Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

O ovo da serpente

62 1

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (3):

Nos últimos dois anos, o noticiário político foi substituído pelo noticiário da corrupção. Não há, por enquanto, nenhum indicativo de que esse quadro vá mudar. Na tarde/noite da última sexta-feira, enquanto escrevia essas linhas, pelo menos 70% das chamadas nos principais sites de notícias políticas nacionais se relacionavam de forma direta ou indireta com casos de corrupção investigados na Lava Jato e seus diversos desdobramentos.

Corrupção não é coisa nova. Muito menos foi inventada pelo PT, claro. A corrupção também não é da natureza petista. Não está em seu DNA. O problema ganha dimensões como a verificada no Brasil quando junta-se a vertente estatizante com o projeto de poder de um partido formado por corporações que respondem a uma lógica própria e não a um projeto de Nação. Daí a corrupção se tornou um método para manter-se no poder. Claro que muitos enchem os bolsos nessa caminhada.

No poder, a esquerda reinstituiu o conceito do Estado como líder do processo econômico. Interventor e estatizante. Um Estado que elege seus empresários preferidos. Um Estado que se aventurou a criar (com dinheiro público, privilégios, incentivos legais e até monopólios) as empresas campeãs nacionais que representariam um novo patamar do Brasil na economia mundial. São exemplos: a Petrobras, a Oi, o conglomerado X de Eike Batista e a JBS, que se financiou no BNDES e fundou um banco.

Não deu certo. Nem poderia dar. Os oito anos de Fernando Henrique Cardoso, que a esquerda chama de direita, fez um programa de privatização como forma de financiar o Estado. Deixaram de ser estatal a telefonia, o fornecimento de energia elétrica (não a produção), a Vale do Rio Doce e a Embraer. Imaginem os senhores o tamanho da bandalheira se essas empresas ainda fossem públicas. Pois é.

Há uma lógica persistente contra a qual não há argumentos seja no Brasil ou em qualquer lugar do mundo: a dimensão da corrupção é diretamente proporcional ao tamanho do Estado. Por esse raciocínio, quanto menor o Estado, menos corrupção. Estado menor não significa Estado fraco. Pelo contrário. No entanto, quanto menor forem os tentáculos estatais, menores serão as chances dos esquemas de corrupção prosperarem.

Estima-se que a União possua cerca de 200 empresas estatais. Cada uma delas com largas diretorias disponíveis para indicações políticas. O que é a Transpetro se não isso? Se considerarmos as empresas públicas estaduais e municipais Brasil afora, temos centenas de estatais. Isso, sem considerar os milhares de equipamentos públicos com fins privados (como estádios, ginásios, aquários, aeroportos).

A política não deixa vácuo. Se houver estatais elas serão devidamente ocupadas pela política. É de sua natureza. Também é de sua natureza disputar o poder e lá tentar permanecer. Para isso, os políticos lançam mão do que estiver ao seu alcance, sejam cargos públicos, a máquina, as contratações, as nomeações e, claro, o vicejar dos esquemas de corrupção.

Um bom caminho para combater a corrupção não é apenas com uma estrutura policial eficiente, um Ministério Público livre e juízes cônscios de seus deveres. Um corte drástico na quantidade de estatais teria um efeito muito mais proeminente. Da mesma forma, a redução radical dos cargos de confiança disponíveis para a política.

E o Estado? Ora, que vai cuidar de suas atividades fins. Principalmente saúde, educação e segurança pública. Estado não tem que ser dono nem de porto, nem de aeroporto. Muito menos de Tatusão.

Hillary Clinton é questionada pelo FBI sobre mensagem secreta em e-mail privado

O FBI está investigando a acusação de que Hillary Clinton recebeu centenas de documentos secretos em sua caixa de e-mails pessoais, em sua residência de Nova York, em vez de utilizar o serviço de correio eletrônico oficial, enquanto era secretária de Estado. Os principais funcionários que trabalhavam com Hillary Clinton também foram ouvidos.

As investigações visam saber se Hillary Clinton agiu ilegalmente ao usar uma caixa privada de mensagens para receber e-mails oficiais e secretos da Casa Branca. Dependendo do resultado da investigação, o assunto pode ter repercussão na campanha de Hillary. A pré-candidata democrata Hillary Clinton, que concorrerá às eleições presidenciais dos Estados Unidos, em novembro deste ano, foi interrogada nesse sábado (2) pelo FBI – a polícia federal norte-americana -, de forma voluntária, sobre o uso de seu servidor de e-mail privado, de janeiro de 2009 a fevereiro de 2013, quando ocupava o cargo de secretária de Estado.

O interrogatório durou três horas e meia. O porta-voz da campanha de Hillary Clinton, Nick Merrill, divulgou que “a secretária Clinton deu uma entrevista voluntária esta manhã sobre o uso de seu e-mail, enquanto ela era secretária. Ela tem o prazer de aproveitar a oportunidade para ajudar o Departamento de Justiça a avaliar e tirar uma conclusão [sobre o assunto]. Por respeito ao processo de investigação, Hillary não vai mais fazer comentários sobre o interrogatório”.

Parlamentares do Partido Republicano solicitam que sejam realizadas investigações independentes sobre o uso de e-mails secretos da Casa Branca na caixa de e-mails privados de Hillary Clinton. Eles alegam que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, ao qual está subordinado o FBI, não tem a imparcialidade necessária para lidar com o assunto.

Hillary Clinton deve ser eleita formalmente como candidata do Partido Democrata nas eleições de novembro, em convenção nacional do partido a ser realizada este mês.

(Agência Brasil)

Teatro no Senado – Não há argumento racional que convença o lobo a não devorar o cordeiro

105 2

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (3):

A presidente Dilma Rousseff obteve o reconhecimento oficial de que não cometeu as alegadas pedaladas fiscais que serviram de justificativa para o pedido de impeachment aceito pelo presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e que levou ao seu afastamento do cargo, durante uma das sessões mais vergonhosas da história do Parlamento, em todo o mundo. A conclusão sobre a inconsistência das pedaladas foi dada pela perícia realizada por uma comissão convocada pelo próprio Senado. Os peritos apontaram ainda que três decretos teriam violado a meta fiscal. Contudo, há de se ter em conta que a meta foi reajustada no final de 2015, pelo próprio Congresso Nacional, não existindo, portanto, a alegada violação.

O fato é que, em nenhuma democracia presidencialista verdadeira, um presidente da república jamais receberia impeachment por problemas contábeis como os alegados. Tal como na fábula O Lobo e o cordeiro – de Esopo -, não há argumento racional que convença o lobo a não devorar o cordeiro, quando ele não quer ser convencido. Na última semana, vimos isso claramente nas justificativas da senadora Rose de Freitas (PSDB/ES), líder do governo interino e nas do ministro Gilmar Mendes, do STF, em Estocolmo (ambos reconhecendo que as razões para a deposição de Dilma são políticas, e não algum crime de responsabilidade). Ou seja, estamos assistindo a um teatro no Senado. Ou, mais precisamente: a um golpe de estado branco.

Ora, o Brasil não está sob regime parlamentarista (sistema no qual o governo pode ser mudado a qualquer momento). No presidencialismo, os mandatos são fixos. Um governante só deixa o poder por morte, renúncia ou impeachment. Este último só pode ser convocado se o governante tiver cometido crime de responsabilidade (algo extremamente grave, cometido com intenção criminosa deliberada e inequívoca). Má gestão decorrente de incompetência ou de erros técnicos não justifica o impeachment, embora possa, eventualmente, derrubar um governo, no sistema parlamentarista. Fazer isso no presidencialismo é golpe de estado – que não precisa ser necessariamente militar. E o governo que surge desse processo será sempre visto como ilegítimo, abrindo caminho para a instabilidade e, daí, para ilegalidades.

Distorções, cada vez mais graves, registram-se no atual momento político. Uma delas é o fato de o governo interino fazer mudanças estruturais que só seriam permitidas a um governante titular. Isso não parece compatibilizar-se com a institucionalidade democrática. Mas, é o que se tem feito diariamente, inclusive, a mudança radical na política econômica e na política externa. Não caberia ao interino nem sequer mudar o ministério, enquanto não fosse julgado definitivamente o impeachment da presidente legítima. Uma dessas arbitrariedades atinge o novo marco do petróleo – o regime de partilha – com a entrega do pré-sal às multinacionais. Como bem expressou a presidente Dilma, isso só poderia ser feito mesmo através de um golpe de estado, pois os autores desse crime de lesa-pátria não teriam a coragem de defender tal proposta numa eleição livre.

Motoristas e cobradores de ônibus aprovam estado de greve em Fortaleza

Motoristas, cobradores e fiscais de ônibus aprovaram estado de greve, em assembleia realizada nesse sábado (2), com possibilidade de paralisações caso a categoria não entre em acordo com o Sindiônibus, na reunião da terça-feira (5). A votação unânime aconteceu na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro-CE).

Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 18%, mas o Sindiônibus oferece 4% de aumento. Uma reunião, com representantes do Sintro-CE e do Sindiônibus, está marcada para às 13h30min da terça-feira, na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.

“A gente espera que venha uma proposta melhor, porque esse reajuste de 4% não condiz com a realidade da inflação em nosso país, de 9,83%”, disse o presidente do Sintro-CE, Domingo Neto. A categoria não prevê paralisações até a próxima reunião de negociação, mas fará movimentações nos terminais de ônibus para informar à população sobre o estado de greve.

“As paralisações só vão acontecer se não entrarmos em acordo na reunião de terça. Estamos ansiosos com propostas melhores, pois queremos evitar transtornos às pessoas”, frisa Domingo. Ao todo, 380 trabalhadores participaram da votação desse sábado.

A última greve da categoria de ônibus ocorreu em julho de 2015 e durou um dia. Atualmente, os motoristas, cobradores e fiscais ganham, respectivamente, R$ 1.806, R$ 1.080 e R$ 1.125, de acordo com o Sintro-CE.

O Sintro-CE estima um total de 3.200 trabalhadores rodoviários em Fortaleza e Região Metropolitana, entre motoristas, cobradores e fiscais, além dos funcionários do setor pessoal e de manutenção.

(O POVO Online)

Parquelândia – Roberto Cláudio prestigia o Arraiá das Cumadi

163 1

foto arraiá das cumadi 160702

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) prestigiou na noite desse sábado (2), no bairro Parquelândia, o tradicional Arraiá das Cumadis, em sua oitava edição. Além do prefeito, o deputado estadual Lucílvio Girão (PP) e os vereadores Acrísio Sena (PT) e Luciram Girão (PDT) também compareceram à festa que se encerrou nas primeiras horas deste domingo.

Comidas típicas, brincadeiras, muito forró e quadrilhas de bairros de Fortaleza como a “Balão Beijo”, do Jardim Iracema, animaram o Arraiá das Cumadi, festa organizada por mulheres da rua Amadeu Furtado, nesse bairro. A festa recebeu o apoio deste Blog, de Adailton Automóveis e do Bar Besouro Verde.

A atração musical ficou por conta da banda “Asa Noturna” – com Luiz Cordeiro, que apresentou um repertório repleto de canções juninas, além dos clássicos do forró das antigas e de músicas de outros estilos tocadas, é claro, ao som da sanfona. A festança foi aberta com uma novidade: uma coreografia das “Cumadinhas”, que reuniu filhas e netas das cumadi, com direito a dançar ao ritmo de Wesley Safadão.

Dois quarteirões e meio foram tomados pela alegria junina, num clima de paz e com ar suprapartidário.

Destaques

O sucesso deve-se, claro, às “cumadi”: dona Nadir, dona Valda, dona Nádia, dona Eneide, dona Hélia, dona Marcela, dona Carla, dona Rosânia, dona Argentina, dona Amazônia, dona América e dona Argélia

(Fotos – Paulo MOska)

Delegada confirmará que Morato se matou, diz porta-voz da Defesa Social

Tendo por base conversas informais com os policiais civis que investigam a morte do empresário Paulo César de Barros Morato, o gerente de Comunicação da Secretaria de Defesa Social do governo de Pernambuco, Otávio Toscano, disse nesse sábado (2) que “tudo leva a crer” que a morte do empresário investigado pela Operação Turbulência, da Polícia Federal, foi suicídio. “É absurdamente impossível o empresário ter sido assassinado”, acrescentou.

“Nas conversas informais, os investigadores têm dito que só pode ter sido suicídio. Acredito que nesta semana a delegada [Gleide Ângelo] vai confirmar isso. A hipótese do infarto já foi descartada após ter sido detectado um tipo de veneno de rato chamado chumbinho nas vísceras”, disse Toscano.

Segundo ele, Morato foi visto sozinho – pelos funcionários do motel onde foi encontrado morto – ao chegar ao local. “Depois de entrar no quarto, a única coisa que ele fez foi mexer em um copo e em uma garrafa d’água. Inclusive, quando ele foi encontrado estava com a camisa por dentro da calça, exatamente como, imagina-se, ele tenha chegado”, acrescentou Toscano. “Mas tudo que estou falando, é muito importante deixar claro, é minha opinião, tendo por base o que tenho visto e ouvido por aqui”, acrescentou.

Ele explicou que a perícia feita nesse sábado foi a pedido do perito responsável por analisar as imagens gravadas pelas câmeras do motel. “Ele precisava ter mais informações sobre o posicionamento das câmeras para embasar o laudo que está sendo preparado”, acrescentou.

O empresário Paulo César de Barros Morato foi encontrado morto no dia 22 de junho, em um motel localizado em Olinda (PE). Investigado pela Operação Turbulência, ele estava foragido. A PF suspeita que ele era testa de ferro de uma organização criminosa de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 600 milhões desde 2010.

(Agência Brasil)

Camilo e coordenador da Bancada Federal não chegam a acordo sobre emendas para o Ceará

foto camilo e josé airton

O clima promete ser tenso na reunião da Bancada Federal do Ceará, em Brasília, na terça-feira (5). É que o governador Camilo Santana e o coordenador da Bancada, deputado federal José Airton, ambos do PT, não chegaram a um acordo na tarde deste sábado (2), em reunião no Palácio da Abolição.

O encontro deveria definir os recursos das emendas parlamentares que os 22 deputados federais do Ceará destinariam para o Estado este ano, assim como discutia o então governador Cid Gomes (atual PDT), que chegou a conseguir 100% das emendas para projetos do governo estadual.

A reunião da terça-feira, além de tratar das emendas parlamentares, também abordará a sucessão na coordenação.

Arquidiocese de Fortaleza realiza Jubileu dos Seminaristas

A Arquidiocese de Fortaleza realizou neste sábado (2) o Jubileu dos Seminaristas, como parte da programação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia. O evento ocorreu no município de Canindé, a 118 quilômetros de Fortaleza.

A cidade de Canindé foi escolhida por ali estar “uma das Portas Santas da Arquidiocese de Fortaleza”, explicou padre Rafhael Maciel, Missionário da Misericórdia, nomeado pelo papa Francisco.

O Jubileu é “para que também aqueles que estão no processo de formação para o presbiterado possam sentir que seus chamados são um dom da Misericórdia de Deus que chama aqueles que Ele quer”, completou o padre. O Missionário da Misericórdia explicou ainda que, “ser chamado por Deus para trilhar um caminho de formação para o ministério ordenado é puro dom da Misericórdia Divina que chama apesar de nossa fragilidade”.

A Arquidiocese de Fortaleza possui atualmente 85 seminaristas distribuídos em três casas de formação, Propedêutico no Henrique Jorge, Filosofia no Antonio Bezerra e Teologia no Castelão. Todos perfazem um caminho de oito anos de estudos na Faculdade Católica de Fortaleza, herdeira do Seminário Prainha, instituição que formou padre Cícero Romão Batista e outros notáveis da Igreja Católica no Ceará.

Justiça nega soltura de presos da Operação Saqueador sem tornozeleira eletrônica

O Plantão Judiciário da Justiça Federal no Rio de Janeiro negou na tarde deste sábado (2) o pedido de prisão domiciliar sem tornozeleiras eletrônicas dos cinco presos na Operação Saqueador da Polícia Federal. Nessa sexta-feira (1º), o desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, concedeu prisão domiciliar para Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira; Adir Assad; Marcelo Abbud; Cláudio Abreu e Fernando Cavendish. Entretanto, devido à crise financeira do governo do Rio, faltam tornozeleiras eletrônicas.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que os presos foram transferidos do presídio Ary Franco, em Água Santa, zona norte do Rio de Janeiro, para o presídio Bangu 8, em Bangu, zona oeste, onde ficam os presos com curso superior. Ainda segundo a Seap, somente na quinta-feira (7), as novas tornozeleiras devem chegar.

O advogado de Marcelo José Abbud e Adir Assad, Miguel Pereira Neto, disse que resta uma petição simples a ser apreciada pelo Plantão Judiciário e tem esperanças de que seus clientes sejam soltos ainda hoje. “Ainda acredito que, por uma questão de coerência e razoabilidade, o tribunal vai decidir ainda hoje que eles devem esperar em casa pelas tornozeleiras. Mas se o tribunal proibir, cabe uma reclamação, quando uma instância originária descumpre uma decisão do tribunal, que é uma instância superior”, explicou.

(Agência Brasil)

Em clima de campanha, Luizianne garante aplicação de 100% dos precatórios do Fundef em educação

120 6

foto luizianne 160702 pré-campanha

Ao ritmo do Pátria Educadora, do Governo Federal, que seria tocada pelo então ministro Cid Gomes (Educação), a pré-candidata do PT à Prefeitura de Fortaleza e deputada federal Luizianne Lins disse na tarde deste sábado (2), na sede da ADUFC/Sindicato que, numa próxima gestão dela, 100% dos precatórios do Fundef irão para a educação.

“É um absurdo as escolas estarem com telhados caindo, bibliotecas e laboratórios fechados e esse dinheiro ser usado em outra coisa”, criticou a ex-prefeita de Fortaleza, durante encontro que debateu propostas para a educação municipal. Luizianne criticou ainda o que considera uma “desconstrução de políticas públicas de educação da atual gestão”, ao apontar na sua avaliação uma redução da qualidade da merenda, do fardamento e do transporte dos alunos.

Mortes de policiais: onde está a falha?

Editorial do O POVO deste sábado (2) comenta do aparato policial precário, diante do poder bélico de criminosos. Confira:

A morte de três policiais militares – cabo Joel, soldado Antônio Alves e sargento Guanabara – quando tentavam impedir assalto a carro-forte, no distrito de Juatama, em Quixadá, causa tristeza e indignação na sociedade. A soma de policiais mortos, somente neste ano, no Ceará, já chega a 14, segundo a Associação dos Cabos e Soldados do Estado do Ceará. No primeiro semestre, já alcançava o número correspondente ao total de 2015.

Desta vez, os agentes do Estado foram recebidos à bala por um grupo fortemente armado, cuja movimentação chamou a atenção de transeuntes. Soube-se, depois, que a quadrilha pretendia assaltar um carro-forte. As informações não detalham o tipo de armamento portado pelos policiais durante a abordagem. O resultado da operação, contudo, permite supor que, pelo menos nesse quesito, estavam em desvantagem, pois os bandidos atacaram, aparentemente, com armas sofisticadas e de grosso calibre.

Com a operação de cerco empreendida pela força-tarefa encarregada da captura dos criminosos, os acusados do crime ainda estavam sendo procurados. Sabe-se que os bandidos usavam uma Hilux na ação criminosa e chegaram a colocar um caminhão para bloquear a via. Pelo visto, trata-se de profissionais calejados na via do crime. No mínimo, gente daqui mesmo, treinada por quadrilhas do Sudeste ou comandada por quadros destas. Não se deve, porém, subestimar a qualificação já alcançada por bandidos locais.

Como nas operações de guerra, os alvos visados, com maior frequência, são os que oferecem mais vulnerabilidade. Nesse caso, o Interior leva vantagem sobre a Capital (onde se concentram as forças policiais). Não só os bancos das pequenas cidades são mais desprotegidos, como a logística para o deslocamento das forças repressivas é mais complexa e dispendiosa. Mesmo os carros-fortes dos bancos ficam mais vulneráveis quando se deslocam por longos trajetos em áreas rurais, possibilitando emboscadas eficazes.

É hora de repensar a estratégia de segurança para evitar e combater esse tipo de ação. A aposta deve ser em serviços de inteligência, melhor equipamento e treinamento para os policiais, bem como a montagem de uma logística que permita um deslocamento ágil do contingente policial. Caso contrário, a ousadia dos bandidos será cada vez maior.

PIS/Pasep – Trabalhador que perdeu prazo do saque ganha nova chance

 

pis_pasep

Os trabalhadores que perderam o prazo para sacar o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), referente ao ano-base de 2014, terão nova oportunidade para retirar o benefício. O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, anunciou que os mais de 1,2 milhão de trabalhadores que perderam o prazo, encerrado no dia 30 último, poderão fazer o saque entre os dias 28 de julho e 31 de agosto.

De acordo o ministro, não houve diferença na média de comparecimento dos trabalhadores para saque do benefício em relação aos anos anteriores, mas o governo decidiu “inovar” ao prorrogar o prazo. “A intenção do governo é que 100% dos trabalhadores que têm direito ao abono possam ter a oportunidade de comparecer às agências e retirar o abono. É a primeira vez que o governo toma a iniciativa de ampliar o prazo”, disse.

O abono

O benefício, equivalente a um salário-mínimo (R$ 880), é pago a empregados que tenham trabalhado com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2014 e tenham recebido até dois salários-mínimos por mês nesse período.

O trabalhador também precisa estar cadastrado no PIS/Pasep há, pelo menos, cinco anos e ter tido os dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). Até agora, foram sacados R$ 18,3 bilhões. Os recursos não sacados retornam ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

O abono salarial é um dos benefícios pagos pelo FAT, que também custeia o seguro-desemprego, os cursos de qualificação profissional feitos em parceria com os governos estaduais e a participação na receita dos órgãos e entidades para os trabalhadores públicos e privados.

(Agência Brasil)

Hora do Enem: interessados em simulado online têm até este domingo para fazer provas

O estudante que pretende testar o conhecimento com o simulado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na plataforma Hora do Enem, tem até as 20h deste domingo (3) para fazer as provas. Para acessar o simulado, o estudante precisa se cadastrar no site http://horadoenem.mec.gov.br/.

O simulado é gratuito e está disponível desde o dia 25 de junho. As provas somam 80 questões, elaboradas no mesmo formato do Enem para permitir ao estudante que esteja concluindo o ensino médio, na rede pública ou particular, treinar e ganhar ritmo para as provas do Enem 2016, marcadas para os dias 5 e 6 de novembro.

Após o término da prova, o estudante pode verificar a nota imediatamente. A plataforma indicará como está o desempenho dele em relação ao curso pretendido.

Este é o segundo simulado online. Mais de 710 mil estudantes de todo o país fizeram o primeiro simulado nacional do Hora do Enem, nos dias 30 de abril e 1º de maio, e repetido nos dias 7 e 8 de maio. Pelo menos 85% dos alunos que fizeram a prova estudam na rede pública de ensino. Estão previstos outros dois simulados até a aplicação do Enem.

(Agência Brasil)

As eleições em Fortaleza e a velha política

81 1

Em artigo no O POVO deste sábado (2), o jornalista Ítalo Coriolano questiona o termo “inauguração” em obras da Prefeitura. Confira:

Ao longo de três anos e meio de gestão, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) já inaugurou 16 novos postos de saúde. Com todo o direito, foi em cada um deles fazer ato de inauguração. Placas foram colocadas para registrar a data de entrega e os responsáveis pelas obras, como deve ser. No mesmo período, inaugurou duas escolas de tempo integral e fez o mesmo rito. Idem com as 11 Areninhas. Ótimo trabalho que merece ser reconhecido.

Entretanto, alguns exageros também podem ser observados nesses últimos meses que antecedem o período eleitoral. Quem for à Praça General Tibúrcio (mais conhecida como Praça dos Leões), por exemplo, também vai encontrar uma placa com o termo “inauguração” e o dia 28 de junho de 2016 inscritos.

Um turista ou um morador que nunca foi ao Centro de Fortaleza poderá pensar que foi RC o responsável pela construção do equipamento, o que não é verdade. O espaço foi oficialmente inaugurado em 1856, e o que o atual governo fez foi apenas uma ação de manutenção, com pintura de muros e conserto de alguns bancos, como já foi feito em outras administrações. Algo corriqueiro. Ao tentar maquiar a realidade, além de ludibriar a população, a Prefeitura comete verdadeiro ataque à memória da Capital.

A situação se repete em outras praças da Cidade, escolas e terminais de ônibus, que foram alvo de algumas reparações e, dentro de um clima de campanha, ganham ares de coisa nova, como se tivessem sido erguidos do zero ou passado por profunda intervenção estrutural.

Agora imaginem se cada prefeito que fizer alguma benfeitoria em equipamentos já existentes na Cidade resolvesse colocar uma placa no local. Em determinado tempo, teríamos um cenário esdrúxulo. Ou então se daqui a alguns anos um futuro gestor precise reformar alguma obra realmente feita por RC e coloque lá uma placa escrito “inauguração”. Seria um desrespeito à figura do hoje prefeito.

O mais absurdo, todavia, pode ser observado na periferia da Cidade, onde ruas que receberam asfaltamento também viraram motivo para eventos de inauguração. Algo que nos remete ao que há de mais arcaico no País, e vindo logo de uma gestão que trouxe tantos avanços em termos urbanísticos, como as ciclovias, o Bicicletar e as faixas de ônibus. Pelo visto, no campo político, há muito ainda o que evoluir.

Tornozeleira – Detento em prisão domiciliar busca sobrevivência nos ônibus de Fortaleza

foto tornozeleira onibus

Próximo de completar 30 anos de idade, o detento Marcos (nome fictício, pois pediu para não ser identificado) decidiu que pretende viver, pelo menos, mais 30 anos. Para isso, segundo Marcos, terá que largar a trajetória de crimes. “Tenho sorte de ainda estar vivo. Já passei por muitas situações de morte, mas estou vivo. Então, sou um cara de sorte. Vou aproveitar essa sorte para ganhar a vida de forma honesta”, comentou o detento, que busca a sobrevivência como vendedor de balas (bombons) nos ônibus de Fortaleza.

Na perna esquerda, Marcos carrega uma tornozeleira que acusa prisão domiciliar. Para evitar o constrangimento ou o medo dos passageiros, o detento anuncia o dispositivo eletrônico e diz que o equipamento é “uma marca dos meus erros”.

Marcos afirma que já buscou emprego em vários locais, mas “ninguém dá chance a um detento”. Ele não culpa os empregadores, pois, “os mais grosseiros”, sempre têm uma história para contar de ex-detentos que voltaram a cometer crimes nos locais que os acolheram.

“Dezenas jogam a chance fora, milhares a aproveitam para se reintegrarem na sociedade. Mas as histórias que prevalecem são as ruins”, lamentou.

Apesar de irremovível e do monitoramento por GPS, a tornozeleira de Marcos nunca lhe causou problemas, diante de uma possível violação da área determinada pela Justiça. O entra-e-sai nos ônibus não lhe dá noção da área restrita.

Tirar Cunha para manter o poder de Cunha

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (2), pelo jornalista Érico Firmo:

A grande articulação que transcorre atualmente em Brasília diz respeito à sucessão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na presidência da Câmara dos Deputados. O principal agente é o próprio presidente afastado da Casa. O plano é Cunha sair, com objetivo de preservar o poder e a influência que mantém.

A estratégia de Cunha consistiria em renunciar à presidência da Câmara, no caso de acordo que envolvesse Palácio do Planalto, PSDB e DEM para eleger um aliado de Cunha para sucedê-lo.

O presidente da Câmara caminha para o cadafalso. A tendência é de que seu mandato de deputado seja cassado. Com isso, deixa de ter também foro privilegiado. Seu processo iria parar nas mãos de Sérgio Moro. Perder o cargo de presidente é o menor prejuízo que pode ter. Ele, então, segue a velha máxima de entregar os anéis para salvar os dedos.

O acordo seria manter um aliado de Cunha no cargo para concluir o atual mandato, até fevereiro de 2017. No próximo ano, na eleição do novo presidente da Câmara, o PMDB e o grupo de partidos controlado por Cunha assumiriam compromisso de apoiar um indicado por PSDB e DEM.

Enquanto Cunha articula para não perder o controle da Câmara e negocia com o presidente da República em exercício, operação da Polícia Federal chegou ontem perto como nunca dele. Entre os detidos, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro. Ele é suspeito de agir em parceria com Cunha para pressionar empresas por suborno. Como diria Cid Gomes (PDT), agiam juntos para achacar.

Defesa pediu – Quebra do sigilo telefônico de Cunha é autorizado pelo STF

foto eduardo cunha deputado federal

Como forma de buscar a localização do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no dia 18 de setembro de 2011, quando supostamente teria recebido a quantia de US$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sonda da Petrobras, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki autorizou nessa sexta-feira (1º) a quebra do sigilo telefônico do peemedebista, entre as 19 horas e 21 horas.

O pedido foi requerido pela própria defesa de Cunha, na tentativa de desconstruir a tese de que Cunha pressionou o empresário Julio Camargo a retomar o pagamento de propina pelo negócio. Para Teori, ainda que a ausência de dados de Cunha “não necessariamente exclui a existência dos fatos narrados na denúncia” na Lava Jato.

Em deleção premiada, Camargo contou que teria pago US$ 5 milhões em suborno para Cunha, por meio do lobista Fernando Baiano.

(com agências)