Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

O Bloco dos politicamente incorretos no Carnaval

999808-10022016-_dsc2662-1

Blocos do carnaval não oficial do Rio de Janeiro, formados por músicos amadores, que se reúnem sem horário e trajeto pré-definidos, pretendem deixar de fora da folia, este ano, marchinhas incômodas. Influenciados pela crescente mobilização de mulheres, que tocam ou desfilam nesses blocos, principalmente de mulheres negras, o repertório passou a ser questionado, com a intenção de evitar canções que possam sugerir alguma forma de preconceito ou violência.

“Se a gente prestar atenção, [no trecho de] O Teu Cabelo Não Nega: ‘Porque és mulata na cor/ Como a cor não pega, mulata/ Mulata, eu quero o teu amor’, está claro o racismo. Cor não é doença, não é contagiosa”, criticou a artista visual e percussionista que acompanha o tema, Amora*. Ela toca há mais de dois anos em blocos e fanfarras do circuito marginal e tem participado de protestos de músicos, parando de tocar, quando alguém ameaça puxar as canções.

A discussão vem desde o ano passado, quando musicistas alertaram para letras que poderiam ser consideras racistas, misóginas e transfóbicas (que discriminam pessoas trans), reflexo da mobilização de defensores de direitos humanos e de movimentos sociais. Entre elas, o funk Baile de Favela, do MC João, e tradicionais marchinhas de carnaval, como O Teu Cabelo Não Nega, de Lamartine Babo, citada por Amora, ou Cabeleira do Zezé, de João Roberto Kelly. Este ano, na abertura do carnaval não oficial, em janeiro, musicistas se recusaram a tocar Mulata Bossa Nova, de Kelly, alegando que a palavra mulata é pejorativa, por se referir à mula, etimologicamente. Na ocasião, elas foram até expulsas da área dos músicos.

“O que está em questão, mais do que a etimologia das palavras, é o papel da mulher no carnaval”, disse Ju Storino, percussionista e integrante do Coletivo Feminista Todas por Todas. “Onde está a voz da mulher no carnaval? Quando pedimos para que nos ouçam, para que não toquem, muitos fazem ouvido de mercador ou reproduzem mais violência contra quem questiona. Como vamos fazer carnaval sem parceria, sem parceria com o puxador?”, perguntou. Ela lembrou que, por serem preconceituosas, de tempos em tempos, o carnaval retoma a polêmica, que passa ainda por composições sendo levadas por movimentos sociais à Justiça. “A discussão não é nova. Quem não vê problema é quem nunca foi vítima”.

Um dos blocos que excluíram canções depois da polêmica foi o Vem cá, minha Flor. “Percebemos que algumas são racistas, machistas, preconceituosos, acabavam constrangendo ou agredindo pessoas, então, pelo sim e pelo não, a gente preferiu banir”, explicou um dos fundadores do bloco, que reúne entre 60 e 80 ritmistas, Edu Machado. Segundo ele, foram decisões difíceis e nem sempre unânimes. “Cortamos Baile de Favela, que era a música do momento, em 2016, mas que tem uma questão agressiva. Mas outras que eu continuaria tocando, como Cabeleira do Zezé, que muitos gays não veem problema, também saem”. O trecho controverso é o verso imperativo “corta o cabelo dele”, que pode ser interpretado como violência a travestis.

Para o professor universitário e percussionista André Videira de Figueiredo, que toca em pelo menos cinco blocos, como o Carimbloco, de música paraense, e a Fanfarra Tupiniquim Amostrado, a horizontalidade do carnaval não oficial, além dos protestos das musicistas, vem estimulando reflexões. Para resolver, ele sugere que os blocos escutem os grupos incomodados com as letras. “Não vou discutir se [a música] Mulata Bossa Nova é uma homenagem ou discriminação. A ofensa é um sentimento, só pode dizer que algo é ofensivo quem se sentiu ofendido, não é o ofensor que tem que ser convencido, ele apenas tem que ser informado”, afirmou o antropólogo.

Autor de marchinhas controversas, o compositor João Roberto Kelly defende suas composições. Ele diz que nunca teve a intenção de ofender nenhum grupo e que suas canções foram feitas para incentivar a brincadeira. “Estamos falando de músicas que são sucesso há 40, 50 anos. O povo gosta de cantar, de dançar, de ouvir”. Ele lembra canções como Maria Sapatão que, quando lançadas, desmistificavam preconceitos. E cantou: “O sapatão está na moda/O mundo apladiu/ É um barato, é um sucesso/ Dentro e fora do Brasil. Isso é um elogio”, disse.

(Agência Brasil)

VAMOS NÓS – Esse povo não tem o que fazer? Cada geração vive seus problemas, alegrias e contradições e momentos culturais. Não dá para apagar da história nada disso. Isso é preconceito com o passado musical do País.

Conselho de Comunicação discute nesta segunda-feira Código de Telecomunicações e publicidade

Relatório sobre propaganda eleitoral, relatório sobre publicidade e propaganda governamental, relatório sobre direito do consumidor, relatório sobre projetos de lei relacionados à publicidade e saúde, relatórios sobre outros temas relacionados à publicidade e propaganda. Essas são as pautas que serão discutidas pelo Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional, nesta segunda-feira (6), no Senado.

Também está na pauta a análise da MP 747/16, que trata do processo de renovação do prazo das concessões e permissões dos serviços de radiodifusão.

Ainda será analisado o relatório sobre Retransmissoras de Televisão – RTV, além do relatório sobre o PL 2611/15, que altera a Lei 12.485/11 para inserir a possibilidade de adaptação das outorgas dos serviços de TV por Assinatura (TVA), criado pelo Decreto 95.744/88, para serviços de radiodifusão de sons e imagens.

(Agência Câmara Notícias)

Prefeito e primeira-dama conferiram o Ciclo Carnavalesco

rccccf

O prefeito Roberto Claudio (PDT) e a primeira-dama de Fortaleza, Carol Bezerra, prestigiaram a programação do Ciclo Carnavalesco 2017. Eles estiveram no Aterrinho da Praia de Iracema, nesse sábado à noite, e conferiram a animação dos blocos Bonde Batuque, Baqueta, Camaleões do Vila, Unidos da Cachorra e Cheiro.

Roberto Cláudio se diz feliz de ver que o fortalezense está aproveitando a festa e observou que, além desse dado, há um outro: atrai turistas, o que é bom para a economia da cidade.

(Foto – Divulgação)

Moradores do Parque Araxá cobram fiscalização contra lixo irregular

foto-lixo-170204-parquelandia

De nada adianta a placa de proibição de lixo irregular, na nova avenida José Jatahy, no Parque Araxá. Todos os dias, o lixo se amontoa em um dos canteiros, ironicamente ao lado da placa de proibição.

É o que reclamam os moradores da área, que cobram fiscalização e aplicação de multas contra os infratores. Uma leitora do Blog afirmou que mosquitos, baratas e ratos proliferam no lixo e invadem casas.

VAMOS NÓS – Já é hora de uma campanha educativa e criativa contra pessoas que fazem a cidade de lixão. Um concurso de redação ou de vídeo caseiro seria uma boa forma de envolver a população nessa luta. Ou uma grande gincana envolvendo as escolas da rede pública e premiações.

Luana Piovani diz que Lula fez “draminha” em torno da morte de dona Marisa Letícia

 

Vânia ( Luana Piovani )

A atriz global Luana Piovani  ocupou seu Instagram Stories, neste domingo, e comentou sobre o luto do ex-presidente Lula. Para ela, o ex-presidente fez “draminha” durante velório da ex-primeira-dama Marisa Letícia. Confira:

“E o Lula no jornal, hoje, dizendo que Marisa foi triste? Gente, morrer é um drama, é uma fatalidade, uma tragédia na vida das pessoas que amam quem se vai”, publicou.

Luana avaliou que o comentário de Lula sobre a sua esposa está relacionado ao fato de Marisa ter sido acusada de corrupção na Operação Lava Jato.

“Muito indigno, ele, numa hora triste como essa. Fazer “draminha”, se vitimizar por conta dessa coisa triste que aconteceu com a dona Marisa. Ah, é muito falta de dignidade”, disparou.

O velório de dona Marisa Letícia ocorreu neste sábado, 4, na quadra do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (Região Metropolitana de São Paulo). Dona Marisa  morreu aos 66 anos em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

(Com Instagram da atriz)

Camilo e primeira-dama participam do Queremos Deus

caque

O governador Camilo Santana (PT) e a primeira-dama estadual, Onélia Leite, está, nesta tarde de domingo, participando do Queremos Deus, evento da Renovação Carismática Católica que acontece no Estádio Presidente Vargas.

Ali, os dois receberam bênção especial do Padre Antônio Furtado, que faz pregação.

O Queremos Deus será encerrado às 18h30min, com missa a ser presidida pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio de Aparecido Tose.

cmieeo

(Fotos – Leitor do Blog)

Primeiro-ministro italiano e Trump discutem segurança e terrorismo

foto-trump-usa-presidente

O primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, e o presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, discutiram por telefone a necessidade de reforçar a cooperação bilateral para lidar com uma série de temas de interesse comum, como a segurança e o terrorismo.

De acordo com a Casa Branca, Gentiloni e Trump prometeram manter o compromisso na luta contra o terrorismo e concentrar esforços para resolver a crise na Ucrânica e as guerras no Oriente Médio e no Norte da África. Durante o telefonema, Gentiloni também relatou a Trump o acordo assinado na semana passada entre a Itália e a Líbia para amenizar a crise migratória, reduzir o tráfico de seres humanos e incentivar políticas de regulamentação das imigrações e de apoio aos viajantes.

O premier italiano falou ainda sobre a importância da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e a colaboração entre a Europa e os Estados Unidos para manter a estabilidade regional.

“Trump confirmou o apoio norte-americano à Otan e ressaltou a importância de os aliados da organização dividirem os custos em gastos de defesa”, informou Washington, citando um dos pontos levantados pelo republicano durante a campanha eleitoral.

Trump defende que os países-membros da Otan aumentem sua participação no financiamento do organismo, alegando que a maior parte dos custos recai sobre os EUA. A Casa Branca também confirmou a participação de Trump na Cúpula do G7, que ocorrerá em maio em Taormina, na Itália.

(Agência Brasil)

O futuro é hoje

72 1

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (5):

Em muitos aspectos, Roberto Cláudio se mostra um gestor que deixará marcas muito importantes na história de Fortaleza. Sua visão moderna de cidade priorizou a instalação de tendências mundiais. É o caso da forte ampliação da rede viária que permite aos coletivos espaços exclusivos tornando o transporte de massa mais confortável e veloz. É o caso do elogiável vigor na instalação de uma teia para o trânsito de bicicletas.

Sim, no caso de ciclovias e afins, o uso em massa trata-se de uma tendência. Hoje, essas vias que se espalham rapidamente pela cidade ainda são usadas muito aquém das possibilidades. São quilômetros de asfalto exclusivos para ciclistas, mas com poucos ciclistas. Porém, é uma aposta corretíssima. Quanto a isso, o tempo dará a melhor resposta.

É digna de nota a persistência de RC em juntar inteligências para dotar a cidade de uma cultura de planejamento. Algo relegado nas últimas duas décadas. Já disse aqui outras vezes: o Fortaleza 2040 é a melhor obra do prefeito. O plano mestre urbanístico, o plano de mobilidade e o plano de desenvolvimento econômico e social abrigados no Fortaleza 2040 serão os maiores e melhores legados de sua gestão.

Dias atrás, passei em frente à Igreja do Montese, belo monumento arquitetônico da década de 1940, primórdios do bairro cujo batismo homenageou vitória da Força Expedicionária Brasileira na Itália. Lá há uma estação de carros elétricos compartilhados. Tal ação, inédita no Brasil, diz muito da forma como o prefeito pensa a cidade, que vai muito além do eixo Aldeota/Meireles/Cocó.

Ônibus com ar condicionado em vias exclusivas, bicicletas e carros compartilhados são itens que se relacionam com uma ideia de cidade contemporânea, moderna. Um dos objetivos é mudar a cultura de mobilidade por carro particular, que inviabiliza a cidade e inferniza o cotidiano dos cidadãos. Que bom.

Por essas e por muitas outras é que não se compreende a aversão do prefeito a sistemas de transporte como o Uber e afins. A Prefeitura empreende inusitado esforço para inviabilizar o funcionamento de um eficiente sistema que, entre outras qualidades, tira carros das ruas. Um sistema baseado na conectividade, autonomia e compartilhamento de carros. Tudo a ver com o Fortaleza 2040.

Por não ser um cartório com preços controlados pelos governos, os sistemas que conectam o cidadão a um motorista particular são bem mais baratos que os tradicionais táxis. Por extensão, quanto mais concorrência nessa área, melhor a qualidade e o preço do serviço. Então, para que serve proibir, perseguir e multar? Do ponto de vista do cidadão e da cidade, é um atraso incompatível com o meio urbano que está sendo cuidadosamente planejado.

Aliás, diga-se: os muito bem vindos carros elétricos, uma concessão municipal, devem ser vistos com um sistema paralelo ao Uber e táxis. É mais uma louvável, competente e barata concorrência.

Li no jornal Valor Econômico: “A indústria automobilística já começa a admitir que para sobreviver precisa mudar seus produtos, engajar-se em causas ambientais, aliar-se às empresas especialistas em conectividade e tecnologia e, principalmente, reconhecer que o carro do futuro pode ser a ausência dele”.

O carro autônomo já é uma realidade. Mais breve do que imaginamos, estará em massa nas ruas. “A perspectiva de largar o volante do carro significa tempo extra para outra atividade, como trabalhar ou navegar na internet”. Sendo assim, de que serve tanto esforço para barrar ubers e outros a favor do velho sistema dos táxis?

Roberto Cláudio reúne secretários para definir metas deste ano

91 1

foto-rc-170204-reuniao-secretarios

Um pacote de inaugurações, como a Passarela e o Viaduto da Avenida Aguanambi, as duas Passarelas do Canal do Lagamar, que serão entregues no próximo mês de março, e o novo Terminal de Messejana, que será inaugurado em novembro deste ano, foram anunciados nesse sábado (4), pelo prefeito Roberto Cláudio, durante reunião com os secretários municipais, para acertar metas e prazos das ações e obras que serão entregues em 2017.

“Vamos montar um grupo para acompanhar os prazos de contratação e de andamento das obras e projetos para que, até o final do ano, possamos entregar aos fortalezenses todas as ações prioritárias em áreas como saúde, educação e mobilidade”, afirmou o prefeito.

Além de estabelecer os principais projetos ao longo do ano, a reunião também está colheu sugestões de projetos inovadores em cada secretaria.

“Cada secretário apresentará uma ideia inovadora, com cálculo de custo e de prazo para implantação”, anunciou Roberto Claudio.

Dentre as prioridades já estabelecidas para 2017 estão a melhoria na logística de distribuição de medicamentos, entrega da reforma dor Frotinhas, ampliação das vagas na educação, entrega de cinco novas Escolas de Tempo Integral e 10 novas creches, alem da implantação do Plano Municipal de Proteção Urbana.

(Foto: Divulgação)

Tribunal americano rejeita pedido para restabelecer decreto sobre imigração

Um tribunal de apelações, nos Estados Unidos, rejeitou neste domingo (5) o pedido do Departamento de Justiça para restaurar o decreto do presidente Donald Trump que proíbe a entrada no país de cidadãos de sete nações de maioria muçulmana. O 9º Tribunal de Apelações, com sede em São Francisco, na Califórnia, negou a moção de emergência apresentada pelo governo, que procurou invalidar a suspensão temporária do decreto, determinada na sexta-feira (3) por um juiz federal em Seattle, no estado de Washington.

O Departamento de Justiça disse, em sua apelação, que a decisão da corte de Seattle é um prejuízo para a população, “questionou a decisão do presidente sobre a segurança nacional”, que carece de análise jurídica. O órgão também argumentou que o juiz James Robart havia ultrapassado a sua autoridade, porque a decisão afetou todo o território nacional e questionou a divisão de poderes entre o presidente e a Justiça.

A previsão é de que os tribunais de apelação dos estados de Washington e Minnesota, os primeiros que impugnaram o decreto de Trump, também manifestem oposição ao pedido do Departamento de Justiça ainda neste domingo.

No dia 27 de janeiro, Trump determinou novos mecanismos de controle de imigrantes e refugiados nos Estados Unidos para, segundo ele, impedir a entrada de terroristas.

(Agência Brasil)

Desinformação sistemática?

Em artigo no O POVO deste domingo (5), o professor de Filosofia da Universidade Federal do Ceará, Manfredo Araújo de Oliveira, aponta que a “síndrome de suspeição” pode transformar pessoas inteligentes em imbecis, capazes de agir contra si mesmos. Confira:

Difícil é negar que estamos vivenciando um processo de desconstrução dos direitos sociais proclamados pela constituição de 1988. Como reage a população? Para além do caso de alguns movimentos sociais, há informação do que realmente acontece? Para muitos, isto é impossível porque um elemento fundamental nesta conjuntura é um “pacto de desinformação” para que não se possa perceber o que ocorre.

Fala-se de “terrorismo ideológico”, condição necessária para garantir a hegemonia cultural de uma pequena minoria, menor de 1% da população, que somente assim pode receber a legitimação para configurar um mundo que assegure a efetivação de seus interesses econômicos.

Guilherme Delgado, economista do Ipea, chama atenção a dois eventos do ano passado que nos ajudam a compreender melhor esta situação. O primeiro foi uma reportagem publicada no jornal “O Estado de São Paulo” com o título: “Lava-Jato investiga 13 bancos por lavagem de dinheiro”. Esta reportagem é para ele um exemplo de informação jornalística honesta: parte-se do fato apresentado no que foi objetivamente apurado, ouvem-se objetivamente as partes acusadas no relatório etc.

Os bancos preferiram não falar invocando sigilo bancário ou simplesmente declaram sua honestidade. Tudo isso foi enviado aos operadores da Lava-Jato. O jornal não voltou ao assunto e não houve qualquer repercussão na mídia. A Polícia Federal, o Ministério Público e o juiz Sergio Moro não emitiram qualquer comentário sobre o assunto.

O outro evento é exatamente o oposto: apareceu quase todos os dias na mídia com enorme cobertura a repetição sistemática de suspeitas levantadas. Esta repetição com larga cobertura tinha objetivo claro: produzir na população uma espécie de “síndrome de suspeição”.

Tratava-se das especulações a respeito de apartamento de Lula na praia e de um sítio em Atibaia. Aqui concorreram articuladamente Polícia Federal, Ministério Público, Poder Judiciário e uma certa mídia que assim abandonou o jornalismo veraz e fidedigno para assumir tácita ou ostensivamente o papel de partido político em campanha eleitoral. Uma investigação factual séria é transformada em verdadeira orquestração de caça às bruxas.

Em primeiro lugar, esta situação contribui fortemente para baixar o nível intelectual do debate político. Mas certamente levanta a questão central da informação necessária para a efetivação de uma verdadeira democracia e o papel fundamental que a mídia exerce neste processo. Jessé Souza levanta a respeito desta situação perguntas muito pertinentes.

Como é possível convencer a população de que os recursos e o trabalho suado dos 99% que não são endinheirados devem ir para o bolso do 1% mais rico? Como a elite do dinheiro consegue comprar o monopólio não só econômico, mas também cultural, social e político de modo a legitimar o assalto à riqueza coletiva? Como é possível transformar pessoas inteligentes em imbecis capazes de agir contra si mesmos sem perceber? Como tantos são iludidos por tão poucos? A compreensão dos mecanismos da sociedade é extremamente difícil e se faz necessário que se construa a impressão de que tudo é transparente e óbvio e que se construa uma legitimação aceitável.

Pianista fará show no TJA, mas o repertório será feito na hora e com o público

unnamed-15

O pianista Thiago Almeida, um dos mais inovadores artistas da cena cearense, nacionalmente admirado entre os músicos, apresenta um espetáculo diferente, neste domingo, a partir das 17 horas, no foyer do Theatro José de Alencar. É o show “Piano Solo Adubo e Florestas”, onde o artista convida o público para conferir composições feitas na hora, improvisadas de acordo com a atmosfera, o momento, a energia do público e a sensibilidade deste pianista, a partir do livro “Retrato do Artista quando Coisa”, do poeta Manoel de Barros.

O nome do show faz referência às metáforas de Manoel e à imagem e árvores em solo fértil na floresta sonora e vital do artista, um músico de extrema criatividade e que encontrou no piano suas técnicas de voo ouvindo sons de todo tipo através do pai.

SERVIÇO

*Theatro José de Alencar – Centro.

*Ingressos – R$ 10 (inteira) e 5,00 (meia).

Imparh encerra neste domingo inscrições para teste no Centro de Línguas

O Instituto Municipal de Desenvolvimento de Recursos Humanos (Imparh) encerra neste domingo (5/2) as inscrições para o teste de nível dos cursos do Centro de Línguas para o semestre 2017.1. A seleção oferta um total de 343 vagas distribuídas entre os cursos de Inglês, Espanhol, Português, Japonês, Francês, Alemão e Italiano. As inscrições devem ser feitas pela internet no Canal de Concursos e Seleções (concursos.fortaleza.ce.gov.br).

O teste de nível é voltado para aqueles que já possuem conhecimento no idioma e podem ingressar em uma turma mais avançada do curso. O candidato pode concorrer a uma vaga entre o segundo e o penúltimo semestre. O quadro de vagas e o conteúdo programático também podem ser visualizados no Canal de Concursos e Seleções da Prefeitura de Fortaleza.

Exigências

Para se inscrever, o candidato deve ter no mínimo 14 anos e o Ensino Fundamental completo. O formulário eletrônico de inscrição está disponível na página da seleção na internet. O valor da taxa de inscrição é R$ 60. Alunos do Centro de Línguas regularmente matriculados ou reprovados no semestre 2016.2 não podem participar da seleção.

A prova do teste de nível ocorrerá no dia 10 de fevereiro, das 9 às 11 horas, nas salas do Centro de Línguas do Imparh. A seleção será uma prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, composta por 25 questões que abordarão os conhecimentos específicos da língua escolhida pelo candidato. Para acessar o local de prova e a sala de aplicação, o candidato deverá apresentar documento oficial de identidade original com foto.

O resultado do teste de nível será divulgado no dia 13 de fevereiro. Já a matrícula ocorrerá no dia 14 de fevereiro, das 13 às 19 horas, na secretaria do Centro de Línguas do Imparh. Será exigida a cópia do RG, do CPF, do comprovante de residência e comprovante de pagamento da taxa de matrícula.

Asteroide de grande dimensão passará perto da Terra neste domingo

size_960_16_9_857843671

O Observatório Nacional informou que um asteroide de grandes dimensões passa perto da Terra neste domingo (5), mas que não há risco de colisão. O objeto, identificado como 2013FK, tem 94 metros de diâmetro e passará a uma distância, segura, de 2,7 milhões de quilômetros do planeta.

De acordo com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações  e Comunicações, o monitoramento espacial é feito pelo Observatório Nacional por meio do projeto Impacton (Iniciativa de Mapeamento e Pesquisa de Asteroides nas Cercanias da Terra). No Brasil, ele é feito por um telescópio, com espelho de 1,5 metro, instalado no interior do estado de Pernambuco.

No Observatório do Sertão de Itaparica, em Itacuruba (PE), são estudadas as propriedades físicas desses objetos. Além do 2013FK, o monitoramento identificou que, em outubro, outro asteroide, de 19 metros, passará a 38.400 quilômetros da Terra, o que representa um décimo da distância entre a Terra e a Lua. Também não existe chance de colisão.

Com o equipamento, os pesquisadores conseguem estudar as propriedades físicas dos asteroides. “A depender do seu brilho, tamanho e distância, um objeto pode ser visto da Terra até mesmo com o uso de binóculos”, diz nota do ministério.

Em 23 de setembro, o objeto 2006SR131, com 11 metros, se deslocará perto da Terra, a uma distância aproximada de 153 mil quilômetros. Até o momento, são os dois únicos identificados que estarão numa distância inferior entre a Terra e a Lua, que é de aproximadamente 384 mil quilômetros.

(Agência Brasil)

Quer ser Youtuber?

Da Coluna Bric à Brac, da jornalista Inês Aparecida, no O POVO deste domingo (5):

Quem tem vontade de ser um YouTuber e não sabe por onde começar, a chance chegou. A partir de amanhã (6) a escola de programação e robótica SuperGeeks oferece curso rápido.

O material possui 10 aulas que ensinarão a criar o canal, posicionamento de câmera e iluminação em nosso estúdio, roteirização e edição de vídeos, tudo para tornar o canal atrativo. O curso foi feito em colaboração com Anderson Gaveta, sócio fundador da Gaveta Filmes que atende nomes conhecidos na internet como como Porta dos Fundos, Globo, Zoom e Canal Nostalgia.

Quem se interessou pode ligar para (85) 4062-7007 ou (85)999975797 e pedir mais detalhes.