Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Um radialista fatura vaga na Câmara Municipal

SONY DSC

Entre os novatos eleitos para a Câmara Municipal de Fortaleza, entrou gente da mídia.

No caso, o radialista Evaldo Costa, que tem programa em FM e, vez em quando, substituía o deputado federal Vitor Valim na apresentação do programa policial “Cidade 190”, da TV Cidade.

Evaldo havia tentado para deputado estadual no último pleito, mas não obteve êxito. Boa sorte agora como vereador.

E que faça pela cidadania.

PT vai apoiar Roberto Cláudio?

Com o título “Uma análise dos resultados eleitorais”, eis artigo do professor Altemar Muniz, doutor em História. Para ele, a tendência em Fortaleza é o PT apoiar a reeleição do prefeito Roberto Cláudio. Confira:

As mudanças da lei eleitoral, com o fim do financiamento empresarial e a diminuição do tempo de campanha, bem como o cenário pós-impeachment, não produziram resultados eleitorais distintos do previsto antes das modificações. O resultado das eleições em Fortaleza reforça essa análise diante do quadro político estadual e nacional, tanto para o presente como para as eleições de 2018.

No plano estadual reforçou-se o poder da família Ferreira Gomes com a vitória parcial em Fortaleza, Sobral e vários prefeitos apoiados pelo governador Camilo Santana, muito mais representante da citada família do que do PT. Isso prenuncia, caso nenhuma “tragédia” ocorra daqui a dois anos, que o grupo sobralense ainda terá muita força política para o pleito estadual e mesmo para a eleição presidencial.

Entretanto, esta hegemonia está ameaçada pelo bom desempenho eleitoral do grupo liderado por Tasso e Eunício, aliança que se mantém desde 2010, quando Eunício articulou com Tasso, em algumas regiões do Estado, uma dobradinha para limar a eleição de Pimentel para a segunda vaga no Senado. A ida do Capitão Wagner para o segundo turno de Fortaleza, a boa votação em Sobral e em importantes municípios como Juazeiro do Norte, Iguatu etc, evidencia uma considerável musculatura política.

O futuro do peso político desta aliança PMDB-PSDB, no entanto, é muito incerta devido ao apoio destes ao governo Temer, que não parece em condições de reverter tal situação de impopularidade até 2018, devido ao crescimento das manifestações “fora Temer”, como pela política recessiva e privatista que promete promover.

Outra percepção é que o PT, apesar da perda de algumas prefeituras e a diminuição do número de vereadores, ainda é a força determinante para a vitória dos dois principais blocos em disputa, seja para a eleição de prefeito de Fortaleza em 2016, seja para o Governo do Estado em 2018, principalmente se for efetivada a candidatura de Lula para presidente, em que ele tem a preferência de expressiva percentual dos eleitores cearenses.

O desejo dos arautos do impeachment de aniquilar o PT ou isolá-lo enquanto força política não se efetivou. A tendência é o PT apoiar o prefeito Roberto Cláudio, embora Capitão Wagner tenha apoiado Elmano no segundo turno quatro anos atrás. Mas a presença de Tasso e Eunício, principais articuladores da derrubada de Dilma em seu palanque, inviabilizam qualquer possibilidade de aliança.

*Altemar da Costa Muniz

altemarmuniz@gmail.com
Doutor em História e professor do curso de História da Universidade Estadual do Ceará (Uece)

Mercado estima inflação deste ano em 7,23%

“Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram, pela terceira vez seguida, a projeção de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), neste ano, de 7,25% para 7,23%. Para 2017, a projeção foi mantida em 5,07%. Essas estimativas são da pesquisa Focus, elaborada pelo BC com base em projeções de instituições financeiras para os principais indicadores da economia.

Mesmo com as reduções, a estimativa para a inflação em 2016 estoura o teto da meta, que é 6,5%. Para 2017, a projeção não supera o teto da meta (6%), mas ultrapassa o centro, que é 4,5%.

O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic). Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Por outro lado, quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação. Quando mantém a taxa, o Copom considera que ajustes anteriores foram suficientes para alcançar o objetivo de controlar a inflação.”

(Agência Brasil)

PSOL e uma luta que continua

Eis nota do PSOL sobre a derrota do seu candidato a prefeito de Fortaleza, o vereador João Alfredo:

A desigualdade que marca a sociedade também está nas eleições. Enfrentamos essa disputa lutando contra a invisibilização imposta pela legislação e pelas emissoras de TV, o desencanto com a política e as máquinas das campanhas milionárias. Temos orgulho da nossa caminhada!

Apresentamos à cidade o melhor programa de governo e uma chapa formada por João Alfredo, que tem 40 anos de uma bela história em defesa de direitos, e Raquel Lima, uma mulher, negra, da periferia e de luta. Contamos com o apoio de diversas organizações políticas. Lançamos um conjunto de candidatos/as à Câmara Municipal formado por sujeitos que atuam em diferentes lutas.

Ailton Lopes foi o quinto vereador mais votado da cidade. Infelizmente, não atingimos o quociente eleitoral por muito pouco, mas estamos felizes por saber que há muita gente que aposta e constrói a esquerda em Fortaleza. Sua campanha, assim como de toda a chapa do PSOL e do PCB, foi belíssima.

Seguiremos nas ruas e nas lutas, de onde nunca saímos.

Obrigado!

Viva ‘A Fortaleza que Resiste’!

PSDB e PSD crescem em nº de prefeituras no País

Com quase a totalidade dos votos apurados neste domingo (2), o PMDB continua o partido que mais elegeu prefeitos neste ano. O PSDB e o PSD cresceram e o PT encolheu no primeiro turno das eleições municipais de 2016 – perdeu mais da metade das prefeituras em quatro anos, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Nas capitais, o PSDB foi o que mais elegeu prefeitos no primeiro turno –João Doria, em São Paulo, e Firmino Filho, em Teresina– e é o que vai disputar mais prefeituras no segundo turno: oito ao todo. O PMDB é o segundo com mais disputas no segundo turno: 6.

Desgastado pela Operação Lava Jato e após o impeachment de Dilma Rousseff, o PT elegeu apenas um prefeito em capital: Marcus Alexandre, em Rio Branco. Em 2012, foram quatro. O partido só vai disputar uma prefeitura em capitais no segundo turno.

Esse panorama dificilmente deve mudar no país no segundo turno, que ocorrerá em 55 cidades neste ano. O PSDB está em 19 disputas à prefeitura. Em seguida aparecem o PMDB, com 14, PSB, com 9, PDT, com 8 e PPS, PSD e PT, com sete cada.

Se consideradas apenas as maiores cidades com país, com mais de 200 mil habitantes, o PSDB lidera com 14 prefeitos eleitos, contra 7 do PMDB e 3 do DEM. PP, PSD e PPS somaram dois cada. O PT, que elegeu apenas um prefeito em cidades grandes, havia eleito nove em 2012.

desempenho-dos-partidos-nas-prefeituras1

graficico

Em municípios do interior, o PMDB também lidera, seguido pelo PSDB, PSD e PSB. O PSDB avançou em comparação com 2012 nessas cidades, passando de 685 para 791 prefeitos eleitos. O PT, que tinha eleito 629 prefeitos naquele ano, passou a 255.

(Com Portal G1)

Eunício derrota Lula, Irmãos Gomes e PT em Lavras

eunicioom

“Líder do PMDB e tido como favorito para suceder Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado, o senador Eunício Oliveira ganhou uma batalha particular de grande significado simbólico.

O cenário do confronto foi a pequena Lavras da Mangabeira, município de pouco mais de 30 mil habitantes situado a 434 km de Fortaleza. Terra natal de Eunício, era ali, em pleno semiárido nordestino, que os ex-governadores Cid e Ciro Gomes, o PT e o ex-presidente Lula se empenharam para derrotá-lo. Os irmãos Gomes, por uma rivalidade que vem de longe. Lula e petistas, pela irritação com o comportamento do senador durante o processo que resultou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

A mais de uma pessoa Lula manifestou estranheza em relação ao afastamento do líder peemedebista, que foi ministro das Comunicações durante o seu primeiro mandato presidencial e com o qual sempre cultivou boas relações. Em campanha na cidade, Cid Gomes acusou o senador de trair Dilma, apesar do apoio que ela teria dado ao Ceará e a Lavras.

Colocado diante dessas críticas, Eunício costuma contemporizar, reiterando sua admiração por Lula, mas observando que sua ligação com o presidente Michel Temer é conhecida e bem mais antiga.

Para enfrentar o atual prefeito de Lavras da Mangabeira, Dr. Tavinho (PDT), apoiado por seus adversários locais e nacionais, o senador escolheu o médico Ildsser Oliveira (PMDB), 41 anos. Hoje, com 9.938 votos (53,6% do total de votos válidos), Ildsser ganhou a parada. Dr. Tavinho teve 7.339 votos (39,6% do total).

Na eleição cearense, Lula amargou outra derrota pessoal. Chegou a ir a Fortaleza pedir votos para a atual deputada federal e ex-prefeita Luizianne Lins (PT). Com 15% dos votos, ela nem chegou ao segundo turno. A disputa colocará outra vez em polos opostos os Gomes, aliados do prefeito Roberto Cláudio (PDT), e Eunício, que apoia Capitão Wagner (PR), contando com o respaldo do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).”

(Site Congresso em Foco)

Heitor daria coletiva para falar sobre 2º turno, mas cúpula pede cancelamento

heitor

O deputado estadual Heitor Férrer, candidato derrotado a prefeito de Fortaleza pelo PSB, chegou a divulgar que daria coletiva nesta segunda-feira, às 11 horas, na Assembleia Legislativa.

iria falar sobre o resultado do pleito no primeiro turno e dizer que as pesquisas, mais uma vez, influenciaram no processo.

O presidente regional do PSB, deputado federal Danilo Forte, pediu, no entanto, que o parlamentar cancelasse. O PSB quer avaliar o cenário como um todo.

 

Em greve, bancários distribuirão bananas

83 1

Nesta segunda-feira, os bancários do Ceará farão um ato de protesto contra a “intransigência dos banqueiros” em não negociar uma proposta com a categoria, que vive clima de campanha salarial. Os bancários estão em greve desde o dia 6 de setembro, há 28 dias.

A partir das 9h30min, em frente ao conhecido “BEC dos Peixinhos”, no Centro, o Sindicato dos Bancários do Ceará distribuirá bananas entre os clientes e transeuntes. Hora de “dar uma banana” ao descaso dos bancos em relação aos pleitos dos bancários.

 

Eduardo Suplicy é o vereador mais votado do País

suplicy

Com mais de 300 mil votos recebidos, Eduardo Suplicy (PT-SP) foi o vereador mais votado nas eleições deste domingo (2). O ex-senador ficou em primeiro lugar entre os candidatos em São Paulo, maior colégio eleitoral do país. Porém, proporcionalmente, os 5,62% recebidos por ele de eleitores não foi a maior votação entre vereadores de capitais brasileiras.

O vereador com maior porcentagem de votação entre as capitais do país é de Maceió. Produtor de filmes adultos, Lobão (PR-AL) se elegeu com 24.969 votos. O número representa 6,01% do total de votos da cidade. O jornalista Jorge Kajuru (PRP-GO) também teve uma porcentagem de votos maior que a de Suplicy: 5,65%. Confira a lista dos vereadores mais votados do país:
Vereadores mais votados do país

1.Eduardo Suplicy (PT) (São Paulo) – 301.446 (5,62%)

2.Milton Leite (DEM) (São Paulo) – 107.957 (2,01%)

3.Carlos Bolsonaro (PSC) (Rio de Janeiro) – 106.657 (3,65%)

4.Tarcísio Motta (PSOL) (Rio de Janeiro) – 90.473 (3,10%)

5.Tripoli (PV) (São Paulo) – 88.843 (1,66%)

6.Conte Lopes (PP) (São Paulo) – 80.052 (1,49%)

7.Mario Covas Neto (PSDB) (São Paulo) – 75.593 (1,41%)

8.Cesar Maia (DEM) (Rio de Janeiro) – 71.468 (2,45%)

9.Eduardo Tuma (PSDB) (São Paulo) – 70.273 (1,31%)

10.Adilson Amadeu (PTB) (São Paulo)- 67.071 (1,25%)
Vereadores com maior % de votos em capitais

1.Lobão (PR) (Maceió) – 24.969 (6,01%)

2.Jorge Kajuru (PRP) (Goiás) –     37.796 (5,65%)

3.Eduardo Suplicy (PT) (São Paulo) – 301.446 (5,62%)

4.Pedrão (PP) (Florianópolis) –     11.197 (4,63%)

5.Fabrício Gandini (PPS) (Vitória) – 7.611 – (4,21%)

6.Carlos Bolsonaro (PSC) (Rio de Janeiro) – 106.657 (3,65%)

7.Tereza Nelma (PSDB) (Maceió) – 14.991 – (3,61%)

8.Denninho (PPS) (Vitória) – 6.167 – (3,41%)

9.Iran Barbosa (PT) (Aracaju) – 8.809 – (3,18%)

10.Tarcísio Motta (PSOL) (Rio de Janeiro) – 90.473 (3,10%)
Vereador com menor % de votos

O coeficiente eleitoral (que passa votos de candidatos com muitos votos para pessoas do partido) também auxilia que candidatos sem muitos votos ganhem a eleição. No país, o candidato com menor porcentagem de votos que se elegeu é Italo Ciba (PT do B-RJ). De acordo com dados do TSE, ele teve 6.023 votos. O número representa 0,21% dos votos válidos no Rio de Janeiro.

Entre os dez vereadores que se elegeram com menos votos, cinco são do Rio de Janeiro, dois de São Paulo, dois de Belo Horizonte e um de Fortaleza. Entre partidos, quatro são do PHS, dois são do PSOL. PT do B, PPS e PSC têm um eleito cada.

Menos votados e eleitos (capitais)

Menos votados e eleitos (capitais)

1.Italo Ciba (PT do B) (Rio de Janeiro) 6.023 (0,21%)

2.Sâmia Bonfim (PSOL) (São Paulo)     12.464 (0,23%)

3.David Miranda (PSOL) (Rio de Janeiro) 7.012 (0,24%)

4.Osvaldo Lopes (PHS) (Belo Horizonte) 3.018 (0,25%)

5.Dummar Ribeiro (PPS) (Fortaleza) 3.115 (0,25%)

6.Otoni de Paula Jr. (PSC) (Rio de Janeiro) 7.801 (0,27%)

7.Zico Bacana (PHS) (Rio de Janeiro)     7.932 (0,27%)

8.Osvaldo Lopes (PHS) (Belo Horizonte) 3.341 (0,28%)

9.Zé Turin (PHS) (São Paulo) 14.957 (0,28%)

10.Jair da Mendes Gomes (PMN) (Rio de Janeiro) 8.112 (0,28%)

(Agência Brasil)

O que está na mira neste segundo turno

roberto-e-wagner-divulgacao

Da Coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira (3):

O que esperar deste 2º turno de eleições em Fortaleza com Roberto Cláudio e Capitão Wagner? Uma certeza: não vai ser modorrenta como na primeira fase. Promete muitas emoções e abrir não somente o leque de propostas, mas também o estojo de munições. Sim, porque as contradições entre candidatos e propostas vão aparecer mais claramente, até porque ambos concentrarão as atenções em todos os sentidos.

Espera-se que questões importantes para Fortaleza entrem no debate como, por exemplo, meio ambiente e o potencial turístico e de negócios da cidade, bem como, de forma mais clara, o que virá de novo para uma juventude à mercê da pouca assistência oficial.

O 2º turno será ocasião para dirimir dúvidas. Da parte do Paço: O que há de fato nessa caixa-preta chamada ISGH, que administra a saúde? E, do lado do opositor: O que dizer de uma greve armada que gerou pânico na cidade?

Temer visitará a Argentina nesta segunda-feira

“Um dia após as eleições municipais no Brasil, Michel Temer desembarca nesta segunda-feira (3) na Argentina, para a primeira visita ao país desde que assumiu a presidência, no lugar de Dilma Rousseff, no ultimo dia 31 de agosto. Ele estará acompanhado por quatro ministros: das Relações Exteriores; do Desenvolvimento, da Indústria e do Comercio Exterior; da Justiça e da Defesa. Depois de um almoço com o presidente Mauricio Macri, Temer irá ao Paraguai, onde jantará com o presidente Horácio Cartes.

Além de serem sócios do Brasil no Mercosul, a Argentina e o Paraguai foram os primeiros países a reconhecer o seu governo. Com Macri e Cartes, Temer deve falar da retomada do crescimento econômico na região e do combate ao narcotráfico e ao contrabando na Tríplice Fronteira.

Outro tema deve ser a Venezuela: os governos brasileiro, argentino e paraguaio se juntaram para impedir que os venezuelanos assumissem a presidência pro-tempore do Mercosul, que é rotativa e segue a ordem alfabética. Eles alegam que o país – o último a aderir ao bloco regional – não cumpriu os requisitos para tornar-se membro pleno, entre eles a incorporação de um protocolo de defesa dos direitos humanos.

O Uruguai, quarto país fundador do Mercosul, manteve posição neutra, até porque o partido de esquerda do presidente Tabaré Vasquez está dividido: metade considera que o impeachment de Dilma Rousseff foi um golpe e critica o que considera ser um “avanço” da direita na América do Sul. Mas o governo uruguaio acabou assinando um documento que estende até o dia 1º de dezembro o prazo para que a Venezuela regularize sua situação, se não quiser ser suspensa do Mercosul.”

(Agência Brasil)

Moésio Loyola, reeleito prefeito de Campos Sales, foi o campeão de votos no Ceará

566 1
Acarapé – Dr. Franklin (PSD) 5.511 votos (53,52%)

Acaraú – Alexandre Gomes (PDT/PT) 17.727 votos (100%)

Acopiara – Dr. Vilmar (PDT) 15.486 votos (98,24%)

Aiuaba – Adalberto Feitosa (PMDB) 3.598 votos    (100%)

Alcântaras – Joaquim do Quinca (PDT) 4.334 votos (58,07%)

Altaneira – Darionar (PT) 2.545 votos (54,11%)

Alto Santo – Iris (PSB)    5.010 votos (50,23%)

Amontada – Dr. Valdir (PDT) 15.001 votos (60,36%)

Antonina do Norte – Evandro Arrais (SD)    3.225 votos (59,27%)

Apuiarés – Dr. Roberto (PSD) 5.363 votos (51,33%)

Aquiraz – Edson Sá (PMDB) 26.348 votos (60,74%)

Aracati – Bismarck Maia (PTB) 17.766 votos (57,33%)

Aracoiaba – Antônio Cláudio (PSDB) 8.238 votos (40,05%)

Ararendá – Aristeu (PT)    4.091 votos (59,98%)

Araripe – Dr.Giovane (PR) 7.671 votos (57,90%)

Aratuba – Tirica do Julio Cesar (PR) 5.583 votos (61,09%)

Arneiroz – Edgar Monteiro (PMDB) 3.060 votos (54,11%)

Assaré – Evanderto Almeida (PSD) 8.830 votos (62,06%)

Aurora – Dr. Júnior Macêdo (PR) 8.015 votos (48,15%)

Baixio – Zé Humberto (PSB) 2.490 votos (56,08%)

Banabuiú –  Edinho Nobre (PDT) 6.37 votos (54,60%)

Barbalha – Argemiro Sampaio (PSDB) 16.570 votos (49,44%)

Barreira – Alailson (PT/PDT) 7.858 votos (51,15%)

Barro – Dr. George (PSDB) 5.920 votos (95,90%)

Barroquinha – Professor Ademar (PTB) 5.425 votos (51,56%)

Baturité – Assis Arruda (PDT) 10.257 votos (51,05)

Beberibe – Padre Pedro (PSD) 18.362 votos (52,76%)

Bela Cruz – Cachimbão (PTB/PT) 8.805 votos (54,41%)

Boa Viagem – Aline Vieira (PR) 19.397 votos (63,02%)

Brejo Santo – Dra. Teresa Landim (PDT) 19.886 votos (75,70%)

Camocim – Mônica (PDT)    18.411 votos (50,33%)

Campos Sales – Moésio Loiola (PDT)  11.051 votos (96,75%)

Canindé – Rozario Ximenes (PMDB) 17.575 votos (47,35%)

Capistrano – Inês (PSDB) 7.038 votos (55,15%)

Caridade – Amanda Lopes (PDT) 6.869 VOTOS (52,14%)

Cariré – Elmo Aguiar (PDT) 9.042 votos (76,71%)

Caririaçu – Edmilson Leite (PDT) 9.556 votos (51,72%)

Cariús – Iran (PMB) 5.811 votos (48,34%)

Carnaubal – Ademir Martins (PMDB) 5.077 votos (50,90%)

Cascavel – Ivonete Queiroz (PDT) 20.144 votos (52,69%)

Catarina – Dr. Thiago (PMDB) 4.395 votos (60,36%)

Catunda – Ravenna (PDT) 3.612 votos (53,08%)

Caucaia – Naumi Amorim (PMB) 73.316 votos (48,10%) e Eduardo Pessoa (PSDB) 48.450 votos (31,79%) – segundo turno

Cedro – Dr Nilson (PDT) 8.640 votos (51,49%)

Chaval – Sebastiãozinho (PDT) 5.998 votos (69,36%)

Choró – Marcondes Jucá (PEN) 5.238 votos (100%)

Chorozinho – Dr. Junior (PSD) 7.988 votos (54,70%)

Coreaú – Roner (PSDB) 8.279 votos (51,64%)

Crateús – Marcelo Machado (SD) 21.064 votos (50,61%)

Crato – Zé Ailton (PP) 37.740 votos (58,78%)

Croatá – Thomaz (PDT) 5.058 votos (50,06%)

Cruz – Jonas Muniz (PSDB) 8.777 (53,78%)

Deputado Irapuan Pinheiro – Claudenilton Pinheiro (PSDB) 4.035 votos (72,26%)

Ererê – Toinho de Luizão (PP) 2.276 votos (52,64%)

Eusébio – Dr. Acilon (PEN) 25.861 votos (81,20%)

Farias Brito –     Zé Maria (PCdoB) 7.639 votos (62,87%)

Forquilha – Gerlásio Play (PT)    8.144 votos (54,47%)

Fortaleza – Roberto Cláudio (PDT) 524.973 votos (40,81%) e Capitão Wagner (PR) 400.802 votos (31,15%)

Fortim – Naselmo Ferreira (PMDB) 7.318 votos (62,56%)

Frecheirinha –     Carleone Júnior (PP) 4.929 votos (50,65%)

General Sampaio – Chico Cordeiro (PDT) 3.813 votos (58,17%)

Graça – Augusto Brito (PCdoB) 4.626 votos (51,09%)

Granja – Amanda do Romeu (PDT) 20.972 votos (65,33%)

Granjeiro – João do Povo (PSD) 2.358 votos (52,39%)

Groaíras – Ueliton Vasconcelos (PPS) 3.925 votos (54,90%)

Guaiúba – Marcelo Fradique (PR) 8.725 votos (54,92%)

Guaraciaba do Norte – Adail Machado (PMDB) 15.870 votos (67,74%)
Guaramiranga – Roberlândia (PDT) 2.264 votos (47,16%)

Hidrolândia – Iris Martins (PDT) 7.001 votos (54,44%)

Horizonte – Chico César (PSDB) 29.302 votos (70,88%)

Ibaretama – Edson Moraes (PMDB) 6.066 votos (60,96%)

Ibiapina – Leandro Linhares (PR) 7.964 votos (59,96%)

Ibicuitinga – Franzé Carneiro (PDT) 5.428 votos (50,72%)

Icapuí – Lacerda (PMDB) 7.263 votos (54,58%)

Icó –     Lais Nunes (PMB) 20.398 votos (52,32%)

Iguatu – Ednaldo Lavor (PDT) 31.557 votos (60,09%)

Independência – Valdi Coutinho (PSD) 8.004 votos (80,38%)

Ipaporanga – Toinho Contábil (PT) 4.306 votos (61,78%)

Ipaumirim – Dr. Geraldo (PMDB) 4.109 votos (53,18%)

Ipu – Sergio Rufino (PCdoB) 12.785 votos (53,31%)

Ipueiras – Neném do Cazuza (PDT) 10.815 votos (50,42%)

Iracema – Zé Juarez (PT) 5.526 votos (61,69%)

Irauçuba – Nonatinho (PSD) 7.731 votos (56,02%)

Itaiçaba – Dr. Erenarco (PMDB)     3.090 votos (51,53%)

Itaitinga – Abel (PMDB)  8.585 votos (49,53%)

Itapagé – Dimas Cruz (PP/PT) 11.730 votos (40,50%)

Itapipoca – João Barroso (PSDB) 33.158 votos (46,52%)

Itapiúna – Dário COelho (PMDB) 6.240 VOTOS (48,79%)

Itarema – Elizeu Monteiro (PDT) 13.456 votos (54,41%)

Itatira – Antônio Almir (PDT) 7.602 votos (53,87%)

Jaguaretama – Glairton Cunha (PR) 7.660 votos (62,95%)

Jaguaribara – Juju (PSDB) 3.356 votos (87,37%)

Jaguaribe – Zé Abner (PDT) 11.511 votos (100%)

Jaguaruana – Roberto da Viúva (PTN) 11.995 votos (51,83%)

Jardim – Dr. Aniziario (PCdoB) 10.306 votos (63,88%)

Jati –     Neta (PSD) 3.971 votos (100%)

Jijoca de Jericoacoara – Lindbergh Martins (SD) 4.084 votos (36,38%)

Juazeiro do Norte – Arnon Bezerra (PTB) 55.538 votos (42,72%)

Jucás – Luna (PDT) 8.747 votos (55,11%)

Lavras da Mangabeira –     Ildsser (PMDB) 9.938 votos (53,63%)

Limoeiro do Norte – Dr. Zé Maria (PMDB)  24.938 votos (71,93%)

Madalena – Sônia (PMDB) 7.640 votos (69,58%)

Maracanaú – Firmo Camurça (PR) 81,315 votos (72,10%)

Maranguape – João Paulo Xerez (PHS) 33.634 votos (100%)

Marco – Roger Aguiar (PSD) 10.750 votos (59,07%)

Martinópole – Júnior Fontenele (PSD) 4.525 votos (54,45%)

Massapê – Jacques Albuquerque (PMDB) 12.596 votos (53,92%)

Mauriti – Mano Morais (PDT) 15.589 votos (57,59%)

Meruoca – Fonteles (PP) 4.047 votos (44,94%)

Milagres – Lielson Landim (PDT) 9.312 votos (52,57%)

Milhã – Darlan Dantas (PSD) 4.922 votos (53,02%)

Miraíma – Eduardo Filho (PR) 5.598 votos (58,56%)

Missão Velha –     Dr. Tardiny (PT) 10.166 votos (100%)

Mombaça – Ecildo Filho (PMDB) 13.304 votos (53,91%)

Monsenhor Tabosa – Jeová Madeiro (PDT) 6.279 votos (54,89%)

Morada Nova – Wanderley Nogueira (PT) 24.888 votos (54,69%)

Moraújo – Áquila (PDT) 3.349 votos (55,68%)

Morrinhos – Carlos Bruno (PSDB) 7.726 votos (51,91%)

Mucambo – Canarinho (PCdoB) 5.558 votos (100%)

Mulungu – Robert Viana (PMN) 3,706 votos (54,54%)

Nova Olinda – Afonso Sampaio (PSD) 5.881 votos (60,96%)

Nova Russas – Dr. Rafael Pedrosa (PMN) 7.182 votos (51,81%)

Novo Oriente – Vanaldo Moura (PCdoB) 8.531 votos (50,49%)

Ocara – Amália Pereira (PP) 10.231 votos (51,79%)

Orós –     Simão Pedro (PSD) 8.055 votos (57,19%)

Pacajus – Flanky Chaves (PP) 16.733 votos (42,01%)

Pacatuba – Carlomano Marques (PMDB) 11.999 votos (33,77%)

Pacoti – Kiko (PV) 4.664 votos (55,83%)

Pacujá – Alex Melo (PDT) 2.583 (52,76%)

Palhano – Dinho (PT) 4.461 votos (59,62%)

Palmácia – David do Cláudio (Pros) 4.874 votos (63,83%)

Paracuru – Ribeiro (PSDB) 9.778 votos (40,48%)

Paraipaba – Dimitri Batista (PSDB) 8735 votos (51,32%)

Parambu – Filho Noronha (SD) 12.345 votos (60,11%)

Paramoti – Eduardo (PDT) 3.809 votos (47,86%)

Pedra Branca – Gois (PRP) 16.796 votos (63,12%)

Penaforte – Agabio (PDT) 3.512 votos (52%)

Pentecoste – João Bosco (PDT) 15.873 votos (60,53%)

Pereiro – Neto Estevam (PDT) 6.699 votos (62,30%)

Pindoretama – Valdemar (PT) 8.068 (56,06%)

Piquet Carneiro – Bismarck (PDT) 5.745 votos (64,51%)

Pires Ferreira – Marfisa (PDT) 3.640 votos (57,78%)

Poranga – Dr. Cárlisson (PDT) 3.780 votos (51,32%)

Porteiras – Fábio (PTB) 6.981 votos (69,37%)

Potengi – Edivânio (PR) 1.751 votos (100%)

Potiretama – Eudes (PSD) 2.665 votos (57,27%)

Quiterianópolis – Dr. Barreto (SD) 6.749 votos (96,02%)

Quixadá – Ilário Marques (PT) 25.469 votos (56,94%)

Quixelô – Fátima Gomes (PT) 5.618 votos (50,78%)

Quixeramobim –     Clébio Pavone (SD) 22,651 votos (54,40%)

Quixeré – Bessa (PDT) 7.392 votos (90,05%)

Redenção – Davi Benevides (PHS) 9.506 votos (83,49%)

Reriutaba – Osvaldo Neto (PDT) 8.660 votos (75,92%)

Russas – Weber (PRB) 20.841 VOTOS (47,22%)

Saboeiro – Dr. Tácido (PMDB) 4.608 votos (89,67%)

Salitre – Rondilson (PT) 6.272 votos (100%)

Santa Quitéria – Fabiano Lobo (PDT) 9.410 votos (75,91%)

Santana do Acaraú – Marcelo Arcanjo (PMDB) 10.827 votos (52,27%)

Santana do Cariri – Danieli (PSL) 5.232 votos (50,36%)

São Benedito –     Gadyel (PCdoB) 14.225 votos (53,36%)

São Gonçalo do Amarante – Cláudio Pinho (PDT) 21.065 votos (61,79%)

São João do Jaguaribe – Acácio Chaves (PDT) 3.553 votos (54,56%)

São Luís do Amarante –  Cláudio Pinho (PDT) 21.065 votos (61,79%)

São João do Jaguaribe – Acácio Chaves (PDT) 3.553 votos (54,56%)

São Luís do Curu – Carol Ramalho (PR) 6.160 votos (61,22%)

Senador Pompeu – Maurício Pinheiro (PDT) 10.137 votos (61,50%)

Senador Sá – Regina (PSD) 2.710 votos (50,74%)

Sobral – Ivo Gomes (PDT) 56.483 votos (51,65%)

Solonópole – Webston Pinheiro (PRB) 6.178 votos (53,43%)

Tabuleiro do Norte – Dr. Rildson (PSD) 10.854 votos (54,78%)

Tamboril – Pedro Calisto (PMDB) 8.249 votos (50,98%)

Tarrafas – Taiano (PP) 3.182 votos (53,67%)

Tauá – Carlos Windson (PR) 16.287 votos (50,14%)

Tejuçuoca – Heloide Estevam (PMDB) 6.420 votos (54,09%)

Tianguá – Jean Azevedo (PDT) 19.637 votos (93,35%)

Trairi – Dr. Marcos Prado (PSDB) 17.127 votos (51,66%)

Tururu – Fátima Galdino (PDT) 5.203 (45,11%

Ubajara – Renê do Ari (PDT) 10.082 votos (53,47%)

Umari – Alexandre (PT) 2.525 (50,04%)

Umirim – Felipe Uchoa (PSD) 6.382 votos (51,29%)

Uruburetama – Dr. Hilson (PCdoB)10.558 votos (76,47%)

Uruoca – Kilsem (PDT) 4.872 votos (54%)

Varjota – Célia (PMDB) 6.597 votos (54%)

Várzea Alegre –    Zé Helder (PMDB) 15.520 votos (57,63%

Viçosa do Ceará – Zé Firmino (PMDB) 19.116 votos (55,93%)

Vice-prefeito supera prefeito em Iguatu

enaldo-e-camilo

Camilo levou Lula para turbinar a campanha de Lavor.

Desacreditado há três meses antes da eleição, o vice-prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor (PDT), deu a volta por cima e venceu a votação desse domingo (2), com 60% dos votos válidos.

O vice-prefeito teve que superar o atual prefeito Ederilo Alcântara (PSB), que integra o grupo político do deputado estadual Agenor Neto (PMDB).

A campanha de Ednaldo Lavor foi tocada pelo consultor político Fabner Utida.

Vitória com gosto amargo

foto-julio-cesar-maracanau

Três vezes prefeito de Maracanaú, duas vezes deputado estadual, elegeu a esposa uma vez deputada estadual e o filho cumpre o segundo mandato também na Assembleia Legislativa.

A trajetória política no final dos anos 1990 e na primeira década nos anos 2000 levou Júlio César Costa Lima a ser apontado como a maior liderança na Região Metropolitana de Fortaleza. Não havia aliado que não o idealizasse em uma vice-governadoria ou em uma disputa pela gestão da Capital.

Mas as investigações de improbidade administrativa e a incerteza da lealdade política afastaram Júlio César da Prefeitura já por 12 anos, com vexatórias derrotas. A última ocorreu nesse domingo (2), quando o filho e deputado estadual Julinho (PDT) viu o adversário Firmo Camurça (PR) ser reeleito com 72,1% dos votos válidos. E assim vão mais quatro anos longe da Prefeitura.

Mas, nem tudo foi vexame, talvez. Júlio César foi eleito vereador de Maracanaú, nesse domingo. A ideia era transformar a sua liderança na maior bancada que a Câmara Municipal já viu. Mas foi Júlio César quem precisou dos votos da coligação PEN/PHS/PDT para uma tímida 18ª posição entre os 21 vereadores eleitos, com apenas 1.556 votos.

Não fosse o coeficiente eleitoral, Júlio César teria sido superado pelos suplentes Gerson Cecchini (2.269 votos), Tia Rita (2.080 votos), Pastor Neto (1.696 votos), Daniel Baima (1.666 votos) e João Bodó (1.562 votos). E sequer seria eleito.

Eleições 2016: PSDB e PMDB disputam espaço nas capitais; PT cai

A principal mudança que se observa no primeiro turno das eleições municipais de 2016 em comparação a 2012 foi o desempenho do PT, que desta vez não conseguiu polarizar com o PSDB nas capitais do país. Este ano, entre os candidatos petistas, apenas Marcus Alexandre conseguiu se reeleger em primeiro turno em Rio Branco (AC). O PT também conseguiu enviar João Paulo para o segundo turno no Recife (PE).

Os tucanos, no entanto, não só conseguiram manter o mesmo número de candidatos disputando o segundo turno, oito nas capitais, como aumentou a quantidade de prefeitos eleitos em primeiro turno. Este ano, além de conquistar a maior capital do país, elegendo João Dória em São Paulo, o PSDB também reelegeu Firmino Filho em Teresina (PI).

O PMDB teve queda no desempenho no primeiro turno este ano em relação a 2012 nas capitais. Há quatro anos, o maior partido do país tinha conquistado, em primeiro turno, o segundo maior colégio eleitoral – o Rio de Janeiro, com a reeleição de Eduardo Paes – e eleito Teresa Surita prefeita de Boa Vista (RR). Desta vez, conseguiu apenas reeleger Teresa em primeiro turno. No entanto, seis candidatos do partido vão disputar o segundo turno este ano. Em 2012 foram apenas três peemedebistas no segundo turno das eleições municipais.

Ao todo, oito capitais tiveram as eleições definidas em primeiro turno. Além de PT, PSDB e PMDB, também elegeram candidatos hoje PDT, com Carlos Eduardo em Natal (RN); PSB, com Carlos Amastha em Palmas (TO); DEM, com ACM Neto em Salvador (BA); e PSD, com Luciano Cartaxo em João Pessoa (PB).

O segundo turno vai ser disputado em 18 capitais com candidatos de 16 partidos. Estarão em campanha este mês os candidatos de PT, PMDB, PSDB, PR, PDT, PSB, REDE, PSD, PP, PTB, PCdoB, PMN, PSOL, PHS, PPS, e SD. No segundo turno das eleições, os partidos que mais vão se enfrentar são PMDB e PSDB. Eles disputam em Porto Alegre (RS), Maceió (AL) e Cuiabá (MT).

(Agência Brasil)