Blog do Eliomar

Chacina das Cajazeiras – Preso acusado de ser o mandante

Mais um indiciado pela Chacina das Cajazeiras — ocorrida em 27 de janeiro deste ano em Fortaleza com 14 pessoas mortas e 18 feridas — foi preso por policiais militares do Ceará (Cotam e BPChoque).

Auricélio Sousa Freitas, 35, o Celim ou Celinho, foi capturado ontem quando trafegava na avenida Desembargador Moreira, no bairro Dionísio Torres, em um veículo Corolla. Celim é apontado no inquérito da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) como um dos mandantes da maior carnificina do Ceará. Ele seria membro do “Conselho” da facção Guardiões do Estado (GDE), braço da quadrilha que teria planejado o ataque e convocado os matadores das pessoas que se divertiam no Forró do Gago, na favela do Barreirão, periferia da capital cearense. Até aqui, cinco meses depois do crime, foram presos 11 adultos e um adolescente foi apreendido. Ainda há foragidos. No momento em que os policiais militares abordaram Celim, ele se apresentou com documento e foto em nome de Luís Carlos Domingos da Silva. Após checagem, os PMs constaram que, na verdade, era o procurado.

De acordo com o relatório da DHPP, após cruzamento de dados com depoimentos de informantes e diálogos extraídos dos grupos de WhatsApp dos investigados da GDE, Celim, ao lado dos criminosos Deijair de Sousa Santos (De Deus), Zaqueu Oliveira da Silva (o H2O), Auricélio Sousa Freitas (o Celim) e os irmãos Misael de Paula Moreira (o Afeganistão) e Noé de Paula Moreira (o Gripe Suína), formariam o grupo que ordenou a matança.

Celim, segundo as investigações da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar do Ceará (CIP), seria um “reconhecido traficante de drogas da GDE”. Ele dominaria o tráfico no bairro Barroso II e em assentamentos precários como as comunidades Unidos Venceremos, Babilônia e parte do Gereba. Na Chacina das Cajazeiras, teria sido responsável por repassar armas e escalar matadores. Entre eles, o também indiciado e preso Renan Gabriel da Silva – o Biel.

Apontado pela DHPP como um dos autores intelectuais da Chacina das Cajazeiras, Celim foi identificado nas redes sociais como o dono do “Bonde do Crioulo”, maneira dos criminosos se referirem a uma liderança que exerce o poder em território dominado pela facção.

No último dia 6, a Polícia havia prendido três suspeitos da chacina. Dois homens e uma mulher. Entre eles, confirmado, Misael de Paula Moreira, 26, também indiciado pelo ataque nas Cajazeiras.

Segundo as investigações, Misael, também conhecido por Psicopata, Terrorista, Maguim e Misa, seria o líder do subgrupo denominado “Os Quebra Coco” — ala da GDE que reúne os homens responsáveis pelos assassinatos de inimigos e outras ações bárbaras.

No ato da prisão, Misael Moreira estava em um veículo modelo Jeta e foi abordado por PMs na rua Eduardo Perdigão, na Parangaba. Com ele foram apreendidas uma pistola calibre 9 mm e 31 munições, além de dois aparelhos celulares e R$ 1.400 em espécie.

De acordo com o inquérito, Misael e outros quatro indiciados seriam os “donos da facção” — os que comandariam o tráfico em bairros de Fortaleza.

O relatório do inquérito da DHPP concluiu que a ordem para a matança não partiu da Casa de Privação Provisória de Liberdade (CPPL) II, em Itaitinga, como foi mencionado inicialmente. O ataque foi autorizado por líderes da GDE que atuam em comunidades da periferia de Fortaleza e um no Cocó.

(O POVO – Repórter Demitri Túlio/Foto – Evilázio Bezerra)