Blog do Eliomar

Democracia ao pé da forca

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (21):

Quarta-feira próxima, 24, o Brasil viverá um dos momentos mais emblemáticos de sua história política pós-ditadura de 1964. Será a definição para onde penderá o País, diante do impasse surgido entre as forças que comandaram o golpe parlamentar-jurídico-midiático de 2016 e a resistência democrática, em busca de recuperar o que foi demolido, em termos de direitos, garantias e legitimidade, e de recolocar as instituições sob o prisma da soberania popular.

Essa batalha estará personificada no julgamento da sentença condenatória de Lula pelo juiz Sérgio Moro, considerada (junto com todo o processo) uma aberração jurídica, por mais de 600 juristas, nacionais e estrangeiros. E isso, tanto pela falta de provas objetivas – como exige o Direito Penal – como por estar, segundo eles, contaminada pela parcialidade do jogo político e disputa pelo poder.

Analistas veem prevalecer no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, a oportunidade de se revisar a condenação de Lula. Pelo perfil ideológico de seus membros, bem como por manifestações prévias dos mesmos, não se tem muita esperança de que o aspecto jurídico vá prevalecer frente ao político – segundo alguns especialistas.

(Foto – Estadão)