Blog do Eliomar

Tasso diz que esta campanha eleitoral foi “a mais desigual da história do Ceará”

“Foi a campanha mais desigual de toda a história do Ceará e, talvez, do Brasil. Se juntaram 181 prefeitos, todos os partidos políticos, governo do estado e sua máquina, governo federal e sua máquina, para manter quem já está nos seus lugares, nos mesmos lugares”, disse, em tom de desabafo, após votar em seção do Colégio Farias Brito, em Fortaleza, o senador tucano Tasso Jereissati.

Tasso não falou sobre derrota, mas destacou que o futuro político do General Theophilo, será de “uma liderança que sabe o que quer.” Para o tucano, nasceram, do processo eleitoral deste ano, pelo menos “duas grandes lideranças – o General e Dra Mayra”, esta candidata ao Senado pelo PSDB.

“São duas pessoas que têm uma vocação pública muito grande, se fizeram conhecer em todo o estado do Ceará, mostraram sua coragem e independência e uma maneira diferente de fazer política. Então, daqui por diante o Ceará vai esperar muito deles”, completou Jereissati, destacando que sai do processo com o sentido “do dever cumprido”.

Lembrou que, mesmo sem nenhuma condição, o PSDB fez “bonito”, porque levou ao povo do Ceará a renovação, uma visão nova de fazer política.

Para o senador, o sistema político partidário está falido.

“O futuro do PSDB é igual ao de todos os partidos políticos: o sistema partidário está falido e tem que haver uma renovação”, defendeu, neste domingo, após votar em seção do Colégio Farias Brito, o senador tucano Tasso Jereissati.

Para ele, a polarização do PT com o PSDB acabou. “Ainda tem o PT, porque existe Lula. Não existe mais o PT como ele foi criado, idealizado. É um partido – PT – em fim de linha também como todo sistema político brasileiro que tem que ter mais coerência e mais transparência”, avaliou Jereissati.

Tasso Jereissati disse que a pior coisa que possa existir para um país é “a polarização entre os extremos (extrema direita e extrema esquerda), a radicalização que prega a intolerância e a violência. A gente precisa neste país de reconciliação, de paz, para poder voltar a crescer e gerar empregos. É o que nós esperamos”, concluiu o senador tucano.

(Foto – Divulgação)