Blog do Eliomar

Leitor conta via-sacra enfrentada em posto do Detran

199 1

O leitor Edvan Batista Carvalho manda nota contando a verdadeira via-sacra que enfrentou no Detran, em Fortaleza, para resolver uma pendência. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Permita-me relatar a minha tragédia, registrada na quarta-feira, em Fortaleza:

1. Há dias, consultei a página do DETRAN-CE e verifiquei quais os documentos necessários para mudar a “tarjeta” do meu veículo, emplacado em outro Estado e o valor das taxas a pagar (133,55);

2. Em seguida, separei toda a documentação e providenciei fotocópia de cada item;

3. Programei o despertador na terça-feira;

4. Pois bem, fui posto do Detran da avenida Santos Dumont às 06h35min. Só havia um veículo à minha frente;

5. Somente às 8 horas o portão da rua Desembargador Leite de Albuquerque foi aberto;

6. Um terceirizado orientou-me a por o carro em um “brete” e cheguei até o galpão para vistoria;

7. Pediram-me para ir ao guichê 11, sem senha nem filha, para entregar documentos, e lá chegando havia 5 pessoas na minha frente (sic). não entendi nada!;

8. Entregaram-me então uma ficha para ir pagar;

9. Dirigi-me ao guichê de um correspondente bancário (BB) e lá me disseram que não era lá, e sim fora do Detran, em uma empresa particular;

10. Então reparei que não era a guia para pagar as taxas informadas na internet (133,55) mas sim uma outra A MAIS, não prevista, não regulamentada, não informada, de R$ 70,00, um quarteirão depois do PA do Detran, a uma empresa particular. Continuei sem entender nada! Mas desconfiando muito.

11. Dessa empresa (Placnord cnpj 07.075.138/0022-23, ou seja, no mínimo tem 21 filiais: um bom negócio pro “empresário” e o cidadão no prejuízo, como sempre), voltei ao Detran;

12. Ali, me disseram prá ir pegar uma senha na recepção (não acreditei, mas obedeci, sem saber porque);

13. A senha foi a de nº 25 (eu fui o segundo a chegar, quase de madrugada, e um dos painéis indicava que estavam atendendo a senha nº 16). Como já atenderam 15 cidadãos quando só havia um à minha frente (e este mesmo não poderia ser atendido na minha frente pois chegou sozinho pois iria transferir a propriedade de um veículo e a outra pessoa não havia chegado);

15. Durante a espera reparei que nos guichês de atendimento havia diversos empregados sem atender ninguém, sem fazer nada, e, na sala da gerência, 3 pessoas direto ao telefone (celular), o que presumo tratando só de assunto pessoal;

16. Depois de muito esperar, minha senha foi chamada;

17. Deram-me então a guia da taxa legal, informada na internet, à qual paguei prontamente;

18. Assinei alguns documentos e a moça me informou que o documento sairia em 40m a 90m;

19. Após 2 horas, entregaram-me o DUT e não disseram mais nada;

20. Então fui perguntei ao terceirizado que me atendeu inicialmente sobre a troca da tarjeta;

21. Aí, fui para uma outra fila de carro para tal substituição;

22. Somente às 11h25min é que consegui sair do DETRAN com a mudança da placa efetuada. ou seja, CINCO HORAS de sofrimento totalmente desnecessário, pois gestão, organização, método, padronização, capacidade e procedimento adequado é o mínimo que falta no atendimento daquele PA do Detran.

Ufa!!