ASSASSINATO DE MENINA NO CARIRI FAZ PATRÍCIA SABOYA SE EMOCIONAR NO SENADO

Em tom emocional, a senadora Patrícia Saboya (PDT) fez pronunciamento, nesta quarta-feira, no plenário do Senado, sobre a morte da menina Luana (4), que foi estuprada e estrangulada na cidade de Jardim (Região do Cariri) na noite da última segunda-feira. Patrícia, que havia feito na terça-feira um contundente discurso sobre o grave problema da violência contra crianças e adolescentes, voltou a abordar o tema e fez um apelo:
“Eu não agüento mais denunciar esses descalabros. Alguma coisa precisa ser feita. Se não está sendo feito pelas autoridades do Executivo, que nós, do Legislativo, façamos algo para conter essas aberrações”. A senadora não conteve as lágrimas e disse que “o verdadeiro patrimônio do Brasil não é o petróleo, e sim o seu povo, as suas crianças, que precisam ser protegidas e respeitadas”.

(Rádio OPOVO/CBN)
Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “ASSASSINATO DE MENINA NO CARIRI FAZ PATRÍCIA SABOYA SE EMOCIONAR NO SENADO

  1. O jornalista Claudio Humberto parece que não gostou do choro. Ele escreveu:23/04/2008 | 17:32 Lágrimas não ressuscitam criançasA senadora Patrícia Saboya (PDT-CE) foi às lágrimas agora há pouco, no plenário, protestando contra as mortes de crianças no Brasil, citando o caso de uma menina de três anos assassinada brutalmente no Ceará. Perguntou o que está “acontecendo com o povo brasileiro” e pediu providências. Crianças – e adultos – morrem barbaramente todos os dias no País. Algumas dessas mortes viram notícia, como o assassinato da menina Isabella, em São Paulo, e do menino João Hélio, no Rio. Outras caem na vala comum do esquecimento, deixando seus perpetradores leves e soltos, após cinco, seis anos de cadeia, quando não ficam soltos nas ruas por habeas corpus sucessivos, recursos e outras manobras que a lei lhes concede. O que povo brasileiro precisa, senadora, é de um novo Código Penal, com penas, e o cumprimento delas, mais rígidas. Cabe aos senhores senadores e deputados lutar por uma radical mudança na vida dos brasileiros. E não apenas chorar e clamar pelos mortos, extirpados da vida por uma radical impunidade.

  2. Flash 1 – Eu concordo plenamente com o desabafo da Senadora Patrícia Saboya (PDT) quando nessa quarta-feira dia 23/04/2008 se pronunciou no plenário de Senado emocionada e revoltada com mais essa crueldade tendo como vitimia uma inocente criança de apenas 4 anos.- Façanha de Fortaleza – Brasil. Flash 2 – Nós não podemos mais continuar com essa complacência com esse tipo de gente se é que se pode chamar isso de gente, não podemos mais deixar que a impunidade continue alimentando as cabeças dessa corja de gente ruim de que não vai dar em nada. Façanha de Fortaleza – BrasilFlash 3 – A Senadora tem razão quando diz “Eu não aguento mais denunciar esses descalabros; Alguma coisa tem que ser feita. Se não está sendo feito pelo Executivo, nós do Legislativo façamos. No dia que a Senadora ou qualquer outro político apresentar um projeto para punir de verdade e intimidar esses bandidos o povo vai agradecer com certeza.- Façanha de Fortaleza – Brasil. Flash 4 – Só para lembrar a Senadora Patrícia Saboya e demais politicos desse país, “Os bandidos são assim” Não trabalham, Não pagam impostos, Não se recuperam, Sequestram pessoas, Matam policiais, Torturam inocentes, Andam armados e Desafiam as autoridades, fazer o que com essa gente!…a sociedade está esperando resposta. Façanha de Fortaleza – Brasil.

  3. Indignação sim,Demagogia não,Patricia Gomes!Cuidado com seus discursos piegas pois o povo de Fortaleza está cheio desse tipo de postura polista e oportunista!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 9 =