Blog do Eliomar

Rede Municipal – Redução de pacientes na Pediatria gera bom atendimento, mas acarreta desperdício

foto gonzaguinha messejana 150803 pediatria vazia

Três pediatras e duas enfermeiras, além do pessoal de apoio da Enfermagem e higienização. A média do atendimento por criança poderia chegar a uma hora, caso necessário.

O que seria um atendimento de Primeiro Mundo, na verdade representa um desperdício de profissionais e sobrecarga a outros atendimentos. A observação é de profissionais da área de saúde e dos próprios pacientes do Gonzaguinha de Messejana, que percebem o setor de Pediatria vazio, enquanto o atendimento ginecológico acumula espera.

Após a construção da UPA de Messejana e da UPA do Jangurussu, a dois quilômetros e cinco quilômetros de distância do Gonzaguinha de Messejana, respectivamente, o atendimento pediátrico do hospital esvaziou, acarretando despesa para a unidade de saúde.

O Blog apurou que, no mês passado, 1.998 atendimentos foram realizados na Pediatria do Gonzaguinha de Messejana, em uma média de 64 crianças atendidas ao dia. Com o plantão diário de seis médicos, cada profissionais atenderia cerca de seis crianças em 12 horas de trabalho, o que daria em números arredondados um atendimento a cada hora.

A Prefeitura de Fortaleza estuda todo o atendimento em suas unidades de saúde, como forma de otimizar as especialidades médicas da Rede Municipal.