Blog do Eliomar

Sorteio de moradias via televisão

229 3

Com o titulo “Habitação, Cidadania e Direitos Humanos”, eis artigo do professor João Arruda, também assessor municipal, destacando decisão do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, por optar pelo sorteio de unidades do Programa Minha Casa, Minha Vida, com direito a transmissão pela televisão. Confira:

Na manhã desta sexta-feira, 4 de dezembro de 2015, a partir das 9 horas, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) estará realizando mais um grande feito da sua exitosa administração. Direto do plenário da Câmara Municipal de Fortaleza, com transmissão ao vivo pela TV Fortaleza e pela TV Ceará, e contando com a presença fiscalizadora do Ministério Público, Receita Federal, Caixa Econômica e representantes de diversas associações que lutam por moradias em nossa cidade, o prefeito fará o sorteio das primeiras 3.304 unidades habitacionais, do universo de 22 mil unidades contratadas do Programa Minha Casa, Minha Vida. De casa, seguramente, cada uma das mais de 88 mil famílias cadastradas poderá acompanhar cada momento do sorteio, torcendo para ser contemplada com uma moradia, sonho que alimenta desde sempre.

Este fato é duplamente significativo e marcará a história da política habitacional em nosso Município. Do ponto de vista quantitativo, é a primeira fase da entrega das 22 mil moradias em construção ou já licitadas. Esse é o maior programa habitacional em andamento no País e os números representam 25% do total da demanda reprimida por habitação em
nossa Capital. Esse número é ainda mais significativo quando comparamos com a administração Luizianne Lins que, em suas duas gestões, construiu o irrisório número de 847 moradias no Programa Minha Casa Minha Vida. É bom lembrar que, mesmo contando com o apoio declarado do Governo Lula, que dispunha de recursos financeiros infinitamente maiores do que o Governo Dilma, ela teve um resultado pífio, o que comprova mais ainda a sua inoperância e ineficiência administrativa.

Do ponto de vista qualitativo, este ato marca uma ruptura definitiva com as formas clientelistas, atrasadas e criminosas de tratar a coisa pública. Esta postura transparente e republicana de oferecer bens e serviços públicos à população, adotada em toda a administração Roberto Cláudio, é respaldada por valores éticos e morais e está coerente com os princípios fundamentais da Declaração Universal dos Direitos humanos, quando esta afirma que todos os seres humanos têm direito a um padrão de vida capaz de
assegurar a si e aos seus familiares saúde, educação e bem-estar, inclusive moradia, independente de sexo, cor, religião e, acrescento, filiação partidária.

Esta postura de coerência ética assumida pelo prefeito Roberto Cláudio contrasta enormemente com a prática da administração passadas, que se guiava por interesses pequenos e meramente eleitoreiros, onde os critérios da legalidade, transparência e da impessoalidade, imperativos por lei e tão desejados no serviço público, eram constantemente desrespeitados.

Emblemático da gestão Luizianne Lins é o que ocorreu com o Conjunto São Bernardo, onde quase todas as moradias foram usadas para atender os interesses da DS, facção política da ex-prefeita. Questionado pela Caixa Econômica Federal e pelo Ministério Público Federal, o ex-gestor da Habitafor, Roberto Gomes, e o vereador Ronivaldo Maia respondem processos por improbidade administrativa na Justiça Federal, acusados de
distribuírem, de maneira criminosa, moradias para os seus apaniguados, incluindo a ex-secretária do vereador citado.

Mas quero destacar a obstinação da administração Roberto Cláudio em garantir melhorias das condições de habitabilidade da população de baixa renda que não se resume a simples construção de casas populares, o que, por si, já representaria um espetacular avanço em nossa cidade. Sua política habitacional é potencializada por outros dois programas complementares: a regularização fundiária e os investimentos em melhorias
habitacionais. No primeiro, conhecido popularmente como “papel da casa”,
assegura o direito legal da habitação já existente. Ao todo, mais de 30 mil famílias estão sendo beneficiadas, sendo 8 mil dessas famílias moradoras do bairro do Pirambu. O segundo programa é o de melhorias habitacionais. Nele, a fundo perdido, são operadas pequenas reformas capazes de transformar as precárias habitações em moradias dignas e
saudáveis. A previsão é de que, até dezembro de 2016, pelo menos 10 mil famílias sejam beneficiadas. Pelo que vemos, a gestão do prefeito Roberto Cláudio terá beneficiado na área habitacional, em quatro anos, mais de 200 mil fortalezenses carentes.

Se analisarmos os avanços alcançados nos últimos três anos na área da habitação, da saúde, da educação, da mobilidade urbana, dos transportes coletivos, do saneamento, das políticas públicas para crianças, jovens e idosos, etc, somos forçados a concluir (incluindo aí os mais ácidos críticos da gestão) que a administração Roberto Cláudio vem contribuindo, de maneira inconteste, para o avanço na construção da cidadania em nosso
Município.

* João Arruda
Professor da UFC e Assessor Municipal.