Blog do Eliomar

Alô, Camilo! Gleisi Hoffmann diz que vaga de senador na chapa deve ser do PT

“Queremos reeleger o Pimentel, ou quem o PT, na sua decisão interna, indicar”. O recado foi dado, nesta quarta-feira, durante entrevista ao jornalista Luiz Viana, âncora do programa O POVO no Rádio, da Rádio O POVO/CBN, pela presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, senadora Gleisi Hoffmann. Ela defendeu a reeleição de José Pimentel, destacando que a legenda não vai abrir mão nos Estados da vaga que tiver no Senado Federal.

Sobre essa tese, a deputada federal Luizianne Lins já havia adiantado, na semana passada, que a briga pela vaga de senador seria uma resolução do diretório nacional. Essa afirmação de Gleisi coloca o governador Camilo Santana (PT) em situação complicada. Ele tem apoio do PDT, que indica Cid Gomes como pré-candidato ao Senado e, de quebra, conta com o apoio administrativo junto a Brasília do senador Eunício Oliveira (MDB).

Nesta sexta-feira, está agendado um almoço dos deputados federais Luizianne Lins e José Guimarães com Camilo, no Palácio da Abolição. Esse tema estará no menu do encontro.

Mesmo que José Pimentel decida não sair como candidato, Gleisi coloca o nome de José Guimarães (PT) como opção do partido. Na última campanha majoritária, Guimarães chegou a admitir disputar o Senado, mas acabou abrindo para o acordo que garantiu o respaldo dos Ferreira Gomes pró-Camilo.

PT e Ciro Gomes

Após afirmar que “nem com reza braba” Ciro passaria pelo PT, a senadora disse na entrevista respeitar a candidatura do presidenciável cearense, bem como todas da esquerda. Gleisi reafirmou a candidatura do ex-presidente Lula, preso há pouco mais de um mês, à Presidência da República.

Ela destacou a última pesquisa de intenção de voto como fundamental para manter o nome petista. “Candidato mais bem colocado nas pesquisas, Lula tem o dobro do segundo colocado. Mais que candidato do PT, Lula é candidato de parcela expressiva do povo”, afirma a senadora.

Gleisi reconheceu a possibilidade da candidatura do ex-presidente ser inviabilizada. “Se lá na frente, durante o processo eleitoral, realmente for inviabilizado, Lula e a direção do PT saberão como proceder“, acentua sem aprofundar detalhes. Sobre o segundo turno, disse que a possibilidade seria de uma “aliança programática em benefício do povo”.

(Com O POVO Online -Repórter Ítalo Cosme/Foto – Paulo MOska)