Blog do Eliomar

Greve dos Professores – Camilo é acusado de omissão

214 3

Em artigo intitulado “O que a greve dois docentes expõe à sociedade?”, o professor e sociólogo Márcio Pessoa culpa o governador Camilo Santana (PT) por uma greve de docentes superar os 100 dias. Para ele, Camilo não prioriza o dialoga com a categoria o que vem fazendo com o empresariado. Confira:

Já são mais de 100 dias de greve dos docentes estaduais. Há tempos não se ouvia falar de greve tão longa na educação básica. Por qual motivo essa paralisação dura tanto e o que a greve expõe à sociedade?

A mais visível constatação é a de que o governo cruza os braços frente a uma greve que não afeta o setor produtivo. Em que uma greve na Educação afeta o PIB cearense? Qual seu impacto na arrecadação de impostos? Difícil mensurar; imediatamente, provavelmente nenhum impacto existe. Nesse sentido, o governo finge não se importar e espera a greve enfraquecer. O problema é que 400 mil alunos são prejudicados.

Outra constatação é a falta de regulamentação de greve no setor público. A Lei de Greve foi criada para o setor privado. Não existe nenhuma lei que regule o setor público. O STF decidiu que aquela lei pode ser usada para regular este setor, mas apenas “no que couber”, logo, existem lacunas. A principal é a de que o governo não é obrigado a negociar. No setor privado, o patrão tem essa obrigação.

Essa falta de norma leva ao que foi exposto anteriormente: a omissão do governador, que ainda não negociou reajuste – só outras pautas; apenas lançou sem negociar duas propostas com média de 4% e sem retroativo que foram rejeitadas.

Por fim, talvez a principal contribuição dessa greve para a sociedade é a exposição de ações de Camilo Santana por setores grevistas. Por exemplo, o governador está abrindo mão de quase R$ 1,5 bilhão em impostos de empresários. Com esse dinheiro, seria possível pagar a reposição da inflação de todos os servidores ativos e inativos (fomentando a economia) e ainda sobraria para outros setores. Além disso, enquanto Camilo prevê gastar R$ 36 milhões com merenda no ensino médio até dezembro, já gastou R$ 65 milhões em propaganda até junho (a previsão inicial era de R$ 38 milhões, mas ano eleitoral você sabe como é).

Camilo deve começar a se debruçar sobre os direitos sociais tão defendidos em sua campanha – financiada por grandes empresas, diga-se.

*Márcio Pessoa

mkpceara@hotmail.com

Sociólogo e professor.