Blog do Eliomar

Em defesa do prefeito RC e contra a Lôra do PT

53 7

Com o título “Quem Sabe Faz a Hora”, o professor João Arruda (UFC) e também assessor especial do Paço Municipal, manda artigo. Ele avalia a peleja entre o prefeito Roberto Cláudio (Pros) e a ex-prefeita Luizianne Lins (PT) sobre gestão. RC disse que Luizainne só fala besteira, enquanto a petista afirmou que ele só aumenta IPTU e derruba árvores. Confira:

Meu caro Eliomar de Lima,

Como cidadão e como munícipe que acompanhou os 8 anos de inoperância e de esmando político-administrativo da gestão Luizianne Lins, não posso me omitir diante de repetições de inverdades e de manipulações de fatos.

Luizianne Lins, ao tentar responder as críticas feitas pelo prefeito Roberto Cláudio à sua postura político-administrativa durante os seus dois mandatos como prefeita de Fortaleza, deixa transparecer alguns traços invariantes da sua personalidade sociopolítica: a sua notória incapacidade de autocrítica, o seu inconfundível autismo político, a sua vocação
por criar factoides políticos e, principalmente, a sua compulsividade em fraudar a realidade dos fatos.

Nesses traços, Luizianne lembra, com perfeição, as conhecidas técnicas do Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista, que repetia, até a exaustão, mentiras e difamações contra os adversários políticos, na expectativa de que fossem transformadas em verdades.

Se analisarmos a postura dos 6 últimos gestores de Fortaleza, nenhum demonstrou um desprezo ao meio ambiente, uma postura tão arboricida quanto Luizianne Lins. A sua gestão foi caracterizada pelo descarado desrespeito à natureza. Emblemático dessa situação de desrespeito à natureza foi o imoral e lesivo Termo de Ajustamento de Conduta –TAC – assinado pelo seu Procurador Geral, abrindo as dunas do Cocó para a especulação empresarial desmedida.

Nesse TAC, que foi revogado pelo prefeito Roberto Cláudio, ficava acordado que o município de Fortaleza não ajuizaria qualquer medida judicial contra os associados de uma determinada associação que congrega empresas construtoras. O mais grave é que esse TAC foi assinado em outubro de 2012, em pleno segundo turno e no apagar das luzes da sua administração.

Em sua gestão, sob protesto dos ambientalistas, o município concedeu licença ambiental para a construção de um centro comercial no Parque do Cocó, com o sacrifício de centenas de árvores. Ainda na sua administração, a Polícia Federal levou a cabo a Operação Marambaia, tendo condenado a titular da SEMAM, por concessão de licenciamentos ambientais fraudulentas em áreas de preservação permanente. Foi ainda a sua gestão que acabou com o Projeto Parque Vivo, criado na administração Juraci Magalhães, em convênio com a UFC, considerado um dos melhores programas de educação ambiental do Brasil e que funcionava no Parque Adail Barreto.

Estes são só pequenos exemplos das suas estripulias ambientais. Ao contrário da sua gestão, o prefeito Roberto Cláudio já plantou mais de 5 mil árvores nativas e multiplicará por 6 este número até o final da sua gestão.

Sobre as creches, Luizianne Lins mais uma vez distorce os fatos e mente descaradamente. A cidade inteira conhece a sua omissão criminosa quando recusou, sob o pretexto de que o município não dispunha de terrenos, 80 creches oferecidas pelo Governo Dilma, omissão criminosa que prejudicou quase 20 mil crianças carentes de Fortaleza. O prefeito Roberto Cláudio, com sensibilidade, logo reverteu o quadro e já entregou quase uma dezena e
Centros de Educação Infantil (CEI). Até 2016, ainda serão construídos 124 novos CEI em toda a cidade, mais do dobro do número histórico de creches de Fortaleza. Na área de Saúde, Luizianne também omite e mente.

O prefeito Roberto Cláudio, ao assumir a prefeitura, pegou um sistema de saúde desorganizado e sucateado, considerada a 5ª pior saúde pública entre as capitais do Brasil. Hoje, Fortaleza está experimentando uma nova gestão dos serviços da saúde. Os dois primeiros anos da atual gestão foram dedicados à atenção primária. Para isso, 57 dos 92 postos de saúde de Fortaleza passaram por reforma, ampliação e modernização, 25 novos estão sendo construídos, com dois postos já entregues. De toda a rede de atenção primária, 87 já estão operando com o novo sistema de gestão, funcionando de 7 da manhã às 7 da noite, com laboratório, farmácia e com consultórios odontológicos em cada unidade. E não fica por ai. Além das três UPA já entregues em 2014, até meados de julho, os fortalezenses receberão mais três UPA.

Para resolver a caótica situação urbana legada da administração Luizianne Lins, Fortaleza assistiu à conclusão das Avenidas Alberto Craveiro, Paulino Rocha e a rotatória e Túnel Demócrito Dummar, no entorno do Castelão. Roberto Cláudio entregou também o túnel Barros Pinho, na Avenida Santos Dumont sob a Via Expressa; as novas Avenidas Catolé
(Conjunto Palmeiras), Walter Bezerra de Sá (Luciano Cavalcante), e a Cônego de Castro, o novo Terminal de Ônibus do Antônio Bezerra, o binário das Avenidas Dom Luís e Santos Dumont e os dois viadutos das Avenidas Engenheiro Santana Junior e Antônio Sales.

Para garantir maior agilidade, conforto térmico e estimular o uso dos transportes coletivos, a administração Roberto Cláudio instituiu a obrigatoriedade dos ônibus novos virem dotados de ar condicionado, já construiu mais de 45 km de faixas exclusivas de ônibus e instituiu o Bilhete Único (que integra ônibus e vans por até duas horas),
beneficiando, com essa última medida, mais de 820 mil usuários do transporte coletivo da Capital, principalmente as pessoas de baixa renda.

A cidade também ganhou novas feições com a decisão do prefeito Roberto Cláudio de garantir a democratização e o respeito aos diversos modais de transporte. Como fatos inéditos, Fortaleza também ganhou o Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI), que vai implantar 523 km de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas a curto (5 anos), médio (10 anos) e longo prazos (15 anos), ou seja, a partir de 2015 até o ano de 2030. Dos 523 km da rede
inicialmente prevista, 59,5km já estão inseridos nos corredores de transporte em implantação e implantou o vitorioso sistema de bicicletas compartilhadas.

Para garantir a efetiva participação da população no planejamento da cidade, o prefeito Roberto Cláudio acaba de criar o Conselho Municipal de Planejamento Participativo, garantindo, nesse fórum, uma efetiva e livre participação dos nossos munícipes nos destinos da nossa fortaleza, longe das cooptações e da politicagem rasteira.

Finalmente, meu caro Eliomar, como não posso alongar indefinidamente o texto, concluo a minha participação expressando uma certeza: não tenho dúvida de que a percepção de Luizianne Lins e dos fortalezenses de que a nossa cidade avança rumo à retomada de um desenvolvimento urbano includente, socialmente mais justa e com uma irreversível melhoria dos serviços públicos ofertados aos fortalezenses, agride fortemente a autoestima e turva ainda mais a lucidez da ex-gestora que, com suas declarações, parece confirmar o disse o prefeito: ruim de serviço e pródiga em falar besteira.

Sem mais,

João Arruda.