Blog do Eliomar

Resposta a uma agressão

66 16

Em artigo enviado ao Blog, o professor João Arruda rebate críticas do vereador Ronivaldo Maia, em um comparativo de gestões. Confira:

Meu caro Eliomar, mais uma vez um dos asseclas da administração Luizianne Lins é escalado para responder o meu artigo e, frustrado, sou surpreendido pela incompetência ou pela falta de argumentos do despreparado tarefeiro. Em todas as tentativas de resposta, eles simplesmente tergiversam, mentem, agridem, mas não conseguem responder a essência das minhas colocações.

No lugar de enfrentar, com seriedade, o debate, de tentar desconstruir os dados que apresento como irrefutáveis, eles simplesmente desqualificam as informações e tentam questionar a minha legitimidade quanto à reflexão crítica, com argumentos que visam denegrir a minha imagem como cidadão e cassar o meu legítimo direito de posicionamento. Mas, enfim, essa é a cultura petista. Todos nós conhecemos a reação petista à condenação dos seus companheiros mensaleiros. Todos conhecemos a tática da repetição mentirosa assacada contra a decisão do STF.

Esses não são fatos isolados. Esses petistas agem inspirados nos ensinamentos do ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels, de que uma mentira repetida mil vezes torna-se uma verdade inconteste e que os inimigos devem ser sempre levados à execração pública, qualquer que seja o motivo. Com essa máxima, eles preferem optar pela saída fácil, fugindo sempre do bom debate. Como bons aprendizes nazifascistas, os despreparados interlocutores petistas insistem em desqualificar todos os que ousam criticar as mentiras repetidas pelos seus chefetes ou que ousam questionar as mazelas e os desmandos administrativos praticados por incompetentes governos petistas.

Meu caro Eliomar, por mais que tentem, eles não vão conseguir me constranger, me inibir, nem muito menos me amordaçar. Você é testemunha do ódio e da intolerância com que as viúvas petistas reagem à minha participação em seu blog, acusando-o, inclusive, de conivente ou exigindo que você recuse publicar os meus artigos. Como uma brigada covarde, na maioria das vezes usando pseudônimos, os asseclas petistas usam o escárnio como mecanismo de ridicularizar os seus oponentes. Como bons aprendizes, eles utilizam os mesmos métodos que a famigerada juventude Hitlerista usava contra os democratas alemães que ousavam se opor ao Führer. Mais uma vez reafirmo que sou assessor da administração Roberto Cláudio com muito orgulho. Como mestre em sociologia e respaldado pela experiência de 40 anos de docência universitária em quatro universidades, com uma relativa produção acadêmica referendada por seis livros publicados e por mais de uma centena de artigos publicados na imprensa local e nacional, além de uma militância política de meio século, acredito que estou preparado para dar a minha contribuição para a reconstrução administrativa da nossa cidade, que os petistas conseguiram destruir.

Esse mecanismo de desqualificação dos adversários, por sinal, é próprio dos fracos, dos inseguros e dos medíocres que não têm argumentos para responder, com dados plausíveis, as objeções levantadas às suas seitas. Mas o fortalezense não tem dúvida de que o Ronivaldo Maia é um cidadão intrinsecamente medíocre e reconhecidamente despreparado. No entanto, eu entendo as suas motivações para as agressões, afinal, como viúva da administração passada, ele vê o seu futuro político ameaçado e precisa, a todo custo, criar espaço para aparecer. Ele deve estar sofrendo da síndrome do anonimato agudo ou, melhor querendo, da síndrome da invisibilidade, necessitando desesperadamente de espaço para dizer que ainda existe.

O Ronivaldo Maia mente descaradamente em sua tentativa de resposta, principalmente quando diz que a administração passada já havia instituído a educação em tempo integral. Esqueceram de dizer para o vereador escalado, que um arremedo de reforço escolar ou algumas atividades extracurriculares, eventualmente realizados na escola, fora do turno escolar do aluno, nada tem a ver com Escola em Tempo Integral. Quanto à regularização do calendário escolar, que o incompetente assecla denomina de um possível arremedo do prefeito Roberto Cláudio e do secretário Ivo Gomes, suprimindo dois meses de aula e prejudicando todos os alunos da rede municipal, o Ronivaldo omitiu de dizer que o novo calendário que fixou o dia 18 de março para o início do ano letivo de 2013 e o dia 03 de fevereiro para o início das aulas em 2014 não foi uma decisão monocrática do gestor da educação, mas uma decisão referendada pelo Ministério Público Estadual, Conselho Municipal de Educação, Sindicato dos Professores, OAB, Conselho do Fundeb, Conselho Tutelar, Comdica e Seduc. Claro que ele prefere confundir a opinião pública como mecanismo de defesa de uma administração inepta e que foi repudiada nas urnas, mesmo usando criminosos e abjetos mecanismos de assédio contra o servidor, prática que redundou na condenação da ex-prefeita Luizianne Lins.

O escalado Ronivaldo Maia, propositadamente, se esqueceu de responder ou justificar o porquê da falência da educação municipal durante a gestão Luizianne Lins, quando foi avaliada como a pior educação do Ceará e uma das piores do Brasil, ou as causas que levaram a migração em massa do estudante da escola pública para o sistema particular de ensino, fato inédito na história da educação do Ceará.

Há duas perguntas que não querem calar: se a Luizianne Lins tinha tanto compromisso com os professores municipais, como ele afirma em sua tentativa de resposta, por que ela não pagou dezenas de milhões de reais de direitos trabalhistas ao corpo docente, se recusando a reconhecer direitos que agora estão sendo honrados pela administração Roberto Cláudio? Por que a incompetente administração Luizianne Lins não cumpriu a determinação constitucional da lei do piso salarial nacional dos professores, garantindo o direito a um terço da jornada de trabalho para planejamento e atividade extra sala de aula, reconhecida na administração Roberto Cláudio?

Finalmente, e essa é uma questão de fundo, o vereador nada respondeu sobre o fim do imoral aparelhamento político e a institucionalização das relações republicanas no sistema municipal de educação, elegendo a meritocracia como critério de escolhas dos gestores da educação, eliminando, definitivamente, o atrasado sistema de indicação clientelista, que tanto mal fez à educação e que tanto o beneficiou politicamente.

Portanto, Eliomar, o que aterroriza a militância nazifascista da nossa cidade é a certeza de que a administração Roberto Cláudio vai superar os estragos do triste legado deixado pela incompetente administração petista, resgatando a autoestima dos fortalezenses, perdida por quase uma década de desmandos administrativos.