Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Movimento no aeroporto de Fortaleza é fraco neste feriado

aeroporto

O movimento no Aeroporto Internacional Pinto Martins, neste feriado, pouco ajuda o turismo. As empresas aéreas estão operando com a metade das poltronas ocupadas.

A queda no movimento é consequência não só da redução de voos, mas porque houve reajuste de até 20% dos bilhetes.

Agências de viagem, taxistas, locadoras de veículos, lojas de artesanato e até barracas de praia sentem essa queda. A crise aterrissou, mas há expectativa de que, na primeira quinzena deste mês, o quadro apresente melhora. Os pacotes estão sendo fechados para a alta estação.

(Foto – Paulo MOsKa)

 

“A PEC 55 é um mal necessário”, diz presidente do Conselho Federal de Contabilidade

martonio2_0

Da Coluna Vertical, do O POVO desta terça-feira:

Um mal necessário!” Eis como define o presidente do Conselho Federal de Contabilidade, o cearense Martõnio Coelho, a PEC 55 (era 241 na Câmara), em tramitação no Senado e que chega para limitar os gastos públicos. Ele lamenta que seja um remédio amargo e duro para tentar estancar a crise econômica de um País que chegou ao fundo do poço, mas afirma ser necessária para que as contas voltem a um patamar de equilíbrio.

Martõnio não quis nominar culpados pela situação. Nada de bater no PT, como apontam setores governistas. Prefere dizer que o Brasil viveu “uma crise de má gestão”, sendo fundamental agora retomar a trilha do desenvolvimento sem caça às bruxas.

“Pior do que está, não fica. Essa PEC, infelizmente, precisa ser aprovada”, insiste o dirigente do Conselho.

O POVO é proibido pela Justiça de citar nome de juiz investigado no escândalo das liminares

149 1

O jornal O POVO foi intimado oficialmente, na última sexta-feira, 11, a se abster de mencionar, em matérias jornalísticas, o nome de um juiz envolvido nas investigações da operação que apura supostas vendas de liminares em plantões judiciais do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJ-CE).

A intimação é uma decisão do juiz José Coutinho Tomaz Filho, da 10ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza, que determina, além da retirada de todas as matérias publicadas envolvendo o nome do magistrado e da operação, a inserção do caso em segredo de Justiça. Foi fixada uma multa diária no valor de R$ 500 em caso de descumprimento da determinação.

O advogado do Grupo de Comunicação O POVO, Will Robson Sobreira, afirmou que o veículo vai recorrer da decisão por entender que o interesse público deve ser sempre prioridade na produção do material jornalístico. “As notícias que estão sendo publicadas (envolvendo o nome do juiz) estão sendo feitas com critério, com os cuidados necessários exigidos pela lei, tudo nos termos da Constituição Federal do País”, ressaltou Sobreira que recebeu a intimação com “preocupação”.

O diretor-geral de Jornalismo do O POVO, Arlen Medina Néri, criticou a determinação por avaliar como uma forma de intimidação da liberdade de expressão. “É um típico caso de censura prévia judicial. Uma afronta à democracia e ao Estado Democrático de Direito que tem na Justiça um de seus pilares básicos. O POVO vai recorrer. E mais – vai denunciar esta agressão à liberdade de expressão a todas as entidades brasileiras e internacionais que monitoram este tipo de intimidação ao pleno exercício da liberdade de imprensa”, afirmou.

O diretor institucional do Grupo de Comunicação O POVO, Plínio Bortolotti, recebeu com surpresa a determinação da Justiça e considerou a medida do juiz José Coutinho Tomaz Filho como “arbitrária e antidemocrática”.

Entidades

O diretor-executivo da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira, lamentou a proibição da produção jornalística do O POVO. “A ANJ considera lamentável porque o que está ocorrendo é um cerceamento do direito das pessoas de serem livremente informadas”, defendeu.

“A decisão judicial representa um precedente perigoso e uma grave ameaça à liberdade de imprensa. O direito à informação está previsto na Constituição Federal e permite que as coberturas jornalísticas que tratam de denúncias sejam realizadas sem amarras, desde que feitas com responsabilidade e dando espaço ao contraditório e à ampla defesa”, declarou o presidente da presidente da Associação Cearense de Imprensa (ACI), Salomão de Castro.

O presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Domingos Meirelles, também lamentou o despacho do juiz. “A ABI entende que o despacho do juiz representa um inaceitável retrocesso diante da legislação em vigor, além de ameaçar a liberdade de imprensa e o livre acesso à informação”, criticou.

(O POVO – Repórter Wagner Mendes)

Tasso Jereissati: “Ciro não está bem”

392 2

Tasso

O senador Tasso Jereissati (PSDB) repercutiu crítica do ex-governador Ciro Gomes (PDT), que o chamou de “picareta”. Questionado sobre o que teria motivado a declaração, o tucano respondeu: “Não faço ideia. Eu acho que ele não está bem”.

Para Tasso, “se ele estivesse bem, não teria falado isso”. Ex-aliado do senador, Ciro foi apoiado por ele em 1991, quando disputou o Governo do Estado. Posteriormente, em 2006, o tucano apoiou informalmente seu irmão, Cid Gomes (PDT) ao mesmo cargo, rompendo posteriormente.

Em entrevista para o Blog Sobral de Prima, de Sobral, Ciro chamou os senadores Tasso e Eunício Jereissati (PMDB) de “picaretas-mor” e disse que siglas são uma “indústria de picaretas”. As acusações provocaram reações aos dois partidos, que responderam à fala, e repercussão na Assembleia Legislativa na semana seguinte.

“Evidentemente, quando há ofensas e insultos gratuitos as dificuldades de relacionamento pessoal ficam bem mais sérias, mas eu acho que relevo por ainda considerar que ele não está bem”, respondeu Tasso.

Em entrevista, Tasso também falou sobre apoio que deu ao deputado estadual Capitão Wagner (PR) à Prefeitura de Fortaleza. Segundo ele, Wagner representa a nova política que ele quer trazer para o Ceará.

“Fui até muito criticado por alguns setores, mas tive a chance de apoiar um candidato a prefeito de cabeça nova, gente nova, sem nenhum dos hábitos da política tradicional, sem nenhum dos vícios de quem está no poder há muito tempo”, disse. Durante a campanha, Wagner também sofreu muitas críticas de Ciro.

(O POVO – Repórter Letícia Alves)

Senador diz que projeto sobre abuso de autoridade ameaça Lava Jato

O senador Alvaro Dias (PV-PR) defendeu a união dos senadores para impedir que a votação do projeto sobre punições ao abuso de autoridade se torne prioridade no Senado. Ele disse que o Brasil precisa realmente de uma legislação moderna sobre o assunto, mas advertiu que esse não é o momento adequado para esse debate.

Para o senador, está evidente que a tentativa de acelerar a votação desse projeto visa comprometer a operação Lava Jato, da Polícia Federal. Ele disse que, na avaliação do presidente da Associação de Juízes Federais, Roberto Veloso, a proposta faz parte de uma campanha contra os juízes, com o objetivo de enfraquecer o Judiciário e paralisar as investigações de corrupção na administração pública.

– Não é hora de debatermos abuso de autoridade quando o que se exige é prioridade para a Lava Jato, investigações e valorização das autoridades judiciárias em razão do papel preponderante que desenvolvem neste momento para a construção do Brasil do futuro – afirmou.

(Agência Senado)

Comissão rejeita proposta que proíbe consumo de bebidas alcoólicas em jogos de futebol

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços rejeitou proposta que proibia a venda de bebidas alcoólicas em estádios de futebol nos dias de jogos. A proibição atingiria estabelecimentos comerciais nas proximidades dos estádios em dias de jogos com atletas profissionais ou amadores. Foi rejeitado o Projeto de Lei (PL) 4457/16, do deputado Alberto Fraga (DEM-DF). Segundo o autor, “o poder público não pode ficar parado diante da violência que vem destruindo o futebol”.

No entanto, o relator, deputado Jorge Côrte Real (PTB-PE), argumentou que muitos tumultos com consequências drásticas poderiam ser evitados se houvesse policiamento dimensionado para as partidas.

Para Côrte Real, a realização de um trabalho de prevenção antes e após as partidas, incluindo o monitoramento de locais com mais chance de conflito entre torcidas, seria potencialmente mais efetivo do que a simples proibição de bebidas alcoólicas nos estádios. “A simples proibição puniria o lazer de tantos torcedores pacíficos”, avaliou o relator.

O relator lembrou ainda que, desde 2010, uma alteração no Estatuto do Torcedor (Lei 10.671/03) deixou clara a proibição de bebidas alcoólicas em todos os locais onde ocorrem eventos esportivos, não apenas em estádios. O texto proíbe o “porte de bebidas suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência”.

Mas, segundo Real, como a Lei Geral da Copa (Lei 12.663/12) retirou provisoriamente o efeito de alguns artigos do Estatuto do Torcedor, entre os quais o da proibição, diversos municípios adaptaram suas legislações para permitir a venda de bebidas alcoólicas em estádios novamente.

Essas alterações, segundo o relator, já são objeto de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF).

(Agência Câmara Notícias)

Ex-secretário preso por fraude em prova do Enem é liberado em audiência de custódia

O ex-secretário da Saúde do município de Alto Santo, a 241 quilômetros de Fortaleza, Antônio Diego Lima Rodrigues, de 34 anos, permaneceu menos menos de 48 horas preso. O médico deve responder em liberdade após decisão da Justiça Federal em audiência de custódia.

Diego preso em flagrante na tarde do último domingo, 6, e liberado na terça-feira,8. Ele foi flagrado com escutas enquanto fazia a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A investigação foi realizada pela Polícia Federal na operação Embuste.

De acordo com a Justiça Federal, Diego foi liberado mediante alvará de soltura. Após a prisão em flagrante, o preso tem direito a audiência de custódia. Na ocasião, o ex-secretário foi liberado, mas responderá ao processo como réu. As condições para ele responder em liberdade são as de não se ausentar por mais de 30 dias da comarca de Fortaleza e comparecer a todos os atos do processo.

A decisão foi do juiz federal substituto da 12ª Vara Federal, Gustavo Henrique Teixeira de Oliveira. Diego foi preso em flagrante em uma faculdade no Centro de Fortaleza, onde fazia o Exame de Ensino Médio (Enem). Com ele a Polícia Federal encontrou material de ponto eletrônico. O suspeito foi encaminhado à superintendência da PF, onde foi autuado por estelionato e crimes contra o patrimônio.

Antônio Diego foi exonerado da pasta da Secretaria da Saúde de Alto Santo na segunda-feira, 7. A Prefeitura informou que não tinha conhecimento sobre a vida particular do ex-secretário e não havia sequer a informação que ele havia se submetido ao Enem. A Prefeitura também cogitou abrir um processo administrativo para apurar se Diego cometeu alguma irregularidade, enquanto foi gestor da pasta da Saúde.

O ex-secretário também foi gestor na pasta da Saúde em Crateús e é graduado em medicina na Argentina. No entanto, ele não possuía registro para exercer a profissão no Brasil. No segundo dia de prova, a Polícia Federal registrou quatro prisões durante a aplicação do Enem, no estado do Ceará. Uma dessas prisões foi a do, então, secretário da Saúde de Alto Santo. Os outros casos aconteceram em Juazeiro do Norte, Cedro e Independência.

(POVO – Repórter Jéssika Sisnando)

Bloqueada conta de empresa que cancelou festa de formatura

O juiz Cid Peixoto do Amaral Neto, titular da 3ª Vara Cível do Fórum Clóvis Beviláqua, concedeu tutela antecipada ontem para determinar o bloqueio das contas da empresa Realize Assessoria e Eventos Ltda e dos sócios dela. Eles são acusados de crime de estelionato.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), alunos do curso de Farmácia da Universidade Federal do Ceará (UFC) contrataram a empresa para realizar as festividades da formatura.

A empresa encaminhou um e-mail para os membros da comissão de formatura informando que estava fechando as portas, sem qualquer informação adicional, ressaltando apenas que tentaria entregar algumas fotos que já tinham sido feitas.

Relator retira possibilidade de juízes serem julgados por crime de responsabilidade

A possibilidade de juízes, procuradores e promotores serem denunciados por crime de responsabilidade será retirada do parecer que o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) apresentou à comissão especial que analisa as medidas anticorrupção sugeridas pelo Ministério Público Federal (PL 4850/16).

O anúncio da modificação no texto foi feito nesta segunda-feira (14) por Lorenzoni, após uma reunião com procuradores da República.

A chamada “medida 18” do substitutivo entregue na semana passada permitia que juízes e membros do Ministério Público sejam processados por crime de responsabilidade em situações como abuso de poder ou falta de decoro. Atualmente, só podem ser julgados por crime de responsabilidade o presidente da República e seus ministros, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República e os governadores. A lei que trata do assunto é de 1950 (1.079/50) e foi a mesma usada no processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff.

Apesar de defender a sua proposta, Lorenzoni disse que ficou convencido com os argumentos dos procuradores de que o momento não é o adequado para tratar do assunto.

“Não queremos misturar um projeto sério, que busca fechar as brechas por onde escapam corruptos e corruptores, com iniciativas que possam ser usadas para cercear a ação de investigadores”, comentou o relator. “Consideramos, portanto, inoportuno discutir a questão do crime de responsabilidade neste momento. Isso deverá ser feito pelo Parlamento em outra oportunidade”, acrescentou.

Lorenzoni afirmou que a decisão de retirar a “medida 18” do texto conta com o apoio do presidente da comissão especial, deputado Joaquim Passarinho (PSD-PA).

(Agência Câmara Notícias)

Mais da metade das pessoas vão usar 13º nas compras de Natal, segundo pesquisa

Dos trabalhadores que recebem 13º salário, 52,9% pretende gastar pelo menos parte do salário com compras de Natal, segundo pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em todas as capitais do país. Desse total, 60% é do sexo masculino.

Entre os entrevistados que recebem 13º salário, 42,1% vão usá-lo em parte para compras de Natal; 27%, não vão usá-lo na data com compras e presentes; 7,5%, vão gastar tudo em presentes e comemorações; 3,3%, vão gastar tudo em compras, e 20,1% não sabem o que farão. O levantamento mostrou ainda que 41% dos entrevistados farão bicos para aumentar a renda e comprar mais presentes ou presentes melhores no Natal.

Dos 27% que não vão gastar o 13º com compras ou presentes, 26,6% pretendem economizar. Este índice caiu em 2015 (31,2%) e 2014 (46%). O número de pessoas que quer usar o dinheiro para pagar dívidas aumentou nos últimos três anos: 21% em 2014, 24,3% em 2015 e 26,4% em 2016 e quem quer pagar impostos ou tributos se manteve estável em 10% em 2014 e 2015 e subiu para 11,4% neste ano.

Quem pretende viajar caiu nos últimos três anos: 14% em 2014, 11,1% em 2015 e 8,2% em 2016. O número de pessoas que quer quitar dívidas para fazer novas compras aumentou: 3% em 2014, 5,1% em 2015 e 7,8 em 2016. Os indecisos ficaram em 5% em 2014, 15,6% em 2015 e 17,7% em 2016.

(Agência Brasil)

Eunício apresenta projeto de dessalinização da água do mar para combater crise hídrica no Ceará

foto-eunicio-oliveira-senador-ce

O senador Eunício Oliveira apresentou, nesta segunda-feira (14), no Senado, projeto de lei que modifica as diretrizes nacionais para o saneamento básico, visando a incentivar a dessalinização da água do mar e das águas salobras subterrâneas.

Eunício quer utilizar a água do mar e o desenvolvimento tecnológico para combater o problema da crise hídrica no Ceará e no Nordeste. O projeto está na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle do Senado.

(com Agência Senado)

STF julgará ação sobre auxílio-moradia para juízes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso liberou nesta segunda-feira (14) para julgamento um recurso que trata da validade do pagamento de auxílio-moradia para juízes. A data do julgamento precisa ser definida pela presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia.

O pagamento do benefício foi autorizado liminarmente em 2014 pelo ministro Luiz Fux em outra ação de trata do assunto. O valor atual do auxílio-moradia é de R$ 4,3 mil. O benefício está previsto na Lei Orgânica da Magistratura (Lei Complementar 35/1979), mas tem a validade contestada pela Advocacia-Geral da União (AGU).

Com a decisão de Fux, foram beneficiados juízes da Justiça Trabalhista, da Justiça Militar e magistrados de nove estados que ainda não recebiam auxílio-moradia até então. Na época, a decisão atingiu cerca de 6,7 mil juízes e desembargadores. O impacto nas contas públicas é de mais de R$ 100 milhões por ano.

Após a decisão do STF, o Ministério Público da União (MPU) também aprovou uma resolução para estender o benefício a seus membros.

(Agência Brasil)

Fortaleza tem área de savana protegida

foto-fortaleza-savana-2

O prefeito Roberto Cláudio sancionou a lei que cria a Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) Professor Abreu Matos, na Cidade dos Funcionários. De autoria do vereador João Alfredo (Psol), a nova lei protege 18,8 hectares de vegetação savânica.

Segundo o vereador, o poligonal de quase 220 mil metros quadrados possui uma vegetação natural de Cerrado, única na capital cearense, com mais de 140 de espécies savânicas associadas a nativas do litoral.

DETALHE – João Alfredo, feliz com a terceira lei aprovada para a criação de Área de Relevante Interesse Ecológico, que já se mostra disposto a pedir música no “Fantástico”.

Camilo assina na China memorando para projeto de refinaria

Governador Camilo Santana

O governador Camilo Santana assinou nesta segunda-feira (14), em Guangzhou, na China, um Memorando de Entendimento (MOU – Memorandum of Understanding) com a multinacional de petróleo Guangdong Zhenrong Energy para realização de estudo sobre o projeto da refinaria do Ceará. O empreendimento no Estado está incluído dentro de um acordo Brasil-China, assinado no ano passado, e deverá ser financiado por bancos chineses.

“Esse é um passo importante para viabilizarmos a refinaria em nosso estado. O empreendimento, que estará dentro da nossa Zona de Processamento de Exportação, deverá gerar pelo menos 10 mil empregos na fase de construção e 8 mil postos permanentes entre diretos e indiretos”, citou o governador Camilo Santana, que está na China acompanhado dos secretários Antônio Balhmann (Assuntos Internacionais) e André Facó (Infraestrutura).

Se concretizada, a previsão é de que a unidade de refino produza até 300.000 barris/dia, com investimento de 4 bilhões de dólares. “Os chineses estão impressionados com o nosso Estado, pela estrutura que disponibilizamos, pela localização e, principalmente, por conta da Zona de Processamento de Exportação. Isso abre muitas perspectivas de novos negócios para o Ceará”, destacou Camilo.

Nesta terça-feira (15), o governador visitará uma empresa automotiva na província de Fujian, na China. Na quarta e quinta-feira, as agendas serão em Incheon e Seul, na Coreia do Sul, onde a comitiva cearense visitará empresas principalmente do setor de gás.

Dólar aproxima-se de R$ 3,45 e fecha no maior valor desde junho

Em alta pela quarta sessão seguida, a moeda norte-americana aproximou-se de R$ 3,45 e atingiu o maior valor desde junho. O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (14) vendido a R$ 3,441, com alta de R$ 0,048 (1,43%). A cotação fechou no nível mais alto desde 16 de junho (R$ 3,47).

O dólar operou em alta durante toda a sessão. Na máxima do dia, por volta das 14h, chegou a ser vendido a R$ 3,463, mas o ritmo de alta diminuiu nas horas finais de negociação. Apenas este mês, a divisa acumula alta de 7,9%, mas no ano a queda chega a 12,85%.

A alta poderia ser maior não fosse a atuação do Banco Central, que rolou (renovou) cerca de US$ 1 bilhão em contratos de swap cambial tradicional (que equivalem à venda de dólares no mercado futuro) e leiloou US$ 500 milhões em contratos novos. Na sexta-feira (11), a autoridade monetária voltou a vender dólares no mercado futuro.

O dólar sobe desde quarta-feira (9) após a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais norte-americanas. Há a possibilidade de que o Federal Reserve (Fed), Banco Central dos Estados Unidos, aumente os juros da maior economia do planeta mais que o previsto por causa da política de alta dos gastos públicos de Trump. Taxas mais altas nos Estados Unidos atraem capitais para títulos do Tesouro norte-americano, o que resulta em alta do dólar em todo o planeta e afeta países emergentes como o Brasil.

Na bolsa de valores, o dia foi de recuperação. Depois de três sessões seguidas de queda, o índice Ibovespa, da Bolsa de São Paulo, reverteu a tendência e fechou esta segunda-feira com alta de 0,8%. De quarta (9) a sexta-feira (11) da semana passada, o Ibovespa tinha acumulado queda de 7,75% após a vitória de Trump.

(Agência Brasil)

Mais um alerta do desmonte da Petrobras no Ceará

Em artigo enviado ao Blog, o vice-presidente do Sindicato dos Petroleiros do Ceará e Piauí, Jorge Oliveira, que o fechamento da usina de biocombusível em Quixadá pode significar o desaparecimento da Petrobras no Ceará. Confira:

Há muito tempo, nós, trabalhadores, alertamos sobre os prejuízos fruto do desmonte da Petrobras no Ceará. O que está acontecendo é um verdadeiro crime contra o nosso povo.

Tínhamos uma usina de biocombusível em Quixadá que não tinha um incentivo sequer do Governo Estadual e, agora que ela irá fechar, o governador se pronuncia? Falta de aviso não foi. Alertamos a todos os deputados, entregamos relatórios, realizamos audiência pública, tentamos agenda com o governador, sem sucesso. Agora como ficam os quase nove mil agricultores parceiros da Usina? A renda? Os empregos da região?

Motivos não faltam para lutar pela permanência da Petrobras no Ceará. Royalties e participações especiais que os municípios recebem não são os únicos benefícios garantidos, pois o Ceará é o 13º estado em capacitação de recursos de pesquisa e desenvolvimento, com 31 programas. Só em projetos sociais, sem incluir os de compensação ambiental, a Petrobras investiu no Estado R$ 3,7 milhões, possui mais de 20 projetos socioambientais e investimento em editais de arte e cultura. Esses dados são apenas em 2016.

Temos exploração de óleo no mar de Paracuru e nas terras de Icapuí e Aracati; transporte de gás e óleo em Maracanaú e Pecém; termoelétrica e refinaria de lubrificantes em Fortaleza. Vai esperar tudo isso ser vendido, senhor governador? As respectivas cidades impactadas ou até quebradas para tomar alguma iniciativa contra a venda?

Agora nos cabe esperar se o senhor tomará alguma atitude para manter o que resta da Petrobras no Ceará ou aguardar o pronunciamento quando a próxima fábrica fechar suas portas e já for tarde demais. Nossa sugestão é que o governador tente desfazer o que pode ser tarde demais.

Nossa categoria conta com o senhor, governador. E pedimos à sociedade cearense, aos jornalistas, parlamentares e estudantes que defendam a empresa que é orgulho nacional, que gera 1,5 milhão de empregos diretos e indiretos em todo o Brasil, que já foi responsável por 13% do PIB, que produz mais 2,2 mi de barris/dia, o que equivale a quase totalidade do consumo do País. A Petrobras ainda é nossa.

Moro diz que PF fez “afirmação leviana” ao citar Toffoli em investigação

O juiz federal Sérgio Moro determinou nesta segunda-feira (14) que a Polícia Federal (PF) refaça um relatório de inteligência no qual o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli foi citado. Na decisão, Moro classificou a menção como “afirmação leviana”.

A decisão foi proferida após Moro receber relatório da quebra do sigilo telefônico do empresário Maurício Bumlai, filho do pecuarista José Carlos Bumlai, ambos investigados na Operação Lava Jato.

Ao analisar a agenda do aparelho celular que foi apreendido, a PF encontrou contatos de diversas autoridades e concluiu que a família Bumlai “tinha influência no PT” e sobre outros agentes da administração pública. No documento, a polícia reconheceu que a mera citação não significa o envolvimento dos acusados com os fatos investigados na Lava Jato.

“A influência não era somente em agentes políticos da administração pública, mas também na Suprema Corte, na pessoa do ministro Toffoli”, diz o documento da PF.

Ao tomar conhecimento da citação, Moro determinou que o relatório seja refeito em três dias e pediu que PF esclareça o ocorrido. Para o juiz, a citação ao ministro do STF “não tem base empírica e é temerária”.

“O fato de algum investigado possuir, em sua agenda, números de telefone de autoridades públicas não significa que ele tem qualquer influência sobre essas autoridades. Assim, o relatório, sem base qualquer, contém afirmação leviana e que, por evidente, deve ser evitada em análises policiais que devem se resumir aos fatos constatados”, decidiu Moro.

(Agência Brasil)