Blog do Eliomar

Roberto Freire diz que Cidadania é oposição, mas quer a reforma da Previdência

O presidente nacional do Cidadania (ex-PPS), ex-senador Roberto Freire, afirmou para a reportagem deste Blog, nesta quarta-feira, que não se surpreende com os primeiros meses do governo de Jair Bolsonaro.

“Eu não crie grandes expectativas, mas a impressão não é boa. Eu conheço Bolsonaro e sei do seu despreparo, mas imaginava que, com a formação de governo e algumas linhas mestras organizadas, e se conhece com a ala da equipe econômica, do Moro na Justiça e a ala dos militares, tivéssemos certa estabilidade. Mas Bolsonaro é incapaz disso. Ao contrário, ele busca atritos, inimigos. É insaciável nesse processo de buscar adversários. Quando não tem, ele cria e não controla seus filhos. Não dá certo quanto você fica preso a interesses familiares e oligárquicos”, lamentou Freire.

Ele disse que esperava mais de Paulo Guedes, ministro da Economia, mas só vê um quadro de crise, que preocupa e com uma economia que pode voltar a um processo recessivo.

“Estamos com diminuição de perspectivas de crescimento do nosso PIB. Tenho tido muitas surpresas, mas não esperava surpresas tão desagradáveis e preocupantes. O governo, nesses primeiros meses, não tem correspondido a nenhuma das expectativas nem mesmo dos bolsonaristas, imagina nós, que somos independentes e fazemos oposição”, acentuou

Freira, sobre a reforma da Previdência Social, mesmo oposição, afirmou que é a favor da reforma da Previdência. Ele lembrou que o antigo PPS sempre foi “um partido reformista há muito tempo”. Disse ainda que com ex-deputado federal Eduardo Jorge, na época do PT, chegou a apresentar um projeto nesse sentido, apontando para capitalização complementar, via fundos de pensão. Sem entrar no debate, reiterou que o Cidadania torce e quer reforma da Previdência principalmente.

“Sempre contou e conta com nosso apoio!”, adiantou o presidente nacional da legenda que, ao lado do dirigente estadual da legenda, Alexandre Pereira, confere a posse de Tiago Pereira como prefeito de Cascavel, o primeiro do Cidadania no País. Ainda nesta quarta-feira, Roberto Freire deixará a Capital cearense.

(Foto – Arquivo)