Blog do Eliomar

Arquivos

Aquarela do Brasil – Francisco Alves, pelos 120 anos de nascimento, neste domingo

Conhecido como o “Rei da Voz”, Francisco de Morais Alves começou a cantar profissionalmente aos 20 anos de idade, após trabalhar como engraxate, taxista e em uma fábrica de chapéus. O sucesso, no entanto, chegou somente 12 anos depois. Enquanto isso, sua vida fora marcada pelo casamento com uma prostituta, pela qual se apaixonara ao acreditar que a tiraria do bordel. Porém, a união durou somente nove dias, após a esposa confessar que gostava da profissão. Alves morreu aos 54 anos, em acidente automobilístico.

Lei de Proteção de Dados trará impactos a pessoas, empresas e governos

A Lei Geral de Proteção de Dados (13.709) foi sancionada nesta semana pelo presidente Michel Temer. A norma traz regras sobre a coleta e o tratamento de informações de pessoas por empresas e órgãos do poder público. A norma, que ainda terá um período de transição de 18 meses antes de entrar em vigor, terá impactos nas atividades cotidianas de usuários, empresas e órgãos da administração pública.

A lei trará consequências especialmente no mundo online, uma vez que os usuários têm registros e atividades coletados e tratados diariamente não somente por plataformas (como Facebook ou Google) mas por uma série de outras empresas sem que eles saibam. Mas também valerá no mundo offline, como no pedido de CPF para compras em farmácias ou na hora de entrar em um prédio residencial ou comercial.

Segundo a norma, dados pessoais são informações que podem identificar alguém. Não se trata, portanto, apenas do nome. Mas um endereço ou até mesmo empego podem ser considerados como tal se permitirem identificar alguém quando cruzados com outros registros.

Dentro do conceito, foi criada uma categoria chamada de “dado sensível”, informações sobre origem racial ou étnica, convicções religiosas, opiniões políticas, saúde ou vida sexual. Registros como esses passam a ter nível maior de proteção, para evitar formas de discriminação. Esse tipo de característica não poderá ser considerado, por exemplo, para direcionamento de anúncios publicitários sem que haja um consentimento específico e destacado do titular. Já registros médicos não poderão ser comercializados.

Mas quem fica sujeito à lei? Todas as atividades realizadas ou pessoas que estão no Brasil. A norma valerá para coletas operadas em outro país desde que estejam relacionadas a bens ou serviços ofertados a brasileiros. Se um site de cursos online, por exemplo, comercializa aulas em português ou voltada a brasileiros, deverá cumprir as exigências da norma.

Uma empresa não poderá coletar dados para fazer o que quiser com eles, mas deverá informar a finalidade. A coleta só poderá ocorrer em situações específicas, sendo a principal delas mediante a obtenção de autorização do titular (o chamado consentimento).

Crianças de até 12 anos ganharam garantias específicas na lei. A coleta fica sujeita a uma série de restrições, deve ser informada de maneira acessível para esse público e será condicionada à autorização de pelo menos um dos pais.

Para o pesquisador da Rede Latino-Americana de Estudos sobre Vigilância, Tecnologia e Sociedade (Lavits) Bruno Bioni, a existência da autoridade é fundamental para que ela possa aplicar os princípios previstos na lei aos casos concretos. “A lei não faz menção a uma tecnologia em específico. Por isso, será necessária a figura da autoridade para traduzir esses direitos de acordo com desafios que novas tecnologias vão colocar. Se falamos hoje em Big Data [coleta massiva de dados] e inteligência artificial, daqui a pouco falaremos de computação quântica”, argumenta.

(Agência Brasil)

“É fraco” – Lupi diz que Bolsonaro é o adversário que gostaria de enfrentar

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse na noite deste sábado (18) que Ciro Gomes é o exemplo cearense que servirá para o Brasil. O dirigente comparece ao lançamento no Ceará da candidatura Ciro Gomes (PDT) à Presidência da República, neste momento, no Papicu.

Lupi destacou que Ciro Gomes está melhor a cada debate e a cada ação pelo País.

Ele acredita que Bolsonaro (PSL) não impedirá a ida de Ciro ao segundo turno. “O Bolsonaro é o adversário que eu gostaria de ter pelo resto da vida, que é fraco, despreparado e a direita que saiu do armário e que o brasileiro vai rejeitar nas urnas”, avaliou.

2 a 1 – Gustavo comanda virada tricolor na Série B

46 1

Pela segunda vez seguida, o Fortaleza voltou a vencer de virada pela Série B do Campeonato Brasileiro. Na tarde deste sábado (18), no Castelão, o líder da competição saiu atrás no placar para o Boa Esporte, que marcou aos 3 minutos da segunda etapa, com Alyson, mas virou com gols de Gustavo, aos 5 minutos, e Bruno Melo, de pênalti, aos 27 minutos.

A reação do Fortaleza foi comandada por Gustavo, que, além de marcar o gol de empate, sofreu o pênalti que resultou na virada.

Com o resultado, o Fortaleza iguala seu melhor desempenho na competição, com quatro vitórias seguidas, o que não ocorria há 13 rodadas. A equipe cearense mantém os 10 pontos de vantagem para o primeiro time fora do G4, agora o Avaí. O Leão lidera a Série B com 43 pontos, seguido pelo CSA, com 34 (enfrenta o São Bento, às 21 horas), Atlético Goianiense, com 34, e Goiás, com 33.

O Fortaleza volta a campo na rodada completa da terça-feira (21), diante do CRB, em Maceió.

(Foto: Reprodução)

Lula candidato sim

56 2

Em artigo sobre a candidatura Lula, o Professor Doutor de Direito Internacional Público e advogado Marcelo Ribeiro Uchôa aponta determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que garante ao ex-presidente o gozo dos direitos de candidato à Presidência da República, em igualdade de condições com os demais candidatos. Confira:

Como é de amplo conhecimento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acionou, em 2016, com base na hipótese prevista no art.1º do Protocolo Facultativo ao Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos (com competência reconhecida pelo Brasil através do Decreto Legislativo 311/2009), o Comitê de Direitos Humanos da ONU (órgão previsto no art. 28 de citado Pacto, também reconhecido pelo Brasil através do Decreto 592/92), alegando violação em determinadas liberdades fundamentais, por exemplo, o fato de haver sido vítima de violenta condução coercitiva determinada judicialmente, operacionalizada por centenas de policiais, numa época em que sequer era réu da Justiça; determinação judicial ilegal (oriunda do mesmo juízo) de quebra de sigilo telefônico de chamada realizada com a então presidenta Dilma Rousseff, sem autorização do STF, inclusive, com eventual vazamento do teor do áudio para a imprensa nacional; ofensa à sua dignidade e honra, dentre outros aspectos que demonstravam que o ex-presidente estava sendo forçosamente submetido a um juízo parcial, inquisitório e seletivo, não por acaso estando hoje aprisionado sem sequer haver usufruído de seu direito constitucional de recorrer em liberdade a todas as instâncias judiciárias.

O comunicado do ex-presidente endereçado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU em 2016 (Comunicado n. 2841/2016) não foi decidido em definitivo. Porém, considerando factíveis e bem fundamentadas as violações alegadas, adensadas, agora, de outro elemento que diz respeito a uma possível nova violação do art. 25 do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, que se refere à garantia de não discriminação em matéria de direitos políticos, no caso, ao registro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à Presidência da República nas eleições em curso, incluídos aí seu direito de participação político-eleitoral pleno, o Comitê de Direitos Humanos da ONU determinou, em resposta à comunicação incidental realizada pela diligente defesa do ex-presidente, em 27 de julho passado, que o Estado brasileiro, por suas instituições competentes, gestione no sentido de garantir ao ex-presidente o gozo dos direitos de candidato à Presidência da República, em igualdade de condições com os demais candidatos.

A requisição internacional não impressiona, pois todo ser humano dentro ou fora do Brasil deveria ter direito de usufruir da máxima da presunção de inocência até o esgotamento dos recursos judiciais cabíveis. Saliente-se que, no caso concreto, está-se falando de uma situação permeada de transgressões jurídicas e judiciais em série, que mais dia, menos dia serão desmascarados nacional e internacionalmente. A medida do Comitê de Direitos Humanos da ONU também em nada abala o bom senso, quando se percebe, com clareza induvidosa, que o ex-presidente está sendo impedido de candidatar-se por ser o candidato potencialmente com maior preferência popular. A denegação de sua candidatura seria, portanto, um erro de impossível reparação, uma hipótese que nenhuma reversão judicial poderia eventualmente compensar.

Neste momento em que se discute se o Brasil deve ou não cumprir a determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, é importante deixar muito bem esclarecido que não cabe à Justiça brasileira, ou a qualquer outro poder que seja neste país, alegar soberania nacional para descumprir tal decisão. O Brasil é signatário de todos os pactos internacionais de direitos humanos atinentes ao caso. Descumprir a medida seria, por exemplo, em sentido diverso, porém perspectiva semelhante, não atender o que ninguém ousa questionar acerca dos deveres de proteção cautelar determinados internacionalmente no caso de Mônica Benício, viúva da ex-vereadora Marielle Franco, que vem sofrendo ameaças desde a covarde execução, com um agravante ainda mais enfático de que no caso do ex-presidente brasileiro a matéria não tramita na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, porém, no Comitê de Direitos Humanos da ONU, principal órgão monitorador do sistema global de proteção dos direitos humanos das Nações Unidas. Por isso, achando-se bom ou não, Lula é candidato, sim, à Presidência da República.

Marcelo Ribeiro Uchôa,

Advogado e Professor Doutor de Direito Internacional Público da Unifor

Egito sanciona lei que aumenta controle governamental sobre a internet

O presidente do Egito, Abdul Fatah al Sisi, promulgou uma nova Lei que outorga mais poderes às autoridades para bloquear sites e controlar conteúdos publicados na internet, informou neste sábado a agência oficial Mena.

A nova lei estipula que as empresas provedoras de serviços de internet (ISP) serão obrigadas a entregar às autoridades os dados de contato de qualquer usuário que seja suspeito de ter cometido crimes cibernéticos, informações que deverão armazenar durante 180 dias.

O texto também ampara as autoridades para bloquear sites egípcios ou estrangeiros envolvidos na divulgação de conteúdos que possam representar uma “ameaça à segurança nacional”, segundo detalhes oferecidos pelo jornal oficial Al Ahram.

Além disso, serão penalizados com prisão e multas os usuários que administrem contas na internet com o objetivo de cometer ou facilitar crimes.

A lei também considera crime a pirataria informática, assim como o acesso ilegal a dados ou e-mails de outros usuários ou a sites protegidos.

Esta nova norma, aprovada pelo Parlamento em julho, foi criticada por organizações defensoras dos direitos humanos egípcias e internacionais, entre elas a Anistia Internacional (AI), que acreditam que a lei amparará a censura de conteúdos na internet.

Desde maio de 2017, centenas de sites permanecem bloqueados no Egito, incluindo páginas de veículos de imprensa, organizações não governamentais, grupos políticos opositores e de empresas que oferecem serviços VPN, usados para se conectar a servidores estrangeiros e assim poder acessar conteúdos censurados no país.

Esta nova lei se soma a outras leis de imprensa aprovadas pelo Parlamento em junho, que aumentaram os poderes do Conselho Supremo para a Organização dos Veículos de Imprensa, órgão que terá poder para censurar sites.

(Agência Brasil com a EFE)

A força de Lula e o alerta para Ciro

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (18), pelo jornalista Érico Firmo:

A pesquisa Ibope, contratada pelo Sistema Verdes Mares, é amostra impressionante da força de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Ceará. Ele aparece com 56% das intenções de voto no Estado. Chama atenção porque Ciro Gomes (PDT) também está na pesquisa. O percentual dele é de 15%.

Chama atenção, sobretudo, porque Ciro foi candidato a presidente duas vezes. Em ambas enfrentou Lula. E nas duas teve mais votos no Ceará. Em 1998, Ciro teve 909,4 mil votos no Estado, contra 872,2 mil de Lula. Em 2002, o placar foi de 1,52 milhão contra 1,35 milhão. Hoje, o placar é de 56% a 15%.

Sem Lula, Ciro sobe bastante, para 39%. Como o petista não deverá mesmo ser candidato, o pedetista não tem tanto com que se preocupar. Em tese, tem caminho livre para sua melhor votação no Estado.

O problema para ele é o potencial de transferência de voto de Lula para Fernando Haddad. Na pesquisa Ibope, fica em 2%. Pode ter certeza de que, se não será de jeito nenhum de 56%, também não ficará nos 2%.

Como o próprio Ciro diz, para ter alguma chance, ele precisa ir muito bem no Ceará. Até para sustentar o discurso que aborda as conquistas do Estado.

A força de Lula e o fato de ser o estado de Ciro cria cenário muito próprio no Ceará. Tanto Jair Bolsonaro (9%) quanto Marina Silva (5%) ficam bem abaixo de seus patamares nacionais. Bolsonaro tem a metade do que obtém em todo o Brasil. Mesmo no cenário sem Lula, Bolsonaro passa de 9% para 14%, abaixo de seu patamar nacional.

Com Lula, o candidato do PSL tem 9%, não tão distante assim dos 15% de Ciro.

Camilo, Eunício e Cid voltam a realizar campanha juntos

Após participarem de comício na noite dessa sexta-feira (17), em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, o governador Camilo Santana (PT) e o senador Eunício Oliveira (MDB), ambos candidatos à reeleição, percorreram neste sábado (18) as ruas e avenidas de Horizonte, também na Região Metropolitana, ao lado do ex-prefeito e ex-tucano Nezinho (PDT).

O ex-governador Cid Gomes (PDT), candidato ao Senado, voltou a marcar presença ao lado de Camilo e Eunício, depois de ausente do comício em Caucaia.

Na noite deste sábado, Cid Gomes deverá estar na companhia de Camilo Santana no lançamento no Ceará da campanha de Ciro Gomes (PDT) à Presidência da República, no bairro Papicu.

(Foto: Divulgação)

Uma cartilha às avessas

Em artigo no O POVO deste sábado (18), a jornalista Lucinthya Gomes lamenta que é colocada sobre a mulher a responsabilidade da autoproteção. Confira:

Juliana (nome fictício) se despediu dos amigos, com quem celebrava a conclusão do semestre na faculdade em um bar, e pediu uma corrida pelo aplicativo 99Pop para voltar pra casa por volta da 1 hora da madrugada. Entrou no carro, estranhou o desvio da rota, achou que estava perdida e, em seguida, sofreu agressões, ameaça, estupro e teve o desejo de não querer sobreviver. Um mês e meio depois, a prisão do agressor, identificado como Patrick Gomes, aconteceu e foi a manchete de ontem do O POVO.

Desde que li sobre o terror vivido por Juliana, a história fica retornando à minha mente. Foi como reviver aquele pesadelo recorrente de menina em que eu tentava acordar, mas ele teimava em assombrar. Quando se nasce mulher, o crescer vem acompanhado de uma série de orientações e condutas para se prevenir deste tipo de crime. Uma cartilha às avessas, endereçada ao destinatário errado.

Os comentários que ouvi e li sobre o caso pareciam magoar uma ferida que estava ali aberta. Quantas mulheres diziam “por isso nunca ando de Uber”, “por isso não ando sozinha em táxi”, “tá vendo, amiga? Tem que que ter cuidado”, “por isso que sempre envio print com a placa do carro para o meu marido”. Todos os caminhos colocam sobre nós, mulheres, a responsabilidade de nos proteger e de sempre estar acompanhadas, de nunca estar na rua tarde da noite, de mudar de calçada ao menor risco de assédio.

Não é que seja errado se cercar de cuidados! Cada uma das medidas foi assimilada e naturalizada por mim ao longo da vida e por todas as mulheres que conheço. Acontece que, por mais óbvio que pareça, acho imperativo registrar: Juliana não fez nada de errado. Além dela, o autor do crime confessou ter feito cinco vítimas. E, embora esta história tenha vindo à tona, o estupro é uma ocorrência rotineira nos registros policiais.

Também me chamou a atenção o relato de surpresa e espanto de internautas que diziam conhecer Patrick do local de trabalho, do grupo de amigos ou das andanças do bairro. Um jovem de 26 anos, com profissão, bem vestido, que dirigia um Logan preto e falava de fé em suas redes sociais. Não parecia suspeito. Cada elemento que compõe essa história confirma a vulnerabilidade de ser mulher.

Lucinthya Gomes, jornalista do O POVO

Redução – Dos 27,4 mil registros de candidaturas, 8,4 mil são de mulheres

As candidaturas femininas nas eleições de outubro chegam a 30,7%, o equivalente a 8.435, do total de 27.485 pedidos de registros encaminhados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O Centro-Oeste é a região com maior percentual 31,14%, depois o Sudeste (31,02%), Sul (30,84%), Nordeste (30,30%) e Norte (29,75%).

Pela legislação, 30% é o percentual mínimo de candidaturas do sexo feminino por partido. Em 2014, as mulheres representavam 8,1 mil, ou 31,1% das candidaturas. Apesar da baixa evolução, analistas políticos consideram positivo o percentual registrado e observam mudanças na forma como as eleitoras devem escolher seus candidatos.

De acordo com os dados da Justiça Eleitoral, a maioria das candidatas se declara branca (51,7%) e parda (33,4%). A maior parte tem entre 45 e 49 anos e nível superior completo. A quantidade de casadas e solteiras é praticamente igual: 40%.

Pelos dados, 61,7% das candidaturas são para vagas de deputadas estaduais, enquanto 30% para federais. Há apenas duas candidatas à Presidência da República – Marina Silva (Rede) e Vera Lúcia (PSTU) – e 29 para governos dos estados.

(Agência Brasil)

Futebol – Vavá Maravilha avalia rodada para Fortaleza e Ceará

Com campanhas opostas no Campeonato Brasileiro, Fortaleza e Ceará buscam a vitória, contra Boa Esporte e Vasco, respectivamente. Enquanto o Leão busca neste sábado (18), no Castelão, se firmar na liderança da Série B e cada vez mais se aproximar do acesso, o Ceará tenta tirar proveito da crise vascaína, na segunda-feira (20), em São Januário, para tentar deixar a zona de rebaixamento.

Setor de segurança privada cresce e lucra com acirramento da violência

Em tempos de violência e insegurança, um mercado específico aumenta o lucro e registra crescimento nos Estados Unidos, Europa e Ásia. É o setor de serviços em segurança privada. A conclusão é da Statista, consultoria alemã de pesquisa independente. A previsão é de que a receita do mercado global de tecnologia e serviços de segurança chegue a US$ 96,3 bilhões até dezembro.

Até 2020, a projeção é de que a receita do setor deve atingir US$ 240 bilhões. Só nos Estados Unidos, o crescimento estimado para este ano é de U$ 34 bilhões.

Especialistas afirmam que a tendência se estende também para o Brasil. Apenas em sistemas de segurança eletrônica, por exemplo, a expansão média anual foi de 8% nos últimos cinco anos no país. O impacto gera renda e serviços, assim como incentiva o mercado que fornece produtos e abre perspectivas para importação.

O especialista Glauco Tavares, diretor-executivo do Grupo RG Brasil, uma das maiores empresas do setor, aponta que o impacto do crescimento global da segurança privada reflete no Brasil.

“Empresas norte-americanas e brasileiras de segurança privada já estão trabalhando em conjunto, com o intercâmbio de informações, tecnologia e estabelecendo parcerias para a expansão do mercado.”

Segundo ele, Brasil e Estados Unidos têm se aproximado na área de segurança, não só em termos institucionais, como também em políticas públicas e no setor privado com a troca de experiências e intercâmbio tecnológico, entre os dois países.

“Vimos essa interação recentemente no setor de segurança como política de estado, quando EUA e Brasil criaram em maio, o Fórum Permanente para debater questões de segurança entre os dois países”, disse.

O fórum definirá alternativas para o combate do tráfico de drogas e armas, assim como de crimes cibernéticos e financeiros, além de lavagem de dinheiro e terrorismo. A primeira reunião de trabalho deve ocorrer ainda este ano em Washington, sem data definida.

(Agência Brasil)

A responsabilidade dos aplicativos

60 1

Editorial do O POVO deste sábado (18) ressalta os crimes praticados por um motorista que se cadastrou no aplicativo 99Pop. Confira:

São estarrecedoras as revelações feitas pela reportagem, cuja série prossegue hoje, a respeito de crimes praticados por um motorista que se cadastrou no aplicativo 99Pop utilizando nome falso. Ele já confessou seis estupros contra passageiras, mas a polícia suspeita que ele tenha feito pelo menos 10 vítimas.

O transporte por aplicativos tornou-se popular entre os jovens por, supostamente, oferecer preços mais baixos e pelas facilidades que oferece. Rapidamente – aproveitando a falta de regulamentação -, o negócio expandiu-se de forma rápida e, agora se vê, de forma descontrolada e perigosa.

A reportagem, assinada pelos repórteres Carlos Mazza e Jáder Santana, faz levantamento minucioso e revela como contas falsas podem ser utilizadas por bandidos para facilitar seus crimes, já que a vítima vem até eles, confiando no serviço virtual.

Na edição de ontem, o jornal relatou a via-crúcis percorrida por uma jovem, dentro de um carro do aplicativo 99Pop, desde que ela chamou o veículo até o desfecho aterrorizante, em uma rua deserta, com a menina sendo estuprada, sob xingamentos, socos e tapas.

Na edição de hoje os repórteres mostram como é fácil comprar cadastros pelas redes sociais – OLX, Mercado Livre e Facebook – e tornar-se motorista de aplicativo, seja do 99Pop ou do Uber. Quem compra esses cadastros já o faz com más intenções, pois não pode inscrever-se diretamente no aplicativo, por alguma restrição, ou por ter sido bloqueado por má conduta. Sob supervisão da Polícia, os repórteres compraram um desses cadastros para mostrar como qualquer um pode fazê-lo. Depois, basta trocar a foto original e começar a operar.

Se não se pode acusar diretamente os aplicativos por condutas criminosas de falsos motoristas, é forçoso reconhecer que o sistema de licenças é muito vulnerável – e isso é de responsabilidade intransferível das empresas.

Dinheiro para isso não há de faltar, pois são companhias bilionárias, que operam em vários países do mundo. Além do mais, ficam com a parte do leão do serviço, cobrando 25% de cada corrida, sendo todas as despesas por conta dos motoristas.

As explicações que a 99Pop deu, por meio de nota, são burocráticas e superficiais. A empresa disse que bloqueou os dois perfis denunciados e que “colabora ativamente” com a polícia. No entanto, sem a reportagem do jornal, os casos não teriam vindo a público e nem os clientes de aplicativos seriam alertados sobre a existência de fraudes, que permitem atos criminosos.

Habituados à internet, os jovens têm falsa sensação de segurança quando contratam serviços via rede. Mas precisam saber que a selva do mundo real, repete-se no mundo virtual, por vezes de forma mais assustadora. PS. Para ler a matéria intitulada “Falso motorista de app é investigado por 4 casos de estupro”.

Bolsonaro tem plano para reduzir sua rejeição entre o eleitorado feminino

81 1

Para diminuir a rejeição feminina, um dos seus pontos fracos, o candidato a presidente da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, adotou uma tática.

Segundo informa a Veja Online deste sábado, o capitão da reserva, orientando por marqueteiros, passou a levar sua mulher, Michelle, a vários compromissos de campanha.

Bom lembrar que candidatos como Ciro Gomes (PDT) já fazem início mesmo antes da campanha oficial começar.

Mega-Sena pode pagar R$ 23 milhões neste sábado

A Mega-Sena pode pagar R$ 23 milhões para quem acertar as seis dezenas do Concurso 2.070, que serão sorteadas hoje (18). É o terceiro e último sorteio da Mega Semana dos Pais.

Segundo a Caixa Econômica Federal, se o prêmio principal for aplicado na poupança, pode render cerca de R$ 85 mil por mês. O valor também é suficiente para comprar dez apartamentos de luxo.

O sorteio da Mega-Sena será em Coribe (BA). A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio em uma das mais de 13 mil casas lotéricas do país.

As apostas também podem ser feitas pelo computador, tablet ou smartphone. Nesses casos, é preciso ter mais de 18 anos e preencher o cadastro na plataforma de Loterias Online da Caixa.

(Agência Brasil)

Iprede recebe 4 toneladas de alimentos doados por fundação nipônica

O Sana, maior festival de cultura pop do Nordeste, realizado em julho último, no Centro de Eventos, entregou ao Iprede o resultado do ingresso social que antecedeu o evento e que tinha o objetivo de arrecadar alimentos.

No evento, um público de 70 mil pessoas durante os três dias de evento e cerca de 4 toneladas de alimentos não perecíveis obtidos nas doações.

Tudo entregue pela diretoria da Fundação Cultural Nipônica Brasileira, realizadora do Sana.

(Foto – Divulgação)

Mais 6 vítimas denunciam falso motorista de app

Menos de 24 horas após O POVO revelar a prisão de Patrick Gomes do Nascimento, 26, acusado de se passar por motorista de aplicativos de transporte para estuprar jovens em Fortaleza, seis outras mulheres procuraram a Polícia Civil, a partir do que viram na reportagem, para denunciar o técnico de radiologia pelo mesmo crime. Com os novos casos, podem chegar a dez o número de possíveis vítimas do agressor.

Nos depoimentos colhidos ontem, as vítimas revelaram modus operandi semelhante aos casos já conhecidos pelas equipes de investigação. Em todos eles, Patrick se passava por motorista da 99Pop e raptava as mulheres na saída de bares movimentados da Aldeota. De lá, desviava o caminho para um terreno baldio do bairro Dunas, onde violentava as vítimas.

Uma das jovens ouvidas ontem procurou a delegacia logo pela manhã. Bastante abalada, ela disse ter reconhecido o agressor a partir de imagens e da descrição revelada pelo O POVO e decidiu denunciar o crime. Antes, evitava se manifestar temendo represálias. Ao longo do dia, outras cinco mulheres foram ao 15º Distrito Policial (que cobre a área da Cidade 2000, mas temporariamente está sediado na Aldeota) registrar ocorrências contra o técnico em radiologia.

Apesar do método idêntico empregado pelo acusado, denúncias feitas ontem revelaram perfil diferente dos alvos. Enquanto as vítimas anteriores eram todas jovens entre 20 e 25 anos, na tarde de ontem procuraram a delegacia uma mulher de 18 anos e outra de 30 anos. Esta última é mãe de uma adolescente e teria sido raptada na saída de um bar no Dionísio Torres.

Foi registrado ainda o depoimento de uma turista que passava férias em Fortaleza e disse ter sido vítima de Patrick. Nos testemunhos, novos relatos de tentativas sexuais forçadas e agressões pesadas. As equipes de investigação conseguiram identificar ainda outra possível vítima do falso motorista de app. A mulher, até ontem, se recusava a prestar depoimento.

Durante todo o dia, era intensa a entrada e saída de pessoas e agentes de segurança no prédio da delegacia, na rua Costa Barros, onde está provisoriamente o 15º DP. O caso está vinculado à delegacia da Cidade 2000 por cobrir a área das Dunas, onde aconteceram os estupros. No início da tarde, policiais do Departamento de Inteligência da Polícia Civil levaram ao local os objetos apreendidos durante a prisão do acusado.

Conforme O POVO noticiou com exclusividade na edição de ontem, Patrick Gomes do Nascimento foi preso no fim da tarde desta quinta-feira, 16, após ser reconhecido por pelo menos duas vítimas de estupro. Segundo o inquérito policial, as mulheres eram raptadas após pedirem corridas em aplicativos de transporte e violentadas, filmadas e ameaçadas.

Para encobrir rastro dos crimes, o motorista teria utilizado diversas contas falsas nos aplicativos, alimentadas com informações de pacientes de clínicas médicas onde o suspeito trabalhava. Em pelo menos dois dos casos, registros no 99Pop continham documentos e identidade de pessoas com enfermidades graves, uma delas internada em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) sem movimento das pernas.

Além do crime de estupro, Patrick poderá responder ainda pelo crime de estelionato, uma vez que ele falsificou documentos para manter as contas falsas ativadas. O inquérito policial segue em andamento e, na sequência, deverá ser enviado ao Ministério Público Estadual.

Em nota emitida sobre o caso, a empresa 99 afirma ter recebido denúncias de duas passageiras contra um motorista da plataforma em Fortaleza. “Os perfis apontados por elas foram imediatamente bloqueados, ficando impedidos de realizar corridas. Desde o princípio, a empresa colaborou ativamente com a polícia, auxiliando as investigações”, diz o comunicado.

Mesmo com o registro das novas denúncias, os responsáveis pela investigação ainda reforçam a necessidade de que outras vítimas do agressor procurem a autoridade policial competente. Informações pelo 3101-1137.

(Jornal O POVO)

Cid Gomes: Nem todo político é ladrão

125 2

O candidato ao Senado pelo PDT, Cid Gomes, afirmou, em Brejo santo (Região do Cariri), em clima de campanha eleitoral, que nem todo político é ladrão.

“Ainda existem homens bem intencionados e que querem transformar a vida das pessoas”, disse o ex-governador, durante fala quando do lançamento da candidatura do ex-prefeito da cidade, Guilherme Landim, à Assembleia Legislativa.

“Muitos cearenses tem o sentimento que todo político é ladrão. Mas esse não é o caminho que a gente deve acreditar. Há na vida pública gente com sensibilidade ao sofrimento dos mais pobres. O Ceará é o exemplo disso”, reiterou Cid Gomes.

(Foto – Divulgação)

Unidades de saúde do Ceará abrem neste sábado para vacinar contra pólio e sarampo

Todas as crianças de um a menores de cinco anos devem buscar neste sábado (18) os mais de 36 mil postos de vacinação para receber a vacina contra a poliomielite e o sarampo. As unidades de saúde realizam o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.

No Ceará, 81% das crianças que fazem parte do público-alvo ainda precisam se vacinar. Pais e responsáveis devem levar as crianças independente da situação vacinal anterior, já que neste ano a campanha é indiscriminada.

A expectativa é vacinar mais de 11 milhões de crianças no País até 31 de agosto.

(Agência Saúde)