Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Editorial do O POVO bate duro no reajuste de 16% dos ministros do STF

156 3

Com o título “Não são apenas 16%”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

Sob qualquer ângulo que se analise a questão, o reajuste salarial de 16,38% concedido aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) é, para dizer o mínimo, inoportuno. No limite, constitui uma irresponsabilidade.

Se aprovado pelo presidente da República, o aumento elevaria os ganhos dos magistrados da Corte de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil, gerando impacto anual de R$ 5,3 bilhões, segundo estudo sobre o Orçamento elaborado pelo próprio Senado.

O efeito, todavia, não se concentra apenas na União. O vencimento de um juiz do STF serve de parâmetro para outras categorias do funcionalismo público cujos salários avançariam na mesma proporção elástica.

É nesse ponto que o gesto dos senadores na última quarta-feira se torna ainda mais inconsequente. A maioria dos estados vive hoje uma grave crise fiscal, sem conseguir honrar compromissos básicos, como o pagamento de 13º salário. Esse abismo ganharia profundidade caso a majoração não seja vetada por Michel Temer (MDB).

Há elemento adicional a agravar essa equação, porém. As últimas eleições levaram de roldão boa parte do Congresso. Na Câmara dos Deputados, o índice de renovação foi de 51%. No Senado, o patamar foi de 85% das vagas disputadas (54).

Ora, o fato de que uma parte expressiva dos parlamentares não logrou reeleger-se não os autoriza a brincar com dinheiro público, aprovando a toque de caixa medidas que vão embaraçar sensivelmente as ações do próximo presidente.

Levado a plenário numa sessão que apanhou a todos de surpresa pela rapidez e presteza dos senadores, o reajuste não convém ao momento pelo qual o País passa, de lenta recuperação depois de sucessivos semestres patinando em recessão econômica, tampouco aos ventos de mudança que chegam inclusive ao Judiciário, cujas atitudes deveriam figurar como exemplo para os demais poderes da República.

Não é o que tem acontecido. No STF, poucos ministros se manifestaram contrariamente aos 16%. Entre eles, a ex-presidente Cármen Lúcia.

Há 13 milhões de brasileiros desempregados. Como explicar-lhes que, enquanto esperam na fila a abertura de postos de trabalho, o Senado, a menos de dois meses do Natal, presenteou servidores cujos salários ultrapassam facilmente a casa dos R$ 30 mil?

(Editorial do O POVO)

Enem tem 66 eliminados e 29,2% de ausentes no segundo dia de provas

No segundo domingo de provas, 1.610.681 estudantes faltaram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o que representa 29,2% dos 5.513.726 inscritos. O índice é maior do que o do domingo passado, que foi de 24,9%, mas é menor que as taxas registradas no segundo dia de provas em 2016 e 2017.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, afirmou ser normal o aumento de ausências no segundo dia do exame. “O número de ausências foi menor que nos últimos anos, mas é um pouco maior do que no primeiro dia, o que é normal. Às vezes, o aluno não tem o desempenho que deseja ou imagina e acaba não indo no segundo dia”, argumentou.

Neste domingo, 66 estudantes foram eliminados, a maioria por descumprimento das regras gerais do edital, como sair antes do horário permitido, usar material impresso e não atender a orientações dos fiscais. Dois foram eliminados na revista no detector de metais e por recusa na coleta dos dados biométricos.

O gabarito oficial será divulgado em 14 de novembro, juntamente com os cadernos de questões. Já o resultado deverá ser divulgado até o dia 18 de janeiro de 2019.

(Agência Brasil)

Sergio Moro diz que não disputará a presidência da República em 2022

Em entrevista exclusiva ao programa Fantástico, da Rede Globo, o futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública, o juiz federal Sérgio Moro, afirmou, nesse domingo (11), que, na avaliação dele, caso algum integrantes do primeiro escalão da gestão Jair Bolsonaro for acusado de se envolver em caso corrupção, deve ser afastado “se a denúncia for consistente”.

Responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância do Paraná até o início deste mês, o magistrado defende que, na hipótese de ministro acusado de corrupção, devem ser analisadas as eventuais provas e feito um “juízo de consistência” da denúncia.

“Se a denúncia for consistente, sim [o ministro envolvido em alguma denúncia de corrupção deve ser afastado]. […] Eu defendo que, em caso de corrupção, se analise as provas e se faça um juízo de consistência, porque também existem acusações infundadas, pessoas têm direito de defesa. Mas é possível analisar desde logo a robustez das provas e emitir um juízo de valor. Não é preciso esperar as Cortes de justiça proferirem o julgamento”, defendeu o juiz da Lava Jato.

*Veja os principais pontos do que Moro disse na entrevista:

Contou que aceitou o convite de Bolsonaro por ter a chance de implementar ‘agenda anticorrupção’
Rebateu críticas de que sua entrada no ministério pode comprometer a separação entre os três poderes
Disse que há uma ‘fantasia’ de que Lula foi ‘excluído arbitrariamente’ das eleições, e que ele ‘está preso pois cometeu crime’
Afirmou acreditar que o país vive ‘sentimento forte’ contra sistema político que não agiu contra corrupção
Defendeu que as regras atuais sobre armamento no Brasil ‘são muito restritivas para posse de arma em casa’
Disse que o combate ao crime deve se basear em investigações sólidas, isolamento de líderes e confisco de frutos dos crimes
Este combate ao crime deve ‘evitar confrontos armados’, defendeu Moro
Disse considerar razoável a afirmação de que uma pessoa de 16 a 18 anos já tem compreensão de que é errado matar
Afirmou que minorias não vão perder direitos e que governo será rigoroso contra crimes de ódio
Falou que uma eventual indicação dele ao STF só pode ser possibilidade ‘quando surgir vaga’.

*Por último, Sergio Moro disse que não vai disputar a corrida pelo Palácio do Planalto em 2022.

(Com Portal G1/Foto – Reprodução de TV)

Bolsonaro liga para Silvio Santos ao vivo e recebe elogio: “Começando acertando!”

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, surpreendeu, nesse sábado, 10, à noite o empresário Silvio Santos, que conduzia o Teleton, uma campanha do SBT em favor de ajuda financeira para a Associação Brasileira de Assistência para a Criança Brasileira (AACB). O presidente eleito ligou direto para o apresentador para pedir doações.

Por pouco mais de seis minutos, Silvio Santos conversou, por telefone ao vivo, com Bolsonaro. “Começou acertando”, disse o apresentador, ao elogiar as primeiras medidas anunciadas. Silvio desejou ainda que Bolsonaro fique por oito anos no governo e fez elogios especialmente à escolha do juiz federal Sergio Moro para o Ministério da Justiça.

“O mérito é dele (Sergio Moro), de atacar o crime organizado”, destacou o presidente eleito. “O homem que nos deu esperança de viver em um País sem corrupção ou com menos corrupção e que possa atacar o crime organizado”, acrescentou.

“Gostaria de parabenizá-lo, sei que o Brasil não é um peso leve”, disse Silvio Santos. Ele agradeceu a Bolsonaro e fez questão de dizer que não o conhece pessoalmente, mas tem uma impressão positiva sobre ele. “A impressão que eu tenho é que é um carioca risonho e brincalhão.”

Bolsonaro afirmou que tem intenção de fazer com que todos vivam bem e em harmonia no Brasil. Segundo ele, é preciso “transformar o nosso País” em um local onde todos consigam conviver mais felizes. O esforço, de acordo com Bolsonaro, é conjunto de todos aqueles que contribuem para o governo eleito.

Sílvio Santos afirmou ainda que foi a primeira vez que um presidente da República ligou para ele durante o Teleton e pediu que Bolsonaro não anunciasse publicamente o valor da sua doação.

(Agência Brasil)

Festfilmes exibe produções em cidade natal de Luiz Severiano Ribeiro

162 1

Cineastas, produtores, diretores e atores prestigiaram neste fim de semana a exibição de filmes brasileiros e portugueses, no auditório da Unilab, em Baturité, na Região Norte do Ceará, a 100 quilômetros de Fortaleza. Baturité é a cidade natal de Luiz Severiano Ribeiro (1886-1974), o Rei do Cinema.

“Baturité possui uma ligação histórica com o cinema do Ceará e do Brasil, por se tratar da cidade natal do Luiz Severiano Ribeiro”, comentou Duarte Dias, cineasta e diretor do Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro (Festfilmes), além de curador do Cineteatro São Luiz, de Fortaleza, e coordenador de política audiovisual da Secretaria da Cultura do Estado.

O Festfilmes também está fechando uma parceria com o IFCE Baturité, para a criação de um cineclube que contará com parte do acervo do festival para exibição permanente. “Assim como aconteceu no Cariri, em que teremos o Festfilmes de modo permanente através de um programa de televisão, em Baturité teremos essa exibição dos filmes de forma constante, através desse cineclube”, complementa Duarte Dias.

(Foto: Divulgação)

Reforma trabalhista completa um ano neste domingo

A reforma trabalhista completa um ano neste domingo (11). A legislação alterou mais de 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e institui novas forma de contratação, como a modalidade de trabalho intermitente e a formalização do teletrabalho.

Outras mudanças foram a demissão por meio de acordo entre empregado e patrão, formalização do teletrabalho, divisão das férias em três períodos e o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical.

Na época em que entrou em vigor, a expectativa do governo era que a reforma contribuísse para a geração de vagas de emprego e a redução da informalidade.

De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, desde que a lei passou a vigorar, foram criados mais de 372,7 mil postos de empregos formais em todo país. No mesmo período, foram registradas 47.139 contratos de trabalho intermitente, quando a remuneração é pelas horas trabalhadas.

A reforma não é um consenso e provocou questionamentos judiciais. De acordo com o TST, há 19 ações de inconstitucionalidade contra a reforma em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF), ajuizados pela Procuradoria-Geral da República, entidades que representam trabalhadores e empregadores de vários setores da economia.

Entre os pontos mais questionados está o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical. A questão já foi julgada pelo Supremo, que declarou em junho deste ano a constitucionalidade do artigo.

Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a nova lei representa uma revolução e prestigia o diálogo entre o empregado e o empregador para que definam de forma autônoma e de comum acordo as condições e rotinas de trabalho.

Já a Central Única dos Trabalhadores (CUT) avalia que a reforma trabalhista precarizou as condições de trabalho. Em nota divulgada em seu site, a entidade critica que a maioria dos postos de trabalho, criada no último ano, foi sem carteira assinada, com menos direitos e salários mais baixos.

(Agência Brasil)

Vozão se impõe em casa, busca empate e se mantém fora da zona de rebaixamento

O Ceará empatou com o Internacional, na tarde deste domingo (11), no Castelão, em 1 a 1, após sair na desvantagem no placar. Leandro Damião abriu o placar para o vice-líder do Brasileirão, após aproveitar rebatida do goleiro Éverson, enquanto Ricardinho empatou aos 42 minutos do primeiro tempo, depois de escorar a bola cruzada da esquerda na pequena área.

Com o resultado, o Ceará passou a somar 38 pontos e ocupa agora a 14ª posição, à frente do Vasco (38), Sport (37 e um jogo a menos), além dos times que compõem a zona de rebaixamento: Vitória (35), América Mineiro (34), Chapecoense (34 e um jogo a menos) e Paraná (21, já rebaixado para a Série B).

Na quarta-feira (14), o Vozão vai a Salvador para enfrentar o Bahia, que soma 41 pontos e se encontra na 11ª colocação.

(Foto: Reprodução)

Papa lembra fim da Primeira Guerra Mundial e pede que mundo invista em paz

O papa Francisco afirmou hoje (11) que a lembrança da Primeira Guerra Mundial deve ser “para sempre” uma “severa chamada” para “investir na paz”, enquanto em Paris é lembrado o centenário do armistício que colocou fim ao conflito.

“A página histórica do primeiro conflito mundial é para sempre uma severa chamada a rejeitar a cultura da guerra e a buscar todos os meios legítimos para pôr fim a todos os conflitos que ainda atingem muitas regiões do mundo”, disse após o Ângelus. “Parece que não aprendemos.”

O pontífice pronunciou estas palavras enquanto em Paris aproximadamente 70 chefes de Estado e de Governo lembram sob o Arco do Triunfo o centenário do armistício entre as potências aliadas e a Alemanha que pôs fim à Primeira Guerra Mundial em 1918.

O papa lembrou essa guerra e a qualificou como “um massacre inútil”, parafraseando seu predecessor Bento XV, cujo pontificado coincidiu com tal conflito.

“Digamos com força: Invistam na paz, não na guerra!”, exclamou Francisco desde a janela do Palácio Apostólico diante dos fiéis que escutavam na Praça de São Pedro, depois de realizar orações pelas vítimas “daquela enorme tragédia”.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Candidatos do Enem já começam a sair dos locais de prova

Passadas mais de duas horas desde o início da segunda etapa de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em mais de 1,7 mil cidades do país, estudantes já podem deixar as salas onde foram aplicadas questões de Matemática e Ciências da Natureza.

Para sair com o Caderno de Questões que pode ajudar na correção das questões, os inscritos precisam esperar os 30 minutos que antecedem o término das provas. O gabarito oficial do Enem 2018 será divulgado até 14 de novembro e a previsão é que o resultado seja publicado em 18 de janeiro de 2019.

Os portões abriram ao meio-dia e foram fechados em todo o país às 13h, horário de Brasília. Para as provas de hoje (11), os participantes têm quatro horas e trinta minutos, meia hora a mais do que na edição de 2017.

(Agência Brasil)

Vozão pode se afastar do Z4 em rodada que revive Série B do ano passado

O Ceará poderá se afastar da zona de rebaixamento, na tarde deste domingo (11), no Castelão, diante do Internacional, após beneficiado pela derrota do América Mineiro para o Paraná Clube, nesse sábado (10), por 1 a 0, em pleno estádio Independência.

Os dois confrontos reúnem as quatro equipes que conseguiram acesso à Série A, no ano passado, em temporada vencida pelo América Mineiro, seguido pelo Inter, Ceará e Paraná.

Em caso de vitória, o Ceará chegará a 40 pontos e terá que somar mais cinco, nas cinco últimas rodadas do Brasileirão.

O árbitro da partida é o paraense Dewson Fernando Freitas da Silva, da Fifa, que possui uma média de 6,4 cartões amarelos por partida neste Brasileirão.

(Foto: Arquivo)

Heitor Freire fala sobre Secretaria do Nordeste

179 1

Principal cabo eleitoral no Ceará do presidente eleito Jair Bolsonaro, o deputado federal eleito Heitor Freire (PSL), reuniu neste fim de semana, no Ideal Clube, no bairro Meireles, apoiadores da sua então candidatura à Câmara Baixa.

Após agradecer o apoio e apresentar propostas que pretende defender em Brasília, Heitor Freire falou sobre a criação de uma possível Secretaria do Nordeste, que defenderia projetos prioritários para a região. O deputado eleito não revelou, no entanto, qual ministério a secretaria ficaria vinculada.

(Foto: Divulgação)

Participantes da 2ª etapa do Revalida podem consultar locais de prova

Os médicos formados no exterior que participam do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) já podem consultar os cartões de confirmação da inscrição para a segunda etapa do processo no site do Sistema Revalida. O cartão traz informações como horário e local de prova.

Para visualizar o Cartão de Confirmação da Inscrição, é necessário acessar o sistema, clicar no botão “Acompanhe sua Inscrição” e informar CPF e senha cadastrados. Em seguida o participante deve clicar em “Visualizar dados da Inscrição” e no ícone de “check” para imprimir.

A avaliação será aplicada nos dias 17 e 18 de novembro em cinco capitais brasileiras. Nesta etapa, os participantes vão fazer uma Prova de Habilidades Clínicas, que propõe tarefas sobre investigação de história clínica, interpretação de exames complementares, formulação de hipóteses diagnósticas, demonstração de procedimentos médicos e aconselhamento a pacientes ou familiares.

Em Brasília, a prova será aplicada no Hospital Universitário de Brasília (HUB/UnB). Em Curitiba, no Hospital de Clínicas (CHC/UFPR). Em São Luís do Maranhão, no Hospital Universitário Materno Infantil (HU-UFMA). Em Manaus, no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), e, em Belo Horizonte, no Hospital das Clínicas (HC/UFMG).

O exame faz parte do processo de revalidação dos diplomas de médicos que se formaram no exterior.

O Revalida é voltado para médicos brasileiros ou estrangeiros em situação legal de residência no Brasil que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão ém território brasileiro.

Para participar da prova é preciso ter diploma médico expedido por instituição de ensino superior estrangeira, reconhecida no país de origem pelo Ministério da Educação ou órgão equivalente, e autenticado pela autoridade consular brasileira.

(Agência BRasil)

1,7 mil unidades – Roberto Cláudio vista maior empreendimento do MCMV

O prefeito Roberto Cláudio visitou nesse sábado (10) o Residencial Luiz Gonzaga, empreendimento em construção no bairro Ancuri, apontado como o maior dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida, envolvendo poder público e entidades de movimento social.

A obra prevê a entrega de 1,7 mil unidades habitacionais que deverão ser concluídas até o final deste ano. No atual estágio, as obras ultrapassam o percentual de execução de 90% e estão sendo aplicados recursos do Governo Federal, do Governo do Estado do Ceará e da Prefeitura de Fortaleza.

Segundo o prefeito Roberto Cláudio, a entrega das chaves às famílias está prevista para o primeiro semestre de 2019. “Muito provavelmente, até dezembro, teremos 100% da obra concluída. Até o fim do mês de março de 2019, nossa expectativa é de que as famílias já estejam morando em suas casas. Cada contrato é individual. A Caixa Econômica vai convocar cada morador e a associação para a assinatura dos contratos e isso segue para um contrato cartorial, retorna à Caixa para avaliação e, então, as unidades habitacionais serão entregues”, explicou.

A secretária de Habitação de Fortaleza, Olinda Marques, apontou as iniciativas intersetoriais que visam à garantia da qualidade de vida das famílias do entorno. “Estamos nos preparando para receber as famílias com dignidade. A Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado já licitaram uma Areninha, os moradores contarão com uma Escola de Tempo Integral, um Centro de Educação Infantil com duas creches e uma escola profissionalizante. Além disso, o Posto de Saúde Osmar Viana já está em funcionamento”, acrescentou.

Paralelamente, serão desenvolvidos trabalhos sociais que estimulem a integração entre as famílias. Além disso, visando à permanência e à tranquilidade dos moradores, o Governo do Estado do Ceará continuará investindo em ações voltadas à inteligência.

O Residencial Luiz Gonzaga é um exemplo para o estímulo ao cooperativismo e à participação da popular na perspectiva. O empreendimento conta com o envolvimento direto de entidades como Cearah Periferia, Habitat e Federação de Bairros de Favelas de Fortaleza.

“Além de entregar a casa própria para quem precisa, nós estamos apostando em um novo arranjo institucional, com a participação dos movimentos habitacionais, organizando a demanda, escolhendo o projeto, acompanhando a execução e administrando a entrega da obra, com o apoio político, financeiro e de gestão da Prefeitura e do Governo”, finalizou Roberto Cláudio, destacando, ainda, a importância do trabalho das construtoras envolvidas.

Durante a visita, o prefeito Roberto Cláudio anunciou que, até dezembro, será autorizada a obra do Residencial Luiz Gonzaga 2. Para a finalidade, a Prefeitura de Fortaleza conseguiu viabilizar R$ 12 milhões de contrapartida para a construção de mais 900 unidades habitacionais.

(Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Fortaleza / Fotos: Divulgação)

De onde surgiu Bolsonaro?

247 1

Em artigo sobre a eleição de Jair Bolsonato, o professor universitário Gustavo Bertoche, Doutor em Filosofia, aponta que o voto que elegeu o presidente Trump é o mesmo voto que elegeu o novo presidente brasileiro. E não há nada de machismo, homofobia ou fascismo. Confira:

Desculpem os amigos, mas não é de um “machismo”, de uma “homofobia” ou de um “racismo” do brasileiro. Os eleitores do Bolsonaro não são fascistas, machistas, racistas, homofóbicos nem defendem a tortura. Aliás, o próprio Bolsonaro não é nada disso, e nós sabemos disso. A maioria dos seus eleitores nem mesmo é bolsonarista.

Bolsonaro surgiu daqui mesmo, do campo das esquerdas. Surgiu da nossa incapacidade de fazer a necessária autocrítica. Surgiu da recusa em conversar com o outro lado. Surgiu da insistência na ação estratégica em detrimento da ação comunicativa, o que nos levou a demonizar, sem tentar compreender, os que pensam e sentem de modo diferente.

É, inclusive, o que estamos fazendo agora. O meu Facebook e o meu WhatsApp estão cheios de ataques aos “fascistas”, àqueles que têm “mãos cheias de sangue”, que são “machistas”, “homofóbicos”, “racistas”. Só que o eleitor do Bolsonaro não é nada disso nem se identifica com essas pechas. As mulheres votaram mais no Bolsonaro do que no Haddad. Os negros votaram mais no Bolsonaro do que no Haddad. Uma quantidade enorme de gays votou no Bolsonaro.

Amigos, estamos errando o alvo. O problema não é o eleitor do Bolsonaro. Somos nós, do grande campo das esquerdas.

O eleitor não votou no Bolsonaro PORQUE ele disse coisas detestáveis. Ele votou no Bolsonaro APESAR disso.

O voto no Bolsonaro, não nos iludamos, não foi o voto na direita: foi o voto anti-esquerda, foi o voto anti-sistema, foi o voto anti-corrupção. Na cabeça de muita gente (aqui e nos EUA, nas últimas eleições), o sistema, a corrupção e a esquerda estão ligados. O voto deles aqui foi o mesmo voto que elegeu o Trump lá. E os pecados da esquerda de lá são os pecados da esquerda daqui.

O Bolsonaro teve os votos que teve porque nós evitamos, a todo custo, olhar para os nossos erros e mudar a forma de fazer política. Ficamos presos a nomes intocáveis, mesmo quando demonstraram sua falibilidade. Adotamos o método mais podre de conquistar maioria no congresso e nas assembleias legislativas, por termos preferido o poder à virtude. Corrompemos a mídia com anúncios de empresas estatais até o ponto em que elas passaram a depender do Estado. E expulsamos, ou levamos ao ostracismo, todas as vozes críticas dentro da esquerda.

O que fizemos com o Cristóvão Buarque?

O que fizemos com o Gabeira?

O que fizemos com a Marina?

O que fizemos com o Hélio Bicudo?

O que fizemos com tantos outros maiores ou menores do que eles?

Os que não concordavam com a nossa vaca sagrada, os que criticavam os métodos das cúpulas partidárias, foram calados ou tiveram que abandonar a esquerda para continuar tendo voz.

Enquanto isso, enganávamo-nos com os sucessos eleitorais, e nos tornamos um movimento da elite política. Perdemos a capacidade de nos comunicar com o povo, com as classes médias, com o cidadão que trabalha 10h por dia, e passamos a nos iludir com a crença na ideia de que toda mobilização popular deve ser estruturada de cima para baixo.

A própria decisão de lançar o Lula e o Haddad como candidatos mostra que não aprendemos nada com nossos erros – ou, o que é pior, que nem percebemos que estamos errando, e colocamos a culpa nos outros. Onde estão as convenções partidárias dos anos 80? Onde estão as correntes e tendências lançando contra-pré-candidatos? Onde estão os debates internos? Quando foi que o partido passou a ter um dono?

Em suma: as esquerdas envelheceram, enriqueceram e se esqueceram de suas origens.

O que nos restou foi a criação de slogans que repetimos e repetimos até que passamos a acreditar neles. Só que esses slogans não pegam no povo, porque não correspondem ao que o povo vivencia. Não adianta chamar o eleitor do Bolsonaro de racista, quando esse eleitor é negro e decidiu que não vota nunca mais no PT. Não adianta falar que mulher não vota no Bolsonaro para a mulher que decidiu não votar no PT de jeito nenhum.

Não, amigos, o Brasil não tem 55% de machistas, homofóbicos e racistas. Nós chamarmos os eleitores do Bolsonaro disso tudo não vai resolver nada, porque o xingamento não vai pegar. O eleitor do cara não é nada disso. Ele só não quer mais que o país seja governado por um partido que tem um dono.

E não, não está havendo uma disputa entre barbárie e civilização. O bárbaro não disputa eleições. (Ah, o Hitler disputou etc. Você já leu o Mein Kampf? Eu já. Está tudo lá, já em 1925. Desculpe, amigo, mas piadas e frases imbecis NÃO SÃO o Mein Kampf. Onde está a sua capacidade hermenêutica?).

Está havendo uma onda Bolsonaro, mas poderia ser uma onda de qualquer outro candidato anti-PT. Eu suspeito que o Bolsonaro só surfa nessa onda sozinho porque é o mais antipetista de todos.

E a culpa dessa onda ter surgido é nossa, exclusivamente nossa. Não somente é nossa, como continuará sendo até que consigamos fazer uma verdadeira autocrítica e trazer de volta para nosso campo (e para os nossos partidos) uma prática verdadeiramente democrática, que é algo que perdemos há mais de vinte anos. Falamos tanto na defesa da democracia, mas não praticamos a democracia em nossa própria casa. Será que nós esquecemos o seu significado e transformamos também a democracia em um mero slogan político, em que o que é nosso é automaticamente democrático e o que é do outro é automaticamente fascista?

É hora de utilizar menos as vísceras e mais o cérebro, amigos. E slogans falam à bile, não à razão.

Gustavo Bertoche

Doutor em Filosofia

Egito anuncia descoberta de dezenas de estátuas e múmias de animais

Uma missão arqueológica egípcia descobriu sete tumbas de diferentes épocas faraônicas no Complexo de Saqqara, com dezenas estátuas de madeira e múmias de gatos, anunciou o Ministério de Antiguidades.

As tumbas são da época do Império Novo (entre os séculos 16 e 11 a.C.) e em três delas foram encontradas múmias de gatos, que representam a deusa Bastet, do antigo Egito, afirmou o ministro Khaled al-Anani, em comunicado.

Segundo o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Mustafa Waziri, “pela primeira vez” foram achados escaravelhos mumificados nessa região, assim como múmias de gatos e 100 estátuas de madeira de felinos e algumas que representam cobras e crocodilos. O lugar era um cemitério de animais.

Os arqueólogos egípcios também encontraram em um dos mausoléus uma tumba do supervisor dos edifícios reais do fim da quinta dinastia de faraós (2.400 a.C), identificado como Kofo en Hat.

O ministro ressaltou que a descoberta é uma de uma das três que serão anunciadas até o fim do ano.

O Egito vem trabalhando na descoberta e no anúncio de novos túmulos na tentativa de atrair mais turistas, já que após os protestos de 2011 e a queda do presidente Mohamed Morsi em 2013 o número de visitantes caiu significativamente.

(Agência Brasil com Agência EFE)