaleza, o ex-coordenador de gestão hospitalar na Era Luizianne Lins, Helly Pinheiro Ellery, destaca a obra e apela à atual administração que, de forma republicana, coloque o equipamento para funcionar em toda sua plenitude. Confira:

O Hospital da Mulher (HM) é fruto da luta e do sonho de milhares de mulheres da nossa cidade. Trata-se de equipamento importante para a promoção de atendimento humanizado, acolhedor, qualificado e resolutivo às inúmeras demandas de saúde da Mulher. Na inauguração da unidade, o ministro da Saúde Alexandre Padilha afirmou: “podem existir outros hospitais tão bons quanto este, mas, com certeza, não melhores”. A presidente Dilma, em visita ao HM, disse: “Obra de grande magnitude para as mulheres brasileiras. Esse é o padrão de hospital que as pessoas querem e precisam.” Tanto a presidente, quanto o ministro garantiram aporte de recursos financeiros para o custeio do Hospital da Mulher, assegurando o cofinanciamento com o Município de Fortaleza.

Foi concebido como um hospital geral para atender as amplas necessidades de saúde das mulheres. Um dos primeiros serviços a ser ativado no HM foram os 40 leitos de retaguarda do José Frota (IJF). Centenas de cirurgias traumato-ortopédicas já foram realizadas, como também cirurgias plásticas reparadoras, ginecológicas e obstétricas. Possui também serviços ambulatoriais em diversas especialidades, laboratório, centro de imagem, espaço de práticas integrativas e complementares, com fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e acupuntura.

Como profissional de saúde do Hospital da Mulher e militante do Sistema Único de Saúde (SUS), desejamos agradecer aos movimentos de mulheres, à ex-prefeita e sua equipe pela construção desta magnânima obra.

Da nova gestão da saúde em Fortaleza, esperamos que, de forma republicana, dê seguimento e coloque em pleno funcionamento todos os serviços, fazendo os ajustes necessários, naturais num processo de implantação de um hospital deste porte.

E, finalmente: por que um hospital para atender só mulheres? Solicitamos ao leitor que observe as mulheres ao seu redor e compare com os homens. Veja qual dos dois sexos tem na sua história de vida maior quantidade de internações hospitalares. Você constatará que mesmo uma mulher saudável, somente pela sua condição de mulher, em geral, demanda um número de intervenções muito maiores do que qualquer homem. São partos, curetagens, perineoplastia, histerectomia, e outras, características da condição do feminino.

Um hospital exclusivo para mulheres se justifica, portanto, por uma dimensão, sobretudo, epidemiológica. Neste sentido é que afirmamos ser o Hospital da Mulher uma conquista do povo de Fortaleza e assim deve continuar.

Helly Pinheiro Ellery,

Servidor municipal, médico ginecologista obstetra, especialista em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde e ex-coordenador da gestão hospitalar da Secretaria Municipal de Saúde