Blog do Eliomar

Seca – Uma responsabilidade do governo federal

Com o título “Seca impõe mobilização política”, eis o Editorial do O POVO alertando para a necessidade de se reforçar a vigilância e cobrar do governo federal obras e ações de combate à estiagem . Confira:

São maiores as incertezas quanto ao fim da estiagem em 2017. Já há menos indicativos positivos quanto à duração do La Niña, o fenômeno climático que, quando não é suficientemente longo, resfriando as águas do oceano Pacífico, aumenta a probabilidade de índices pluviométricos insuficientes para estabelecer um período de chuvas que caracteriza um bom inverno.

Hoje, o La Niña está atuando, mas é preciso que o fenômeno perdure até abril do próximo ano para que o conjunto de fatores climáticos seja favorável à concretização de uma quadra chuvosa que atenda às necessidades de água do Ceará. Do contrário, são grandes as chances de prevalecer o sexto ano seguido de baixas médias pluviométricas, o que seria desastroso para o Estado e toda a Região Nordeste.

É fato que, em tempos não muito distantes, cinco anos seguidos de estiagem já teriam gerado consequências bem mais dramáticas do que as verificadas hoje. No início dos anos 1990, por exemplo, o Governo do Ceará se viu obrigado a construir uma grandiosa obra emergencial cujo objetivo principal foi fornecer água para a Capital. Em paralelo, ocorriam constantes invasões de cidades por famélicos vítimas da seca que buscavam alimentos.

Não foi apenas a rede de assistência social que ganhou mais eficiência. Louvem-se também as políticas públicas de recursos hídricos que não foram interrompidas mesmo com seguidas trocas de governantes. No entanto, é estratégico para o Ceará estabelecer novas ações para que o fornecimento de água não dependa apenas das chuvas. Daí a importância de políticas de reúso e de dessalinização.

São ações de médio e longo prazo. Hoje, o quadro climático já é muito complicado e somente a alocação de recursos financeiros federais pode garantir a execução das ações emergenciais na medida das imensas necessidades. Portanto, nesse sentido, é inequívoca e imprescindível a mobilização política de nossos representantes em Brasília.

A seca é um problema de responsabilidade federal, que fique claro. Diante do drama humano e econômico provocado pela estiagem, seria irresponsabilidade apenas esperar pelas chuvas.