Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Plano Diretor – Câmara Municipal debate o Parcelamento do Solo e a Lei de Uso e Ocupação

foto cmfor 160720 audiência pública

A Câmara Municipal de Fortaleza dá prosseguimento na tarde desta quarta-feira (20), no auditório Ademar Arruda, as discussões do Plano Diretor, por meio de audiências públicas.

Nesta quarta-feira, o tema é o “Parcelamento do Solo e a Lei de Uso e Ocupação”, que tem à frente os vereadores Fábio Braga (PTN), Marcos Teixeira (PDT) e Evaldo Lima (PCdoB).

Os debates ocorrem em pleno recesso dos vereadores, que terá na próxima quarta-feira (27) a discussão do tema “Sistema Viário”.

(Foto – Divulgação)

Prefeitura negocia R$ 250 milhões para investimentos na área do meio ambiente

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=PR2SvR0YaY8[/youtube]

Uma missão do Banco Mundial está visitando Fortaleza. Aqui, acerta com a Prefeitura de Fortaleza um empréstimo da ordem de US$ 250 milhões para ações na área do meio ambiente, saneamento básico e balneabilidade das praias.

Quem dá mais detalhes sobre essa negociação é a secretária municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Águeda Passos.

A secretária espera fechar essa negociação em setembro para, em seguida, a Prefeitura ganhar o aval do Senado.

Problema da segurança pública é estrutural e não conjuntural

153 1

Em resposta ao artigo do delegado César Wagner – Criminalidade como nunca antes – o advogado Irapuan Diniz de Aguiar diz que falta de um planejamento e de políticas públicas voltadas para a segurança pública. Confira:

Concordo em muitos aspectos com a abordagem do delegado César Wagner. Creio, no entanto, que o problema da segurança pública é estrutural e não conjuntural.

Ações isoladas podem, sim, ser adotadas desde que dentro de um planejamento estratégico global. Quando o caos hoje existente no sistema penitenciário cumpre lembrar ao colega que ele decorre de uma histórica ausência do Poder Público no enfrentamento do problema e, o que é mais grave, de sua transferência para a segurança pública, transformando os xadrezes das delegacias de polícia em extensão dos presídios e retirando do policial civil de sua atribuição constitucional de investigação dos crimes.

Lembro ao colega e amigo que este cenário não ocorria no Ceará na segunda metade da década de 1970. O problema era vivenciado em São Paulo e já reclamado à época pelos policiais civis daquele Estado. Disso sou testemunha. Por que décadas depois o fenômeno ocorre no Ceará? Apenas uma resposta: a falta de um planejamento e de políticas públicas voltadas para o setor.

Como o assunto comporta outras reflexões vou me ater apenas ao problema da estrutura da segurança pública cujo modelo não mais atende aos reclamos da população e responde pelo constante aumento da violência e da criminalidade. Os equívocos de diagnóstico e avaliação têm gerado uma organização inadequada para o desempenho das missões institucionais das polícias ocasionando, em consequência, no fracasso das reformulações procedidas nos atuais modelos, com algumas ilhas de eficiência e zelo, ainda assim, resultantes do idealismo e resistência de alguns poucos profissionais que não se deixam cair na desesperança.

De há muito alerto os seguidos governos para a urgente necessidade de unificação do serviço policial – não confundir com a unificação das polícias -. Em outras palavras, o serviço policial é uno e indivisível. Não pode ser seccionado em partes estanques: prevenção e repressão, patrulhamento e investigação, ação de rua e feitura de inquéritos. São atividades que se entrelaçam convindo, por isso, estarem reunidas sob a coordenação e responsabilidade de uma só autoridade que, no nosso sistema processual, é o delegado de polícia.

Esta é uma necessidade que salta a vista e que nossa estrutura policial não atende pois a Polícia Civil devia ser a POLÍCIA ESTADUAL porquanto é judiciária e a Polícia Militar, que leva os casos para a PC, sem a orientação desta, é ostensivo-preventiva. Nesse hiato verifica-se a quebra da organicidade do sistema, com os consequentes prejuízos à prevenção e à repressão, o desentrosamento e a falta de motivação, isto pra não falar na ‘guerra surda’ existente entre os policiais da base da pirâmide.

Infelizmente o que se vê é o fortalecimento da farda em detrimento do funcionamento da Polícia Judiciária em contraposição ao que ocorre nos países mais civilizados.

Crea divulgará laudo sobre fissura na barragem do Açude Castanhão

223 1

fissurr

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará vai apresentar à imprensa, às 10 horas da próxima segunda-feira, o laudo técnico relativo à fissura na barragem do Açude Castanhão. Será uma coletiva na sede da autarquia.

No dia 17 de junho, lembra o presidente em exercício do Crea-CE, geólogo João César de Freitas Pinheiro, a comissão instituída para fazer um levantamento das condições de segurança da barragem foi a Jaguaribara, onde está localizado o Castanhão.

Na ocasião, foi feita uma inspeção numa fissura (trinca) no paramento de montante da barragem. Desde essa data, engenheiros e estudiosos vêm se reunindo na Academia Cearense de Engenharia para analisar a questão e fazer um levantamento das condições de segurança da barragem do açude e apresentar parecer técnico dos possíveis riscos existentes no manancial.

Tudo será divulgado nessa coletiva.

Eleições no Crato – Samuel Araripe será homologado pelo PSDB

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Vfzbe5IPakk[/youtube]

O PSDB do Crato (Região do Cariri) marcou para o próximo dia 29 a convenção que vai homologar Samuel Araripe como seu candidato a prefeito. A informação é do pré-candidato, que já foi prefeito dessa cidade.

Segundo Samuel Araripe, a convenção contará com a presença dos senadores Tasso Jereissati (PSDB) e Eunício Oliveira (PMDB), além de mais 12 partidos que formam sua base de apoio.

Agência Informe Comunicação comemora 5 anos

eliomar

Camilla Andrade, este repórter do Blog e a publicitária Erika Mavignier.

A Informe Agência de Comunicação está completando 5 anos de mercado. Sob o comando das jornalistas Camilla Andrade  e Isabella Purcaru, conta no portfólio com clientes de alta categoria. Na lista, Mercadinhos São Luiz, Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional e Associação Beija Flor.

“Estamos muito felizes com a consolidação da empresa que, neste mês, fechou mais três clientes. Um deles é o Hospital Cura Dar’s”, diz para o Blog a jornalista Camilla Andrade.

A agência já está, inclusive, de casa nova. Opera no Edifício Empresarial Washington Soares (Sala 801), no bairro Edson Queiroz.

VAMOS NÓS – Parabéns a essas nossas colegas profissionais que, mesmo nestes tempos de crise, provam que o sucesso se conquista com trabalho e criatividade.

Criminalidade como nunca antes

63 2

foto cesar wagner delegado ce

Em artigo no Facebook, o delegado César Wagner Maia Martins, ex-delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, avalia o avanço da criminalidade no Estado, diante de uma política voltada para a individualidade em detrimento do coletivo. Confira:

O crime se organizou diante de governos que, apesar de boas intenções, optaram por escolher projetos isolados (lembram aqui no Ceará do Ronda, o próprio Raio) como meio único de combate e se esquecendo de que deveriam e devem ser um instrumento de um plano estratégico de segurança pública.

Sinais não faltaram para indicar o que estaria por vir. Nos últimos anos os homicídios dolosos se multiplicaram assustadoramente embalados pelo avanço progressivo do narcotráfico, enquanto a polícia judiciária, de investigação, diminuiu na mesma proporção.

Era um sinal claro que a impunidade ganhava seus contornos mais dramáticos. Crimes se sucediam, se amontoavam, sem investigações. Homicidas quando presos já estavam em seu oitavo, décimo crime.

De outro lado surge a corrente do garantismo exacerbado onde os defensores deste elegem a individualidade em detrimento do coletivo.

Sistema penitenciário afunda mergulhado em uma crise sem precedentes, fruto do descaso com os presos e concessões sem fim para garantir “a paz”. Jovens iniciantes no crime são alojados ao lado de bandidos perigosos. Nova geração surge rapidamente, mais perigosa que a primeira no vácuo mais uma vez do Estado.Para minimizar aparece as chamadas audiências de custódias, sob o pálido argumento de se verificar a legalidade da prisão, quando esta é mensurada inicialmente por uma autoridade constituída com formação jurídica – o delegado. Na verdade o que desejam é desafogar os presídios criando um círculo ainda mais perverso de perpetuação do crime e da desmoralização da punibilidade.

Diante de todo este quadro as reações tardam atraindo bandidos de outros Estados que observam atento os acontecimentos.

A Polícia como meio de repressão é vítima de todo tipo de ataque, que buscam enfraquecer suas fileiras, já submetida a pressão muito além de que qualquer cidadão aguentaria.

A politicagem tenta ganhar força nas Instituições, alicerçada por egos imaturos, desmotivando aqueles que querem cumprir suas missões.

Enquanto policiais tombam, quase que diariamente, Instituições silenciam de uma maneira ensurdecedora que faz tremer a alma do mais destemido policial.

Por fim, policiais são enterrados sem a presença de representantes da sociedade organizada, o que demonstra sua total submissão a uma doutrina de que o agente da lei é o carrasco e o bandido a vítima.

Soluções mágicas jamais existirão. Primeiro remodelar, corrigir o que está posto, fortalecer, valorizar.

Os governantes precisam ouvir mais, buscar novas opiniões, evitando se fixar em pequenos grupos que geralmente criam um cinturão em torno da Autoridade máxima, muitas vezes fazendo com que este perca o contato com a realidade das ruas, pois apenas as boas notícias costumam chegar.

Ninguém tem o direito de se omitir neste momento de tamanha gravidade. Os governantes não podem se sentir sozinhos e se por um lado é natural e salutar cobranças, deve surgir também uma grande corrente de apoio.

*Cesar Wagner,

Ex-delegado-geral da Polícia Civil do Ceará.

Documentário retrata um pouco do ser cearense

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=uBOSyHR_bmQ[/youtube]

Será lançado nesta quarta-feira, às 19 horas, no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), o documentário “O caminho – A busca do ser cearense”.

O trabalho mostra a expedição a pé do jornalista e documentarista Roberto Bomfim entre Fortaleza e Juazeiro do Norte (Região do Cariri). A direção de fotografia é de Eduardo Bastos (Dudu).

No documentário, Bomfim busca retratar a realidade dos mais diversos cearenses.

Padilha diz que Temer vê “com bons olhos” queda da taxa básica de juros

Discurso de Temer deve durar 10 minutos

“O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse hoje (20) que o presidente interino Michel Temer vê com “bons olhos” a redução da taxa básica de juros da economia (Selic), mas que a palavra final é do Banco Central (BC). Padilha também afirmou que o governo esgotará todas as alternativas para não haja novo contingenciamento (bloqueio) de recursos.

“Se analisarmos todos os indicadores, vamos ver que os economistas do Brasil estão mostrando que teremos forçosamente uma queda nos juros. Também isso agrada ao presidente, e ele vê com bons olhos, se nós pudermos, mas teremos que respeitar por inteiro a autonomia do Banco Central, corresponder a essa expectativa, inclusive dos profissionais do setor. São os economistas e as agências de avaliação que estão dizendo que o juro vai cair. O presidente vê com muito bons olhos, mas a palavra final é do Banco Central”, reforçou Padilha, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

Na noite de hoje, será anunciada decisão sobre a taxa Selic, na primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) sob o comando do novo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.”

(Agência Brasil)

Rodrigo Maia promete descontar salário de deputado que faltar às sessões

“O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (20) que vai descontar o dia de trabalho dos deputados que faltarem às sessões de votação no plenário da Casa após o retorno do recesso branco. A meta é garantir quórum para as votações no período que antecede as eleições municipais de outubro.

Ao ser questionado por jornalistas se cogita descontar o dia dos faltantes, Maia respondeu “È óbvio, pauta marcada deputado tem que estar presente. Em qualquer trabalho é assim, se você marcou uma data para que os deputados estejam aqui para votar é importante que todos votem”, explicou.

Ele reafirmou que, em agosto, no retorno das atividades legislativas, vai buscar garantir quórum para votações durante três dias por semana, apesar das demandas decorrentes das eleições, cuja campanha tem início autorizado a partir de 16 de agosto. Em setembro, com a proximidade maior das eleições, Maia disse que essa periodicidade pode ser menor.”

(Agência Brasil)

Ex-prefeito de Novo Oriente é alvo de ação de improbidade administrativa

foto oscar costa filho

O Ministério Público Federal no Ceará entrou com ação de improbidade administrativa conta o ex-prefeito de Novo Oriente, Rodrigo Coelho Sampaio, e outros nove réus. De acordo com o procurador da república Oscar Costa Filho, autor da ação, os acusados fraudaram o processo de licitação destinado à realização do 20º Festival Junino de Novo Oriente em 2009. As verbas federais, no valor de R$ 350 mil, foram acordadas em convênio da cidade com o Ministério do Turismo (Mtur).

Na avaliação do MPF, a licitação da festa foi feita apenas para dar aparência de legalidade à contratação direta da empresa de José Antônio de Morais Pires, que já teria sido previamente acertada com a prefeitura. Além do ex-prefeito, de funcionários do município e do empresário vencedor do processo; os proprietários das empresas “concorrentes” – cientes da inexistência da licitação – também participaram da fraude ao fornecerem documentação para a licitação mesmo sem a existência de competitividade.

A ação cita ainda que a empresa vencedora e as supostas concorrentes teriam se utilizado do mesmo modus operandi para fraudar licitação de uma festa no município de Aiuaba. Sobre as concorrentes, a investigação do MPF apurou que nem funcionam nos endereços cadastrados e nem apresentavam a estrutura operacional necessária para a função que desempenhariam, evidenciando serem empresas de fachada.

Sobre a empresa de José Antônio de Morais Pires, o procurador da República Oscar Costa Filho pondera que “embora se trate de um empresário individual, enquadrado como microempresa, que não apresenta qualquer idoneidade técnica e financeira, participou de dezenas de licitações e prestou serviços a várias prefeituras municipais do Ceará, entre 2007 e 2011, com faturamento bruto de pouco mais de R$ 12 milhões, conforme dados do Tribunal de Contas dos Municípios do Ceará (TCM/CE)”.

Na ação, o MPF pede o boqueio dos bens do réus e que sejam condenados a ressarcir integralmente o dano, além da aplicação das sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa (Lei 8.429/92).

(Site do MPF/CE)

Instituto do Ceará promove pré-lançamento de livro sobre o “Siará Grande”

386 1

fortee

Fortim de São Sebastião (1613): “Siara”, gravura de Arnout Montanus.

Dar ênfase à origem dos 2.000 portugueses, pioneiros na colonização do Ceará e seus destinos nas freguesias cearenses. Esta é principal motivação do escritor e genealogista cearense Francisco Augusto de Araújo Lima para a palestra de pré-lançamento do livro “Siara Grande: uma província portuguesa no Nordeste Oriental brasileiro”, que dará nesta quarta-feira, às 15 horas, no Instituto do Ceará.

São mais de trinta anos de pesquisas, o que permitiu a Francisco Augusto localizar a aldeia, lugar, freguesia, concelho e distrito português, sendo os últimos cinco anos dedicados exclusivamente ao trabalho. “O mais importante é resgatar a verdade, com base na documentação primária”, ressalta o escritor.

Este é o décimo terceiro livro de genealogia do autor. Ele foi à busca das origens, identificando a naturalidade dos portugueses pioneiros na colonização e seu destino nas diversas freguesias (municípios) da Província do Siara. O autor procura dar ênfase na origem dos 2.000 portugueses, pioneiros na colonização do Ceará e seus destinos nas freguesias cearenses.

O livro tem aproximadamente 2.300 páginas, em dois volumes – o primeiro das letras A/I; e o segundo de J/Z, e será impresso na Expressão Gráfica.

SERVIÇO

*Instituto do Ceará – Rua Barão do Rio Branco, 1594, Centro.

TCM manda nota para Blog explicando demora sobre “Lista dos inelegíveis”

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) mandou resposta para este Blog sobre cobrança feita numa das postagens desta quarta-feira. O mote foi a demora do TCM em liberar a velha lista dos inelegíveis. Eis a justificativa:

Caro jornalista Eliomar de Lima,

As recentes mudanças na legislação eleitoral alteraram de 5 de julho para 15 de agosto o prazo para disponibilização à Justiça Eleitoral da relação dos que tiveram suas contas rejeitadas. O Tribunal de Contas dos Municípios está elaborando a lista e enviará ao Tribunal Regional Eleitoral próximo a essa data para que ela seja o mais atual possível.

Lei 9.504/1997

Art. 11. Os partidos e coligações solicitarão à Justiça Eleitoral o registro de seus candidatos até as dezenove horas do dia 15 de agosto do ano em que se realizarem as eleições. (Redação dada pela Lei nº 13.165, de 2015)

(…)

§ 5º Até a data a que se refere este artigo, os Tribunais e Conselhos de Contas deverão tornar disponíveis à Justiça Eleitoral relação dos que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente, ressalvados os casos em que a questão estiver sendo submetida à apreciação do Poder Judiciário, ou que haja sentença judicial favorável ao interessado.

Sem mais,

Presidência do Tribunal de Contas dos Municípios.

Servidores da Funceme continuam aguardando o guarda-chuva oficial

800

O tempo continua nublado para técnicos e servidores da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Desde a gestão passada, a categoria vem reivindicando seu plano de cargos, carreiras e salários que continua engavetado na burocracia oficial.

A última informação dá conta de que esteja entre a Procuradoria Geral do Estado e a Secretaria do Planejamento e Gestão Pública (Seplag).

Afinal, com quem está? E quando sairá do papel?

Luciana Dummar: “Precisamos praticar mais o coletivo”

No lançamento do Anuário do Ceará 2016-2017, na última segrunda-feira, no Alice’s Buffet, a presidente do Grupo de Comunicação O POVO, Luciana Dummar, falou da importância de pensamento e ações coletivas. “Estamos todos conectados”, disse. Confira algo que vai muito além de um discurso: a importância do coletivo.

Todos os anos nos reunimos para celebrarmos juntos essa publicação que diz muito a respeito do Ceará e de nós cearenses. O Anuário do Ceara é o mais longevo documento jornalístico do Estado. As primeiras edições do Anuário remontam meados do século XIX e abordavam o Brasil do imperador Dom Pedro II e a brilhante trajetória do senador cearense José Martiniano de Alencar, pai do escritor José de Alencar. De lá para cá, mais de 160 anos passaram. Muita coisa aconteceu. O Brasil e o Ceará mudaram. O mundo mudou. Nós mudamos. Essa linha do tempo foi registrada e datada pelo Anuário do Ceará e constitui numa importante e indispensável ferramenta de pesquisa para entendermos o que somos, de onde e como viemos, principalmente, para onde desejamos ir.

Durante esse longo caminho, o Anuário do Ceará foi elaborado por gerações de jornalistas, artistas, economistas, empresários, escritores, gestores públicos, estatísticos, advogados, poetas… Todos escribas. As antigas civilizações possuíam seus escribas a registrar em papiros e tábuas, seus costumes, códigos, guerras e todo seu conhecimento acumulado. Esses registros nos permitiram, por exemplo, lermos Aristóteles, tal qual ele escreveu no século IV antes de Cristo, sobre física, poesia, gestão, ética, e biologia. Daí, uma reflexão se apresenta para todos nós: todo esse conhecimento acumulado, do grego Aristóteles ao americano Steve Jobs, é fruto de uma inteligência coletiva, sequenciada e conectada. E não existe conhecimento sequenciado e conectado sem o advento da escrita com tábuas, papiros e livros e consequentemente das plataformas de mídia do seculo XXI.

O Anuário é fruto dessa inteligência coletiva. Uma inteligência de todos nós cearenses, nativos e adotivos. Nós, editores do Grupo de Comunicação O POVO, somos apenas os escribas dessa história. Para compreendermos o que podemos chamar de inteligência coletiva, podemos pensar num martelo pré-histórico, de meio milhão de anos e um teclado bluetooth de um computador de última geração. Vamos pensar. Ambos foram projetados ergonomicamente para adaptar-se à mão humana. No entanto, eles são completamente diferentes. Enquanto o martelo de pedra é resultado da habilidade de um só individuo, o teclado sem fio é fruto de muitos itens conectados do conhecimento. Inteligência? Conhecimento acumulado? Uma evolução? Sim, sem dúvida! Mas se ignorarmos o “coletivo”, de pouco vale a conquista.

Permitam-me, preciso falar disso. Não dá para fugir do tema. Como escreveu Clarice Lispector: “falar no que realmente importa, muitas vezes é considerado uma gafe”. Pois vou cometer essa gafe, perdoem-me. Pergunto a todos aqui presentes: não deveriam nossas melhores mentes estarem dedicadas a solucionar nossos problemas enquanto sociedade e comunidade? Milênios, séculos, décadas de conhecimento acumulado. Se tudo isso não servir para evitarmos mortes de crianças de sarampo, meningite, malária, pneumonia, hepatite B, febre amarela, desnutrição, o conhecimento não foi inútil? Incompleto? Se toda essa inteligência não evita a discriminação contra negros, nordestinos, pobres, evangélicos, gays, umbandistas… Se com toda admiração que a elite brasileira tem pelos países do primeiro mundo, ainda discutimos e debatemos os direitos das empregadas domésticas, pergunto mais uma vez: não deveriam nossas melhores mentes estarem dedicadas a solucionar nossos problemas coletivos, sociais? Precisamos entender que estamos todos conectados. Somos partes de um todo.

Se há uma criança no Bom Jardim que não sabe ler, isso nos importa. Se acontece uma chacina em Messejana, guerra de gangues? Isso nos diz respeito. Afinal, como podemos deixar esses jovens morrerem? Não temos nada a ver com isso? Não nos diz respeito? Diz o dramaturgo alemão, Bertold Bretch, num de seus mais conhecidos textos: “O analfabeto político se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia política e os políticos. Mal sabe ele que dessa ignorância nasce a prostituição infantil, menores abandonados e mulheres violentadas”.

Não podemos ser analfabetos políticos. Analfabetos que reduzem uma discussão e um confronto entre bandeiras azuis e bandeiras vermelhas. Somos mais que isso. Somos mais que dois polos. Dois lados. Somos todos políticos, com mandatos ou não. Filiados a partidos ou não. Somos todos políticos e devemos acreditar que reduzir a desigualdade é a maior realização humana! Para isso serve fazermos política! Acreditem, só vamos alcançar essa realização através da democracia. Através de uma educação pública forte, acessível, um sistema de saúde de qualidade e de políticas públicas que permitam oportunidades econômicas e sociais para todos! Sem demagogia! Não podemos falar em igualdade de direitos e deveres numa sociedade tão desigual. Não existirá um futuro melhor sem participação política, sem empresários com uma visão de mercado que inclua as pessoas, sem um capitalismo criativo, sem economia solidária. Não existirá futuro sem diálogo social. Não existirá futuro melhor sem uma imprensa plural, livre, crítica e provocativa.

O analfabetismo político é maior quando não temos uma elite com compromisso social e coletivo. Falo de elite na primeira pessoa do plural. Nós somos essa elite. Somos elite social, econômica, cultural. Somos os detentores de grande parte desse conhecimento sequenciado e integrado. Não podemos fugir de nossa responsabilidade. Precisamos praticar mais o coletivo. Precisamos construir um presente melhor para todos e acreditar que o futuro pode ser diferente do passado.

Na língua tupi, dos indígenas brasileiros, existem duas formas de utilizarmos a expressão “nós”: ore e iandé. Ore, como pronome pessoal, exclusivo. Iandé, com pronome pessoal, inclusivo. Iandé brasileiros. Nós somos brasileiros. Ainda somos muito “ore” quando deveríamos ser mais “iandé’. Precisamos de diálogo. Precisamos do debate. Isso é salutar. Para isso, jornais, rádios, TVs, portais. Imprensa provocativa, livre. Para isso, documentos com profundidade, como o Anuário do Ceará. Precisamos descansar nossas espadas. Devemos fundir o aço de nossas lanças e escudos e moldar cabos de pontes de metal. pontes que possam transpor canais, rios e abismos. Isso não se faz senão com pensamento coletivo. Nossa vida no planeta é tão curta e o trabalho a ser feito é grande demais para realizarmos sozinhos e divididos. Precisamos de um pensamento iandé.

Meus amigos e amigas, todos os dias, de domingo a domingo. Há quase 90 anos, o Jornal O POVO constrói pontes, diálogos, combate o preconceito, derrete os metais das armaduras e os transforma em bancos de praça. Foi num desses bancos, que Demócrito Rocha fundou o Jornal em 1928. De lá, pra cá, essa casa, no nosso papel de escribas, informamos, formamos opinião e enriquecemos o debate em nossas páginas, home pages, programas de rádio e TV. Através das plataformas O POVO, o Ceará lê, assiste, ouve e escuta, acessa e compartilha todas as opiniões, de todas as matizes ideológicas, vertentes políticas, credos e colorações sociais. Desde Demócrito Rocha, o Jornal O POVO continua como uma praça deve ser. Um espaço democrático e coletivo.

Hoje, eu agradeço a todos que contribuíram e contribuem para a construção de uma dessas fontes indispensáveis para quem deseja entender o Ceará e os cearenses. O Anuário do Ceará. Agradeço aos patrocinadores, apoiadores e anunciantes. Agradeço aos editores, jornalistas Fábio Campos, Jocélio Leal e Joelma Leal.

Agradeço viver esse momento. Agradeço a todos que constroem dia a dia, o Grupo de Comunicação O POVO. Agradeço aos amigos. Ao Ceará e aos nossos irmãos cearenses. Agradeço a minha família, agradeço a meu pai de quem herdei o senso e o valor do pensamento coletivo. Agradeço a vida. Como versa a poetisa chilena Violeta Parra: “graças à vida que me deu tanto. Tem me dado o riso e me dado o pranto. Assim eu distingo alegria da aflição. Os dois materiais que formam meu canto. E o canto de vocês que é o mesmo canto. E o canto de todos que é meu próprio canto”.

Iandé cearenses. Iandé brasileiros!

*Luciana Dumar,

Presidente do Grupo de Comunicação O POVO.

*Confira um dos trechos fortes da fala de Luciana Dummar aqui.

José Guimarães – Dos braços da mamãe para os filhos da política

eleições 2014 pt guimarães e diassis martins

Uma pose ao lado do cantor Diassis Martins.

O deputado federal José Guimarães (PT) passa estes dias em Quixeramobim. Mais precisamente no distrito de Encantado, onde visita dona Maria Laís (91), sua mãe.

Masa, no fim de semana, volta a mergulhar na política, pois reforçará, na Região do Cariri, como informou para o Blog, as alianças de olho nas próximas eleições.

Guimarães, por exemplo, ainda não dá como certa a saída do deputado estadual Manuel Santana (PT) do páreo pela Prefeitura de Juazeiro do Norte. Santana chegou a dizer que está fora dessa peleja.

Eleições 2016 – Enquetes já estão proibidas

A partir desta quarta-feira (20) está proibida a realização de enquetes relacionadas ao processo eleitoral das Eleições 2016. Nesse aspecto, é importante destacar a diferença entre enquete e pesquisas eleitorais, uma vez que estas podem ser divulgadas até o próprio dia da eleição.

Conforme a definição, enquete é a simples coleta de opiniões de eleitores sem nenhum controle de amostra e sem a utilização de método científico para sua realização. Esse tipo de consulta depende apenas da participação espontânea do interessado.

Já a pesquisa eleitoral requer dados estatísticos realizados junto a uma parcela da população de eleitores, com o objetivo de comparar a preferência e a intenção de voto a respeito dos candidatos que disputam determinada eleição.

Portanto, a divulgação de enquetes e sondagens em desacordo com as regras previstas na legislação é considerada um ilícito que pode ser punido com o pagamento de multa que varia de R$ 53 a R$ 106 mil. A multa está prevista no parágrafo 3º do artigo 33 da Lei nº 9.504/97 (Lei das Eleições).

(Site do TSE)

Bolsa Família já é pago com reajuste

Cerca de 13,9 milhões de famílias já estão recebendo o Bolsa Família reajustado. O governo federal está transferindo às famílias mais de R$ 2,5 bilhões neste mês. O reajuste, anunciado no último dia 29 de junho, elevou em média o valor do benefício de R$ 162,07 para R$ 182,31.

O decreto assinado pelo presidente em exercício, Michel Temer, aumentou os valores máximos mensais para quem pode receber o Bolsa Família de R$ 77 para R$ 85 (situação de extrema pobreza) e de R$ 154 para R$ 170 (situação de pobreza).

O índice, de acordo com o Palácio do Planalto, está acima da inflação dos últimos 12 meses.