Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Aplicação do Enem terá quatro horários diferentes

O Ministério da Educação (MEC) alerta os estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 que a partir do primeiro dia da aplicação das provas, 04 de novembro, o país terá quatro fusos horários diferentes. Devido ao horário de verão, que entrará em vigor no mesmo dia da prova, os portões dos locais de realização do exame serão abertos e fechados em horários diferentes nos estados.

O relógio deverá ser adiantado em uma hora à meia noite de sábado (3) para domingo (4) pelos estudantes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Neste grupo de estados, com exceção de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, a abertura dos portões dos locais das provas será às 12 horas e o fechamento às 13h.

Para estudantes do Amapá, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, os portões serão abertos Às 11h e o fechamento Às 12h, seguindo o horário local.

Nos estados do Amazonas, Rondônia e Roraima, os participantes poderão ingressar os locais de prova entre 10h e 11h, de acordo com o horário local. E no Acre, que tem fuso horário de três horas a menos em relação a Brasília, os portões serão abertos às 9h e fechados às 10h, também seguindo horário local.

Os cartões de confirmação da inscrição estarão disponíveis para consulta a partir da próxima segunda-feira (22), na página do participante. No cartão, são informados os dados dos estudantes, local de prova, data e horários de aplicação da prova. A segunda etapa das provas será aplicada em 11 de novembro.

(Agência Brasil)

Justiça Federal determina livre acesso ao estacionamento do aeroporto de Juazeiro do Norte

Decisão proferida pela 16ª Vara Federal da Seção Judiciária do Ceará determinou o livre acesso de veículos ao estacionamento do aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte, ao suspender o contrato comercial entre a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e a empresa concessionária Luciano Carvalho Bezerra de Menezes – ME.

A decisão determina, ainda, que sejam imediatamente desfeitas as obras construídas para o estacionamento e que estão impedindo a livre circulação de veículos na Praça Capitão Aviador Samuel Wagner Almeida e na Avenida Virgílio Távora, área próxima ao Terminal de Passageiros.

A decisão destacou que as exigências legais quanto à possibilidade de contratação sem licitar não foram observadas no Contrato Comercial de n.º 02.2018.113.0008, razão pela qual foi determinada a sua imediata suspensão, como requerido pelo Ministério Público Federal.

No entanto, em sua decisão, o juiz federal Fabricio de Lima Borges ressaltou que a Infraero, conforme seu juízo de conveniência e oportunidade, pode realizar nova contratação de empresa privada para explorar o serviço de estacionamento do Aeroporto de Juazeiro do Norte, desde que observadas as exigências legais.

O Município de Juazeiro do Norte e a União também foram intimados da decisão.

(Foto: Arquivo)

PF abre inquérito para investigar fake news envolvendo candidatos

60 2

A Polícia Federal (PF) instaurou hoje (20) inquérito para investigar a disseminação de mensagens pelo WhatsApp referentes aos candidatos à Presidência da República.

O pedido de abertura de investigação foi feito pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Ela quer que a PF apure o possível uso de esquema profissional por parte das campanhas, com o propósito de propagar notícias falsas, as chamadas fake news.

Esta semana, jornais publicaram matérias segundo as quais empresas de marketing digital, custeadas por empresários que apoiam o candidato à Presidência, Jair Bolsonaro, estariam disseminando conteúdo em milhares de grupos do aplicativo.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também abriu processo, depois de ação ajuizada pela candidatura de Fernando Haddad (PT) na quinta-feira (18).

Ao rebater as acusações, pelo Twitter, Jair Bolsonaro afirmou que não tem controle sobre apoios voluntários e afirmou que o PT não está sendo prejudicado por fake news, mas pela “verdade”.

As matérias dos jornais apontaram uma rede de empresas contratadas para efetuar os disparos em massa.

Os contratos, que chegariam a R$ 12 milhões, seriam bancados por empresários próximos ao candidato.

Para a procuradora Raquel Dodge, o quadro de possível interferência na formação de opinião dos eleitores com atuação dessas empresas com mensagens que podem caracterizar ofensas aos dois candidatos “afronta a integridade do processo eleitoral”.

(Agência Brasil)

Menos ruim – Cid Gomes diz que é preciso pensar no País

“Quem morre de véspera é peru”, disse o senador eleito Cid Gomes, neste sábado (20), em Sobral, na Região Norte do Ceará, ao sugerir a candidatura do petista Haddad neste segundo turno. Ao destacar que se tratava de uma opinião própria, Cid Gomes afirmou que é necessário escolher o “menos ruim” para o Brasil.

O senador eleito destacou que o projeto continua sendo “Ciro Presidente”, já para as eleições de 2022.

Nesta semana, Cid Gomes se envolveu em polêmica, ao afirmar em encontro de apoio a Haddad que a eleição estaria perdida para o PT, diante do partido teimar em não assumir erros nos governos Lula e Dilma.

(Foto: Reprodução)

Soldadinho de araque – Haddad rebaixa patente do capitão Bolsonaro

De capitão da reserva do Exército Brasileiro a “soldadinho de araque”. A redução de patente do capitão Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República, foi feita neste sábado (20), em Fortaleza, pelo candidato petista Fernando Haddad, ao afirmar que o capitão não teria coragem de desafiá-lo pessoalmente.

“(Bolsonaro) não está preparado para presidir a República e não vai presidi-la”, ressaltou Haddad.

“Vem falar da minha família na minha cara, vem falar dos meu bens”, reclamou Haddad, ao chamar Bolsonaro “pros paus”.

(Fotos: Facebook de leitores do Blog)

Professora é detida em Sobral por injúria racial contra eleitor de Bolsonaro

Uma professora foi presa na madrugada deste sábado (20), em Sobral, na Região Norte do Ceará, e 222 quilômetros de Fortaleza, por injúria racial contra um eleitor do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro.

Segundo a ocorrência registrada na delegacia regional, a acusada teria se irritado com a manifestação política da vítima, durante uma seresta em um bar no Centro. De acordo ainda com a ocorrência policial, a mulher teria discutido com o homem e o teria chamado de “preto e pobre”.

Após a acusada, a vítima e testemunhas serem ouvidas, a mulher foi autuada por injúria racial e detida. No fim desta manhã, a professora municipal pagou fiança de R$ 1 mil e foi liberada.

Haddad diz que Bolsonaro troca debate por fake news

Em caminhada na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, neste sábado (20), o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, disse que o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, troca o debate pela propagação de fake news nas redes sociais.

Segundo Haddad, Bolsonaro estaria fugindo aos debates “pela falta de coragem que o candidato tem de não falar sobre as mentiras espalhadas por fake news”.

Haddad estave acompanhado do governador Camilo Santana, da vice-governadora Izolda Cela, da presidente nacional do partido Gleisi Hoffmann, do candidato do Psol Guilherme Boulos, além do deputado federal reeleito José Guimarães, do deputado estadual eleito Acrísio Sena, do vereador Guilherme Sampaio e do ex-deputado federal João Alfredo.

(Fotos: Divulgação)

Fake news, WhatsApp e a nossa liberdade

47 1

Em artigo no O POVO deste sábado (20), a jornalista Letícia Alves aponta o aplicativo WhatsApp como um dos principais meios de propagação de boato nestas eleições. Confira:

WhatsApp é o assunto do momento. Começou lá atrás, quando, no início deste ano, veículos da imprensa tradicional e páginas independentes (ou nem tanto) começaram a se organizar para combater a já esperada onda de “fake news” que viria na campanha. A tal onda chegou, e o app de mensagens instantâneas se consolidou como um dos principais meios de propagação de boatos.

Diferentemente do Facebook e do Twitter, onde muito absurdo é compartilhado, o que chega no WhatsApp não tem dono. É uma rede fechada, praticamente impossível de monitorar, onde as pessoas se comunicam em grupos da família, trabalho, faculdade, futebol, salão de beleza etc e além. O ambiente é propício para espalhar informações de todo tipo – falsas e verdadeiras. A própria imprensa tradicional utiliza o app para divulgar notícias.

As acusações de que a campanha do presidenciável Bolsonaro (PSL) estaria usando dinheiro de empresas para comprar pacotes de disparos de fake news via WhatsApp, no intuito de difamar o seu adversário Haddad (PT), são graves. Tão graves que, penso eu, deveriam ter sido feitas com base em informações que fossem além do “a reportagem apurou” – o ônus da prova é de quem acusa, afinal.

Evidentemente que, se o esquema for confirmado, os envolvidos devem ser punidos. É necessário esclarecer, no entanto, que o WhatsApp não é o vilão dessa história. Eu sei que esta é uma afirmação óbvia, mas tem gente que não entendeu.

O Psol chegou a pedir ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a restrição de ferramentas ou a suspensão total do aplicativo até as eleições. Eu mesma, que tenho dedicado meus dias a esclarecer boatos, achei que essa notícia era “fake news”. Não era, e o partido acabou voltando atrás, mas esse rompante é sintomático: vale tudo para combater as informações falsas, até mesmo interferir na liberdade das pessoas?

Há alguns dias, o Haddad chegou a sugerir que, se as pessoas “desligassem” o app por uns dias, o Bolsonaro “desapareceria”. Ora, parece-me simplório demais atribuir a força de uma campanha que vem sendo construída há anos a conversas de WhatsApp. É inegável, porém, que são essas mesmas conversas que podem derrubar uma candidatura se novos fatos sobre o caso forem descobertos. Diante desse cenário, o brasileiro pede por esclarecimentos, justiça e, principalmente, para que deixem seu WhatsApp (e sua liberdade) em paz.

Letícia Alves

Jornalista do O POVO

O que fazer quando o policial mata?

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (20), pelo jornalista Érico Firmo:

O programa Debates do Povo, na rádio O POVO CBN, tem cumprido papel de trazer a discussão que não existe entre os candidatos a presidente. Por toda a semana, foram discutidas as propostas para educação, segurança pública, economia, saúde e direitos humanos. Os debatedores eram defensores das propostas de cada candidato.

Ontem, o debate reuniu o vereador Soldado Noélio (Pros), deputado estadual eleito e apoiador de Jair Bolsonaro (PSL), e o deputado estadual reeleito Renato Roseno (Psol), que apoia Fernando Haddad (PT) neste segundo turno. Em dado momento, a discussão enveredou para uma das questões mais complicadas propostas nesta campanha: uma espécie de licença para os policiais matarem sem terem de responder por isso.

Bolsonaro ecoa ideia recorrente. E perigosa. Colocando as coisas no lugar: Polícia é profissão de extremo risco e, quando em perigo, o policial tem não apenas direito, como precisa se defender. Não deve esperar o criminoso atirar primeiro. Não precisa dar a chance de ser morto antes de se defender. Isso é o mínimo de garantia que se precisa dar a um agente público.

O que não significa que mortes em abordagens policiais não devam ser averiguadas. É preciso saber se não houve despreparo, se não houve excesso. Se a morte não foi em vão. Essa investigação não pode ter pressuposto de culpa. Deve ser criteriosa e justa. Não dá é para dizer: mata livremente e sem se preocupar, que a situação não será nem mesmo examinada. Isso não interessa a policiais corretos, que agem dentro da lei, que não abusam de suas prerrogativas. Isso interessa àqueles, dentro da Polícia, que agem como criminosos e se tornam bandidos. Que acham que estão acima da lei e, no lugar de se tornar agentes de segurança, são agentes da violência.

O deputado eleito Soldado Noélio disse que policiais estão morrendo por deixarem de atirar, com medo de punição. Se isso ocorre, é absurdo. Não se pode ter policiais amedrontados, sentindo-se ameaçados. Porém, desconheço tal situação, ao menos no Ceará.

Foram assassinados este ano nove policiais no Estado. Sabe quantos estavam em abordagem? Zero. Nenhum. O único que foi considerado morto em serviço se deslocava do trabalho para casa.

Uma dessas nove mortes ocorreu em 28 de agosto, quando cabo da PM correu em direção de colegas para pedir ajuda, após reagir a assalto. Porém, eles acreditaram se tratar de criminoso e mataram o cabo. Teve mais. Em 11 de junho, estudante universitária foi morta por policiais, na avenida Washington Soares, quando o carro no qual estava com a filha teria sido confundido com veículo roubado. Em agosto, jogador de sinuca foi morto por policiais, supostamente porque o taco teria sido confundido com arma. Nesta semana, O POVO mostrou que partiu da arma de um policial a bala que matou operador de call center em maio. Ele estava parado no cruzamento quando uma perseguição policial passou por ele.

Alguém acha mesmo que os responsáveis por esses desastres, essas trapalhadas trágicas, não deve nem ser chamado a esclarecer o assunto? Essas mortes devem ficar por isso mesmo?

Outubro Rosa – Clínica faz consulta pela metade do preço e promove doação de 100 mamografias

A Clínica SiM promove neste sábado (20) um dia de consultas ginecológicas pela metade do preço com exame de prevenção por R$ 65, cada pessoa. Serão 150 pessoas atendidas pela manhã e tarde com distribuição de senhas por ordem de chegada na unidade de Fátima ao lado do Jornal O Povo.

A ação faz parte da campanha Outubro Rosa SIM, que a rede realiza durante este mês.

A campanha possui ainda ações online para doação de 100 mamografias e a participação na Caminhada Rosa, que acontece na tarde deste domingo(21), na Avenida Beira Mar. Outras informações pelo whatsapp: (85) 98165-8886.

Mega-Sena tem prêmio “pobre”… mas serve!

Sem prêmio acumulado, a Mega-Sena sorteia na noite deste sábado (20) a quantia de R$ 3 milhões, de acordo com estimativa da Caixa Econômica Federal. As apostas podem ser feitas até as 19 horas, ao preço mínimo de R$ 3,50.

Já a Quina deverá pagar uma premiação de R$ 1,3 milhão, segundo ainda a estimativa da Caixa Econômica Federal. A aposta mínima custa R$ 1,50. Na noite dessa sexta-feira (19), os números sorteados foram: 13 – 15 – 40 – 54 e 80.

Haddad cobra em Fortaleza providências sobre suposto financiamento para fake news

O candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, afirmou, em Fortaleza, que tem sido “o centro de calúnias” de seu adversário Jair Bolsonaro (PSL). Ele cobrou providências para que sejam conduzidas investigações sobre o suposto grupo de empresários que financiaria o envio em massa de mensagens falsas anti-PT na plataforma WhatsApp.

Haddad reclamou do que classifica como “Justiça analógica” para apurar o que chama de “tsunami cibernético”, referindo-se à avalanche de notícias falsas disseminada nesta campanha eleitoral. O assunto está em investigação e a Polícia Federal pode ser acionada para apurar.

“Esperamos que com o tranco [de anteontem, 18], essas denúncias tragam prisão preventiva de algum empresário, para que eles denunciem em delação o que que aconteceu na campanha dele”, disse aos apoiadores que o aguardavam no Comitê Cultura, na Praia de Iracema.

Na capital cearense, Haddad participou de um ato político ao lado da mulher, Ana Estela Haddad, dos deputados federais Luizianne Lins e José Guimarães, ambos do PT, e do candidato ao governo do Ceará pelo PSOL, Ailton Lopes. Ele reiterou as críticas ao adversário e ressaltou que “modéstia à parte, o Brasil precisa mais de um professor que de um miliciano”.

Na busca por angariar mais votos no Nordeste, onde o PT teve vantagem em vários estados, Haddad faz hoje (20) caminhada em Fortaleza e segue para atos organizados em Juazeiro do Norte e Crato, no Ceará.

No início da noite, o candidato segue para o Piauí, onde encontrará apoiadores na cidade de Picos, localizada a 307 km da capital, Teresina. No domingo (21), a previsão é ato em São Luís, no Maranhão.

(Agência Brasil)

Roseno cobra boas reflexões de Cid Gomes

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (20):

O senador eleito Cid Gomes (PDT) continua alvo de questionamentos, depois de ter cobrado do PT mea culpa por ter feito “muita besteira”. Sobre esse desabafo, feito por Cid quando de ato em que o governador Camilo Santana (PT) puxaria a campanha pró-Haddad neste segundo turno da disputa presidencial, o deputado estadual reeleito Renato Roseno (Psol) se manifestou a respeito.

“O Cid Gomes tem que fazer uma reflexão com ele mesmo sobre sua responsabilidade com o País”.

Isso porque, de acordo com Roseno, a peleja não é simplesmente de diferenças de ordem partidária, mas “diferenças bem mais profundas”, porque Bolsonaro é uma ameça real à democracia, enquanto Haddad abre espaço até para se fazer oposição.

Roseno engajou-se na campanha petista, embora com diferenças, reiterando que a ordem é lutar pela manutenção dos avanços sociais e direitos da classe trabalhadora.

Mulher é indiciada por disseminar notícias falsas sobre eleição

79 1

Uma mulher foi indicada pela Polícia Federal no Rio Grande do Sul por disseminar notícias falsas em redes sociais. Em um vídeo, a moça afirma que urnas eletrônicas teriam sido fraudadas e enviadas a cidades da Região Nordeste. A informação foi divulgada pela Superintendência da Polícia Federal no Rio Grande do Sul.

A mulher também acusa o governo federal como responsável por fraudar o sistema de votações das eleições deste ano. A Polícia Federal instaurou inquérito a pedido do Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-RS). Os agentes realizaram diligências para identificar a autora dos comentários enganosos.

A mulher foi enquadrada nos artigos 324 e 325 do Código Eleitoral, segundo os quais são crimes “divulgar, na propaganda, fatos que sabe inverídicos, em relação a partidos ou candidatos e capazes de exercerem influência perante o eleitorado” e “caluniar alguém, na propaganda eleitoral, ou visando fins de propaganda, imputando-lhe falsamente fato definido como crime”.

Ela pode pegar pena de 1 a 3 anos de prisão. O tempo pode ser aumentado pelo fato da mulher ter usado redes sociais para a propagação dos conteúdos.

Mensagens falsas como a que motivou a prisão foram disseminadas em todo o país. O Tribunal Superior Eleitoral criou um site para esclarecer eleitores quanto às teorias da conspiração e acusações de supostas fraudes em urnas e no conjunto do sistema de votação.

A disseminação de desinformação sobre o tema tem crescido. A presidente do TSE, ministra Rosa Weber chegou a receber ameaças. Na quarta (17), ela reuniu representantes da candidaturas para solicitar ações de desincentivo aos questionamentos.

No balanço da votação do primeiro turno, nem o TSE nem a missão internacional da Organização dos Estados Americanos (OEA), que acompanhou o pleito, identificaram indícios de fraude ou problemas que pudessem comprometer o resultado.

(Agência Brasil)

Dodge diz ao Supremo que Lula não pode conceder entrevistas na prisão

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o pedido feito pelos jornalistas Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, e Florestan Fernandes para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conceda entrevistas dentro da prisão.

No parecer, a procuradora defendeu a liberdade de expressão e de imprensa, mas ressaltou que, em algumas situações, há a possibilidade de proibir que presos concedam entrevistas.

Para Dodge, entre as finalidades da condenação de presos está o objetivo de cumprimento da pena “com discrição e sobriedade”. “O fato é que ele [Lula] é um detento em pleno cumprimento de pena e não um comentarista de política”, disse a procuradora.

“Conclui-se que a proibição de que Luiz Inácio Lula da Silva conceda entrevistas em áudio e/ou vídeo, apesar de ser restritiva da sua liberdade de expressão, é medida proporcional e adequada a garantir que as finalidades da pena a ele imposta sejam concretizadas, sendo, portanto, compatível com a ordem jurídica do país”, disse.

No início do mês, uma guerra de decisões liminares sobre os pedidos terminou com a decisão do presidente do STF, Dias Toffoli, que impediu a concessão das entrevistas.

Desde 7 de abril, Lula cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão em Curitiba, imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP).

(Agência Brasil)

Goiás é derrotado em Maceió e pode se distanciar da briga pelo título da Série B

Com gols no segundo tempo, o CRB venceu o Goiás, por 2 a 0, na noite desta sexta-feira (19), no estádio Rei Pelé, em Maceió, a sete rodadas para o final da competição. Iago e Luiz Otávio marcaram os gols.

Com o resultado o CRB deixou a zona de rebaixamento, enquanto o vice-líder Goiás, com 53 pontos – quatro a menos que o líder Fortaleza -, se distancia da briga pelo título da Série B. Na noite deste sábado (20), o Fortaleza joga em casa, diante do Paysandu, quando poderá ampliar a vantagem na liderança.

(Foto: Reprodução)