Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Editorial do O POVO – “O Ministro Moro”

A primeira vaga que abrir no Supremo será de Moro.

Com o título “Ministro Moro”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira. Confira:

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez bem em explicitar as condições sob as quais o ex-juiz federal Sergio Moro aceitou integrar a equipe ministerial do novo chefe da nação, a saber: a indicação para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

Em entrevista a jornalistas nesse domingo, Bolsonaro admitiu que tinha “um compromisso” com o ministro da Justiça, que abrira mão de uma bem-sucedida carreira como magistrado à frente de uma força-tarefa que o alçara ao estrelato em pouco mais de quatro anos. O presidente reconheceu então que o gesto carece agora de uma retribuição à altura, que não tardará, conforme projetou.

Já se supunha que a mudança de Moro de Curitiba para Brasília não era movimento gratuito, mas parte de um lento e decidido processo em direção à Corte Suprema. Não que fosse necessário. Por seu currículo e projeção, notáveis per si, o nome do magistrado seria naturalmente lembrado como um dos postulantes à vaga quando esta surgisse. E ela surgirá em breve: até o fim do ano que vem, quando o decano Celso de Mello se aposentará forçosamente ao chegar aos 75 anos. E, no ano seguinte, em 2021, quando Marco Aurélio Mello despir-se da toga.

A afirmação de Bolsonaro, todavia, aclara os termos da decisão de Moro, que tem engolido “sapos” do governo, como quando o presidente vetou a indicação da pesquisadora Ilona Szabó para o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. Ou quando o ministro da Justiça precisou explicar-se sobre o decreto pró-armas do capitão reformado, que contara com o aval da pasta – a despeito das discordâncias pessoais de Moro sobre a flexibilização do porte.

O próprio Moro já cuidou em evidenciar sua disposição de participar do STF, referindo-se à possibilidade como “um sonho”, neste momento mais perto de se realizar. Resta somente combinar com os russos. E os “russos”, neste caso, são o Congresso, onde qualquer nome indicado pelo presidente haverá de ser sabatinado. Sobre isso, os sinais emitidos pelo Senado não são alvissareiros para Moro.

Não faz uma semana, a comissão mista formada por deputados e senadores votou pela retirada do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) da alçada de Moro e o mandou para Paulo Guedes, ministro da Economia. O recado foi cristalino: a classe política pretendia enfraquecer o superministro, que faz da Lava Jato a sua régua de atuação também na Esplanada. Desse modo, nada garante que, chegada a vez de Moro encarar a sabatina do Parlamento, os senadores terão postura mais afável.

Bolsonaro pode até honrar seu compromisso com o ex-magistrado apontando-o à primeira vaga que aparecer no Supremo, mas, ao fim das contas, quem vai decidir mesmo se Moro deixou a 13ª Vara Federal do Paraná à toa são os congressistas.

(Editorial do O POVO)

Entidades farão protesto contra MP que abre para privatização até da Cagece

Sede da Cagece, em Fortaleza, será ponto do protesto.

Entidades ligadas ao setor de saneamento básico vão promover, nesta segunda-feira, o Dia Nacional da Mobilização Contra a MP do Saneamento. No Ceará, a mobilização acontecerá a partir da 16 horas, em frente a sede da Cagece (Bairro Vila União), com participação de colaboradores e entidades ligadas ao setor.

O objetivo é pressionar parlamentares federais e chamar a atenção da sociedade acerca dos riscos que o texto da Medida Provisória nº 868 pode trazer para o setor de saneamento no país. Da forma como foi aprovado, segundo as entidades, virá a privatização dos serviços, o que poderá impactar diretamente municípios mais pobres.

Além disso, outro ponto preocupante presente na MP refere-se a proibição dos municípios em celebrar Contratos de Programa com as empresas estatais. Até então, este tipo de contrato vinha proporcionando maior segurança jurídica e estabilidade às empresas do setor.

A ação é organizada pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), com apoio da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe), Sindiágua e Cagece. Nacionalmente, a mobilização também conta com apoio da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), da Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental (FNSA), entre outros.

(Foto – Arquivo)

Avenida dos Expedicionários e uma paisagem que não muda

O tempo passa, o tempo voa e os canteiros da Avenida dos Expedicionários, na área do 10ºGAC, continua feito depósito de lixo todo inicio de semana.

Nesta manhã de segunda-feira, vários moradores de vilas que desembocam nessa avenida, eram vistos depositando seus sacos de lixo nos canteiros.

Há necessidade de algum tipo de ação por parte da gestão municipal no campo da conscientização sobre os dias da coleta.

Na prática, a cidade está entre o lixo e muitas crateras persistindo em vários pontos da Capital.

(Foto – Paulo MOska)

Bolsonaro falará nesta terça-feira à Nação sobre decreto das armas

O presidente Jair Bolsonaro fará um pronunciamento à Nação nesta terça-feira. Ele vai abordar o decreto em que libera porte de armas para vários segmentos da sociedade.

O decreto gerou muita polêmica e o presidente que esclarecer melhor detalhes dessa decisão. Foi o que ele informou durante entrevista à Rádio Bandeirantes, nesse domingo.

Bolsonaro lembrou que, em 2005, quando houve o referendo sobre a comercialização de armas no Brasil, o povo falou que queria esse comércio.

“Ninguém está liberando a caça no Brasil”, disse. Ele exemplificou que antes o fazendeiro tinha arma embaixo do telhado e agora pode usar em todo perímetro da propriedade. “Quem não quiser ter arma que não tenha, mas não pode tirar o direito de quem quer ter para defender sua família”, disse.

Bolsonaro afirmou que na casa dele “tem que levar chumbo mesmo”. “Nenhum vagabundo mais vai invadir uma casa porque talvez tenha uma arma lá dentro”

(Foto – Agência Brasil)

Santuário de Fátima comemora os 102 anos da aparição da Virgem Maria

O Santuário de Fátima, em Fortaleza, realiza missas, neste 13 de Maio, desde as 5 horas desta segunda-feira. Católicos comemoram os 102 anos da primeira aparição de Maria aos pastorinhos Francisco, Lúcia e Jacinta, na Cova da Iria, em Portugal, conforme a crença.

Ao longo do dia, haverá missas às, 9h, 10h30, 12h, 14h, 15h30, 17h, 18h30 e encerrando às 20 horas, em clima de celebração campal, com a coroação da santa.

Um total de 130 agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e operadores auxiliam o tráfego nas proximidades do Santuário de Fátima. Está proibido estacionar nas ruas Oswaldo Studart, Paula Rodrigues e Mário Mamede nas proximidades da igreja de Fátima. Também não será permitido o estacionamento nas ruas Major Facundo, Meton de Alencar e Barão de Aratanha, ao redor da igreja do Carmo. O esquema ocorre nos três turnos para fluidez do trânsito.

Procissão

Prevista para sair da Igreja do Centro às 18 horas, a procissão de Nossa Senhora seguirá até o bairro de Fátima. Algumas interdições ocorrem no passar do cortejo. É previsto o bloqueio provisório da rua Major Facundo, na lateral da Igreja do Carmo. Em seguida, os agentes se preparam para acompanhar a procissão durante o percurso até a Igreja de Fátima, passando pelas ruas Major Facundo, Meton de Alencar, Barão de Aratanha e av. 13 de Maio.

Após a procissão, a avenida 13 de Maio terá a pista nos dois sentidos bloqueada durante a missa campal. A interdição ocorre entre a rua Barão de Aratanha e o viaduto da av. Pontes Vieira. A AMC orienta que os desvios sejam feitos pela av. Luciano Carneiro e rua Mário Mamede (sentido Bairro de Fátima/Aldeota) e pela alça do viaduto da av. Aguanambi e av. Eduardo Girão (sentido Aldeota/Bairro de Fátima).

(Foto – Paulo MOska)

Tabela do Imposto de Renda será corrigida, promete Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem que o governo vai fazer a correção na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física para o ano que vem. Ele afirmou que orientou o ministro da Economia, Paulo Guedes, que a tabela do IR deve ser corrigida “no mínimo” com a inflação. O governo também estuda aumentar os limites de deduções.

“Hoje em dia, o Imposto de Renda é redutor de renda. Falei para o Paulo Guedes que, no mínimo, este ano temos que corrigir de acordo com a inflação a tabela para o ano que vem. E, se for possível, ampliar o limite de desconto com educação, saúde. Isso é orientação que eu dei para ele (Guedes). Espero que ele cumpra, que orientação não é ordem. Mas, pelo menos, corrigir o Imposto de Renda pela inflação, isso, com toda a certeza, vai sair”, afirmou Bolsonaro.

A defasagem na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) chega a 95,46%, divulgou o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) em janeiro. O levantamento foi feito com base na diferença entre a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada de 1996 a 2018 e as correções da tabela no mesmo período.

Desde 2015, a tabela do Imposto de Renda não sofre alterações. De 1996 a 2014, a tabela foi corrigida em 109,63%. O IPCA acumulado, no entanto, está em 309,74%. De acordo com o Sindifisco Nacional, a falta de correção na tabela prejudica principalmente os contribuintes de menor renda, que estariam na faixa de isenção, mas são tributados em 7,5% por causa da defasagem.

(Com Agência Estado)

CRAS do Conjunto Palmeiras ainda aguarda reforma após ataque de facções

148 1

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta segunda-feira

O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Conjunto Palmeiras, atacado por facções durante a onda de atentados criminosos registrada em entre janeiro e fevereiro deste ano, está prestes a virar uma ocupação.

Como a Prefeitura de Fortaleza não reformou o prédio nem colocou segurança por lá, essa ameaça é iminente, segundo moradores da área.

O secretário do Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Elpídio Nogueira, ignorou as denúncias feitas pela comunidade e tudo que existia lá foi saqueado. O atendimento, precariamente, foi transferido para o Conjunto João Paulo II.

O problema é que persiste na periferia a territorialização das facções. Quem era atendido no Conjunto Palmeiras, não pode se arriscar a se deslocar para o João Paulo II.

(Foto – Arquivo)

Camilo reúne bancada e reitores para discutir corte nas verbas das universidades

O governador Camilo Santana (PT) vai reunir nesta segunda-feira, em clima de café da manha, no Palácio da Abolição, parte da bancada federal cearense e reitores de instituições federais no Ceará.

No cardápio, corte da ordem de 30% no orçamento dessas instituições de ensino e como reverter perdas. Fala-se num corte da ordem de R$ 108 milhões.

A intenção de Camilo é articular politicamente alternativas como a liberação de emendas de bancada e individuais dos parlamentares cearenses.

Já os reitores da UFC, UFCA e do IFCE devem apresentar um quadro da situação de custeio e mo que estão investindo no momento.

Bolsonaro confirma que indicará Moro para o STF

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem que, na primeira vaga que abrir no Supremo Tribunal Federal (STF), espera cumprir o compromisso de indicar o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. “Se Deus quiser, cumpriremos esse compromisso”, disse, em entrevista ao programa ‘Domingo Esportivo’, da Rádio Bandeirantes. “Uma pessoa da qualificação do Moro se realizaria dentro do STF”, afirmou. Bolsonaro disse acreditar que Moro seria um “grande aliado da sociedade brasileira dentro do STF”.

 Sobre o pacote anticrime apresentado ao Congresso pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Bolsonaro afirmou esperar que seja aprovado, mas ponderou que não é “dono da pauta” do Legislativo. “Maia (Rodrigo Maia) é dono da pauta na Câmara e Alcolumbre (Davi Alcolumbre) é dono da pauta no Senado”, argumentou. “Não posso exigir, interferir, a bola (agora) está com o Rodrigo Maia.”

Para Bolsonaro, o PT pode não querer julgar o projeto anticrime de Moro, que, de acordo com ele, pode “retardar” a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da prisão.

O presidente afirmou também que gostaria que a “grande mídia” dissesse a ele como formar uma base parlamentar no Congresso. De acordo com ele, até o governo passado, grandes partidos se reuniam com o presidente, que distribuía cargos na administração federal e na presidência de bancos e estatais.

“A base era feita dessa maneira, o ingrediente era esse, mas não falam na mídia”, afirmou. Bolsonaro disse que a política do “toma lá dá cá” não deu certo. “Tem ex-presidente preso, ex-presidente da Câmara preso…”, lembrou. Bolsonaro disse, no entanto, que o atual ministério tem as “portas abertas” para todos os parlamentares. Mas, para o presidente, parlamentar não tem que votar com o governo porque foi “atendido em alguma coisa”.

Na entrevista, Bolsonaro disse também acreditar que o vice-presidente Hamilton Mourão não tem a “pretensão de minar” o governo. “Mas outros fazem isso para ganhar algo à frente”, disse. “Aqueles que não pensam em progredir têm que comprar um lote no cemitério, mas não acredito nisso (em minar o governo) por parte do vice.”

O presidente também acredita que com uma boa reforma da Previdência o governo terá “folga de caixa para atender a população”. De acordo com ele, a reforma é como uma vacina: “Tem que dar a vacina no moleque, e a nova vacina no momento é a Nova Previdência”.

Petistas questionam

Parlamentares do PT criticaram o acordo confirmado entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o seu atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, no sentido de indicar o ex-juiz federal para a próxima vaga que surgir no Supremo Tribunal Federal (STF), com a aposentadoria de algum dos seus atuais 11 integrantes. A avaliação é de que a situação tira credibilidade na sua atuação como magistrado nos processos que levaram á condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O senador petista Humberto Costa, de Pernambuco, diz que a revelação confirma que “a ida de Moro fez parte de um acordo político que envolveu o processo contra o ex-presidente Lula”. Segundo ele, a cada dia vai ficando mais claro que tudo que aconteceu, resultando no impedimento de Lula de ser candidato em 2018, “foi movido por diversos interesses”.

Também o deputado federal petista Carlos Zaratine, de São Paulo, repercutiu a entrevista de Bolsonaro à Bandeirantes considerando-a reveladora dos acordos que precederam a entrada de Sérgio Moro no governo Bolsonaro. Para ele, no entanto, a nova situação pode dificultar a aprovação da indicação do ex-juiz para o STF, lembrando que ela ainda precisa ser submetida ao Senado Federal. “Uma coisa é prometer a indicação, outra é o Moro ser, de fato, aprovado pelos senadores”, avaliou o parlamentar.

Pelos lados do governo, o líder do PSL no Senado, Major Olímpio, apesar de se admitir surpreso com a revelação de que havia um acordo entre Bolsonaro e Moro, considera que a situação em nada vai interferir na posição a ser adotada caso a indicação se confirme. “É que a oposição precisa falar qualquer coisa para justificar o injustificável. O Lula é um ladrão, isso não tem nada a ver”, disse o parlamentar, considerando que o ex-juiz e atual ministro da Justiça não enfrentaria dificuldade caso viesse a ser indicado para o STF.

(Com Agências)

Fortaleza joga de igual com São Paulo, mas perde por 1 a 0

Com um primeiro tempo superior em campo, o Fortaleza não conseguiu aproveitar as melhores oportunidades de ataque, diante do São Paulo, na noite deste domingo no Castelão, pelo complemento da quarta rodada do Brasileirão, e acabou derrotado pelo time paulista, por 1 a 0, com gol de Hernanes, aos 32 minutos da segunda etapa.

Com o resultado, o Fortaleza se manteve na 16ª colocação, uma posição acima da zona do rebaixamento. Dos quatro times que o Leão enfrentou até o momento, todos estão nas seis primeiras colocações na tabela de classificação.

O Fortaleza volta a campo no próximo domingo (19), em Chapecó, diante do Chapecoense.

(Foto: Reprodução)

Ferrão vence o Náutico em Recife e mantém a liderança na Série C

Com um gol de Jeferson, aos 14 minutos do segundo tempo, o Ferroviário surpreendeu o Náutico, na noite deste domingo (12), no estádio dos Aflitos, e manteve a liderança do Grupo A da Série C do campeonato Brasileiro. A derrota por 1 a 0 tirou a equipe pernambucana da zona de classificação.

Com possibilidade de chegar à vice-liderança, o Náutico entrou em campo sem criatividade e não foi ameaça à defesa da equipe cearense. Já o Ferroviário, que jogou a primeira etapa na defensiva, saiu para o jogo no segundo tempo, marcou o gol e voltou a recuar.

O Ferrão volta a campo na segunda-feira (20), diante do Globo/RN, na capital cearense.

(Foto: Arquivo)

Brasil é campeão mundial do revezamento 4×100 no Japão

A seleção brasileira masculina de atletismo 4×100 m, formada por Rodrigo Nascimento, Jorge Vides, Derick Souza e Paulo André de Oliveira, venceu a final do mundial da categoria, com o tempo de 38.05, a melhor marca do mundo este ano.

O resultado histórico ocorreu neste domingo (12) no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão. Os brasileiros superaram os Estados Unidos, com Michael Rodgers, Justin Gatlin, Isiah Young e Noah Lyles, por 2 centésimos de segundo (38.07). A Grã-Bretanha ficou em terceiro, com 38.15.

Os velocistas brasileiros, que são treinados por Felipe de Siqueira da Silva, fizeram todas as passagens de bastão sem erro, peermitindo a Paulo André fechar a prova na primeira colocação, assegurando a histórica vitória.

Com o resultado, o Brasil volta a figurar entre as grandes equipes. Os quartetos nacionais têm três medalhas olímpicas: prata em Sydney 2000, bronze em Atlanta 1996 e bronze em Pequim e duas em Mundiais: prata em Paris 2003 e bronze em Sevilha 1999.

O Estádio Internacional de Yohohama, em 2002, foi palco também de outra grande vitória do esporte brasileiro. Foi lá que a seleção brasileira de futebol conquistou o pentacampeonato mundial de futebol.

(Agência Brasil)

Rede diz que aproximação com Roberto Cláudio facilitará questões ecológicas

231 2

Em artigo enviado ao Blog, o secretário de Organização Estadual da Rede Sustentabilidade do Ceará, Aécio Holanda, critica o ex-filiado Ricardo Alcântara e ressalta o retorno ao partido de Toinha Rocha, que possui trajetória política em defesa da causa animal. Confira:

A Rede de Sustentabilidade no Ceará, recebe novamente Toinha Rocha nas suas fileiras com muita satisfação. Toinha tem uma trajetória política intimamente ligada às nossas lutas, principalmente a defesa da causa animal. A Rede Ceará, com nossa nova direção, está se organizando com foco em fazer o maior número possível de vereadores nos municípios do Ceará.

Quanto às alianças, a Rede se coloca ao lado do campo progressista e tenta ser protagonista de uma aproximação de partidos não alinhados à oposição petista, no caso, Cidadania, PSB, PV e PDT. Aqui em Fortaleza, na eleição passada, no segundo turno, votamos em Roberto Claudio. E temos muitas pautas em comum, sobretudo às questões de mobilidade urbana, os ecopontos, o projeto Carroceiro Legal, que em parceria com o Banco Palmas gera renda aos catadores e estabelece um visão ambiental sustentável, através da limpeza da cidade, e principalmente os projetos de proteção animal, coordenados por Toinha Rocha.

Nossa aproximação – que o retorno de Toinha nos proporciona naturalmente – com o governo Roberto Claudio, também facilitará nossa luta em defesa do Rio Ceará e se dará através de uma pauta positiva deixando claro as bandeiras da Rede.

Quanto à afirmação maledicente de Ricardo Alcântara, queríamos afirmar que não  concordamos com qualquer ação que agrida o meio ambiente. Seja na Serra da Meruoca ou nos prédios que são construídos dentro do Parque Ecológico do Cocó, como é o caso do apartamento onde o mesmo mora.

Aécio Holanda

Secretário de Organização Estadual da Rede Sustentabilidade do Ceará

Série D – Atlético Cearense goleia Altos e dispara na liderança do Grupo 5

Na disputa pela liderança do Grupo 5 da Série D do Campeonato Brasileiro, o Atlético Cearense surpreendeu o Altos do Piauí, na tarde deste domingo (12), no estádio municipal Felipe Raulino, no centro-norte piauiense, a 38 quilômetros de Teresina, ao golear o time da casa por 4 a 1.

Já no primeiro tempo, a equipe cearense já vencia por 2 a 0, gols de Rômulo (32 minutos) e Denilson (aos 42 minutos, em cobrança de falta). Na segunda etapa, logo aos 7 minutos, o Altos diminuiu com Tiaguinha, após falha do goleiro.

O Atlético voltou a marcar, aos 21 minutos, novamente com Rômulo, e fechou o placar, aos 41 minutos, com Olavio.

No outro jogo do grupo, o Central de Caruaru goleou em casa o Maranhão, por 3 a 0, e assumiu a vice-liderança. Na estreia, a equipe pernambucana perdeu para o Atlético, em Fortaleza, por 1 a 0.

O Atlético volta a campo, no sábado (18), diante do Maranhão. No domingo (19), o Central recebe o Altos do Piauí.

Pelo Grupo 4, o outro representante cearense, O Floresta, saiu da zona de classificação, após a vitória do Santa Cruz de Natal sobre o Bragantino, por 1 a 0, no Pará, na tarde deste domingo. Nesse sábado (11), o Floresta empatou em casa com o Ríver, em 0 a 0.

(Foto: Reprodução)

Bolsonaro diz que governo vai corrigir tabela do Imposto de Renda; Sérgio Moro no STF

173 1

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (12) que o governo vai fazer a correção na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física para o ano que vem. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Bolsonaro afirmou que orientou o ministro da Economia, Paulo Guedes, que a tabela do IR deve ser corrigida “no mínimo” com a inflação. O governo também estuda aumentar os limites de deduções.

“Hoje em dia, o Imposto de Renda é redutor de renda. Falei para o Paulo Guedes que, no mínimo, este ano temos que corrigir de acordo com a inflação a tabela para o ano que vem. E, se for possível, ampliar o limite de desconto com educação, saúde. Isso é orientação que eu dei para ele [Guedes]. Espero que ele cumpra, que orientação não é ordem. Mas, pelo menos, corrigir o Imposto de Renda pela inflação, isso, com toda a certeza, vai sair”, afirmou Bolsonaro.

A defasagem na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) chega a 95,46%, divulgou o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) em janeiro. O levantamento foi feito com base na diferença entre a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada de 1996 a 2018 e as correções da tabela no mesmo período.

Desde 2015, a tabela do Imposto de Renda não sofre alterações. De 1996 a 2014, a tabela foi corrigida em 109,63%. O IPCA acumulado, no entanto, está em 309,74%. De acordo com o Sindifisco Nacional, a falta de correção na tabela prejudica principalmente os contribuintes de menor renda, que estariam na faixa de isenção, mas são tributados em 7,5% por causa da defasagem.

Sergio Moro no STF

Na entrevista, Bolsonaro também disse que pretende indicar o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para a próxima vaga que for aberta no Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o presidente, Moro tem “qualificação” para ser ministro da Corte Suprema.

“Eu fiz um compromisso com ele [Moro] porque ele abriu mão de 22 anos de magistratura. Eu falei: ‘a primeira vaga que tiver lá, está à sua disposição’. Obviamente, ele teria que passar por uma sabatina no Senado. Eu sei que não lhe falta competência para ser aprovado lá. Mas uma sabatina técnico-política, tá certo? Então vou honrar esse compromisso com ele e, caso ele queira ir para lá, será um grande aliado, não do governo, mas dos interesses do nosso Brasil dentro do Supremo Tribunal Federal”, afirmou.

Durante o mandato de quatro anos, Bolsonaro poderá fazer duas indicações ao Supremo. A próxima vaga será aberta em 2020, quando o ministro Celso de Mello completará 75 anos e deve ser aposentado compulsoriamente. No ano seguinte, será a vez do ministro Marco Aurélio deixar a Corte.

(Agência Brasil)

Fortaleza x São Paulo terá um vencedor, apontam apostadores online

Quase dois anos após deixar o São Paulo, quando durante 25 anos defendeu o gol tricolor, além de passagem pelo comando técnico da equipe paulista, o treinador do Fortaleza, Rogério Ceni, reencontra o ex-clube na noite deste domingo (12), no Castelão, no encerramento da quarta rodada do Brasileirão.

O reencontro é um dos assuntos mais comentados nesta rodada, principalmente depois que torcedores são-paulinos foram ao treino do Fortaleza para cumprimentar Ceni.

Homenagens à parte, tanto Rogério Ceni quanto o treinador Cuca (São Paulo) garantem que buscarão a vitória.

A determinação dos dois treinadores vai ao encontro dos apostadores online, que não acreditam em empate, resultado com o menor percentual de prognóstico, com 28.9% de chances. O São Paulo aparece com pequena vantagem na preferência dos apostadores com 37.3%, diante de 33.7% de chances de vitória do Fortaleza.

(Foto: Arquivo)

Antes de investir é preciso uma análise econômica e financeira

Em artigo sobre economia, o consultor financeiro Fabiano Mapurunga, Mestre em Administração com ênfase em Finanças e MBA em Gestão Financeira e Controladoria, aponta a importância de se analisar qualquer tentativa de investimento, antes mesmo de iniciar, como forma de reduzir o risco de insucesso. Confira:

Muitas pessoas ficam propensas a investir em algo quando a oportunidade surge, mas poucas param para procurar entender se ela é realmente boa. Ou seja, se condiz com suas expectativas.

Porém verifico que, muitos não fazem essa análise, por não saberem como, e por não terem as ferramentas adequadas para medir essa sua possível ação. Por isso, resolvi hoje, conversar um pouco sobre a Análise de Viabilidade Econômica e Financeira, e assim dar um apoio aos que estão com oportunidades de alocar seus recursos, mas que estão precisando de mais certeza na sua decisão.

A Análise de Viabilidade Econômica e Financeira, objetiva fazer a medição e o entendimento sobre ser viável ou não, um determinado investimento. Ela se propõe a fazer uma comparação sobre, os possíveis retornos que poderão ser obtidos com as oportunidades de investimentos, e assim indicar a melhor alternativa.

Para se executar uma análise de viabilidade econômica e financeira, se faz necessário estabelecer e seguir algumas etapas, sendo essas:

1 – FAZER UMA PROJEÇÃO DE RECEITAS

Projetar receita é, na verdade, procurar identificar a capacidade que o investimento possui de gerar dinheiro ao investidor. Para tanto, vamos precisar estabelecer algumas premissas:

· Conhecer bem o mercado, a fim de se evitar que sejam projetados números impossíveis de serem atingidos;

· Evite projetar pela capacidade total de geração de receitas, seja mais precavido e priorize ser realista em seus números, conte com 50% ou menos;

· Projete sempre crescimento para receitas, custos, despesas e investimentos. Vale observar que não se manterão constantes.

2 – VAMOS PROJETAR OS CUSTOS, AS DESPEAS E OS INVESTIMENTOS

A projeção de custos, despesas e investimentos, também deve obedecer a alguns preceitos básicos para a correta avaliação. O principal deles, é aceitar a existência de custos, despesas e investimentos que possam justificar as receitas projetadas.

Vamos usar o exemplo de uma indústria, para projetarmos suas vendas precisamos avaliar a sua capacidade de produção. Assim, se precisa avaliar a necessidade de se investir em maquinário, além dos custos e despesas concernentes a essa atividade.

Importante se ater ao fato de ter que projetar uma certa participação no mercado, que seja condizente com o faturamento projetado. Sendo assim, é preciso mensurar os gastos com marketing e propaganda. Não vamos esquecer de projetar o reinvestimento. Não podemos avaliar que teremos apenas o investimento inicial. A empresa irá necessitando de injeções de investimento, na medida que seu crescimento vai tomando corpo.

3 – PROJETEMOS AGORA O FLUXO DE CAIXA

De uma forma simplificada, vamos entender o fluxo de caixa como a entrada e saída de dinheiro da empresa em um determinado período de tempo. Tem fundamental importância para a gestão financeira de qualquer negócio. Ele é encontrado, pela diferença entre as receitas e as despesas. Vamos ver agora, de uma maneira gráfica, como fica o nosso fluxo de caixa para os exemplos de projeções de receitas e de despesas, demonstrados anteriormente.

4 – VAMOS ANALISAR ALGUNS INDICADORES

Agora que já temos as projeções de receitas, de despesas e de fluxo de caixa, vamos fazer uma análise de indicadores para entender o comportamento.

Para objetivarmos mais o nosso entendimento, vamos tratar apenas de três tipos de indicadores:

A. VPL – Valor Presente Líquido

B. TIR – Taxa Interna de Retorno

C. Payback

PONTO DE ATENÇÃO: TAXA MÍNIMA DE ATRATIVIDADE – TMA

Para termos mais propriedade ao falarmos dos indicadores, vamos entender um pouco sobre a Taxa Mínima de Atratividade – TMA, que nada mais é, do que o retorno mínimo esperado para um investimento. Para a determinação da TMA precisamos levar em consideração a fonte de capital do investimento (próprio ou de terceiros), além da margem de lucro esperada com o investimento.

Não se tem uma média geral de TMA, esta varia conforme a empresa, podendo ser apurada de inúmeras maneiras. Como exemplo, aqui no Brasil costumamos usar como base TMA a taxa Selic, taxa referência de juros da nossa economia, pois a mesma tem interferência tanto na captação de recursos, quanto nas aplicações financeiras.

A. VPL – Valor Presente Líquido

Tal indicador analisa os fluxos de caixa esperados para uma empresa, os trazendo para uma mesma data. Sendo assim, todos os fluxos de caixa são descontados a uma TMA até a data do vencimento. Somamos então esses fluxos, e subtraímos de seu total os investimentos.

Os valores de referência são os seguintes:

– VPL com valor POSITIVO: o projeto tem capacidade de gerar lucro;

– VPL com valor NULO (Zero): o projeto se pagará ao longo dos anos, mas não terá geração de lucro.

– VPL NEGATIVO: o projeto não irá gerar lucro, mas sim prejuízo.

B. TIR – Taxa Interna de Retorno

Este indicador demonstra a rentabilidade de um projeto. É expressa em percentual, de acordo com a periodicidade dos fluxos de caixa. Exemplo: caso os fluxos de caixa sejam mensais, então a TIR também será mensal. Pois isso dizemos que a mesma é uma medida relativa. Ao substituirmos pela TMA no cálculo do VPL, o mesmo torna-se zero.

Para o cálculo da TIR, precisamos ter à disposição a TMA do investimento, para que façamos a comparação entre taxas. Ao se fazer a comparação, podemos ter três cenários:

a) TIR > TMA: o projeto paga o investimento e ainda gera lucro.

b) TIR = TMA: o projeto paga o investimento mas não gera lucro.

c) TIR < TMA: o projeto não paga o investimento, gerando prejuízo.

C. Payback

Tal indicador mede o tempo que o projeto gerará recursos para pagar o investimento.

Vamos ver agora duas forma de se calcular o Payback:

I. Payback Tradicional: também chamado de payback simples, pois não leva em consideração o dinheiro no tempo. Vejamos um exemplo: caso se tenha investido R$ 200.000,00 em um negócio que gera retornos mensais de R$ 20.000,00, o Payback será de 10 meses.

II. Payback Descontado: utilizamos a TMA para descontar os fluxos de caixa e os nivelarmos com a mesma data do investimento inicial.

ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA E FINANCEIRA DOS EXEMPLOS ANTERIORES

Tomando como base nossos exemplos anteriores, vamos averiguar os resultados de cada um dos métodos de análises de viabilidade que citamos.

Na tabela abaixo trazemos o fluxo de caixa do projeto e o seu saldo acumulado, utilizado para cálculo do payback.

Veremos que o saldo acumulado soma os fluxos ao investimento inicial. Quando o saldo ficar positivo teremos o payback. O saldo acumulado utiliza a TMA. Para o nosso exemplo tomemos a TMA a 3% a.m.

Vejamos agora a análise: Para uma TMA de 3% a.m., o VPL está positivo e a TIR foi superior à TMA.

Conclusão: Projeto viável.

Com essas informações espero ter lhes demonstrado a importância de se analisar qualquer tentativa de investimento, com muito esmero, antes mesmo de o iniciar, para se procurar dirimir ao máximo, o risco de insucesso.

Fabiano Mapurunga

Consultor em Finanças e Negócios. Mestre em Administração com ênfase em Finanças. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria. Professor Universitário

Mamães recebem orientação sobre salário maternidade

Mamães em Fortaleza receberam nesse sábado (11), na praça Murilo Borges, no Centro, informações sobre direitos do salário maternidade, além de alterações promovidas pela Medida Provisória 871/2019, que estabece prazos para o requerimento de benefícios com a maternidade.

A promoção foi da Comissão de Direito Previdenciário e do Núcleo de Pesquisa em Trabalho e Seguridade Social (Nuseg). Segundo o presidente do Nuseg, Thiago Albuquerque, ” se as mãmaes não buscarem em até 180 dias o requerimento do benefício nas agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), o auxílio não poderá mais ser postulado, conforme dispõe a MP 871/19″.

(Foto: Divulgação)

Da inocente arminha ao perigoso decreto

Da Coluna Guálter George, no O POVO deste domingo (12):

É o esforço de atender compromissos assumidos em campanha, sim, que levou o presidente Jair Bolsonaro na semana passada à assinatura de um decreto que estabelece uma espécie de liberou geral em termos da compra e do porte de armas no Brasil. Portanto, quem votou nele e agora se queixa da situação está jogando para plateia ou se insere naquele grupo que apoiou o então candidato acreditando que ele não seria capaz de fazer aquilo que prometia em palanque, especialmente nos pontos mais agressivos da parte bélica de seu discurso. Gente “ingênua”, com todas as aspas que esta qualificação exige no caso. A única coisa que ninguém pode dizer é que não sabia que poderia acontecer o que está se materializando a cada ocasião em que Bolsonaro aciona a simpática caneta Bic que carrega consigo para apor sua assinatura em algum papel timbrado.

No mundo político local, quem mais chama atenção nesse aspecto, do silêncio, é o senador Luis Eduardo Girão, do Podemos. Um pacifista convicto, um inimigo das armas, um defensor da vida em qualquer perspectiva, ao ponto de ter ganho notoriedade pública, antes mesmo de obter o mandato eletivo que hoje exerce, como líder de organizado e articulado movimento que se vinculava a grandes ações contra o aborto e pelo desarmamento, falando-se apenas das duas faixas nas quais assumiu maior protagonismo. Um propagador notório e entusiasmado da paz e da não violência que opta por se manter distante do debate, abrindo mão de um papel que a posição que hoje ocupa lhe garante. Em alguns aspectos, até exige.

Senador da República, com uma tribuna à disposição para fazer sua defesa enfática da distância das armas como a melhor estratégia de combate à violência que grassa entre nós, Girão nada disse até agora. De público, pelo menos. Enquanto a oposição se manifesta contra e vai à justiça, nomes importantes da bancada evangélica (base importante de apoio ao governo Bolsonaro) já disseram que não apoiam e se movimentam para desfazer a ação, especialistas apontam todas as inconveniências do caminho que se tenta adotar, o cearense Luis Eduardo Girão, com todo o envolvimento que tem com o tema, histórico, permanece silente.

Na última sexta-feira, dia em que Brasília esvazia e a tribuna do Senado costuma ficar à disposição dos poucos parlamentares que permanecem na cidade e na Casa, o representante cearense do Podemos foi ao espaço e o ocupou por longo tempo. A discussão sobre o tal decreto já no mundo com grande destaque, com as assessorias jurídicas das duas Casas do Congresso apontando sérios problemas técnicos, ministra da STF dando cinco dias para o governo explicar a história, tudo isso acontecendo e Girão lá, firme e indignado nos seus ataques ao…Supremo Tribunal Federal. Até cabem as críticas dele, centradas na escandalosa licitação para compra de lagostas, vinhos e uísques para as recepções que acontecerem na mais alta Corte do País, mas, naquele dia? Naquele momento?

O debate do decreto das armas, que está na ordem do dia da política, pede que todas as vozes aptas a contribuir se envolvam nele com toda a disposição e a força de que dispuserem. O ativista Luis Eduardo Girão teria razões para estar decepcionado com o senador Luis Eduardo Girão, fossem eles duas pessoas diferentes, caso o visse calado diante do que está acontecendo. Especialmente por saber que ele teria muito a contribuir, até pelo estilo pessoal, na construção de uma discussão mais serena, coisa muito difícil no Brasil de hoje e quase impossível diante da temática específica. A coluna até buscou a assessoria de Girão para saber de sua opinião e de sua movimentação (caso exista) no sentido de marcar posicionamento no debate. Até o momento em que este texto caminha para o ponto final, sem resposta.