Blog do Eliomar

Executiva do PT avalia impeachment nesta quinta-feira em Brasília

reuniao-do-pros-De-Assis-Diniz-anderson-santiago-4

 

O presidente do PT no Ceará, Francisco de Assis Diniz, participa nesta quinta-feira e sexta-feira, em Brasília,, da reunião da Executiva Nacional do partido, que irá avaliar consequências do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, como ainda a manutenção de seus direitos políticos.

Para o dirigente petista, o clima de indignação da população ainda deverá tomar às ruas no país.

“O que nós podemos afirmar é que foi um golpe! Um golpe parlamentar. Primeiro pela disposição de uma estadista que vai ao Congresso, de cara limpa, e responde, humildemente, a todos os senadores com as suas inquietações. Segundo, o que está em curso no Brasil, quando a (ex-) presidente falou das três principais questões que envolvem o povo brasileiro, seja, por exemplo, o pré-sal, quando apenas o campo de Libra foi habilitado para fazer a partilha, as empresas tiveram que entrar com uma contrapartida de 20 bilhões (de reais)”, acentuou DeAssis.

“E nós estamos apenas falando do campo de Libra. O pré-sal é oito vezes maior do que isso, então essa riqueza que pode e deve ser usada, hoje é uma ameaça concreta”, observou o petista.

“A segunda questão é a capacidade do Estado. O Estado, se aprovado no Congresso Nacional a perspectiva de contingenciar e segurar por 20 anos os investimentos, nós vamos ter um prejuízo considerável. E a terceira questão é a dos direitos trabalhistas, por isso é uma ameaça à classe trabalhadora, não é um golpe contra o PT, contra a Dilma, mas, sim, contra o povo brasileiro”, completou.

Francisco DeAssis negou que a manutenção dos direitos políticos de Dilma seria um acordo que também salvaria o ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).