Blog do Eliomar

Os “Tiradentes” deste Brasil da contemporaneidade

Com o título “Tiradentes – momento para reflexões”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira. Vale a pena conferir:

O País comemora hoje o Dia de Tiradentes, considerado Patrono Cívico do Brasil, em meio a circunstâncias que nos fazem refletir sobre os momentos pelos quais estamos passando. Líder da Inconfidência Mineira, movimento que pretendia libertar o Estado de Minas Gerais do domínio colonizador de Portugal, Joaquim José da Silva Xavier iniciou sua luta que o tornou herói nacional a partir do questionamento sobre os altos impostos cobrados pela metrópole.

O destino desse questionamento pontual, todavia, levou o movimento liderado por ele a assumir proporções maiores, no sentido mesmo de libertar o Brasil de Portugal. O objetivo idealizado não se concretizou, e traído, Tiradentes foi preso e enforcado no dia 21 de abril de 1792 no Rio de Janeiro. Mesmo sendo derrotado em seu intento, o legado deve ser exaltado, no sentido de a partir da Inconfidência Mineira ter sido despertada nos brasileiros a perspectiva de nação.

É importante que isso seja destacado sempre como feito a ser reverenciado, principalmente quando estamos diante de situações que a cada dia nos vulnerabilizam como nação. Infelizmente, o Brasil enfrenta onda de pessimismo que chega a preocupar. Não só em relação aos problemas com os quais temos que conviver cotidianamente, mas também quanto a dúvidas sobre a capacidade dos poderes constituídos apresentarem soluções para essas mazelas.

Ao mesmo tempo, vimos ano passado os protestos que chamaram a atenção para o descontentamento quanto a forma como os problemas surgem sem que apareçam respostas para essas demandas. Assim, parece que se começa a despertar contra o que já havíamos nos acostumado, como por exemplo, um sistema de saúde deficiente, educação de baixa qualidade, e a violência e o caos na mobilidade urbana que tomaram conta das cidades. Tudo isso exige soluções imediatas diante das demandas da sociedade que crescem exponencialmente. No dia em que comemoramos a data dedicada ao Patrono Cívico do Brasil, seria bom que pensássemos o que estamos, de fato, querendo para o futuro de nosso país.