Blog do Eliomar

Movimento S.O.S Guaramiranga alerta sobre agressões ambientais

O Movimento S.O.S Guaramiranga denuncia agressões contra a Serra de Baturité. Novas construções aparecem de um dia para o outro ali, sem a placa de aprovação da Semace. Denuncia a professora Virgínia Moreira, que integra o grupo. Ela diz que, a cada ano, a serra, com problemas agravados pela seca, sofre pelo não cumprimento das normas estipuladas pela Área de Proteção Ambiental (APA).

É proibida, por exemplo, a implantação ou ampliação de quaisquer tipos de construção sem o devido licenciamento ambiental, supressão de vegetação sem a autorização e atividades de intervenção em áreas de preservação permanente, tais como margens de rios. Na prática, há abusos.

Recentemente, conta ela, um trator da Prefeitura entrou mata adentro, desmatando a margem de um rio logo depois da sede da Água Mineral Neblina, na subida da serra. A área aberta fica a menos de um metro do rio, quando a norma da APA define a distância de, no mínimo, 30 metros de rios e riachos. A terra retirada no desmatamento foi na margem do rio, impedindo, em parte, o curso da água.

(Coluna Vertical, do O POVO)