Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Cagece suspende fornecimento de água nesta quarta-feira em 25 bairros

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) anuncia: o fornecimento de água vai ser suspensão das 6 às 18 horas de quarta-feira em 25 bairros de Fortaleza. Isso para que a empresa realiza serviço no sistema.

O objetivo é substituir uma válvula de 600 milímetros, intervenção que, segundo a Cagece, deverá melhorar a distribuição de água nos bairros atendidos.

Confira os bairros afetados:

Alagadiço

Álvaro Weyne

Amadeu Furtado

Antônio Bezerra

Barra do Ceará

Bela Vista

Carlito Pamplona

Cristo Redentor

Demócrito Rocha

Farias Brito

Floresta

Jacarecanga

Jardim Guanabara

Jardim Iracema

Monte Castelo

Padre Andrade

Panamericano

Parque Araxá

Parquelândia

Pirambu

Presidente Kennedy

Quintino Cunha

São Gerardo

Vila Ellery

Vila Velha

SERVIÇO

*Reclamações ou solicitações podem ser feitos pelo telefone 0800 275 0195, o aplicativo Cagece Mobile (disponível para Android e iOS) ou por meio Gesse, a assistente virtual da companhia, que atende pelo site www.cagece.com.br.

PGR denuncia Roberto Jefferson e Cristiane Brasil ao Supremo

A procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge, denunciou hoje (27) ao Supremo Tribunal Federal (STF) 26 investigados por suspeita de fraudes no Ministério do Trabalho envolvendo a concessão de falsos registros sindicais. Entre os denunciados pelo crime de organização criminosa estão o ex-ministro do Trabalho Helton Yomura, o ex-deputado Roberto Jefferson e a filha dele, deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ).

Os fatos foram investigados na Operação Registro Espúrio, da Polícia Federal, deflagrada há um ano, a partir de denúncia sobre concessão de falsos registros sindicais. Ao pedir que os acusados se tornem réus, Raquel Dodge afirmou que eles participaram do esquema de corrupção que consistia na cobrança de vantagens indevidas em troca da concessão do registro de entidades sindicais.

“Os elementos probatórios reunidos no inquérito indicaram que representantes das entidades sindicais ingressam no esquema criminoso em razão da burocracia existente na Secretaria de Relações do Trabalho, que dificulta – e muitas vezes impede – a obtenção de registro àqueles que se recusam a ofertar a contrapartida ilícita que lhes era exigidas”, argumentou Raquel Dodge.

Na denúncia, a procuradora também pediu ao STF que os acusados percam os cargos públicos e sejam condenados ao pagamento de R$ 8 milhões em danos morais e materiais pelos delitos. Os deputados Nelson Marquezelli (PTB-SP), Jovair Arantes (PTB-PB), Paulinho da Força (SD-SP) e Wilson Filho (PTB-PB) também foram denunciados.

A denúncia será analisada pelo ministro Edson Fachin, relator da investigação, e será julgada pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal. A data do julgamento ainda não foi marcada.

Defesa de Cristiane

Em nota, a defesa de Cristiane Brasil afirmou que as acusações à deputada foram feitas sem provas e com objetivo de “criar um fato contra políticos”.

“A Polícia Federal e o Ministério Público insistem em tratar pedidos políticos comuns a todos os parlamentares, de todos os partidos, em todos os ministérios como crime. Crime é acusar sem provas, como fazem a PF e o Ministério Público, com objetivos puramente político-partidários. A deputada provará sua inocência mais uma vez, como já o fez em outras ocasiões, com a consciência tranquila de que nada fez de errado.”, diz a defesa de Cristine.

A Agência Brasil busca contato com os demais denunciados.

(Agência Brasil)

Queiroz Filho, candidato apoiado por Roberto Cláudio para a Assembleia Legislativa, vai inaugurar comitê

Camilo, Queiroz e o prefeito.

O governador Camilo Santana (PT), o candidato ao Senado, Cid Gomes (PDT), e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, prestigiarão, a partir das 19 horas desta segunda-feira, o ato de inauguração do comitê do candidato a deputado estadual Queiroz Filho, ou simplesmente, Queiroz.

Vai ser na casa de shows Faroeste, no bairro Coaçu, com expectativa de atrair muitos apoiadores. É que Queiroz, além de ter sido o chefe de gabinete de Roberto Cláudio, é apontado como o postulante do prefeito para a Assembleia e, até mesmo, nome forte para disputar, em 2020, a Prefeitura.

(Foto – Divulgação)

Crise em Roraima – Romero Jucá entrega a liderança do Governo no Senado

O senador Romero Jucá (MDB-RR) anunciou que está deixando a liderança do governo após desentendimentos com o Palácio do Planalto sobre as respostas que têm sido dadas à crise de Roraima, após a imigração de venezuelanos que chegam ao Brasil pelo estado. Por meio do Twitter, ele disse que já comunicou a decisão ao presidente Michel Temer.

“Acabo de comunicar ao presidente Michel Temer que deixo a Liderança do Governo por discordar da forma como o governo federal está tratando a questão dos venezuelanos em Roraima”, escreveu na rede social.

Na semana passada, Jucá esteve no Planalto onde participou de uma reunião sobre o assunto e sugeriu que o governo fechasse temporariamente a fronteira do estado. O objetivo, segundo ele, era evitar que Roraima entrasse em um “colapso”. Desde antes, o Planalto já emitia sinais de que não limitaria a entrada de estrangeiros no país por questões humanitárias e de acordos com outros países.

Senador e candidato à reeleição pelo estado, Romero Jucá ocupava a liderança do governo no Senado desde 2016. Até o momento, o Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o assunto nem confirmou o teor da conversa entre Temer e o senador.

(Agência Brasil)

General Theophilo participa na TV Ceará da série de entrevistas com candidatos ao Governo

O governador Camilo Santana (PT) não foi ao primeiro debate entre os candidatos ao Governo do Estado, realizado pela TV Jangadeiro, emissora que integra o grupo econômico do senador tucano Tasso Jereissati. Camilo justificou, na ocasião, a assinatura de contrato com o BNDES em favor do projeto Metrofor.

Bem, o candidato a governador pelo PSDB, General Theophilo, faz questão de avisar que estará sendo entrevistado, nesta segunda-feira, a partir das 19h30min, na TV Ceará. A emissora pertence ao Governo do Estado.

A entrevista será ao vivo e integra um ciclo com todos os postulantes ao Palácio da Abolição.

(Foto – Jarbas Oliveira)

Ibope – Pesquisa diz que eleitor cearense está satisfeito

718 3

Pesquisa feita pelo Ibope constatou: a soma dos eleitores que se declaram “insatisfeitos” ou “muito insatisfeitos” com sua vida atual é numericamente maior (quando desconsiderada a margem de erro) nos estados do Rio de Janeiro (40%), Amazonas (40%), Roraima (39%), Bahia (38%), Amapá e São Paulo (ambos com 35%). Essa pesquisa foi realizada no mês de agosto com eleitores em 25 Estados do país e no Distrito Federal, informa o Portal G1.

Em todos os Estados e no DF, mais da metade dos eleitores ouvidos se declaram “satisfeitos”, mesmo se considerada a margem de erro (de 3 pontos percentuais para mais ou para menos). Numericamente, o maior valor de eleitores que se declaram “satisfeitos” é no Ceará (69%) e o menor no Rio de Janeiro e no Amazonas (53%).

Com a soma das categorias “satisfeito” e “muito satisfeito”, os estados onde os eleitores numericamente declaram maior satisfação são Ceará (77%), Piauí (73%), Paraíba e Alagoas (72%), e Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Maranhão e Paraná (71%).

Nas pesquisas, o Ibope questionou aos eleitores com a pergunta: “Como o(a) senhor(a) diria que se sente com relação à vida que vem levando hoje?”. As cinco respostas possíveis eram “muito satisfeito”, “satisfeito”, “insatisfeito”, “muito insatisfeito”, “não sabe / não respondeu”.

*Dado sobre o Ceará

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 69%
Insatisfeito: 18%
Muito Insatisfeito: 4%
Não sabe / Não respondeu: 1%

*Confira os resultados em cada estado aqui.

Eleições 2018 – Governo e TRE vão criar grupo para avaliar necessidade da convocação de tropa federal

O governador Camilo Santana (PT) esteve reunido nesta segunda-feira, no Palácio da Abolição, com a presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargadora Maria Naílde Pinheiro Nogueira, e representantes do órgão. O assunto foi a necessidade ou não do pedido de tropas federais para reforçar a segurança das eleições no Estado.

“Ouvi a demanda do TRE sobre a recomendação de que seja solicitado apoio federal para reforço na segurança de cinco municípios durante as eleições. Alinhamos que, nos próximos dias, será realizada uma reunião entre os órgãos de segurança do Estado e o TRE para que seja apresentado o plano de segurança do Ceará para as eleições 2018”, disse Camilo, após o encontro,, em postagem na sua página de Facebook.

Ele adiantou que, a partir daí, será avaliada “a necessidade de uma cooperação maior entre os órgãos de segurança estadual e federal”. O governador reiterou confiar “plenamente nas forças de segurança do nosso estado, que não têm medido esforços para garantir a segurança dos irmãos e irmãs cearenses.”

(Foto -Facebook do Governador)

Índice de Confiança da Construção registra queda em agosto

O Índice de Confiança da Construção (ICST) caiu 1,6 ponto em agosto, atingindo 79,4 pontos. O resultado reverteu a alta de 1,7 de julho e atingiu o mesmo patamar de agosto de 2017. Os dados relativos ao indicador foram divulgados hoje (27), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre FGV). Eles indicam que, quando se leva em consideração as médias móveis trimestrais, o índice variou em agosto menos 1 ponto.

Para a economista Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos da FGV, a queda reverte uma tendência de melhora do indicador, que chegou a ser vislumbrada pelas empresas do setor. “Em apenas três meses, o Índice de Expectativas retrocedeu ao patamar de agosto do ano passado. O resultado sugere uma piora mais definitiva no cenário de retomada vislumbrado anteriormente pelas empresas da construção”, disse.

Para ela, a se manter, essa reversão de tendência deixaria a atividade em nível historicamente muito baixo. “Embora a percepção em relação aos negócios no momento corrente tenha melhorado nos últimos 12 meses, uma reversão desse movimento [se concretizada] ainda deixaria a atividade em níveis historicamente muito baixos”, observou.

Expectativas

A queda do Índice de Confiança da Construção em agosto foi, segundo a FGV, “exclusivamente influenciada pela piora das expectativas referentes aos negócios no curto prazo”, com o Índice de Expectativas (IE-CST) recuando 3,5 pontos e atingindo 87,5 pontos – o menor nível desde julho do ano passado, quando fechou em 85,0 pontos.

A queda do Índice de Expectativa foi influenciada por dois quesitos: o indicador demanda prevista, que caiu 3,2 pontos, e o indicador tendência dos negócios, com retração de 3,7 pontos.

Os dados da FGV indicam ainda que o Índice de Situação Atual (ISA-CST) variou 0,3 ponto em agosto, para 71,7 pontos, registrando a terceira alta seguida.

“A alta foi influenciada pela ligeira melhora da percepção atual dos negócios, que subiu 0,6 ponto, uma vez que o quesito que mede a percepção atual sobre a carteira de contratos se manteve estável em agosto”, afirmou Ana Maria. O Nível de Utilização da Capacidade do setor (Nuci) caiu 0,5% ponto percentual indo para 65,0%.

Demanda Prevista

A avaliação da FGV é que a queda expressiva do indicador de demanda prevista em agosto “afetou a confiança empresarial”. Segundo a fundação, o movimento foi determinado pelas empresas de edificações, que vinham registrando percepção mais favorável em relação ao quesito.

Essa percepção se alterou: o indicador que avalia demanda prevista para os próximos três meses recuou 4,1 pontos para as empresas de edificações, resultado superior ao observado para o setor da construção (-3,2 pontos).

“É possível que a mudança esteja relacionada ao aumento das incertezas dos últimos meses, mas não permite ainda apontar uma reversão da melhora do mercado registrada desde o ano passado”, disse Ana Maria. A edição de agosto de 2018 coletou informações de 639 empresas entre os dias 1 e 22 deste mês.

(Agência Brasil)

Especial Anuário do Ceará estréia nesta segunda-feira na TV O POVO

O Especial Anuário do Ceará começa a ser exibido hoje, na TV O POVO, e segue até 17 de setembro, às 19 horas. São 16 programas de entrevistas, abordando temas relacionados ao Estado e estarão disponíveis no YouTube da TV O POVO e no site www.anuariodoceara.com.br.

Publicação mais antiga em circulação do Estado, o Anuário do Ceará 2018-2019 apresenta em 11 capítulos informações econômicas, políticas, sociais, geográficas e culturais do Estado.

De acordo com o editor-geral e apresentador do Especial Anuário do Ceará, Jocélio Leal, o projeto da TV O POVO trabalha o conceito de multiplataforma e traz personagens que discutem temas que estão no Anuário.

Alguns dos entrevistados do programa foram Acilon Gonçalves, prefeito do Eusébio, município com o melhor Índice Comparativo de Gestão Municipal (ICGM); Cláudio Pinho, prefeito de São Gonçalo do Amarante, terceiro município colocado no ICGM; além do secretário do Planejamento e Gestão do Estado, Maia Júnior, discutindo sobre políticas públicas para o equilíbrio fiscal das contas estatais; e a presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, Nailde Pinheiro.

“Porque ele (Anuário) não é apenas um compilador de dados, ele é cada vez mais um produto que discute os dados, que não se limita a listá-los, a compilá-los. O Anuário procura discutir, e assim promovendo a reflexão, contribui para a economia, para a cultura, enfim, para o desenvolvimento do Ceará”, complementa Joelma Leal, editora-executiva do Anuário do Cerá.

SERVIÇO

*De hoje a 17 de setembro –

*Horário: de segunda à sexta, das 19 às 19h30min: TV O POVO: 48.1 (TV Aberta), 23 (Multiplay) e 24 (NET)

(Repórter Cristina Brito/Foto – Divulgação)

Torcidas do Ceará e do Fortaleza são destaque no Brasileirão

Com o título “A força perene das torcidas cearenses”, eis artigo do jornalista Fernando Graziani, do O POVO. Ele destaca a paixão dos torcedores do Ceará e do Fortaleza que, neste campeonato brasileiro, destacam-se pela boa presença nos jogos. Confira:

Os torcedores de Ceará e Fortaleza têm marcado presença relevante nas partidas do Campeonato Brasileiro edição 2018. No ranking de público da Série A, o Alvinegro aparece na sétima colocação, atrás apenas de Flamengo, São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Internacional e Grêmio, clubes de estados com poder econômico superior. Já o Tricolor lidera a Série B com bastante folga, ambos com médias superiores a 20 mil pagantes.

Com 10 jogos realizados como mandante na primeira divisão, o Ceará registrou 212.147 pagantes em suas partidas, realizadas no Presidente Vargas e no Castelão. É a sétima melhor média da primeira divisão, com 21.214 pagantes por partida. A renda bruta gerada até agora foi de R$ 4.098.048,00, com R$ 19,32 de ticket médio.

Já o Fortaleza mandou 11 partidas na Segundona (sem contar a partida de sábado passado, diante do Londrina), todas no Castelão, contabilizando média de 22.426 pagantes por encontro. Foram 246.687 pessoas que pagaram ingressos, gerando uma renda bruta de R$ 2.695.972,00, com valor de ticket médio de R$ 10,93.

Juntos, apenas levando em conta bilheteria, sem contar as verbas de sócios-torcedores que pagam antecipadamente e têm gerado receitas mensais que chegam a R$ 500 mil mensais para cada um dos clubes, Ceará e Fortaleza arrecadaram R$ 6.794.020,00 para um público pagante de 458.834 nos 21 jogos. É um faturamento digno de empresas de bom porte.

Na comparação com o ano passado, quando estavam em divisões diferentes, o Ceará, nos 19 jogos que fez na Série B, somou 390.551 pagantes e arrecadou R$ 6.761.557,00. Já o Fortaleza, em 12 partidas na Série C, reuniu 218.099 pagantes para rendas que somaram R$ 4.215.691,00.

E um dado que impressiona: levando em conta os 21 jogos realizados pelo Campeonato Brasileiro em 2018 e mais os 31 de 2017, o público total de pagantes é de mais de um milhão de pessoas. Para ser mais exato, 1.067.484. Imagine se fatores como violência e falta de transporte público ideal fossem minimizados. Teríamos, então, um aumento considerável de público nos estádios, com ainda mais receita, ambiente favorável e clubes mais fortes.

Fernando Graziani

fernandograziani@opovo.com.br

Jornalista do O POVO

Recomendadas para você

Caixa antecipa crédito do FGTS a 90 milhões de trabalhadores

Os trabalhadores já podem visualizar o valor da distribuição dos rendimentos do FGTS em sua conta vinculada. A Caixa Econômica antecipou esse crédito para o dia 26 de agosto. A finalização da ação estava prevista inicialmente para o próximo dia 31 de agosto. Com isso, todos os 90,72 milhões de trabalhadores beneficiados já tiveram creditados esses valores em mais de 258 milhões de contas vinculadas. A informação é da assessoria de imprensa da Instituição.

Conforme a Lei 13.446/2017, o percentual de distribuição de resultados do FGTS é de 50% do lucro líquido do exercício anterior. Como o lucro líquido do FGTS em 2017 foi de R$ 12,46 bilhões, foram distribuídos R$ 6,23 bilhões. A Lei estabelece que os valores creditados nas contas dos trabalhadores sejam proporcionais ao saldo da conta vinculada apurada no dia 31 de dezembro do ano anterior. O resultado distribuído não integra o saldo da base de cálculo do depósito da multa rescisória, medida que preserva também o empregador.

“Com a distribuição desses resultados, o FGTS atinge índices superiores à inflação e permite um melhor rendimento da conta vinculada, sem afetar a sua capacidade de investimento, que é fundamental para o desenvolvimento do Brasil, principalmente os financiamentos dos mutuários da casa própria”, comenta o vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da CAIXA, Valter Nunes. A distribuição de resultados do FGTS elevou a rentabilidade das contas do Fundo, nesse ano, que passou de 3,8% a.a. (3% a.a. + TR) para 5,59% a.a.

Tanto em 2016 como em 2017, a distribuição de resultados do FGTS levou o índice de atualização do Fundo a patamares superiores ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e ao Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC).

A iniciativa de melhoria da rentabilidade das contas do FGTS, por meio da distribuição de resultados, atende a uma reivindicação antiga dos trabalhadores brasileiros, sem comprometer a sustentabilidade do FGTS.

SERVIÇO

*Para facilitar o atendimento ao trabalhador que tem direito ao benefício, a CAIXA criou um serviço exclusivo no site www.resultadosfgts.caixa.gov.br. Outra opção de atendimento aos trabalhadores é o próprio site da caixa (www.caixa.gov.br), o APP FGTS ou ainda através de cadastro e recebimento dos valores por meio do SMS FGTS.

*Saques das contas do FGTS
Os trabalhadores poderão sacar os valores de crédito da distribuição de resultados de acordo com as regras estabelecidas pela Lei 8.036/90, como nos casos de demissão sem justa causa, aposentadoria, e término de contrato por prazo determinado, dentre outros.

Jornalista Fernando Maia será agraciado com a Medalha Boticário Ferreira

O jornalista Fernando Maia, colunista de Política do O Estado e que tem programa na Rádio Assunção AM, além de uma carreira profissional com mais de 40 anos de batente, vai receber a Medalha Boticário Ferreira.

Trata-se da mais alta comenda da Câmara Municipal de Fortaleza. A sessão solene ocorrerá nessa Casa a partir das 19 horas desta segunda-feira.

Fernando, com quem trabalhamos na Rádio Uirapuru e no O POVO, merece a homenagem. É um profissional que, diariamente, circula pelos bastidores dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário.

(Foto – Divulgação)

Ariosto Holanda lança livro que apregoa educação para o trabalho

O ex-deputado federal Ariosto Holanda lançará nesta segunda-feira, às 19 horas, no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), o livro ” Desafios do Século XXI – Desenvolvimento Humano e Energia.”

A publicação, mais uma de Ariosto, é dedicada à educação como saída para toda sociedade que pense em promover justiça social. Ariosto sempre apregoa a necessidade de se investir nessa área e de capacitar o homem para o trabalho.

Ariosto não disputa mais mandato, o que é uma pena.

(Foto – Paulo MOska)

Dívida pública cai 0,14% e chega a R$ 3,748 trilhões em julho

A Dívida Pública Federal (DPF) – que inclui o endividamento interno e externo do Brasil – teve redução de 0,14% e passou de R$ 3,754 trilhões em junho para R$ 3,748 trilhões em julho, segundo dados divulgados hoje (27) pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda.

A queda da dívida, de acordo com o Tesouro, ocorreu devido ao resgate líquido de títulos, no valor de R$ 32,51 bilhões, descontado parcialmente pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 27,50 bilhões. Segundo o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública do Tesouro, Luis Felipe Vital, um resgate líquido no primeiro mês do trimestre é algo esperado. Em julho de 2017, por exemplo, a dívida teve um resgate líquido de R$ 33,9 bilhões.

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) – em circulação no mercado nacional, que é a parte da dívida pública que pode ser paga em reais – teve o estoque ampliado em 0,01%, ao passar de R$ 3,607,31 trilhões para R$ 3,607,56 trilhões, devido a apropriação positiva de juros, no valor de R$ 30,26 bilhões, compensada, em parte, pelo resgate líquido, no valor de R$ 29,76 bilhões.

A apropriação de juros representa o reconhecimento gradual das taxas que corrigem os juros da dívida pública. As taxas são incorporadas mês a mês ao estoque da dívida, conforme o indexador de cada papel. O estoque da Dívida Pública Federal externa (DPFe), captada do mercado internacional, teve redução de 3,75% sobre o estoque apurado em junho, encerrando o mês de julho em R$ 141,28 bilhões (US$ 37,63 bilhões), sendo R$ 128,19 bilhões (US$ 34,14 bilhões) referentes à dívida mobiliária e R$ 13,09 bilhões (US$ 3,49 bilhões), à dívida contratual.

A DPF continua abaixo das previsões do Tesouro. De acordo com o Plano Anual de Financiamento, divulgado no fim de janeiro, a tendência é que o estoque da DPF encerre o ano entre R$ 3,78 trilhões e R$ 3,98 trilhões. Por meio da dívida pública, o governo pega recursos emprestados dos investidores para honrar compromissos. Em troca, compromete-se a devolver o dinheiro com alguma correção, que pode ser definida com antecedência, no caso dos títulos prefixados, ou seguir a variação da taxa Selic, da inflação ou do câmbio.

Detentores da dívida

A variação do endividamento do Tesouro pode ocorrer por meio da oferta de títulos públicos em leilões pela internet (Tesouro Direto) ou pela emissão direta. Além disso, pode ocorrer assinatura de contratos de empréstimo para o Tesouro, tomado de uma instituição ou de um banco de fomento, destinado a financiar o desenvolvimento de uma determinada região. Já a redução do endividamento se dá, por exemplo, pelo resgate de títulos.

Em julho, os maiores detentores da dívida pública eram os Fundos de Investimento, com 26,30% da dívida. Os Fundos de Previdência ficaram em segundo lugar, com uma participação relativa de 24,58%. O grupo Previdência apresentou variação negativa em seu estoque, passando de R$ 900,59 bilhões para R$ 886,60 bilhões, entre junho e julho.

Em seguida, estão as instituições financeiras com 22,48%, grupo que também reduziu o estoque em R$ 3,67 bilhões, chegando a R$ 811,01 bilhões. Os investidores estrangeiros concentraram 12,57% da dívida; o governo, 4,38%; as seguradoras, 3,90%; e outros, 5,79%.

Leilões

De acordo com Vital, o mês de julho marca a volta dos leilões tradicionais. Durante o período de volatilidade (fortes oscilações) no mercado financeiro, nos meses de maio e junho, o Tesouro Nacional realizou leilões extraordinários de títulos públicos.

Do total das emissões de títulos da DPMFi em julho, foram emitidos R$ 56,86 bilhões nos leilões tradicionais, R$ 1,19 bilhão relativo às vendas de títulos do Tesouro Direto e R$ 763,17 milhões relativo a emissões diretas.

Na primeira semana de julho, entretanto, ainda houve uma última atuação extraordinária, com resultado líquido de R$ 2,9 bilhões. Nos leilões de compra e venda simultâneos, foram recomprados R$ 3,57 bilhões e vendidos R$ 640 milhões.

“Durante maio e junho retiramos uma quantidade considerável de risco do mercado, o risco pré-fixado”, disse Vital, explicando que, antes de atuar, o Tesouro considera a capacidade do mercado absorver os riscos das flutuações dos preços dos títulos, ou seja, dos investidores assumirem as perdas.

Segundo o coordenador-geral, sempre que necessário, o Tesouro vai voltar a atuar. “O Tesouro tem a preocupação com o funcionamento do mercado. Sempre que se verifica liquidez, formação de preços, excesso de risco, o Tesouro faz a atuação”, disse. “Em julho, o mercado está menos exposto a risco e o tesouro tá conseguindo nos leilões tradicional alcançar o previsto para o mês”.

(Agência Brasil)

José Eduardo Cardozo falará em Fortaleza sobre a crise no estado de direito

215 1

O ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, dará palestra em Fortaleza na próxima sexta-feira, 31, às 9 horas, na sede da Defensoria Pública do Estado (Bairro Luciano Cavalcante).

Ele abordará o tema “A Crise do Estado de Direito”. Ou seja, vai bater duro na prisão de Lula e defender sua candidatura a presidente.

José Eduardo chega no dia em que também aqui estará cumprindo agenda o postulante a vice de Lula, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Aliás, o Plano B do PT, no caso de Lula ter o registro barrado.

(Foto – Divulgação)

Marina Silva lidera transferência de votos de Lula

257 2

Engana-se quem pensa que Fernando Haddad é a opção principal de quem votaria em Lula, confirmada a impugnação de sua candidatura na Justiça. Em um cenário sem o ex-presidente, Marina Silva lidera a transferência de votos do petista. Pelo menos, é o que mostra um levantamento do BTG Pactual divulgado nesta segunda-feira pela Veja Online.

17% do eleitorado de Lula admite que votaria na candidata da Rede, contra 12% que iria para Fernando Haddad. Surpreendentemente, 27% dos que votariam no petista, sem ele, acabariam indo às urnas por Jair Bolsonaro (9%), Geraldo Alckmin (9%) e Ciro Gomes (9%).

Com o apoio declarado do ex-presidente ao pupilo, 18% admite que, neste caso, votaria com certeza em Haddad. 13% poderia votar e 64% não votaria de jeito algum.

A pesquisa foi realizada pelo BTG Pactual em parceria com a FSB e está registrada no TSE sob número BR-06062/2018.

(Foto – Reprodução de TV)

Senado adia esforço concentrado para a próxima semana

O Senado adiou para a semana de 4 a 6 de setembro o esforço concentrado que faria esta semana. Segundo a Secretaria-Geral da Mesa, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), quer votar matérias importantes, mas ainda pedentes de votações na Câmara dos Deputados. Entre as pendências estão três medidas provisórias.

A MP 838/18 mantém até o final do ano o subsídio ao óleo diesel negociado pelo governo com os caminhoneiros autônomos em maio, durante a greve que provocou uma crise de abastecimento. A MP, no entanto, restringe o subsídio ao diesel rodoviário, que é usado por caminhões, ônibus, caminhonetes e máquinas agrícolas.

O valor do subsídio é de R$ 0,30 por litro, e destinado aos comercializadores (produtor e importador) do combustível. O objetivo final do governo é reduzir em R$ 0,46 o preço do diesel na bomba, conforme negociado com os caminhoneiros.

Há ainda a MP 830/18, que extinguiu o Fundo Soberano do Brasil (FSB), que perde a validade em 2 de outubro. Criado em 2008 como uma reserva financeira para o país enfrentar crises econômicas, o fundo tinha, até o fim de 2017, um patrimônio de R$ 26 bilhões. O FSB também tem por finalidade promover investimentos em ativos no Brasil e no exterior e formar poupança pública. Mas o governo alega que o contexto macrofiscal do país sofreu várias alterações, tornando menos óbvios os benefícios do FSB.

Já a Medida Provisória 840/2018, que perde a vigência no dia 17 de outubro, criou 164 cargos destinados ao Ministério da Segurança Pública. A MP criou cargos em comissão do Grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) para atender a necessidades da área de segurança pública do governo.

(Agência Brasil/Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)

Governador afirma ter efetivo suficiente. Será?

Com o título “Comando da PM sonega informações sobre real efetivo”, eis o destaque desta segunda-feira da coluna do jornalista Thiago Paiva. Chega num momento em que o governador Camilo Santana (PT) não quer pedir tropas federais, como solicita o TRE, para as eleições. Confira:

“Formamos mais 1.305 policiais militares para ampliar a segurança em todo o Estado. O reforço faz parte da segunda turma da PM, aprovada no concurso lançado em 2016. A primeira turma, com 1.350 concludentes, já está atuando nas ruas, e a terceira turma segue em graduação. Esses profissionais serão integrados ao efetivo da segurança estadual. Com isso, o Governo do Ceará aumenta em 25,7% o efetivo total da corporação”.

A declaração do governador Camilo Santana (PT), em 29 de dezembro último, fazia referência à formatura dos novos soldados, cuja cerimônia havia ocorrido naquele mesmo dia, no Centro de Eventos. Uma manhã de festa. De fato, na área da Segurança Pública, em um cenário de violência urbana crescente, investir em pessoal é uma medida plausível. Difícil é saber, contudo, se a mencionada convocação representou, de fato, um acréscimo de 25,7% no efetivo da PM.

Para verificar a afirmação, e também analisar a dinâmica da evolução do efetivo das Polícias no Ceará, O POVO solicitou à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), no início do ano, dados relacionados ao tema. A demanda, porém, não foi respondida.

Na ocasião, por meio da assessoria de imprensa, a SSPDS informou que já dispunha dos dados da Polícia Civil e aguardava somente um retorno da PM, que estaria enfrentando “problemas” no sistema de recursos humanos. Foi o último retorno dado sobre a pauta.

Diante do silêncio, em 8 de março, O POVO solicitou ao Governo do Estado, com base na Lei de Acesso à Informação, detalhes sobre a evolução da tropa da PM, bem como dos agentes da Polícia Civil, entre 2006 e 2018. Pedido protocolado no portal da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE), rebatizado de “Ceará Transparente”.

Qual a evolução do efetivo das Polícias por ano, função e patente? Quantos policiais foram convocados? Quantos foram para a reserva ou aposentadoria? Quantos pediram desligamento? Quantos foram expulsos? Quantos foram afastados? Quantos estão de licença?

A demanda foi recebida em 13 de março pela SSPDS e encaminhada ao Comando-Geral da PM e à Superintendência da Polícia Civil. Entretanto, no dia 27 do mesmo mês, um parecer foi emitido no portal da CGE. O Comitê Setorial de Acesso à Informação da Polícia Militar negou acesso aos dados, classificando as informações como “sigilosas”.

A certidão negativa, de 21 de março, é assinada pelo comandante-geral adjunto, coronel Adriano de Moura, pelo assessor de desenvolvimento institucional, tenente-coronel Jano Emanuel Marinho, pela ouvidora da PM, tenente-coronel Magnólia de Lacerda Carvalho, e pelo assessor de comunicação social, coronel Andrade Mendonça.

Na mesma data, O POVO interpôs recurso, alegando que os dados solicitados não poderiam ser classificados como sigilosos. Por diversas vezes, o próprio governador recorreu aos supostos números, quando da convocação de novos servidores, para anunciar aumento no efetivo das corporações.

“Já chamei quase 1.300 homens, durante o meu Governo, entre delegados, inspetores e escrivães. Já fizemos um aumento de quase 42% no efetivo da Polícia Civil, nesses três anos e meio”, disse Camilo, há duas semanas, ao anunciar concurso para 1.496 novos agentes. O assunto também foi amplamente discutido no Estado quando da implantação da Lei de Promoções.

O processo foi remetido ao Comitê Gestor de Acesso à Informação (CGAI), que realizou duas reuniões com representantes da cúpula da PM, uma na sede da SSPDS, em 4 de abril, e outra na sede do Comando-Geral da PM, dois dias depois. Neles, os militares apresentaram os motivos pelos quais classificaram os dados como sigilosos.

Os argumentos, entretanto, não convenceram os membros do CGAI, que deferiram o recurso, no dia 10 de maio. Foi deliberado que as informações solicitadas não eram “sigilosas” e determinado que os dados, “na sua integralidade”, fossem fornecidos.

A PM deveria preparar as informações, na forma como foram solicitadas. O mesmo deveria ser feito pela Controladoria Geral de Disciplina (CGD), com relação aos servidores afastados ou expulsos. A Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) forneceria o número de policiais licenciados ou aposentados e a Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp), os policiais convocados.

Todo o levantamento deveria ser consolidado pela SSPDS e disponibilizado ao O POVO. Conforme o auditor e orientador da Célula de Informação da CGE, Antônio Paulo, o prazo legal para a resposta, após o deferimento do recurso, era de cinco dias. “A PM está desrespeitando uma decisão do Estado. O órgão que determina se a informação é ou não sigilosa é o CGAI. E ele deliberou, há muito tempo, que essa informação fosse fornecida”, destacou.

Até hoje, contudo, 110 dias se passaram e a demanda não foi respondida. Já foi demonstrado que as informações solicitadas não são sigilosas ou sensíveis. Não queremos saber a alocação ou distribuição das tropas. Buscamos informação pública. Dados que apontem a real situação dos quadros das Polícias no Estado. E enquanto a determinação não for atendida, todos os órgão envolvidos estarão em situação de flagrante desrespeito à legislação e ao próprio Estado.