Blog do Eliomar

Tasso Jereissati e a filosofia

tassoo

Com o título “As lideranças envelhecem”, a jornalista Adísia Sá.em artigo no O POVO desta terçã-feira, analisa declaração do ex-senador Tasso Jereissati lamentando que as lideranças políticas cearenses envelheceram e que é preciso renovação. Para ela, Tasso prova que amadureceu e, ao invés de impor a palavra, filosofa. Confira:

Em entrevista ao jornalista Eliomar de Lima (O POVO, 26/9/13), Tasso Jereissati prova que avança na idade com bom senso, equilíbrio, sabedoria. Nada dos arroubos de outrora, quando considerava sua palavra como a última (algumas vezes isso foi verdade). Agora a palavra não impõe – analisa, “filosofa” – diria. Considera que o momento é de renovação das lideranças políticas que envelheceram. Quem se der à análise dos quadros políticos cearenses, a grosso modo, continuam inalteráveis: são os mesmos.

Eu pergunto: isso acontece por que os “velhos” não dão espaço aos mais jovens ou não aparecem “os mais jovens” com vocação política? E o que pensam esses “mais jovens” sobre política? E o que pensam não será também “herança”, cópia dos existentes? Quais as lideranças novas no cenário político cearense, da Capital ao Interior? Será que a sucessão, nesse campo, é lenta, quase invisível, ao ponto de ser propalado que tudo permanece o mesmo, no mesmo?

As atuais lideranças não correspondem aos anseios dos “novos” tempos? Tasso Jereissati, pressionado por Eliomar de Lima, mesmo se enquadrando no rol das velhas lideranças, não descarta a possibilidade de concorrer ao Senado. Ou seja: as velhas lideranças – nele simbolizadas – ainda têm muito o que dar ao Ceará e ao País e que suas vozes pesam nas análises e decisões políticas brasileiras.

Ao responder ao repórter sobre o cenário político do Ceará, o ex-governador foi enfático: “Estou só observando. O quadro está muito confuso…” Prudência, comedimento, não mais a “última palavra” de outrora, nada de a “verdade como patrimônio seu”. E mais: “É hora de renovação”.

Nesse ponto o repórter parou e muito teria, ainda, a perguntar: “Como renovação, se todos continuam nos seus lugares, ninguém abre mão de seu status?” Tendo um só lugar e ocupado, como alguém chegaria lá?

Tasso Jereissati é uma fonte inesgotável de reflexão, de informação, de segredos, de artimanhas políticas e está aguardando novos entrevistadores, diria, não convencionais – sem muito apego às regras, às técnicas: pressionar, nesse caso, é um santo remédio para se extrair algo além do esperado. Tasso, ao fim da entrevista, foi surpreendente: “É hora de renovação…” Mas “o senhor descartaria o Senado?”, pressionou Eliomar.

“Aprendi a dizer ‘nunca desta não água beberei’”. Tasso é Tasso…

* Adísia Sá

adisiasa@gmail.com
Jornalista.