Abuso em cascata: é justo?

Em artigo no O POVO desta quinta-feira, o jornalista Plínio Bortolotti comenta a decisão do STF de estender o “auxílio moradia” a todos os juízes e desembargadores que o pleitearem. Confira:

As instituições da democracia têm de ser preservadas independentemente das pessoas que a compõem. Entretanto os integrantes das instituições, principalmente os ocupantes dos cargos mais importantes, têm – ou deveriam ter – a obrigação de se comportar de acordo com as noções da ética e da decência, próprias das organizações a que servem. Por isso, causa espanto quando alguns traem os seus mais sagrados princípios.

Assim, causa escândalo redobrado quando abusos sexuais são praticados por religiosos contra crianças, pois a missão da igreja é cuidar dos mais fracos e desprotegidos. Se um político, responsável pelas verbas públicas – que devem ser usadas em favor da comunidade -, as desvia em benefício próprio, isso, justificadamente, se transforma escândalo (em contrapartida, ninguém se surpreende quando um assaltante se dedica a roubar, pois está de acordo com o que se espera de um criminoso).

Não é ilegal e muito menos crime, porém é espantoso que os ministros do Supremo Tribunal Federal tenham determinado o pagamento de “auxílio moradia” de R$ 4,3 mil – benefício que os ministros do STF já recebem – a todos os juízes e desembargadores que o pleitearem, funcionários públicos cujos salários superam a casa dos R$ 25 mil. Como um abuso leva a outro, já há casais de magistrados obtendo judicialmente o “direito” de receber o duplo pagamento do benefício.

O “efeito cascata” leva ainda a benesse aos conselheiros de tribunais de contas, Ministério Público e Defensoria Pública. O presidente do Tribunal de Contas do Ceará, Valdomiro Távora, justifica-se dizendo estar “cumprindo uma decisão do Supremo”. Ora, o decidido pelo STF não obriga a ninguém a receber o auxílio, basta não requerê-lo. Foi o que fez o procurador Gleydson Alexandre, que recusou-se a receber com uma pergunta: “Isso é justo?”

PS. Aposto que tem um monte de gente que vai receber o “bolsa moradia” criticando o Bolsa Família.

0
Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 4 =