Blog do Eliomar

Derrotado é aquele que não tem coragem de competir

264 1

Em artigo sobre a eliminação do Brasil na Copa da Rússia, o lutador de jiu-jitsu, estudante de Direito e jornalista Demóstenes Batalha usa o aprendizado dos tatames para manter o otimismo no hexa. Confira:

Quando voltei a treinar e a competir no Jiu-Jitsu, aprendi que nas vitórias os erros se camuflam, diante da alegria do momento. E muitos esquecem os erros antes do tal momento. Já nas derrotas, as falhas são visíveis, mesmo aquelas que são mínimas.

Falo isso, porque agora entendo que haverá ainda muito trabalho da nossa Seleção daqui para frente. Entendo o sentimento de frustração de todos e, principalmente, dos atletas. Os erros visíveis haverão de ser corrigidos, porque se tivéssemos ganho os teríamos esquecido e estaríamos pensando no jogo contra a França e, certamente, no feriado proporcionado pela partida.

Mas a derrota veio e ensinou a muita gente que não somos mais a potência do mundo, mas temos, sem sombra de dúvidas, a mais verdadeira chance de retomar ao posto, se comparando a qualquer campeã, pois somos ainda o maior celeiro de craques e continuamos a inspirar várias gerações mundo afora.

Diferente dos campeonatos de jiu-jitsu, que todos anos o competidor tem a oportunidade de corrigir as falhas e se tornar campeão, a Copa do Mundo é composta por um ciclo de quatro anos para a equipe se redimir diante dos erros.

A Seleção lutou e foi até o fim. Temos ainda o melhor técnico, que com o aprendizado da sexta-feira (6) irá refazer sua prancheta. Ainda temos os melhores para se completar esse ciclo, que irá se fechar em 2022.

E, como aprendi no tatame, só entende a competição quem compete. Derrotado é aquele que não tem coragem de competir. E só de estar lá e dar o 100% , já são campeões. Oss!!!

#rumoa2022 #Hexa #parabensseleção