Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Heitor Férrer é o primeiro candidato a ser debatido pelos demais candidatos

eleições 2016 fortaleza opovo debate heitor

Heitor debate com Luizianne Lins sobre investimentos na saúde. Luizianne critica atendimento e Heitor diz que reclamações são muitas.

Heitor debate com Roberto Cláudio sobre mobilidade urbana. Heitor diz que mobilidade urbana funciona na atual gestão. Roberto Cláudio diz que fará integração agora com biciletas.

Heitor debate com Ronaldo Martins sobre fotossensores. Ronaldo e Heitor afirmam que faltam sinalização.

Heitor debate com Capitão Wagner sobre equipamentos urbanos. Wagner diz que Cucas e outros equipamentos não estão funcionando. Heitor afirma que eleitor pede para que não se construa mais nada, apenas bote para funcionar o que já está feito.

Heitor debate com Tin Gomes sobre serviços públicos. Heitor diz que dará mais para quem tem menos. Tin quer atendimento humanizado.

Começa o debate na TV O POVO

eleições 2016 fortaleza opovo debate 01

Começou o debate da TV O POVO com seis candidatos à Prefeitura de Fortaleza, de acordo com as regras da representatividade na Câmara Federal.

Participam do debate os candidatos Roberto Cláudio (PDT), Capitão Wagner (PR), Luizianne Lins (PT), Heitor Férrer (PSB), Ronaldo Martins (PRB) e Tin Gomes (PHS).

A mediação é do jornalista Fábio Campos. O debate seguirá até as 20 horas.

Balhmann cumpre agenda de negócios na China e na Coreia do Sul

balmanmm

O secretário de Assuntos Internacionais do Governo do Estado, Antonio Balhmann, deputado federal licenciado, embarca às 19 horas deste domingo (4), para o continente asiático, onde cumprirá uma extensa agenda de quase duas semanas.

Balhmann viaja para China e Coreia do Sul, representando o governador Camilo Santana, para participar de encontros, eventos e assinatura de protocolos de entendimento com multinacionais asiáticas. Com a reestruturação da ZPE Ceará, que teve inclusive a sua área ampliada de 4.271,4 hectares para mais de 6 mil hectares, o Estado ganha força para atrair novos investimentos.

Após a consolidação do setor siderúrgico na ZPE Ceará, Balhmann acredita que agora é a vez de concretizar investimentos em setores diversificados, dentre eles metalmecânico, pedras ornamentais, calçados, têxtil e petroquímico. A diretoria executiva da ZPE Ceará trabalha agora no alfandegamento da nova área junto à Receita Federal do Brasil (RFB). No continente asiático, Balhmann vai expor também a carteira de projetos de ativos do Estado, objeto do Programa de Concessões e Parcerias Público-Privadas.

Após canonização, papa Francisco convida 1,5 mil pobres para comer pizza

foto papa francisco

Logo após a cerimônia de canonização, neste domingo (4), da missionária Madre Teresa de Calcutá, que dedicou sua vida aos pobres, o papa Francisco convidou 1,5 mil pessoas de baixa renda e moradores de rua para almoçar pizza napolitana no Vaticano. De acordo com o representante da Santa Sé monsenhor Konrad Krajewski, o almoço ocorreu na Sala Paulo VI, no Vaticano. Os convidados eram, principalmente, pobres que vivem em dormitórios de abrigos na Itália da ordem fundada por Madre Teresa de Calcutá. As informações são da Agência Ansa.

Eles viajaram em ônibus durante a madrugada para assistir à cerimônia de canonização de Madre Teresa, que reuniu 120 mil pessoas na Praça São Pedro. O almoço foi servido por 250 freiras e 50 monges, além de voluntários. A pizza foi preparada por um restaurante típico napolitano por uma equipe de 20 pessoas. O estabelecimento se comprometeu a oferecer gratuitamente uma refeição por mês às pessoas atendidas pelos centros de Madre Teresa de Calcutá na Itália.

Ao todo, foram entregues 3 mil pizzas napolitanas e 2,5 mil sfogliatelle, doce tradicional do Sul da Itália, feito com massa folhada.

(Agência Brasil)

As lições sobre a Chacina da Grande Messejana

Editorial do O POVO deste domingo (4) diz que todos os acusados deveriam proteger o cidadão e a coisa pública, não disparar medo, terror e tristeza. Confira:

Das muitas reflexões a se fazer sobre o inaceitável episódio da Chacina da Grande Messejana, em 12 de novembro do ano passado, uma que se impõe diz respeito à formação humanística difundida nos quadros da Segurança Pública do Estado do Ceará. O caso, sempre acompanhado com atenção e aprofundamento jornalístico pelo O POVO, teve seu desfecho investigativo oficial na semana que passou.

Preventivamente, foram presos 44 policiais militares, responsabilizados pelas 11 mortes em sequência naquela mesma madrugada. A investigação concluiu que eles executaram ou se omitiram diante dos fatos. Todos os acusados são agentes da lei e alguns teriam agido com armas e munições ou viaturas que deveriam ser acionadas para proteger o cidadão e a coisa pública. E não disparar medo, terror e tristeza.

Ainda não há culpa encerrada – apenas apontada – para esses grupo de PMs. Havia apuração sobre policiais civis e outros militares supostamente participantes. O próprio Ministério Público Estadual cogitou até 100 policiais envolvidos direta ou indiretamente no caso.

É uma falha de caráter de um policial atirar contra um cidadão, mas há também a falha do Estado em orientar/formar/acompanhar seu contingente. Atos policiais, com farda ou à paisana, devem ser os mesmos: proteger com base na lei, atuar pela legalidade, agir diante do correto. Nunca poderá ser correta uma postura justiceira de quem tem autorização para andar armado e é um representante institucional do Estado.

Na Academia de Segurança Pública, há disciplinas fundamentais sobre direitos humanos, respeito a crianças, adolescentes, idosos, mulheres. No final, é tudo a visão de cidadania que se quer priorizada.

A Chacina de Messejana pode ensinar que, se a violência das ruas ou o conteúdo subjetivo dos policiais atravessam essa base ética repassada em teoria, é importante o Estado se antecipar. Acompanhar, reciclar, ou punir e excluir se necessário quem não desempenhe seu papel de vigilante da ordem e da legalidade. Ainda há muito o que se aprender e ensinar a partir do caso nas escolas de formação policial.

Caminho do crescimento está sendo reconstruído, diz Temer em reunião com Brics

foto Temer 160904 brics

Em encontro informal do Brics – bloco econômico formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul –, o presidente Michel Temer disse neste domingo (4) que o caminho do crescimento está sendo reconstruído no Brasil. “Estamos promovendo um ajuste fiscal amplo e sustentável”, destacou.

Durante a reunião, realizada no âmbito da Cúpula do G20 – grupo das 20 maiores economias do planeta –, Temer afirmou que o crescimento real zero do gasto público vai levar à redução da dívida do Estado brasileiro e que “uma ambiciosa agenda de reformas estruturais” está em curso no país para elevar a produtividade da economia.

“Estimularemos os investimentos em infraestrutura, sobretudo por meio de concessões”, disse. “Com as medidas tomadas nos últimos meses, já há sinais de retomada da confiança na economia brasileira”, completou.

No encontro, o presidente afirmou estar seguro de que, em breve, a economia brasileira vai voltar a crescer, “em benefício dos brasileiros e da economia global”. Ao final, Temer avaliou a ênfase no tema do crescimento econômico inovador, durante a presidência chinesa do G20, como bastante oportuna.

“Vivemos um momento de profundas transformações nos modos de produção”, disse. “Nosso desafio é compreender o significado desse momento e encontrar novas fontes de dinamismo”, completou.

(Agência Brasil)

Capitão Wagner faz carreata no José Walter e anuncia campanha com mais propostas

eleições 2016 fortaleza pr 0904 carreata

O candidato do PR à Prefeitura de Fortaleza, Capitão Wagner, realizou na manhã deste domingo (4) uma carreata pelas ruas do bairro José Walter, zona oeste da cidade. O candidato ainda realiza nesta tarde uma reunião com moradores do bairro Jardim das Oliveiras e, à noite, participa do debate na TV O POVO, a partir das 18 horas.

Capitão Wagner anunciou que, a partir desta segunda-feira (5), divulgará em seu programa eleitoral mais propostas para Fortaleza. Capitão diz ser um candidato com menos propostas e mais ações.

PDT do Crato filia novos integrantes com a presença de Cid, Lupi e André Figueiredo

foto cid e andré 160903 lideranças

O PDT do Crato recebeu nesse sábado (3) novas filiações. A cerimônia contou com a presença do ex-governador Cid Gomes, do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e do presidente estadual do partido, André Figueiredo. Eles abonaram as fichas de filiação, que na maior parte foi formada por jovens e mulheres.

Para Cid Gomes, “o surgimento de novas lideranças é fundamental para resgatar o verdadeiro espírito de fazer política no país”.

Projeto cria política nacional para a população em situação de rua

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 5740/16, do deputado Nilto Tatto (PT-SP), que institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua.

Pelo texto, à população em situação de rua será assegurado, por lei ou por outros meios: o usufruto e a permanência na cidade; todas as formas de preservação de sua saúde física e mental, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade. A proposta veda a discriminação da população em situação de rua em qualquer atendimento público ou privado.

O texto também garante, à população em situação de rua, a posse e a propriedade sobre os bens e pertences pessoais necessários à sua sobrevivência, a exemplo de cobertores, roupas, alimentos, medicamentos e documentos de identificação. O Poder Público não poderá fazer o recolhimento forçado desses bens e pertences.

“Ainda não temos, no Brasil, uma lei nacional estabelecendo direitos que atendam às especificidades da população em situação de rua e as obrigações do Poder Público nas políticas públicas direcionadas a essa população”, lamenta Nilto Tatto.

A proposta considera população em situação de rua o grupo populacional que tem em comum a pobreza extrema, os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados e a inexistência de moradia convencional regular e que utiliza áreas públicas e degradadas como espaço de moradia e de sustento, de forma temporária ou permanente, bem como as unidades de acolhimento para pernoite temporário ou como moradia provisória.

(Agência Câmara Notícias)

Madre Teresa de Calcutá é canonizada pelo papa Francisco em missa no Vaticano

foto madre tereza canonização

Em missa de canonização celebrada neste domingo (4), na Praça São Pedro, no Vaticano, o papa Francisco declarou santa Madre Teresa de Calcutá. A cerimônia contou com a presença de cerca de 120 mil fiéis de diversas partes do mundo.

A missão de Madre Teresa, segundo Francisco, permanece nos dias de hoje como um testemunho eloquente da proximidade de Deus junto aos mais pobres. O papa também se referiu à religiosa, de origem albanesa, como modelo de santidade para todos os agentes de misericórdia.

“Madre Teresa, ao longo de toda a sua existência, foi uma dispensadora generosa da misericórdia divina, fazendo-se disponível a todos, por meio do acolhimento e da defesa da vida humana, dos nascituros e daqueles abandonados e descartados.”

O processo de canonização de madre Teresa teve início com um milagre envolvendo o brasileiro Marcílio Haddad Andrino, morador da cidade de Santos (SP). Ele foi diagnosticado com hidrocefalia e uma infecção rara no cérebro, mas foi curado após sua esposa rezar pedindo a intercessão de Madre Teresa de Calcutá.

A religiosa, cujo nome verdadeiro é Agnes Gonxha Bojaxhiu, nasceu em uma comunidade albanesa no sul da antiga Iugoslávia. Ordenou-se freira na Índia, onde tomou o nome de Teresa. Em 1946, decidiu abandonar o convento e viver para os pobres. Sua atuação como missionária lhe rendeu o Prêmio Nobel da Paz em 1979. Madre Teresa de Calcutá morreu em setembro de 1997, seis anos antes de ser beatificada pelo papa João Paulo II.

(Agência Brasil)

Eleições 2016 – Caminhada da Juventude leva multidão às ruas de Lavras da Mangabeira

eleições 2016 lavras 0803 pmdb

Cerca de oito mil pessoas – segundo os organizadores da campanha – participaram na noite desse sábado (3), em Lavras da Mangabeira, no Centro-Sul do Ceará, a 434 quilômetros de Fortaleza, da Caminhada da Juventude com Ildsser, candidato a prefeito pelo PMDB.

O peemedebista aproveitou o encontro da juventude para afirmar que já estaria trabalhando politicamente para a instalação do Campus da Universidade Federal do Cariri.

“Precisamos dar oportunidades aos filhos de pobres, para que eles possam estudar, se formar e ter uma profissão. Vou lutar muito para que esse sonho se realize”, disse Doutor Ildsser.

Temer afirma que protestos contra impeachment são “pequenos e depredadores”

O presidente Michel Temer classificou de “pequenos e depredadores” os protestos que ocorreram nos últimos dias contra o impeachment da então presidente Dilma Rousseff em algumas cidades brasileiras. De acordo com ele, as manifestações são reações naturais diante do momento “politicamente complicado”, mas não comprometem o início do governo porque são promovidas por “40 pessoas que quebram carro”. Temer se encontra na China, onde participa neste domingo (4) da Cúpula de Líderes do G-20 (grupo das 20 maiores economias do planeta).

“É natural que alguns grupos se reúnam para protestar. Agora, foram grupos pequenos e depredadores. Não foi uma manifestação democrática. Uma manifestação democrática é aquela que eventualmente pode sair às ruas e pregar uma ideia”, disse.

Ao ser perguntado se considera que os protestos podem comprometer o início do seu governo, ele respondeu: “As 40 pessoas que quebram carro? Tem que perguntar para os 204 milhões de brasileiros e para os membros do Congresso Nacional”.

Na avaliação do presidente, depredações não estão previstas na “ordem normativa”. Ele disse ser natural a ocorrência de manifestações. “Até me surpreenderia se houvesse unanimidade, e a unanimidade não é inteligente. Eu gostaria que você me fizesse essa pergunta [sobre a popularidade] daqui a dois anos. Muitas vezes há também um desconhecimento”, disse.

(Agência Brasil)

A anatomia do método

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (4):

O que foi derrotado com o impeachment de Dilma Rousseff foi um método que compõe o DNA e o imaginário da esquerda. No caso, o partido, e não as instituições, como a instância máxima da sociedade. Sendo assim, os outros partidos políticos, o Congresso, o Judiciário e, por fim, a imprensa são as estruturas próprias da democracia que precisam se tornar subalternas a esse comando do partido príncipe. Foi exatamente essa caminhada que levou à derrocada hoje verificada.

Esquemas como o “mensalão” e o “petrolão” são mecanismos que nasceram para dar conta dos objetivos do método. Tais escândalos não são apenas comportamentos deletérios com motivações corruptas. São frutos do profundo desprezo pelo Poder Legislativo. Mais ou menos assim: vamos dar o que a turba (partidos e políticos rastaqueras) quer. Dinheiro. O resto desmoraliza-se por si só. De quebra, é claro, umas riquezas rápidas aqui e acolá.

A coisa toda ia muito bem. Nos doze anos dos três primeiros mandatos, a oposição congressual foi quase dizimada. O DEM caminhava célere para o nanismo. O PSDB, um partido que não sabe e nem consegue fazer oposição, murchava a olhos nus. A multiplicação de partidos era outra face desse método. Chegou-se assim a um ponto nunca visto onde a oposição não conseguia nem 15% dos votos na Câmara dos Deputados.

O problema se deu quando o método caminhou para engolir o PMDB. As velhas raposas eram velhas e raposas demais para se deixarem digerir por um método que, no fundo, pretendia a sua extinção. A reação veio primeiro com a veemente recusa do PMDB em aprovar mecanismos que levassem ao controle da imprensa. Depois, com a manobra para impedir que o método nomeasse mais ministros do Supremo.

Paralelo a tudo, deu-se a ascensão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) como presidente da Câmara dos Deputados. Um sujeito de poucos escrúpulos, com sede de poder, com aversão à esquerda e que conhecia o método por dentro. Até por que era um sócio capitalista das empreitadas na Petrobras e outros patrimônios públicos.

A partir disso, das escabrosas descobertas da Lava Jato, do desastre na economia com a maior recessão de nossa história e da destruição das contas públicas, tudo começou a desandar em impressionante velocidade. Deu no que deu. Diante de tudo, o que mais se espera é uma boa e saudável autocrítica e que a gloriosa e necessária esquerda se reposicione no mercado político como avalista das instituições democráticas, da Constituição e não de si mesma com um meio e um fim.

Ciro diz que em “tempos difíceis”, o eleitor terá que fortalecer os bons políticos

eleições 2016 fortaleza pdt 0803 salmito

Para o ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes (PDT), pré-candidato em 2018 ao Palácio do Planalto, o Brasil vive “tempos difíceis” na política, diante de golpes, corrupção e descrédito do eleitor para com os políticos. Para não afundar ainda mais a crise política que o país vivencia, Ciro disse que o eleitorado deve apostar nos bons políticos, “aqueles já testados na honestidade e na competência”.

A declaração foi feita na noite desse sábado (3), no Centro, durante a inauguração do comitê de campanha de Salmito Filho (PDT), candidato à Câmara Municipal de Fortaleza. Além de apontar Salmito como “um dos políticos sérios que Fortaleza tem”, Ciro Gomes também apontou o prefeito Roberto Cláudio (PDT), candidato à reeleição ao Palácio do Bispo e presente ao evento, como “o maior prefeito de Fortaleza nas últimas décadas”.

Ciro destacou feitos do ex-prefeito Juraci Magalhães por Fortaleza, mas afirmou que, em três anos e meio, Roberto Cláudio bateu todos os recordes de uma administração competente. “Isso, em época de crise econômica”, observou. “Em oito anos de Luizianne Lins e nos quatro últimos anos de Juraci, Fortaleza construiu somente dois postos de saúde. Somente Roberto Cláudio já construiu 18 postos”, comparou Ciro, ao listar obras de mobilidade urbana, construção de praças, areninhas, escolas em tempo integral e a implantação do bilhete único.

Salmito Filho destacou a gestão Roberto Cláudio, que, em época de crise econômica e política, se sobressai em relação às demais prefeituras pelo país pelo planejamento e vontade de melhorar a vida da população.

Já Roberto Cláudio relatou feitos de sua administração e também elogiou Salmito, por ser um político voltado para o novo modelo de administração pública, em que a população é prioridade. Roberto Cláudio lembrou de projetos de Salmito na Câmara Municipal, além de voltar o Legislativo para servir à população, por meio da criação da sala do empreendedor e do Pacto por Fortaleza, programa que debate e busca soluções para os principais problemas da cidade.

TV O POVO promove neste domingo o debate com candidatos à Prefeitura de Fortaleza

Roberto Cláudio (PDT), Capitão Wagner (PR), Luizianne Lins (PT), Heitor Férrer (PDT), Ronaldo Martins (PRB) e Tin Gomes (PHS) debatem neste domingo (4), a partir das 18 horas, na TV O POVO, as propostas para a Prefeitura de Fortaleza. A transmissão também será feita também pela rádio O POVO-CBN e pelo O POVO Online.

Após o debate, jornalistas do O POVO irão avaliar o desempenho de cada candidato no debate.

“Avassaladora pobreza” – Economistas querem retomada do crescimento com inclusão social

Economistas divulgaram nesse sábado (3) carta defendendo uma retomada do crescimento econômico que preserve a inclusão social dos últimos anos e avance na distribuição de renda. “O Brasil precisa retomar o quanto antes o crescimento econômico, mas não a qualquer preço”, afirma o comunicado do Sistema Cofecon/Corecon, que reúne os conselhos federal e regionais de economia.

Os representantes dos conselhos estiveram reunidos em Natal e debateram os desdobramentos econômicos e sociais da mudança de governo. No último dia 31, o Senado Federal aprovou, por 61 votos a 20, o afastamento definitivo da então presidente Dilma Rousseff. Com a decisão, Michel Temer, vice na chapa de Dilma, passou de presidente em exercício a efetivo.

Segundo a carta dos economistas, o motivo da “avassaladora pobreza” no Brasil é “a enorme concentração de renda”. Como mecanismo que possibilita a concentração, o documento cita o modelo tributário.

“Não há como atender às crescentes demandas sociais sem mexer no nosso arcaico modelo tributário, na qual 72% da arrecadação de tributos se dão sobre o consumo (56%) e sobre a renda do trabalho (16%), ficando a tributação sobre a renda do capital e a riqueza com apenas 28%, na contramão do restante do mundo”, afirma o documento.

(Agência Brasil)