Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Desembargador tentou ocultar patrimônio, diz Polícia Federal

Aposentado e na condição de investigado, o desembargador Váldsen Pereira pergunta à secretária do cartório, por telefone, sobre o email enviado. O material, porém, não havia chegado à destinatária – por engano, ele digitou um ponto a mais no endereço eletrônico. No anexo da mensagem estava a documentação de uma casa em Natal (RN), que ele tentava retirar de seu nome e transferir para dois netos. Foi o que avaliaram os investigadores federais. O desembargador não sabia que estava com o sigilo telefônico quebrado, por ordem judicial. Num trecho da ligação, Váldsen faz a recomendação à funcionária do cartório:

VÁLDSEN: Pois eu mandei (UM EMAIL). Agora, você diz à (MENCIONA OUTRA FUNCIONÁRIA) que vai ser só no nome dos dois meninos.

FUNCIONÁRIA: Hamm!

VÁLDSEN: Vai ser no nome da (NETA) não, só no nome dos dois meninos, viu?

FUNCIONÁRIA: Certo, certo!

VÁLDSEN: Aí eu vou enviar novamente, vê se chega aí.

FUNCIONÁRIA: Mas ela disse que está precisando da matrícula atualizada, o senhor tem que pedir lá pra pessoa mandar para o senhor.

A ideia da transferência de propriedade parece clara aos policiais na gravação. “Depreende-se do exposto a sinalização de início de tratativas para transferência de algum imóvel que pertenceria ao investigado Váldsen, localizado na cidade de Natal (RN)”, descreve o relatório policial. Os federais consideram que, nas ligações para o cartório, o desembargador aposentado tentava “ocultar patrimônio”. É como está mencionado no relatório. A funcionária até cobra para que ele envie a matrícula atualizada do imóvel, que estaria atrasada. Noutro telefonema com a mesma funcionária do cartório, confirma já ter mandado “as identidades dos “meninos” (um de cinco, outro de sete anos).

A ligação é de agosto do ano passado, de uma série de interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal com autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na continuidade das investigações da operação Expresso 150. O POVO teve acesso a trechos sigilosos dos autos do inquérito 1.079/DF, que tramita na Corte de Brasília, em pontos da investigação referentes apenas ao desembargador Váldsen. Deflagrada em junho de 2015 pela Polícia Federal, a Expresso 150 investiga a negociação de sentenças judiciais entre desembargadores e advogados dentro do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). Os magistrados receberiam até R$ 150 mil por liminares vendidas.

Váldsen já estava no radar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) desde 2014, por “decisões atípicas”, mas só foi levado para depor em condução coercitiva na segunda fase da Expresso 150, em setembro de 2016, rebatizada de Cappuccino. Nas liminares de Váldsen sob suspeita, ele ordenava que a PM aceitasse alguns candidatos até reprovados ou acusados de roubo e homicídio. Laudos contábeis da investigação rastrearam que o magistrado teria recebido pelo menos R$ 107 mil por supostamente negociar algumas de suas decisões. A prova consta nos autos da Expresso 150. Váldsen se aposentou em maio daquele mesmo ano, após completar 70 anos, mas de lá pra cá seguiu sendo monitorado.

Vendido à Igreja

Em outro áudio, Váldsen estaria “obstaculizando” (outro termo do documento) o trabalho de peritos federais na avaliação de um terreno na praia do Cumbuco, confiscado judicialmente. Por telefone, o perito da PF diz ao desembargador que não consegue achar três terrenos:

PERITO: Tem uns três terrenos num loteamento que a gente não conseguiu achar. Um que o senhor desmembrou em sete. Vendeu pra um… negócio dos jesuítas eu acho…

VÁLDSEN: É…pra Igreja!

PERITO: Isso! Só que aí a gente passou lá na rua, mas não tem o… Está sem terreno lá, terreno B, não tem o número da rua direito e tal.

Numa conversa com um dos advogados, o desembargador admite ter construído uma casa para a filha, num de seus terrenos, sem ter requerido alvará para a liberação da obra. Também por isso admite não querer informar onde são localizados os terrenos, embora fossem bens adquiridos antes das acusações de corrupção contra ele. A conversa é também ressaltada no relatório, embora não ganhe maior relevância.

VÁLDSEN: As quitinetes, acho que era até bom indicar onde eram, viu. Mas os terrenos não vou dizer porque tem uma casa que eu fiz, que não…fiz sem autorização, sem alvará da prefeitura, viu! Eles vão bater foto e tudo e aí fica complicado, embora esses terrenos todos sejam coisas anteriores ao fato, né!

ADVOGADO: Claro!

O advogado inclusive reafirma a orientação para que o desembargador colabore “com tudo que estiverem pedindo”. E admite que “essa questão de estar sem alvará, eu não sei se isso poderia implicar em alguma coisa”. Váldsen concordou.

Como apenas Váldsen Pereira é o que está na condição de investigado, O POVO opta por preservar o nome das demais pessoas que participam das conversas ou são mencionadas nos relatórios policiais. As interceptações foram autorizadas pelo ministro Herman Benjamin, do STJ.

Além de Váldsen Pereira (aposentado), os outros desembargadores do TJCE alvo da operação Expresso 150 são Paulo Camelo Timbó (aposentado), Sérgia Maria Mendonça Miranda (afastada) e Carlos Rodrigues Feitosa (afastado) e Francisco Pedrosa Teixeira (afastado). Todos negam as acusações feitas nos autos da operação Expresso 150. Carlos Feitosa e pelo menos nove advogados já são réus na Ação Penal 841/DF, no STJ.

Operação

A Expresso 150 nasceu de uma investigação anterior dos federais, aberta dois anos antes, sobre a atuação de traficantes de drogas no Ceará. Nas interceptações telefônicas junto aos criminosos, foi descoberto que desembargadores e advogados negociavam o valor de liminares, concedidas nos plantões judiciários, para libertar os traficantes.

O suposto ingresso irregular de candidatos à Polícia Militar, com liminares concedidas por Váldsen Pereira, é referente ao concurso realizado em 2008. O desembargador concedeu à época, em 2012, decisões favoráveis a pelo menos 122 candidatos – depois suspensas. O material foi investigado pelo Conselho Nacional de Justiça e depois agregado ao combo da operação Expresso 150.

(O POVO – Repórteres Cláudio Ribeiro e Demitri Túlio / Foto – Evilazio Bezerra

Mobilização nacional de vacinação contra gripe começa nesta segunda-feira

Começa nesta segunda-feira (17) a mobilização nacional de vacinação contra a gripe. A campanha deste ano inclui, pela primeira vez, os profissionais de educação no grupo prioritário. Cerca de 2,3 milhões de professores de escolas das redes pública e privada devem ser imunizados nos postos de saúde de todo o país.

Nos dias 2 e 3 de maio, os docentes serão vacinados nas escolas. Idosos, trabalhadores do setor de saúde, crianças de 6 meses até 5 anos, gestantes, mulheres no pós-parto, indígenas, população privada de liberdade, inclusive os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, e pessoas com doenças crônicas continuam como público-alvo da vacinação.

A vacina permite a proteção contra os vírus A(H1N1), H3N2 e influenza B. Como os vírus são mutantes, a composição da vacina é feita somente depois da indicação da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre as cepas (variações dos vírus) que circularam com mais frequência nos últimos meses na região. Segundo a OMS, em 2016 a cepa do vírus A(H1N1) foi alterada, o que levou à produção de uma nova composição para a campanha deste ano.

Cerca de 60 milhões de doses serão distribuídas aos postos da rede pública de saúde. O Ministério da Saúde espera que pelo menos 54 milhões de pessoas sejam imunizadas até o dia 26 de maio, prazo final da campanha. O dia D da mobilização será em 13 de maio.

O principal objetivo da campanha é reduzir as hospitalizações e a ocorrência de mortes relacionadas à influenza. Segundo o Ministério da Saúde, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de internações por pneumonia e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da gripe. Em 2016, o país registrou a maior incidência dos casos de gripe desde a pandemia iniciada em 2009. Mais de 2.200 pessoas morreram no ano passado por problemas relacionados à gripe. De janeiro a abril deste ano ocorreram 48 mortes.

Apesar de a incidência de casos estar num ritmo bem menor do que o registrado no ano passado, o Ministério da Saúde alerta para a necessidade de se vacinar o quanto antes e garantir que a proteção seja efetiva no período de maior vulnerabilidade, o inverno. Além de buscar a imunização, o Ministério recomenda que a população lave as mãos várias vezes ao dia, cubra o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evite tocar o rosto, não compartilhe objetos de uso pessoal, mantenha os ambientes bem ventilados e evite a permanência em locais com aglomeração.

(Agência Brasil)

O prefeito e a Praia do Futuro

Da Coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira (17):

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) marcou para a próxima segunda-feira (24), no Paço Municipal, uma reunião para buscar o consenso sobre a requalificação da Praia do Futuro, mais precisamente em torno do caso das barracas de praia que, por decisão do TRF-5ª Região, deverão deixar o local num prazo de dois anos. Isso para quem estiver irregular.

Dentro desse objetivo, ele convidou representantes do MPF, AGU, SPU, setor turístico, associação dos donos de barracas, Governo do Estado, Câmara Municipal e órgãos do município.

Na reunião, o prefeito apresentará o que diz o Projeto Fortaleza 2040 sobre a Praia do Futuro e, a partir daí, colocará em discussão medidas, via consenso, para unir o respeito aos direitos do cidadão e ao meio ambiente ao interesse econômico e turístico dos barraqueiros.

Sobe para cinco o número de mortos no tiroteio em Capim Grosso

Subiu para cinco o número de mortos do tiroteio em Russas, ocorrido na madrugada desse domingo (16), entre dois policiais do Raio e um grupo de cinco homens, durante uma festa na localidade de Capim Grosso, no Baixo Jaguaribe.

Além do soldado Meandro Cavalcante Nunes e de dois suspeitos de assalto, morreram durante a noite um jovem, que estava internado por “bala perdida”, e um outro suspeito que havia fugido do local do crime, em um veículo Siena, cor preta.

A Polícia deverá revelar os nomes dos suspeitos, ainda na manhã desta segunda-feira (17).

Câmara Municipal aprova Monsenhor Tabosa como corredor turístico

301 2

Maior corredor comercial a céu aberto da América Latina, com mais de 450 lojas em 700 metros de extensão, a avenida Monsenhor Tabosa, na Praia de Iracema, deverá se tornar corredor turístico de Fortaleza, após a Câmara Municipal aprovar projeto nesse sentido, de autoria do presidente do Legislativo de Fortaleza, Salmito Filho (PDT).

Revitalizada em 2014, após 22 anos sem obras, a Monsenhor Tabosa recebeu obras de drenagem, pavimentação com piso amantegado, calçadas com piso antiderrapante, iluminação nova e caramanchões (cobertas), em um investimento de R$ 5,9 milhões. Os recursos foram do Ministério do Turismo, com contrapartida da Prefeitura.

Na atual gestão do prefeito Roberto Cláudio (PDT), a Monsenhor Tabosa deverá ser incluída no projeto de revitalização da Praia de Iracema. O plano, que será anunciado no próximo mês pela Prefeitura, prevê incentivos fiscais para atrair novos investidores para o local, programação cultural, além de parcerias público-privadas e a criação de uma Zona de Interesse Turístico (ZIT), com incentivos e permissões na região.

Ciro Gomes diz que generalização dos políticos põe em risco a democracia

Para o ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes (PDT), “o pior dos mundos é incitar a opinião pública, o que coloca em risco a democracia”. A declaração do pedetista foi dada ao Estadão, nesse fim de semana, que abordou presidenciáveis que ficaram de fora da lista de Fachin.

Ciro Gomes lamentou a generalização que os investigados no STF causaram na sociedade. “A pena política não pode ser a mesma de alguém que recebeu R$ 50 mil com recibo e de outro que vendeu uma medida provisória”, ressaltou.

Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSC) também foram procurados pelo Estadão. Enquanto a ex-ministra do Meio Ambiente no governo Lula colocou que “o poder de partido falou mais alto do que o poder de nação”, o deputado federal afirmou que “se o povo reeleger o atual Congresso (no próximo ano), ele merece o poder que tem”.

Deputados dizem que delações não afetam votação de reformas

O presidente Michel Temer coordenou na noite desse domingo (16), no Palácio da Alvorada, uma reunião com integrantes do governo e da base aliada na Câmara dos Deputados para tratar da tramitação da reforma da Previdência (Proposta de Emenda à Constituição – PEC 287/2016).

Participaram da reunião, que durou cerca de três horas, o ministro da Fazenda, Henrique Meireles; o ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy; o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, além do relator da reforma da Previdência, deputado Arthur de Oliveira Maia (PPS-BA), e o presidente da comissão Carlos Marun (PMDB-MS).

Carlos Marun confirmou que Arthur Maia deve apresentar o relatório final da reforma nesta terça-feira (18). Segundo Marun, após a apresentação do relatório, um pedido de vista coletivo deve ser feito e a votação na comissão deve ficar para a próxima semana. Marun também disse que a abertura de inquéritos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) contra deputados citados nas delações da empreiteira Odebrecht não vai afetar os trabalhos. Para o deputado, a abertura de investigação contra o relator não causa constrangimento no colegiado.

Arthur Maia é acusado de não ter declarado R$ 200 mil recebidos da empresa para sua campanha eleitoral. Após a abertura da investigação, o deputado disse que as doações foram legais e aprovadas pela Justiça Eleitoral da Bahia. “Eu não tenho a mínima preocupação em relação a esta lista vir a interferir na votação. Não vou minimizar a questão. Isso, até ao contrário, traz uma exigência ainda maior de que nós cumpramos com o nosso dever, que é votar”, disse Marun.

O deputado também garantiu que a reforma deve ser aprovada no plenário por um “placar elástico” de, pelo menos, 350 votos. A votação deve ocorrer na primeira semana de maio.

A expectativa é que o texto final do relator modifique cinco pontos polêmicos da reforma, conforme autorizado por Temer na última semana.

São eles: regra de transição para quem está na ativa, aposentadoria do trabalhador rural, aposentadoria especial para professores e policiais, pensão por morte e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a deficientes físicos e idosos sem condições de sustento. Os temas são citados recorrentemente nas 130 emendas apresentadas por parlamentares ao texto.

Para ser promulgada e entrar em vigor, a PEC ainda precisa ser votada no plenário da Câmara e do Senado.

(Agência Brasil)

Bienal do Ceará lança livro da jornalista Ana Márcia Diógenes

A jornalista Ana Márcia Diógenes, ex-representante do Unicef para o Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte, lança na quarta-feira (21), na Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos, a obra “de esfulepante a felicitante: uma questão de gentileza”, que integra o projeto Eu sou Cidadão, uma realização da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE), em parceria com a Fundação Demócrito Rocha.

BrowBar – Loja de design de sobrancelha chega a Fortaleza

Fortaleza recebe nesta segunda-feira (17), a partir das 19 horas, na Aldeota, as franquias BrowBar e DepilWay, especializadas em design de sobrancelha e serviços de depilação. Outra novidade do empreendimento é que o atendimento será expresso e sem hora marcada.

“Sabendo da correria do dia-a-dia da mulher moderna, a BrowBar chega a Fortaleza pra mudar aquela prática comum dos salões de beleza de deixar a cliente por horas aguardando atendimento”, comentou a administração da loja.

SERVIÇO

Inauguração das franquias BrowBar e DepilWay

Av. Dom Luís, 1046, Aldeota

19 horas

Temer discute neste domingo a reforma da Previdência com líderes da base governista

O presidente Michel Temer recebe neste domingo (16), no Palácio da Alvorada, os líderes dos partidos da bancada governista no Congresso Nacional. O principal tema da reunião é a reforma da Previdência (Proposta de Emenda à Constituição – PEC 287/2016), que tramita na Câmara Federal.

O parecer do relator da reforma, deputado Arthur Maia (PPS-BA), deve ser lido na terça-feira (18), na comissão especial criada para analisar a proposta enviada pelo governo. No último dia 6, Maia anunciou que recebeu aval de Temer para alterar cinco pontos do texto original. A expectativa do governo é que a flexibilização do teor do projeto diminua as divergências entre os parlamentares e facilite a aprovação da PEC.

A pauta da reunião também deve incluir a repercussão da divulgação da relação de políticos e autoridades que serão investigadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da Operação Lava Jato e da liberação do conteúdo das delações dos ex-diretores da Odebrecht.

Líderes da oposição acreditam que as denúncias dos casos de corrupção envolvendo várias lideranças vão comprometer a tramitação e a aprovação da reforma da Previdência e de outras propostas de interesse do governo no Congresso. Já a base aliada aposta que a abertura dos inquéritos pode acelerar o processo de votação e garantir o argumento da importância da retomada do crescimento da economia promovida pela reforma para atenuar os efeitos das denúncias.

(Agência Brasil)

Ceará vence e está a um empate da final do Estadual

O Ceará derrotou o Guarani de Juazeiro, neste domingo (16), no Castelão, por 2 a 0, e poderá empatar o próximo jogo para chegar à decisão do Campeonato Estadual. Lelê e Magno Alves marcaram os gols do Vozão, ambos no segundo tempo.

Em uma partida dominada pelo Ceará, os atacantes alvinegros somente encontraram o caminho do gol aos 36 minutos da segunda etapa, quando Magno Alves encontrou Lelê entre a defesa do Guarani. Nos acréscimos, o próprio Magno Alves consolidou a vitória alvinegra. As duas equipes voltam a campo no próximo sábado (22), no Castelão. Antes, na quarta-feira (19), Fortaleza e Ferroviário decidem a primeira vaga à final do campeonato, com o Ferrão jogando pelo empate. Em caso de vitória do Leão, a vaga será decidida nos pênaltis.

Ministro diz que há estudos para compensar perdas nas alterações da nova Previdência

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, admitiu que há estudos para compensar perdas nas alterações da nova Previdência, mas nenhuma medida ainda foi tomada. “É preciso entender que, nessa reforma, cada centavo que você tira, o impacto faz falta”, afirmou.

Um desses “estudos” seria o fim do abono salarial, conforme adiantou o líder do Governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Outro “estudo” seria taxar as futuras entidades filantrópicas, apesar das atuais terem sido beneficiadas com a isenção.

(com agências)

Reforma trabalhista prevê demissão consensual

O substitutivo à proposta de reforma trabalhista (PL 6787/16) do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) incluiu a previsão de demissão em comum acordo. A alteração permite que empregador e empregado, em decisão consensual, possam extinguir o contrato de trabalho.

A medida gera a obrigação ao empregador de pagar metade do aviso prévio, quando indenizado, além de indenização sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Neste caso, o trabalhador poderá movimentar 80% do FGTS depositado na sua conta e não terá direito ao Programa do Seguro-Desemprego.

Atualmente, a CLT prevê o pedido de demissão pelo empregado, demissão por justa causa ou desligamento sem justa causa. Apenas nesta última forma, o trabalhador tem acesso aos recursos do FGTS, mais multa de 40% em seu saldo e direito ao seguro-desemprego, caso tenha tempo de trabalho suficiente para receber o benefício. Dessa forma, é comum o desligamento do trabalhador em um acordo informal com o empregador para acessar os benefícios concedidos a quem é demitido sem justa.

Segundo o relator Rogério Marinho, autor da sugestão, “a medida visa a coibir o costumeiro acordo informal, pelo qual é feita a demissão sem justa causa para que o empregado possa receber o seguro-desemprego e o saldo depositado em sua conta no FGTS, com a posterior devolução do valor correspondente à multa do Fundo de Garantia ao empregador”.

(Agência Brasil)

Amizades de resultados

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (16):

Por dever de ofício, me obriguei a assistir vídeos e ler documentos de algumas delações premiadas. Em especial, detive-me nos depoimentos de Emílio Odebrecht, pai de Marcelo. Com a prisão do filho, o patriarca reassumiu o comando da empresa e acabou por conduzir tanto a corporação quanto dezenas de executivos a colaborar com as investigações da Lava Jato em troca de condenações leves e, claro, da possibilidade de sobrevivência da empreiteira.

A postura de Emílio durante os depoimentos são uma peça à parte. Tranquilo, sorridente, bom narrador, o empresário se comporta ao estilo dos entrevistados das Páginas Azuis do O POVO, a tradicional entrevista das edições de segunda-feira. Sempre altivo, age, gesticula e fala como quem explana sabedorias e experiências elevadas.

A sua relação com o ex-presidente Lula foi exposta na cadência de quem relata amizades sinceras, fraternas e profundas. Certamente assim era entre os dois. Não há por que duvidar. Havia admiração. Provavelmente mútua. Na dimensão de cada um, souberam aproveitar no limite as possibilidades a exaurir em proveito pessoal e familiar.

Em um dos vídeos, após repetir seguidamente o quanto gosta de Lula, Emílio chega a perguntar ao interrogador se não era melhor desligar o microfone para que falasse a respeito do amigo. A inesperada sugestão não foi acatada. A autoridade pública disse-lhe que era melhor voltar ao foco do interrogatório. O pragmático Emílio se voltou para o ponto central como se nada tivesse ocorrido.

Em determinado momento, ao caracterizar Lula, Emílio relata o seguinte: “Ali é intuição pura, parece até feminina. Ele pega as coisas rápido. É um animal político, um animal intuitivo”. Curiosamente, a amizade entre os dois nasceu a partir da intermediação de um tucano ainda quando Lula era sindicalista. Foi Mário Covas que os apresentou.

Não é um problema a amizade entre um grande empresário e um presidente da República. Bons amigos são aqueles que entendem os papéis de cada um. Que entendem os limites e as circunstâncias que os cercam. Bom amigo é o que não deixa que as coisas se excedam transformando-se numa, digamos, amizade de resultados.

A coisa entre Lula e Emilio foi muito além das ajudas financeiras em troca de bons negócios e leis amigas. Em um texto que entregou ao Ministério Público, o empresário diz o seguinte: “A Carta ao Povo Brasileiro, feita com o propósito de acalmar o mercado financeiro, é um exemplo exato do tipo de apoio não financeiro que dávamos ao ex-presidente Lula. Essa carta tem muita contribuição nossa”. Pois é.

Como só os bons amigos podem dizer um ao outro, Emílio chegou a pedir moderação na ânsia por, digamos, ajudas financeiras: “Lembro-me de, em uma dessas ocasiões, ter dito ao então presidente que o pessoal dele estava com a goela muito aberta. Estavam passando de jacaré para crocodilo”.

Os acontecimentos sugerem que a coisa não terminou bem nem para um e nem para outro. Emílio foi condenado a quatro anos de prisão domiciliar e vive a dor de um filho na cadeia há quase dois anos. Lula certamente será condenado em um ou mais dos vários processos em que é réu.

São duas trajetórias dignas de filme. Trajetórias que se cruzaram constituindo um roteiro sem igual. Porém, de resultados trágicos para o País.

Acredite, Ceará não vence o Guarani no Castelão há 4 anos

Aos 35 minutos do primeiro tempo, Magno Alves cobra a penalidade no canto esquerdo do goleiro Fábio e faz o terceiro gol do Ceará, na goleada de 4 a 1 sobre o Guarani de Juazeiro.

O ano era 2013 e marcou a última vitória alvinegra sobre a equipe juazeirense, no estádio Castelão, naquela quinta-feira, 18 de abril, em disputas pelo Campeonato Estadual. Do atual elenco de Porangabuçu, somente Magno Alves participou da goleada. Mota, autor de dois gols, integra hoje a equipe do Ferroviário. Nenhum atleta do Guarani integra o elenco atual.

As duas equipes voltaram ao Castelão, quase um ano depois, mas houve empate sem gols.

Engana-se, no entanto, quem vê o Guarani, historicamente, como adversário duro para o Vozão. Nas últimas 10 partidas, incluindo as duas últimas no Castelão, foram seis vitórias alvinegras, dois empates e duas derrotas. O Ceará marcou 15 gols e sofreu apenas cinco.

No jogo deste domingo (16), no Castelão, a partir das 16 horas, pelas semifinais do Estadual, o Guarani conta com o artilheiro da temporada, Leílson, para tentar surpreender o Vozão. Mesmo assim, em sites de apostas online, o Ceará aparece com 60,5% de chances de vitória, contra 30,1% de empate e 9,3% de vitória do Guarani.

Em mensagem de Páscoa, Papa cita drama das guerras e ataque a Alepo

Em sua tradicional mensagem de Páscoa, neste domingo (16), o papa Francisco lembrou dos desafios que atingem atualmente o mundo, como as guerras, a imigração e o desemprego.

Francisco fez um apelo especial pelo Oriente Médio, pedindo “que nestes tempos, o Senhor sustente de modo particular os esforços dos que trabalham ativamente para levar alívio e consolo à população civil de Síria, vítima de uma guerra que não para de semear horror e morte”.

O Papa lamentou o último ataque feito à cidade de Alepo, no qual dezenas de civis morreram. Francisco enfatizou a esperança que a ressurreição de Jesus traz e pediu aos representantes das nações que tenham coragem para evitar a propagação de conflitos e acabar com o tráfico de armas.

Da Praça São Pedro, na cidade do Vaticano, o papa também abençoou “os esforços de quem, especialmente na América Latina, se compromete a favor do bem comum das sociedades, tantas vezes marcadas por tensões políticas e sociais, que em alguns casos são sufocadas com a violência”.

Francisco pediu que a Ucrânia, “ainda vítima de um sangrento conflito volte a encontrar a concórdia e acompanhe as iniciativas promovidas para aliviar os dramas dos quem sofrem com as consequências”.

Para a Europa, o papa pediu esperança para “os que atravessam momentos de dificuldade, especialmente por causa da grande falta de trabalho, sobretudo para os jovens”.

Também assegurou que Jesus ressuscitado ajudou os quem sofrem com a exploração, os que sofrem com a violência entre os muros de casa e “se faz companheiro de caminho dos que são obrigados a deixar a própria terra”.

O pontífice argentino explicou que “o Pastor Ressuscitado vai buscar quem está perdido nos labirintos da solidão e da marginalização” e alertou sobre a violência machista e os abusos ao falar dos quem “têm o coração ferido pelas violências dentro dos muros de sua própria casa”.

Após a mensagem e a missa de Páscoa, o Papa Francisco proferiu a benção Urbi et Orbi (à cidade e ao mundo) e encerrou os rituais da Semana Santa.

(Agência Brasil)