Blog do Eliomar

Sinteti envia nota contra ações da PM na Greve Geral da sexta-feira

Em nota enviada ao Blog, a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros Intermunicipal e Interestadual do Estado do Ceará (Sinteti) repudia ações da Polícia Militar, ocorridas na última sexta-feira (30), durante manifestações pela Greve Geral em Fortaleza. Confira:

“Trata-se de um ato nacional que, na capital cearense, reuniu cerca de 50 mil trabalhadores. Enquanto um grupo de sindicalistas marchava pela AV. Duque de Caxias, dois disparos foram efetuados, fato que deixou alguns manifestantes assustados. Nesse momento, o diretor do Sinteti correu, assim como outros participantes do ato, e em meio a correria, um trabalhador, representante dos rodoviários passou pelo constrangimento de ser algemado em via pública, além de ser encurralado numa viatura, sem explicação alguma. Na mesma ocasião, uma advogada que acompanhava o protesto e foi em defesa do sindicalista foi agredida verbalmente e empurrada pelos PMs. Na delegacia, o condutor explicou ao inspetor que o diretor havia sido detido porque estava correndo, fato que demonstra o despreparo da Polícia Militar.

Outras ações truculentas da PM foram registradas. No bairro Benfica, os manifestantes foram interceptados por equipes de elite da PM, duas pessoas foram detidas, entre elas um diretor do Sindicato da Construção Civil. Na rua Senador Pompeu, houve mais um confronto entre manifestantes e policiais militares. Por lá, os participantes protestavam contra a detenção de um jovem. Mais uma vez a PM usou a brutalidade efetuando vários disparos em via pública, esquecendo que muitos pais estavam com crianças no ato.

A diretoria do Sinteti está solidária para com as vítimas desses policiais militares e, em face desta perseguição ao direto de luta, em um país tido como democrático, repudiamos a medida inadequada dos militares que deveriam estar preparados contra o crime organizado que cresce sem proporção no Estado. Os trabalhadores estão nas ruas contra as reformas da Previdência e Trabalhista.