Blog do Eliomar

Funcionários da Cegás anunciam paralisação para esta 4ª feira

De um grupo de servidores da Companhia de Gás do Ceará (Cegás), recebemos a seguinte nota:

Caro Eliomar de Lima,

Informamos que os funcionários da CEGÁS, empresa de economia mista que tem como sócios o Governo do Estado (51%), Grupo Vicunha Têxtil (24,5%) e Petrobrás (24,5%), vai paralisar suas atividades ao longo desta quarta-feira (10/04/2013), das 8 às 17 horas, em sua sede na Avenida Santos Dumont, 7700 – entre a Eurovia e a Via Sul. Tal paralisação se dá em meio a discussões em relação ao ACT 2013 e tem como objetivos resolver impasses gerados por conta da má administração implantada na empresa. desde sua fundação em 1993, por meio da Lei nº 12.010 de 05.10.92, que autorizou a constituição da CEGÁS, tendo por objetivo a Produção, Aquisição, Armazenamento, Distribuição, Comercialização de Gás Combustível e a prestação de serviços correlatos observada a legislação federal pertinente, os critérios econômicos de viabilização dos investimentos, o desenvolvimento econômico e social, os avanços técnicos e a integração do gás combustível à matriz energética do Estado do Ceará.

O quadro atual é caótico, onde o presidente da CEGÁS, Antonio Cambraia (ex-prefeito de Fortaleza) – representante do Governo, Aloísio Nunes de Arruda (irmão do Senador Inácio Arruda), representante da Petrobras, e Jorge Otoch, representante da Vicunha, mantém uma política de valorização da mão de obra terceirizada em detrimento da primeirizada (concursados). As diferenças salariais de um concursado de ensino médio chega a ser a de um terço de um terceirizado, desenvolvendo atribuições semelhantes. Por conta disso existem ações tramitando na justiça de ex-funcionários que se viram desrespeitados por esta visão retrógrada. Estão ampliando a estrutura organizacional da companhia visando manter no quadro funcional a mão de obra terceirizada, desfavorecendo os funcionários próprios.

Os gestores realizaram um Plano de Emprego s Cargos e Salário desde 2007 e, até o presente momento, nunca fora implantado, sob a justificativa a alega dos órgãos de controle externo, como o TCE e o MPE/CE.

A categoria admite uma greve, que poderá ocasionar a parada de fornecimento de gás natural, o que prejudicaria grandes empresas como CERBRAS, Grupo M. Dias Branco, bem como o andamento de obras importantes para a Copa do Mundo como obra de túneis da Prefeitura de Fortaleza, abastecimento de gás natural, principal fonte de energia para o Arena Castelão e o Centro de Eventos do Ceará. Os funcionários lamentam a necessidade de paralisação para resolver este problema, mas é o passo inicial para sensibilização da empresa e seus diretores, uma vez que, como a própria imprensa deve ter observado, uma empresa estratégica, do ponto de vista energético só funciona como cabide de empregos e se esconde a todo custo da imprensa. Precisamos saber os porquês disso e só a imprensa, o sindicato da categoria (Sindipetro CE/PI), o TCE e o MPE/CE que poderão ajudar a categoria de funcionários a tornar a empresa tão grande e estratégica como a mesma deve ser.

Certos da colaboração e divulgação, aguardamos o apoio e a presença de vocês neste evento!

* Comissão de Paralisação.

* Sobre o caso, leia mais aqui.