Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Policiais federais reclamam do silêncio de Moro diante de impasse na Previdência

E não foi só presidente Jair Bolsonaro nem o ministro da Economia, Paulo Guedes, que viraram alvos da insatisfação dos agentes de segurança mantidos pela União e que não obtiveram ganhos na proposta da reforma da Previdência.

Segundo informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta sexta-feiras, as farpas também foram direcionadas para o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. O silêncio dele foi alvo de críticas.

“Não tivemos quem nos defendesse na nossa própria casa”, disse Flávio Werneck, diretor jurídico da Federação Nacional dos Policiais Federais.

O retrato final da votação do relatório da reforma na comissão especial marca uma quebra de confiança entre os policiais e o governo. “O presidente não tem força nessa reforma. Está demonstrando que não consegue controlar sua equipe no Congresso”, completou Werneck.

Empresa doa 170 óculos para bombeiros guarda-vidas de Fortaleza

293 1

Bombeiros guarda-vidas que atuarão nestas férias em Fortaleza ganharam um mimo: 170 óculos escuros.

A Ferrovia Eyewear fez a doação para valorizar esse pessoal e, ao mesmo tempo, seguindo a política da responsabilidade social. Tudo pelo Dia do Bombeiro.

A grife de óculos esta com estande na Praia de Iracema e participa de toda uma programação que se encerrará nesta sexta-feira, como a segunda travessia do Corpo de Bombeiros. A marca premiará atletas que participarão de uma competição de duathlon aquático, além de competições como: Bombeiros de aço e Corrida do Fogo, uma das corridas de rua mais antigas de Fortaleza.

(Foto – Divulgação)

Justiça decide que Ciro responderá a processo por ter difamado João Doria

581 9

A 3ª Turma do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios determinou que o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) responda a um processo por difamação contra o governador João Doria (São Paulo). A informação é do site Conexão Política.

O fato se registrou em março de 2017. Nessa ocasião, Ciro afirmou que o então prefeito de São Paulo seria um “farsante” e que “enriqueceu fortemente com dinheiro público”. Após isso, o tucano processou o pedetista por calúnia e difamação.

Na primeira instância o pedido foi rejeitado.

Doria recorreu e alegou que aquela não era a primeira vez que o ex-governador do Ceará o ofendia.

A 3ª Turma, então, descartou o processo de calúnia, mas aceitou o de difamação pela fala de Ciro Gomes de que Doria enriqueceu com dinheiro público.

(Foto – Reprodução de TV)

TJCE e Assembleia Legislativa fecham parceria em favor de mulheres apenadas

O Tribunal de Justiça do Ceará e a Assembleia Legislativa firmaram um termo de cooperação técnica para realização do projeto Bem-Me-Quero, de iniciativa do Movimento das Mulheres do Legislativo Cearense (MMLC). O objetivo é promover a capacitação de mulheres em cumprimento de pena, seja regime aberto ou semiaberto, a fim de resgatar a autoestima e fortalecer o desenvolvimento emocional para o retorno da vida em sociedade.

O termo foi firmado entre o presidente do TJCE, desembargador Washingotn Araújo, e o presidente do legislativo estadual, José Sarto. “Já temos muitos equipamentos, mas também é preciso construir coisas imateriais, valores que não sejam só cimento e aço, e é aí onde se insere esse termo de cooperação”, destacou Sarto.

Já a presidente do MMLC, Meire Costa Lima, disse que o projeto está previsto para iniciar no mês de agosto. “O curso terá duração de três meses e vai desenvolver a inteligência emocional dessas mulheres, visando prepará-las para o retorno do convívio em sociedade”, informou.

O presidente do TJCE, desembargador Washington Araújo, também enalteceu  parceria. “Há outras formas de abordagem, de ressignificar a vida dessas mulheres e levá-las ao autoconhecimento, que é a maneira de você realmente crescer e mudar o rumo da sua vida.”.

Projeto

O projeto Bem-Me-Quero será ministrado pela conselheira fiscal do MMLC e Master Coach Integral Sistêmico, Viviane Vale. Durante as aulas, serão abordadas – por meio de técnicas de coaching – questões relativas à autoestima e à inteligência emocional dessas mulheres. Os encontros acontecerão no Edifício Deputado José Euclides Ferreira Gomes (anexo II da AL).

Serão destinadas até 30 vagas para o curso. O TJCE será responsável por realizar triagem, seleção e avaliação psicossocial das participantes. Elas serão acompanhadas pelo Núcleo de Apoio Psicossocial da Varas de Execução Penal.

(Foto – TJCE)

Castelão – 4 anos se passaram e mais de oito mil cadeiras quebradas por torcidas não foram repostas

O Núcleo do Desporto e Defesa do Torcedor (Nudtor), organismo do Ministério Público do Estado, acaba de expedir recomendação à Secretaria Estadual do Esporte e Juventude (Sejuv) determinando a reposição, com urgência, das cadeiras danificadas da Arena Castelão. Segundo o coordenador do Nudtor, promotor de justiça Edvando França, de 2015 a 2018, por ocasião de brigas entre torcedores, foi registrada a quebra de 8.478 cadeiras na Arena Castelão.

O Nudtor chegou a  instaurar uma Notícia de Fato visando solucionar a reposição imediata das cadeiras e realizou audiências públicas com a presença dos clubes (Fortaleza EC e Ceará SC), Secretaria de Esporte e Juventude, Procuradoria Geral do Estado e representante da LuArena, gestora. Nao houve solução por parte dos agentes.

Na recomendação o membro do MPCE

A ausência das cadeiras já perdura por, aproximadamente, quatro anos, trazendo, segundo o promotor Edvando França, sérios riscos ao torcedor, além de retirar o controle financeiro dos borderôs.

(Foto – Arquivo)

Garupeiro cai de moto e morre atropelado por caminhão no viaduto da BR-116

Um acidente com morte foi registrado por volta das 6 horas desta sexta-feira, no viaduto sobre a BR-116, no trecho das avenidas Raul Barbosa e Alberto Craveiro (Aerolândia). Um homem acabou morrendo ao ser atropelado por um caminhão. Ele caiu da garupa de uma moto conduzido por seu irmão, após derrapagem em trecho com óleo na pista. Usava capacete, mas o equipamento não suportou o peso da roda do caminhão.

O trecho da BR-116 chegou a ficar congestionada nos dois sentidos. Os veículos passam com dificuldade, pois a única faixa liberada foi estreitada com a área isolada, informou a AMC. No local, compareceram duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O condutor da moto registrou ferimentos na cabeça, pernas e no tórax.

Também estiveram no local do acidente agentes da Perícia Forense do Ceará (Pefoce), da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Rodoviária Estadual. Já o motorista do caminhão disse que no local do acidente havia mancha de óleo. Ele deve prestar esclarecimentos à plantonista.

Ecos 2020 – TSE vai comprar 180 mil urnas eletrônicas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai comprar cerca de 180 mil urnas eletrônicas para serem usadas nas eleições municipais do ano que vem, quando serão escolhidos novos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. As novas urnas vão substituir as mais antigas, que entraram em funcionamento em 2006 e 2008. O custo da aquisição ainda não foi definido.

Nesta semana, o TSE realizou audiência pública para colher sugestões das empresas interessadas. O TSE também tirou dúvidas sobre especificações técnicas, segurança e manutenção da urna. Está prevista para a próxima terça-feira (9) a divulgação de um parecer técnico sobre as propostas recebidas pelo tribunal.

Segundo o secretário de Tenologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, a substituição dos equipamentos é necessária para melhorar a tecnologia utilizada nas urnas. De acordo com o secretário, o Brasil realiza a maior eleição informatizada do mundo.

“Saímos de um processo eleitoral manual, com baixos índices de credibilidade, até alcançarmos alto nível de confiança junto ao cidadão, utilizando os atributos de integridade e de segurança que só o paradigma digital proporciona”, disse Janino.

As urnas eletrônicas começaram a ser utilizadas nas eleições municipais de 1996. Segundo o TSE, nunca houve qualquer espécie de fraude no sistema eletrônico de votação.

(Agência Brasil)

Diversidade Sexual – Aprovado projeto que reconhece nome social nos serviços público e privado do Ceará

A Assembleia Legislativa aprovou projeto de Renato Roseno (Psol), que assegura a transexuais e travestis o direito à identificação pelo nome social em atos promovidos no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta e nos serviços privados de ensino, saúde, previdência social e relação de consumo.

Nome social é aquele com o qual a pessoa é reconhecida socialmente, independente do registro de nascimento.

Pelo texto aprovado, o direito será exercido, por exemplo, nos registros, cadastros, formulários e documentos congêneres, na troca de correspondências, na manutenção de registros e sistemas de informação, além da forma usual de tratamento. Menor de 18 anos poderá aderir com permissão dos pais ou responsáveis ou por decisão judicial.

Chamar pelo nome de direito fará toda a diferença de fato.

*Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira.

Previdência – Com relatório aprovado, Maia quer iniciar debates já na terça e votar antes do recesso

153 1

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anuncia que, já na próxima terça-feira, as discussões sobre o relatório da reforma da Previdência, que teve votação concluída nesta madrugada de sexta-feira, vai ter início no plenário da Casa.

Maia comemorou a aprovação do relatório na comissão especial que analisou mudança nas regras de aposentadoria dos trabalhadores. A expectativa do presidente da Câmara é que esse mesmo relatório seja votado antes do recesso parlamentar, que se inicia em 18 de julho.

Na madrugada desta sexta-feira, os deputados concluíram a votação do parecer, rejeitando a maioria dos destaques que pediam alterações no texto-base – mas aceitando um destaque de impacto significativo, que isenta de contribuição previdenciária as exportações de produtores rurais.

“A Câmara deu hoje um importante passo. Esta foi a nossa primeira vitória e, a partir da próxima semana, vamos trabalhar para aprovar o texto em plenário, com muito diálogo, ouvindo todos os nossos deputados, construindo maioria”, disse Maia, pelo Twitter.

Para o texto começar a ser debatido no plenário, o regimento da Câmara estabelece um prazo de duas sessões após a conclusão da votação na comissão especial.

(Com Veja/Foto – Agência Câmara)

Previdência – Comissão especial aprova a matéria que vai agora ao plenário da Câmara

A votação do parecer do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) na comissão especial da reforma da Previdência, foi concluída, na madrugada desta sexta-feira. Isso ocorreu após mais de 16 horas de reunião, aberta pouco depois das 10 horas. Os parlamentares deputados derrubaram a maioria dos 17 destaques apresentados pelas bancadas partidárias com o objetivo de promover alterações no texto do relator. Também fora rejeitados outros 99 destaques individuais. As informações são do Portal G1.

Agora, a proposta de emenda à Constituição (PEC) seguirá para o plenário da Câmara, onde terá de passar por dois turnos de votação e necessitará do apoio de pelo menos 308 dos 513 deputados. Depois, se aprovada, vai para o Senado.

Antes da votação dos destaques na comissão especial , os deputados aprovaram o texto-base da proposta.

O governo quer a aprovar a PEC da reforma em primeiro turno já na próxima semana, essa é a expectativa. Há intenção de realizar também, na semana que vem, o segundo turno de votação. Para isso, porém, o governo precisará aprovar um requerimento a fim de quebrar o intervalo de cinco sessões entre o primeiro e o segundo turnos, exigido pelo regimento da Câmara e chamado no jargão legislativo de interstício.

O deputado federal André Figueiredo (PDT) votou contra a proposta, enquanto Heitor Freire (PSL) deu voto a favor da matéria. Eram os dois parlamentares cearenses na comissão especial.

(Fotos – Agência Brasil)

Policial que fez segurança de Bolsonaro protestou contra a reforma da Previdência

Janaína Magalhães, agente da Polícia Federal, que integrou, ano passado, como uma das coordenadoras da segurança da campanha do então candidato Jair Bolsonaro e o acompanhou até a sua posse, estava entre os que protestavam contra a reforma da Previdência. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online, adiantando que, atualmente, ela está lotada no Rio, onde atua no Núcleo de Seguranças de Dignatários.

Ela estava na tarde de quinta-feira no protesto contra a reforma, permanecendo em pé o tempo inteiro ao lado de outros policiais manifestantes, dentro da comissão especial da Câmara. No final, quando a categoria saiu derrotada na votação, entoou com os colegas o coro que atinge o partido do presidente: “PSL traiu a polícia do Brasil”, como mostra vídeo feito pelo Radar. Na palma da mão e na voz bradava as palavras de ordem.

Janaína tem 24 anos de PF e conta que falta um ano para se aposentar. Pelas regras do texto da reforma, ela precisará de mais dez anos de serviço para conquistar esse direito. “Se fossem mais dois ou três anos, tudo bem. Mas, dez anos!. É injusto! Que seja uma transição mais justa” – contou ao Radar.

(Foto – Reprodução do Youtube)

Fies abre prazo para renovação de contratos firmados a partir de 2018

O prazo para os estudantes renovarem contratos do Novo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ficará aberto até o dia 31 de agosto. O aditamento deve ser feito pela internet. Ao todo, 128 mil estudantes que contrataram o Fies a partir de janeiro de 2018 devem fazer o procedimento.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, uma das condições para o aditamento é estar com os pagamentos em dia. A não realização do aditamento por três semestres consecutivos pode ocasionar o cancelamento do contrato.

Os estudantes também podem fazer o pedido de suspensão ou encerramento do semestre pelo mesmo sistema. A partir de segunda-feira (8), será possível solicitar a transferência de instituição de ensino.

Caso haja necessidade de alterações no contrato, como a troca de fiador, o estudante deve comparecer a uma agência da Caixa. Nesse caso específico, o estudante deverá comparecer com o novo fiador e apresentar a documentação necessária para assinatura de termo aditivo ao contrato.

Novo Fies
O novo Fies, lançado no ano passado, tem modalidades de acordo com a renda familiar. A modalidade Fies juro zero é voltada para os candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil e é bancado pelo governo.

Além do juro zero, o Novo Fies oferece a modalidade P-Fies para candidatos com renda familiar per capita entre 3 e 5 salários mínimos. Nesse caso, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito, que pode ser um banco privado ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

O aditamento está aberto apenas para contratos firmados junto à Caixa. O aditamento dos contratos firmados antes de 2018 seguem cronograma definido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

(Agência Brasil)

Bolsonaro defende trabalho infantil nas redes sociais

Ainda sob efeito do fuso horário do Japão, onde participou da reunião da cúpula das 20 maiores economias do mundo, o presidente Jair Bolsonaro trocou esta quinta-feira pela terça-feira, mas acertou a data 4 de julho, em “live” nesta tarde nas sociais.

Ao atropelar a discussão da reforma da Previdência, quando sequer citou a aprovação do texto-base na comissão especial, Bolsonaro defendeu o trabalho infantil, ao lembrar trabalhou durante a sua infância e isso não lhe causou nenhum mal.

O presidente também abordou as novas regras da CNH, o acordo entre Mercosul e União Europeia, além do evento que ocorrerá em Salvador pela canonização de Irmã Dulce.

Bolsonaro esteve acompanhado dos ministros Ernesto Araújo e Tarcísio de Freitas.

(Foto: Reprodução)

Reforma da Previdência passa na Câmara antes do recesso, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira (4), em evento em São Paulo acreditar que o texto da reforma da Previdência será aprovado na Câmara dos Deputados ainda antes do recesso parlamentar.

“Estamos tendo apoio. Apesar de tudo o que se diz por aí, a grande verdade é que [há apoio do] o presidente da Comissão Especial [Marcelo Ramos], o relator [Samuel Moreira], o presidente da Câmara dos deputados [Rodrigo Maia] e, principalmente da Câmara. Acredito que a Câmara vai aprovar ainda antes das férias. Acho que semana que vem isso vai ao Congresso”, falou ele, arrancando aplausos do público presente ao evento.

Em palestra a empresários, o ministro repetiu várias vezes que confia no Congresso brasileiro. Ele também voltou a defender o regime de capitalização, em que cada pessoa é reponsável pela própria aposentadoria, dizendo que o regime de repartição, no qual os contribuintes rateiam o pagamento das alíquotas da previdência e as despesas com o pagamento dos benefícios, que é adotado no Brasil atualmente, “é insustentável”. “É uma bomba demográfica, ele vai explodir”, disse ele.

Para o ministro, a proposta que foi encaminhada pelo governo ao Congresso é potente para cobrir o rombo da previdência e levar ao próximo passo, que é a migração para o sistema de capitalização. “Esta reforma que mandamos é potente o suficiente para viabilizar o segundo passo que seria a transição para o regime de capitalização. Mas é uma coisa de cada vez. Primeiro movimento agora é conseguir uma potência fiscal, suficiente para tentarmos, lá na frente, fazer um esforço de migrar para o regime de capitalização”, disse.

Segundo Guedes, a crise no Brasil é resultado do excesso de gastos públicos que “causou todas as disfunções financeiras que o país atravessou, corrompeu a democracia brasileira e estagnou a economia”.

Próximos passos

Segundo o ministro, o maior gasto do governo era com a previdência, seguido pelos juros e as despesas. “Vamos reestruturar o balanço”, falou. Por isso, disse ele, após a aprovação da reforma, o ministério vai se debruçar sobre o a diminuição dos investimentos do Estado. “Vamos desinvestir para diminuir o endividamento do governo”, disse ele. “Primeiro a Previdência. Vamos aprovar a reforma da Previdência. Segunda grande despesa: o estado, os juros. Vamos então reestruturar o balanço. Vamos começar o ensaio das privatizações”, falou ele, ressaltando que o movimento de privatizações deve ser iniciado já no segundo semestre.

Além das privatizações, Guedes disse que o governo pretende também se desfazer de alguns imóveis. “O governo é a maior imobiliária do mundo”. O terceiro movimento, acrescentou, será a reforma do estado. “Mais Brasil e menos Brasília”, ressaltou.

Entre os planos do governo, está também desalavancar os bancos públicos, encolhendo o crédito público e aumentando o privado. Os recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) vão entrar nas privatizações e na reestruturação financeira de estados e municípios, além de acelerar os investimentos do Programa de Parcerias de Investimentos (PPPIs) e saneamento. “Essa é a função do banco público que a gente quer”, disse o ministro.

Outra medida é informatizar e digitalizar o serviço público, sem repor os servidores públicos que estão se aposentando nos próximos anos. “Vamos acabar com o buraco da previdência, vamos reduzir subsídios, vamos controlar gastos”, completa Paulo Guedes.

O ministro disse ainda que também pretende reduzir o custo de infraestrutura no país. “O setor público parou de investir porque quebrou e o setor privado foi expulso pelos juros altos do mercado de infraestrutura. O que vamos fazer agora é abrir esses mercados, juntamente com as concessões, as privatizações e os contratos de infraestrutura que vamos fazer. Nos próximos anos, é o investimento privado que vai construir a infraestrutura brasileira. O setor privado brasileiro está pronto para decolar”.

Outra ação importante, destacou o ministro, será simplificar os impostos do país. “Vamos fazer uma simplificação importante, profunda. Não vamos fazer nenhuma aventura. A reforma dos impostos é iminente”, falou. “Vamos entrar no segundo semestre com dois grandes eixos. Um é a reforma tributária, assunto que tem tudo a ver com modernização, redução de impostos, a simplificação e botar a economia brasileira para crescer de novo”, falou. A outra ideia, acrescentou, será mudar o pacto federativo. “Na versão mais radical do pacto federativo, a versão será a seguinte: todas as despesas estão desobrigadas, desvinculadas, desindexadas. Todas as despesas de todos os entes federativos. Isso é devolver à classe política o controle sobre orçamentos públicos. Orçamentos e responsabilidades. O dinheiro não pode ser todo carimbado pela Constituição”, falou.

Sobre o acordo do Mercosul com a União Europeia, ele prevê que levará cerca de 2,5 anos para ser consolidado. Ele também falou sobre a entrada do país na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) , dizendo que o governo dos Estados Unidos garantiu que faria a recomendação para que isso ocorra rapidamente. “Está assegurada a abertura gradual da economia brasileira”, disse.

“Na hora em que se escolhe estradas corretas, governos futuros terão que seguir nesse caminho. Fazendo a coisa certa, você começa a andar e ninguém mexe com aquilo. Estou muito confiante no Brasil”, finalizou.

(Agência Brasil)

Secretário Samuel Dias recebe troféu Amigo Ironman

O secretário de governo Samuel Dias recebeu esta semana o troféu Amigo Ironman, das mãos do representante da Unlimited Sports em Fortaleza, Kal Aragão, e do secretário executivo do Turismo de Fortaleza (Setfor) e triatleta Erick Vasconcelos.

A homenagem recai pelo empenho de Samuel Dias da realização da última edição do Ironman Fortaleza, no início do mês.

Em sua sexta edição, o Ironman Fortaleza já planeja a realização da sétima edição, em junho de 2020, que terá largada na Beira Mar, completamente requalificada.

Esse ano, o evento contou com atletas de nove países, 25 estados e mais de 78 cidades brasileiras.

(Foto: Divulgação)

Poupança registra menor captação para junho em três anos

Depois de dois meses de retiradas, a poupança voltou a atrair o interesse dos investidores. Em junho, os depósitos superaram os saques em R$ 2,5 bilhões, informou hoje (4) o Banco Central. Esse resultado representa recuo de 55,7% em relação a junho do ano passado, quando os correntistas tinham depositado R$ 5,64 bilhões a mais do que tinham retirado. Desde junho de 2016, a aplicação não registrava captação tão baixa.

Com o resultado de junho, a caderneta de poupança acumula saques líquidos de R$ 14,5 bilhões nos seis primeiros meses de 2019. No mesmo período do ano passado, as captações (depósitos) tinham superado as retiradas em R$ 7,35 bilhões.

Até 2014, os brasileiros depositavam mais do que retiravam da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

Em 2015, R$ 53,57 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência inverteu-se em 2017, quando as captações excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões, e em 2018 (captação líquida de R$ 38,26 bilhões.

Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), a poupança está se tornando menos atrativa porque os juros básicos estão no menor nível da história, em 6,5% ao ano. Nos últimos meses, o investimento não tinha conseguido garantir rendimentos acima da inflação, mas a aplicação voltou a atrair o interesse dos investidores porque a inflação está em queda.

Nos 12 meses terminados em junho, a poupança rendeu 4,16%. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)-15, que funciona como uma prévia da inflação oficial, acumula 3,84% no mesmo período. No próximo dia 10, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga o IPCA cheio de junho.

(Agência Brasil)

Fortaleza Tritões – Campeão nordestino, time cearense estreia na segunda divisão da liga nacional de futebol americano

Após a conquista do título nordestino de futebol americano, o Fortaleza Tritões aguarda agora o acesso á elite nacional da modalidade. O primeiro passa será dado neste domingo (7), a partir das 9 horas, em São Luís, diante da equipe maranhense São Luís Sharks.

“As expectativas são as melhores já que nossa preparação foi focada para que o desempenho dos atletas dentro de campo seja máximo. Treinamos três vezes na semana, buscando aprimorar técnicas e melhorar o condicionamento físico dos atletas. Também estudamos os vídeos dos jogos dos adversários e tentamos replicar em treinos táticos para minimizar nossas falhas, assim como prever os pontos fracos das outras equipes para explorarmos melhor e conseguirmos pontuar para alcançarmos a vitória. A equipe toda está focada com o mesmo objetivo em mente, o de ser campeão, mas sempre respeitando cada adversário e ciente de que precisamos dar um passo de cada vez”, comentou o Head Coach do time, Glauco Paes.

Segundo o presidente do time, Magnum Bezerra, a equipe cearense enfrentará algumas adversidades em sua estreia na competição.

“Nossa estreia será contra um time forte, que mais pontuou na temporada passada. Além disso, teremos uma viagem longa e cansativa, com 20 horas de ônibus por uma estrada irregular até o Maranhão. O horário do jogo e o clima também serão outros fatores, mas esperamos contar com a união do time e o desejo de vencer para superar essas adversidades”, torce o dirigente.

A competição reúne 10 equipes de sete Estados do Nordeste, divididos em três grupos: Norte Central e Sul. Na primeira fase, os times se enfrentam de acordo com a tabela dos grupos. A partir dai disputam o Wild Card 1 e o Wild Card 2. 4 equipes serão classificadas para os playoffs. O primeiro colocado do grupo Sul vai direto para a semifinal contra o vencedor do Wild Card 1. A outra semifinal acontece entre o vencedor do Wild Card 2 e o time com maior pontuação entre o primeiro colocado do grupo Norte e o primeiro colocado do grupo Central.

(Foto: Divulgação)

Comissão aprova texto-base da reforma da Previdência

Os deputados que integram a comissão especial da reforma da Previdência (PEC 6/19) na Câmara dos Deputados aprovaram na tarde de hoje (4) o parecer do relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). O placar foi 36 votos a favor e 13 contra o relatório.

Os parlamentares vão se debruçar agora sobre os 19 destaques de bancadas e 88 individuais com sugestões de mudanças ao texto-base.

Os deputados da base governista apontaram a necessidade de reformar a previdência para reverter o déficit no sistema de aposentadorias e pensões. Para os favoráveis à PEC, a reforma vai trazer de volta a geração de emprego e renda na economia brasileira.

De acordo com o líder do Podemos, deputado José Nelto (GO), a reforma é necessária para que o governo não atrase salários e aposentarias. “O país está quebrado, estados e municípios estão quebrados e agora a iniciativa privada está indo para a quebradeira”.

A oposição considera que a reforma vai desmontar o sistema de previdência social e será mais dura com os mais pobres. Segundo o líder do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), a PEC vai afetar o sistema de proteção social, sobretudo de quem ganha até quatro salários mínimos.

Ivan Valente lembrou que o elevado desemprego e a grande informalidade no país dificultam a contribuição previdenciária dos trabalhadores. “Essa reforma é recessiva, vai tirar R$ 1 trilhão de circulação da economia brasileira. Não há consumo, o comércio e a indústria vão mal”.

Nova versão

Em seu novo voto complementar, lido ontem (3), Samuel Moreira manteve as regras para as aposentadorias dos policiais que atuam na esfera federal. As categorias, que incluem policiais federais e legislativos, se aposentarão aos 55 anos de idade, com 30 anos de contribuição e 25 anos de exercício efetivo na carreira, independentemente de distinção de sexo.

Em seu novo texto, Moreira recuou da permissão para que estados e municípios aumentem a contribuição dos servidores públicos locais para cobrir os rombos nos regimes próprios de Previdência. A possibilidade constava do relatório apresentado na terça-feira (2) pelo relator.

Com a desistência, os estados e os municípios voltam a ficar integralmente fora da reforma da Previdência. Caberá às Assembleias Legislativas estaduais e às Câmaras Municipais aprovar a validade da reforma para os governos locais, assim como o aumento das alíquotas dos servidores sob sua alçada.

Principal ferramenta para elevar a arrecadação da seguridade social e cobrir parte do rombo da Previdência, o aumento da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) de 15% para 20% será restrito a bancos médios e grandes. A modificação constou do novo voto complementar do relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara.

O texto anterior, lido na terça-feira (2), previa que a elevação da alíquota valeria para todas as instituições financeiras, exceto a B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo). As cooperativas de crédito haviam sido beneficiadas com aumento menor, para 17%.

(Agência Brasil)