Blog do Eliomar

Editorial do O POVO pede bom senso neste domingo de manifestações

Com o título “Com a Constituição nas mãos”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira. Faz a pregação de que os prós e contra o Governo Dilma Rousseff manifestem seus desejos em clima de paz. Confira:

A conjuntura política ganha contornos cada vez mais dramáticos. Desde o início da Operação Lava Jato que o mercado político trabalha com a previsão de que os desdobramentos da operação alcançariam a campanha da presidente Dilma Rousseff em 2014. Ontem, a previsão começou a virar realidade com as primeiras informações acerca das delações premiadas de executivos da Andrade Gutierrez, a segunda maior empreiteira do País.

É verdade que já havia elementos indicando doações ilegais na campanha presidencial de 2010. Porém, pela legislação brasileira, isso não colocaria o cargo da presidente Dilma em questão por se tratar de mandato anterior. A cooperação da Andrade Gutierrez, se oficialmente confirmada, muda essa circunstância.

Junte-se a esse fato novo o cerco legal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tanto por parte da Operação Lava Jato quanto de uma ação proposta pelo Ministério Público de São Paulo. São ações que, além de geradoras de muita tensão política, fragilizam ao extremo a força do Partido dos Trabalhadores e da presidente da República.

No campo institucional, também alimenta a dramaticidade do cenário a decisão do Supremo Tribunal Federal que considerou ilegal a nomeação de um membro do Ministério Público da Bahia para a importante e simbólica função de ministro da Justiça. O Governo ainda se mostra atabalhoado quando recebe a oposição de sua própria base de esquerda contra o modelo de reforma da Previdência que o Ministério da Fazenda afirma ser urgente apresentar ao Congresso Nacional.

No campo político, o PMDB, fiel da balança da governabilidade, está dando indicativos de que pode modificar seu alinhamento à presidente Dilma Rousseff. Ou seja, um movimento que pode reduzir de vez as condições políticas para a petista enfrentar um cenário econômico que precisa de respostas rápidas e qualificadas, porém impopulares.

Diante de tudo, o equilíbrio, o bom senso e a legalidade são os instrumentos dos quais o País não pode abrir mão neste momento. Que prós e contras se manifestem em paz e sem permitir que seus atos de rua sejam instrumentalizados por radicais de nenhum naipe. Nessas horas, manter a Constituição na cabeceira é um dever a favor do Brasil.