Blog do Eliomar

Chacina do Benfica – Acusados são denunciados por mais um homicídio

Acusados de participação na chacina do Benfica, Douglas Matias da Silva e Francisco Elisson Chaves de Sousa tiveram denúncia por outro homicídio, de uma adolescente de 14 anos morta em outubro passado, recebida na última semana pela 5ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza.

Com a decisão, os dois responderão conjuntamente pelo assassinato da jovem, morta a tiros no bairro José Bonifácio. No mesmo caso, Douglas responderá ainda por duas tentativas de homicídio, uma contra um bebê de dois meses e outra contra a mãe da criança.

Segundo denúncia do Ministério Público, duas adolescentes, uma delas com o bebê no colo, estavam conversando em uma calçada da rua Joaquim Magalhães, por volta das 21h, quando os dois chegaram em uma motocicleta pilotada por Douglas.

Ainda de acordo com a denúncia, eles teriam efetuado diversos disparos, que mataram uma das vítimas e deixaram as outras em estado grave. Segundo o MP, o bebê – atingido de raspão na cabeça – teria sobrevivido “graças à conduta da mãe”, que protegeu a criança com o próprio corpo.

Ao receber a denúncia, a Justiça também converteu prisão temporária dos dois em prisão preventiva, sem prazo para a soltura. Localizado pela Polícia em um apartamento no Meireles, Douglas está preso desde 10 de março, um dia depois dos ataques na área da Gentilândia, no Benfica, deixarem pelo menos sete mortos.

Já Francisco Elisson foi preso apenas no dia 2 deste mês, junto com Stefferson Mateus Rodrigues, outro acusado de envolvimento na chacina. Eles foram detidos em Paracuru, na Região Metropolitana de Fortaleza, acusados de cometer outros crimes na região, incluindo tráfico de drogas e porte de armas.

Segundo a investigação, o crime ocorreu pois uma das vítimas teria passado a integrar o organização criminosa rival da facção Guardiões do Estado (GDE), da qual faziam parte os acusados. Além disso, eles suspeitariam que a vítima teria de algum modo colaborado para uma tentativa de homicídio contra um membro da GDE.

Douglas Matias da Silva, por sua vez, já responde judicialmente por roubo e por outro homicídio, realizado em agosto de 2017 também na Praça da Gentilândia.

Outro lado

O POVO tentou entrar em contato com o advogado Mikhail Gomes Le Sueur, que representa Douglas Matias da Silva em um dos casos da chacina, mas não conseguiu localizá-lo.

(Jornal O POVO)