Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Tortura ainda persiste no Brasil, diz psicanalista

O Memorial da Resistência, no Largo General Osório, na região da Luz, na capital paulista, antiga sede do Departamento de Ordem Política e Social (Dops), recebeu nesse sábado (25) um debate sobre a tortura. A discussão antecedeu ao Dia Internacional da Luta contra a Tortura, celebrado neste domingo (26).

Durante o evento, chamado de “Tortura, Crime que os Humanos Cometem contra os Próprios Humanos”, Maria Auxiliadora de Almeida Cunha Arantes, psicóloga, psicanalista e doutora em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) e autora do livro “Tortura, Testemunhos de um Crime Demasiadamente Humano”, disse que a tortura surgiu no país já com a chegada dos portugueses, em 1500, e que ainda persiste no Brasil.

Segundo ela, a tortura já foi mecanismo usado por regimes autoritários no mundo todo, mas foi constante no país durante o período colonial, principalmente em relação aos indígenas, e também nos tempos da escravidão. Além disso, ela foi usada de forma sistemática durante a ditadura militar brasileira. “A tortura começou no nosso país em 1500 e ela persiste, de formas diferentes”, disse.

Para Ivan Seixas, ex-preso político e presidente do Conselho do Núcleo Memória e integrante da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, a tortura é uma profissão [porque os torturadores, em geral, são pagos para cometê-la] e poderia ocorrer com qualquer pessoa.

“A tortura é uma profissão. Essa normalidade profissional de torturador é o que precisamos quebrar. Sou contra a vitimização. Ele [torturador] faria isso contra absolutamente qualquer um que aparecesse na frente dele. A tortura é uma prática de dominação, de imposição pelo terror e tem um caráter muito danoso e, junto dela, há uma parceira, que é a omissão”, disse Seixas.

(Agência Brasil)

Moro volta a investigar Lula por corrupção e lavagem de dinheiro

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), devolveu ao juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, os inquéritos que apuram corrupção e lavagem de dinheiro, contra o ex-presidente Lula, diante da compra e reforma de um sítio, em Atibaia (SP), além da aquisição de um triplex no Condomínio Solaris, no Guarujá (SP).

Teori havia decretado a suspensão da tramitação das investigações contra Lula, ao atender a um pedido da defesa do ex-presidente, que questionou a competência em primeiro grau.

Moro determinou que os inquéritos devem “tramitar exclusivamente entre Ministério Público Federal e autoridade policial”. O Instituto Lula e a defesa do ex-presidente reafirmam que o triplex e o sítio não pertencem a Lula e que os valores recebidos pela LILS são relativos a palestras realizadas pelo ex-presidente.

(com agências)

Fiec parabeniza senador Tasso por parecer na transparência das estatais

foto tasso homenagem fiec

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) destacou em publicações a iniciativa do senador cearense Tasso Jereissati (PSDB), que resgatou na condição de relator o texto original do projeto de Lei de Responsabilidade das Estatais, ao proibir a nomeação de dirigentes ligados a partidos políticos ou sindicatos para cargos de direção e para os conselhos de administração das estatais.

Aprovado esta semana no Senado, o projeto havia sofrido alterações na Câmara dos Deputados que afetariam a transparência da gestão e dos gastos dos recursos públicos nas estatais.

Para Tasso, “a regra é evitar as práticas de corrupção identificadas pela operação Lava-Jato”.

Papa Francisco visita memorial do genocídio na Armênia

O papa Francisco visitou neste sábado (25), no segundo dia de viagem à Armênia, o Memorial do Genocídio, localizado em Tzitzernakaberd. No local, o pontíficie afirmou que este momento da história deve ser lembrado para que outros episódios semelhantes não se repitam.

“A memória é uma fonte de paz e de futuro. Aqui rezo, com dor no coração, para que nunca mais existam tragédias como essa, para que a humanidade não se esqueça e saiba vencer o mal com o bem. Que Deus conceda ao amado povo armênio e ao mundo inteiro a paz e a consolação. Que Deus guarde a memória do povo armênio”, disse.

O líder católico visitou o local, ao lado da máxima autoridade da Igreja Apostólica da Armênia, Karekin II, e pelo presidente do país, Serzh Sargsyan. Francisco colocou uma coroa de flores na frente do monumento, onde um grupo de crianças levava cartazes com os nomes dos mortos de 1915. Ele também se encontrou com descendentes dos sobreviventes que foram alojados em Castel Gandolfo, residência papal, pelo pontífice Bento XV.

No primeiro dia da viagem ao país, Francisco destacou a palavra “genocídio” em seu discurso na capital Erevan, dentro do Palácio Presidencial, para se referir ao extermínio de 1,5 milhão de armênios pelo Império Otomano há um século, mesmo sabendo que o vocábulo poderia desencadear um mal-estar diplomático com a Turquia, como já ocorreu no ano passado.

A Santa Sé não previa o termo “genocídio” nos discursos de Francisco, porém o líder católico não quis renunciar à palavra diante das autoridades armênias.

(Agência Brasil)

‘Doutor Ivens construiu um mar de oportunidades’, diz deputado federal José Airton

foto josé airton e ivens

O coordenador da Bancada Federal do Ceará, deputado José Airton Cirilo (PT), lamentou a morte do empresário cearense Ivens Dias Branco, presidente do Grupo M. Dias Branco. Confira:

Dr. Ivens nos deixa um legado de quem construiu um mar de oportunidades e capitaneou o crescimento industrial e econômico do Ceará e do Brasil. “Um homem de fé, determinado, respeitado pela sociedade e admirado pelos seus colaboradores”.

Nesse momento de dor, envio minhas condolências à família, na pessoa de sua esposa Dona Consuelo Dias Branco, filhos, netos e parentes.

Plebiscito britânico: vitória do exclusivismo

Editorial do O POVO deste sábado (25) afirma que a saída do Reino Unido da União Europeia trará consequências no continente, com reflexos na correlação internacional. Confira:

A saída do Reino Unido da União Europeia (UE) foi consagrada pelo plebiscito realizado na quinta-feira (23). O resultado foi apertado (51,9% a 48,1%), o que indica a divisão da sociedade britânica em relação ao assunto. As consequências internas e externas da decisão afetarão os dois lados – britânicos e europeus – com reflexos na correlação internacional.

Do ponto de vista interno, da Inglaterra, os efeitos políticos já se traduzem na renúncia do primeiro-ministro David Cameron, que se concretizará até outubro próximo. Já na União Europeia, o choque é ainda maior, pois nunca um país deixou o bloco, desde sua constituição em 1973, quando ainda se chamava Comunidade Econômica Europeia. Esperam-se negociações duras e complexas, pois a UE não deixará por barato o desfalque de um membro tão importante. Ainda tentará convencer os britânicos a não cortar todos os laços. Por sua parte, o Reino Unido necessita manter um pé no mercado europeu.

O fato é que se trinca – de uma forma quase irreparável -, o sonho de uma Europa sem fronteiras, por onde transitariam livremente pessoas, bens e serviços prodigalizando uma cidadania e uma identidade comuns. Tudo reunido num modelo de sociedade baseada nos princípios democráticos, no respeito aos direitos humanos e à ideia de democracia social, configurada no Estado de Bem-Estar Social.

Alternativa bem diferente do individualismo crasso da sociedade liberal de estilo americano. Infelizmente, essa ideia generosa já vinha sendo comprometida, desde há muito, pela voracidade da crise econômico-financeira que culminou em 2008, e do seu enfrentamento por meio do monetarismo ortodoxo, desmantelando os fundamentos sobre os quais se ergue o ideal europeu de sociedade.

A saída do Reino Unido, presumivelmente, dará fôlego aos movimentos separatistas, não apenas na Europa, mas na própria Grã-Bretanha. A Escócia, por exemplo, votou em peso (66%) pela permanência na UE. O mesmo acontecendo com a Irlanda do Norte, (56% pela permanência). Essa frustração, sem dúvida alguma, não passará despercebida pelos movimentos independentistas locais.

O fato mais lamentável é que a vitória do exclusivismo nacional britânico tende a suscitar preconceitos de toda ordem contra os defensores de referenciais mais universalistas.

Cinco presos fogem de delegacia no José Walter durante a madrugada

Cinco presos fugiram 8º Distrito Policial, durante a madrugada deste sábado, 25, no bairro José Walter, em Fortaleza. Eles serraram as grades do xadrez onde estavam e conseguiram escapar pulando o muro da unidade. Dois inspetores que davam plantão na delegacia perceberam a movimentação e conseguiram render o restante do grupo, obrigando que 11 presos voltassem à cela. Nenhum dos fugitivos foi recapturado.

A ação ocorreu por volta das 2 horas. No momento da fuga, as duas celas da delegacia, que deveriam abrigar no máximo 10 presos, sendo cinco em cada uma, acumulavam 31 homens. “A ação deles foi muito rápida. Por sorte os colegas conseguiram notar antes que todos fugissem. Os xadrezes estão lotados”, detalhou a inspetora Gilvânia Oliveira.

Desde o momento da fuga até a manhã deste sábado, os 26 presos que continuam na unidade foram colocados todos na mesma cela até que os reparos nas grades fossem realizados. Dos presos que fugiram, quatro respondiam por roubo e um por receptação.

(O POVO Online)

Salmito e Evaldo Lima dão aula na Academia Enem

foto salmito 160625 academia enem

O sociólogo e professor da UFC, Salmito Filho, e o professor de História, Evaldo Lima, foram as atrações na tarde deste sábado (25), no ginásio Paulo Sarasate, durante o curso preparatório da Academia Enem, ofertado pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria da Juventude.

Os dois professores, ambos vereadores, falaram sobre política e atualidades e tiraramn dúvidas dos estudantes que prestarão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Academia Enem é gratuita e atende a jovens estudantes, em especial os da rede pública de ensino. Este ano, o projeto mais de três mil alunos.

Polícia Civil indicia 14 pessoas pela queda de ciclovia no Rio

foto ciclovia rio

A Polícia Civil do Rio indiciou 14 pessoas pela queda de trecho da Ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer, no dia 21 de abril. O acidente deixou duas pessoas mortas, Eduardo Marinho Albuquerque de 54 anos, e Ronaldo Severino da Silva, de 60 anos.

No inquérito conduzido pelo delegado José Alberto Lage, titular da 15ª Delegacia de Polícia, foram ouvidas 27 pessoas, entre testemunhas e envolvidas no caso. Segundo a polícia, nas provas do inquérito há informações de engenheiros responsáveis pela obra reconhecendo que o projeto deveria conter um estudo prévio do regime das marés e de que havia a necessidade de um plano de contingência que considerasse a instabilidade das marés.

“Verificou-se que não foi cogitada a incidência de ondas nos tabuleiros da ciclovia, não tendo havido uma reunião para o estudo dessa incidência. A solução construtiva revelou-se frágil na fixação dos tabuleiros”, ressaltou a polícia em nota à imprensa.

No inquérito foram ouvidos especialistas em engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que produziram um relatório apontando que as ondas que atingiram a ciclovia são raras, mas não inéditas. De acordo com as informações creditadas pela polícia ao relatório da UFRJ, conclui-se que não se tratou de uma ressaca extrema, “eventos que ocorrem em intervalos de 40 a 50 anos, de acordo com o levantamento feito por meio de notícias de jornal de 1850 até 2010”.

Por fim, o inquérito aponta negligência dos envolvidos, pela inobservância de cuidados na realização dos projetos básico, executor e fiscalizador da obra.

(Agência Brasil)

Outras interrogações sobre a eleição

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (25), pelo jornalista Érico Firmo:

A coluna do sábado passado tratou de cinco grandes interrogações diversas sobre a eleição para prefeito de Fortaleza. Sobretudo, relacionadas a personagens e grupos políticos.

A interrogação número dois já começou a ser respondida. Diz respeito à posição de Camilo Santana (PT). “O governador apoia Roberto Cláudio (PDT)”, escrevi há uma semana. “Camilo irá se envolver explicitamente na campanha na Capital? Como tratará a candidatura petista? Que apoio dará a Roberto Cláudio?”, indagava. Na entrevista a Fábio Campos, no programa Jogo Político, ele não poderia ser mais claro. Terá candidato, sim. E tomará sua posição independentemente do partido. Leia mais sobre a entrevista neste link: http://bit.ly/camiloPT

Outras dúvidas, porém, permanecem. Para além de nomes, envolvem aspectos simbólicos e assuntos que estarão presentes na discussão.

  1. O PESO DO DISCURSO POLICIALESCO

O discurso sobre segurança pública tornou-se bastante intenso nas eleições em Fortaleza, sobretudo desde 2000. Naquele ano, Moroni Torgan (DEM) foi uma das surpresas da eleição, com forte apelo devido ao histórico policial. Dois anos depois, o Delegado Cavalcante bateu recorde de votação para deputado estadual. Em 2004, foi indicado candidato a vice de Antonio Cambraia, ambos pelo PSDB. Em alguns momentos, foi tido como mais popular que o próprio cabeça de chapa. No final das contas, terminaram em quarto lugar. Moroni foi o segundo, depois de ter liderado o primeiro turno. Repetiu o desempenho em 2008. No intervalo, em 2006, disputou o Senado e perdeu para Inácio Arruda (PCdoB). Em 2012, Moroni foi quarto.

Capitão Wagner (PR) é o mais recente fenômeno eleitoral a despontar. Bateu recorde de votação para vereador em 2012e para deputado estadual em 2014. Ele tem perfil diferente do de Moroni. Defende interesses corporativos, sim. Mas evita se vincular apenas à área de segurança. E procura não reduzir a criminalidade a problema de falta de policiamento. Tem fala mansa e tranquila, diferente do estilo agitado e de murro na mesa de Moroni. É diferente do perfil clássico da “bancada da bala”.

Mas, ainda assim, é egresso do aparelho de segurança. O perfil tem feito sucesso em eleições legislativas, mas coleciona insucessos nas disputas majoritárias. A rejeição, no fim das contas, até hoje foi maior que a enorme aprovação. Veremos se a tendência irá se manter ou se o estilo Wagner se revelará mais palatável.

  1. O DESTINO DO “VOTO REBELDE”

De uma forma ou de outra, costuma se manifestar algum grau de rebeldia, contestação, ousadia no voto do fortalezense. A busca por algo diferente, fora do previsível, seja à direita ou à esquerda. Maria Luiza Fontenele em 1985 e Luizianne Lins, em 2004, foram exemplos mais emblemáticos. Mas não os únicos. Em 1988, Edson Silva teve votação estrondosa, embalado pelo movimento “Fortaleza sim, Cambeba não”, embora tenha saído derrotado por diferença ínfima. Ao longo da década de 1990, Juraci Magalhães dominou a Capital ajudado pela rejeição ao PSDB, que comandava o Estado. Em 2000, Inácio Arruda perdeu, mas teve enorme votação. Em 2012, Heitor Férrer (PSB) quase deixou Roberto Cláudio fora do segundo turno. E Renato Roseno (Psol) teve votação bastante expressiva.

Esse voto muitas vezes não foi vitorioso. Mas quase sempre se manifesta e interfere no rumo da eleição. Para onde esse eleitor irá? Heitor? Roseno? Conseguirá Wagner atraí-lo? Voltará a Luizianne? Irá se diluir?

  1. FATOR LAVA JATO

A Lava Jato, o impeachment de Dilma Rousseff (PT), a crise nacional serão fatores certamente determinantes. Estimularão discurso de ética, combate à corrupção. Afetarão atores estratégicos. Como mexerão com a disputa em Fortaleza é difícil saber. Que vão mexer, isso é certo.

Instituto Butantã começa a testar vacina contra a dengue em todo o país

Os testes da terceira e última etapa da vacina contra a dengue, que já vinham sendo feitos desde fevereiro com 1,2 mil voluntários recrutados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), começaram a ser realizados também, desde a quinta-feira (23), com 1,2 mil voluntários na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), no interior paulista.

O Hospital das Clínicas e a Famerp são dois dos 14 centros de estudo credenciados pelo Instituto Butantã – que desenvolve a vacina -, onde serão feitos os testes da terceira etapa do projeto. Esta fase envolverá 17 mil pessoas em 13 cidades, nas cinco regiões do país. Na próxima semana, segundo o instituto, um centro em Manaus (AM) e outro em Boa Vista (RO) também darão início aos trabalhos.

A última etapa da pesquisa servirá para comprovar a eficácia da vacina. Do total de voluntários, dois terços receberão a vacina e um terço receberá placebo, que é uma substância com as mesmas características da vacina, mas sem os vírus, ou seja, sem efeito. Ninguém – nem a equipe médica e nem o voluntário – saberá quem vai receber a vacina e quem receberá o placebo. O objetivo é descobrir, a partir dos exames do material coletado desses voluntários, se quem tomou a vacina ficou protegido e se quem tomou o placebo contraiu a doença.

Segundo Jorge Kalil, diretor do Instituto Butantã, São José do Rio Preto é a única cidade sem ser uma capital que participará desta etapa. “É o único centro que não está em uma capital. [São José do] Rio Preto tem uma medicina de muito boa qualidade e está em uma região onde é muito forte a dengue. Então, é  lugar bom para a gente testar [a vacina]”, disse.

(Agência Brasil)

Luizianne não pode cobrar nada de Camilo

foto-camilo-santana-e-luizianne

Em artigo no O POVO deste sábado (25), o jornalista Carlos Mazza comenta da relação entre Camilo Santana e Luizianne Lins em processos eleitorais. Confira:

O leitor pode encontrar muito o que criticar na atuação política de Camilo Santana, mas uma coisa precisa admitir: o governador nunca foi “quinta coluna” dentro de seu partido. Mesmo não sendo o mais empolgado dos militantes petistas, o pupilo de Cid Gomes manteve respeito pelas decisões do PT cearense mesmo quando isso contrariava desejo de seu “padrinho”.

Em 2012, Camilo foi o pré-candidato à Prefeitura com maior perspectiva de unir a então prefeita Luizianne Lins e o então governador Cid. Preterido pela grande influência da prefeita na executiva municipal da sigla, Camilo não escondeu o pouco entusiasmo em contrariar seu chefe – o petista era secretário de Estado à época – e lançar Elmano de Freitas ao cargo.

Uma vez batido o martelo pela candidatura do colega, no entanto, Camilo silenciou críticas e atuou – ainda que timidamente, verdade – a favor do colega. Lembro-me de, em pelo menos duas situações, ter entrevistado Camilo, então deputado estadual, na Assembleia. Em ambas, recebi rebatidas impacientes ao sugerir pouco empenho seu na campanha do correligionário.

Quando Lula veio a Fortaleza para comício de Elmano, na reta final da campanha e ápice do acirramento, Camilo subiu ao palanque. Outro opositor do rompimento com Cid em 2012, o deputado José Guimarães também engoliu o choro e caiu na campanha. No 2º turno, quando Luizianne e seu candidato foram vaiados por uma multidão “amarela” enquanto votavam, o deputado ao seu lado.

Já em 2014, quando Camilo disputou o governo, a ex-prefeita teve atitude bem oposta. Indisposta em ajudar seu algoz de dois anos antes, Luizianne não deu as caras na campanha ou palanque do correligionário. Na época, deputados que saíram em chapa com ela ou de grande proximidade, incluindo Eudes Xavier e sua própria mãe, Luiza Lins, omitiram nome de Camilo ou apoiaram abertamente o opositor Eunício Oliveira.

Claro que nenhum desses candidatos era a própria petista, mas não pegou bem. Ao se omitir, perdeu a chance de fazer um gesto de grandeza. Ela não está necessariamente errada: seria no mínimo estranho se, em 2014, ela apoiasse abertamente o grupo político dos Ferreira Gomes, que passou os últimos anos tentando “anular” sua gestão de oito anos em Fortaleza.

Ainda assim, agora pré-candidata, Luizianne não tem moral para cobrar nada de Camilo. E sabe disso. Por isso, até agora tem dito que deixará o governador “à vontade”. Dificilmente isso irá mudar.

Vereadores aumentam pressão sobre Eunício por candidatura própria

foto eunício e valim

Vereadores do PMDB de Fortaleza ampliaram pressão sobre Eunício Oliveira (PMDB) por uma candidatura própria do partido em Fortaleza. Segundo o líder da legenda na Câmara Municipal, vereador Casimiro Neto, reunião mais recente da executiva municipal da sigla aprovou documento que reforça interesse por entrar na disputa deste ano.

O PMDB, que conta hoje com quatro vereadores em Fortaleza, ainda discute se terá candidato ou se dará apoio a Capitão Wagner (PR). O maior interesse dos vereadores é pelos chamados votos de legenda – dados direto ao número do partido na urna – que um candidato à Prefeitura traria à sigla, ajudando na eleição de vereadores.

“O Roberto Cláudio, por exemplo, trouxe quase 30 mil votos para a legenda do partido dele em 2012, então isso por si só já dá o quociente de um vereador. No contexto de eleição disputada, e com bons candidatos como os que temos, ajudaria muito”, diz Casimiro Neto.

O líder do PMDB afirma que deverá se reunir com Eunício Oliveira nos próximos dias para saber se já existem novos encaminhamentos sobre o assunto. “Os outros partidos já estão na rua, então é bom ter uma definição”, diz.

Pré-candidatos

O vereador Vaidon destaca que o partido possui bons nomes para a disputa, como o do deputado federal Vitor Valim, ou do vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena. Além dele e de Casimiro, completam a bancada do PMDB as vereadoras Magaly Marques e Tamara Holanda.

Apesar de esperar que o senador se sensibilize com o pedido dos vereadores, Casimiro admite que a decisão ficará, ao final de contas, nas mãos de Eunício. “Ele é o líder”, destaca. Já para a chapa de vereador, Casimiro afirma que a legenda está “bem avançada”, com cerca de 60 pré-candidatos a vereador.

Na Assembleia Legislativa, questão da candidatura própria tem dividido bancada do PMDB na Casa. Nos bastidores, no entanto o sentimento da maioria é por um candidato próprio, apesar da indefinição de Eunício Oliveira.

Outros parlamentares explicam que a demora é decorrente do cenário nacional. Desdobramentos da crise em Brasília, afirmam, devem influenciar na escolha de apoiar um nome ou lançar concorrente.

O POVO tentou entrar em contato com Eunício Oliveira durante o dia de ontem, mas não obteve resposta. Um das principais causas da indefinição, Capitão Wagner já recebeu, no início deste mês, apoio oficial do PSDB de Tasso Jereissati no Ceará.

No dia em que anunciou oficialmente apoio a Wagner, o PSDB abriu mão de necessariamente indicar o vice. O gesto abre espaço para nome um peemedebista na chapa.

(O POVO)

Mais de 500 mil pessoas pedem segundo referendo na Grã-Bretanha

Mais de 500 mil pessoas assinaram um documento pedindo a realização de mais um referendo sobre a saída da Grã-Bretanha da União Europeia (UE).

O texto foi publicado no site do Parlamento da Grã-Bretanha. Segundo os últimos dados, o documento já foi assinado por 516 mil pessoas. Para ser apreciada pelo Parlamento, uma petição deve ter pelo menos 100 mil assinaturas.

“Solicitamos ao governo que aplique o direito, segundo o qual quando os votos a favor ou contra a saída da UE somam menos de 60%, no caso de um comparecimento menor de 75% às urnas, deve ser feito mais um referendo”, diz a petição.

Outro documento, com pedido de reconhecer a independência de Londres do resto da Grã-Bretanha e de adesão da cidade à UE, foi publicado no site change.org e encaminhado ao prefeito da capital inglesa, Sadiq Khan. Essa petição já foi assinada por 99 mil pessoas.

Segundo dados oficiais, 51,9% dos britânicos votaram no referendo de quinta-feira (23) pela saída do país da União Europeia.

(Agência Brasil)

O renascimento de Leviatã ou a morte dos “Estados” transnacionais?

90 1

Em artigo enviado ao Blog, o leitor, advogado e pedagogo Clécio Oliveira avalia na historia a influência econômica do Reino Unido. Confira:

Desde os longínquos idos do século XIII, mais propriamente por volta dos anos 1210, com o soberano João Sem Terra, que os anglo-saxões inovam, criam, e recriam modos e formas de viver, soberanas, democráticas e nacionais!

É um povo aristocrático, cônscio, trabalhador, determinado e metódico!

O “Império onde o sol nunca se põe” sofreu, como de resto, todos os demais estados nacionais, ou não, reveses, agruras, mas prosseguiu, galhardamente, em sua saga, milenar!

Com o advento dos novos tempos, com a ida da Idade Média, da Era Medieval, viu, ao seu derredor, reduzirem-se, em números, e em grau de importância geopolítica, os impérios, as monarquias, os principados etc.!

O Reino de Portugal, um dos pilares da colonização do século XVI, das grandes navegações, e dos descobrimentos, praticamente, sucumbiu, com os avassaladores ventos emancipacionistas, liberais e republicanos!

O Reino D’Espanha, o elo mais forte da Península Ibérica, tartamudeou, e transmudou-se, ora, em República, ora, em um novo reinado, porém, em todos os casos, já sem a aura, a nobreza, pujança, e a fortaleza, de outrora!

O próprio “Império dentro dos impérios”, o Vaticano, a Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana, sentiu alguns baques, sofreu para defender os seus dogmas, fez concessões, enfim, fragilizou-se, em termos de fé, e “territorialmente”!

A histórica Liga das Nações, do pós-guerra, – das grandes -, empós rebatizada, pomposamente, de ONU – Organização das Nações Unidas, nunca foi secretariada por quaisquer das grandes potências, até porque estas detêm o poder de veto sobre a sua atuação e decisões!

A “Commomwealth of Nations”, sempre discreta, como convém aos povos britânicos, e composta pelo Reino Unido, a Austrália, a Nova Zelândia, o Canadá etc., se porta muito mais como uma instituição convencional, formal, ou, ainda, e meramente, semântica!

O NAFTA, mesmo contando com o todo-poderoso “Tio Sam”, sofre com as profundas e terríveis dores impingidas pelo narcotráfico, hipertrofiado, nas plagas das três Américas, e especialmente, no México!

O “primo pobre” dos estados multinacionais, o MERCOSUL, bilíngue, e, apesar de neolatino, não consegue se entender, envolver-se, e crescer!

Por fim, a União Europeia, o maior dentre todos, e que nunca foi bem digerida pela briosa Grã-Bretanha, ora sente o impacto, forte, inabalável, e inquestionável, do plebiscito junino, que a solapará, até, provavelmente, fragmentos, como outrora, de estados nacionais, e soberanos!

Já havia, nos anos 1980, nos tempos acadêmicos, escrito sobre o fim dos nacionalistas, e a morte do Leviatã, mas, eis que ele ressurge das cinzas, tal e qual o Fênix!

Concluindo: “Quem viver, verá”!

“O REI MORREU, VIVA O REI”!

Simulado online do Enem está disponível a partir deste sábado

A partir deste sábado (25), estudantes de todo o país poderão fazer gratuitamente o simulado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na plataforma Hora do Enem. As provas podem ser acessadas até as 20h do dia 3 de julho.

Qualquer interessado que estiver se preparando para o Enem poderá participar. Basta se cadastrar no site do MEC (horadoenem.mec.gov.br). Os alunos da rede pública que não tiverem acesso à internet poderão fazer o simulado em sua própria escola, entre os dias 27 de junho e 1º de julho. Além de poder conferir a nota imediatamente após o término da prova, o estudante também poderá checar se conseguiu atingir a nota de corte do curso ou universidade desejada.

Na hora de se cadastrar, o estudante informa o que busca com o Enem. A plataforma disponibilizará então um plano de estudos para que possa alcançar o objetivo. O resultado do simulado do Enem mostrará como está o desempenho do aluno em relação ao curso que pretende fazer.

Este é o segundo simulado online. Mais de 710 mil estudantes de todo o país fizeram o primeiro simulado nacional do Hora do Enem, realizado entre os dias 30 de abril e 1º de maio, e repetido entre os dias 7 e 8 de maio. Pelo menos 85% dos alunos que fizeram a prova estudam na rede pública de ensino.  Pelo menos mais dois serão feitos até a data do Enem, previstos para os dias 13 de agosto e 8 e 9 de outubro. O último exame será no mesmo formato do Enem e terá dois dias de duração. Não haverá simulado da redação.

(Agência Brasil)

Eunício destaca o legado de Ivens Dias Branco

foto eunício e ivens

O senador Eunício Oliveira lamentou a morte do empresário Ivens Dias Branco, ocorrida nessa sexta-feira (24). Eunício iniciou a vida profissional, aos 13 anos de idade, após oportunidade do “seu Ivens”.

“Aprendi com ele o que é trabalho, ética, correção, decência e a construir a vida pelo dinamismo, pela coragem, pelo discernimento e pela vontade de vencer. Ele deixou um legado para todos os cearenses, para os brasileiros e para a sua família”, comentou Eunício.

Brasil fecha 72,6 mil vagas de trabalho com carteira assinada em maio

Em maio, 72.615 vagas de empregos formais foram fechadas em todo o país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nessa sexta-feira (24) pelo Ministério do Trabalho. O resultado mantém a tendência de mais demissões que contratações no mercado de trabalho. No acumulado de janeiro a maio, 448.011 postos de trabalho já foram fechados este ano.

O resultado para o mês, no entanto, foi melhor que o do ano passado, quando 115.559 vagas foram fechadas em maio.

Nos últimos doze meses, o país perdeu 1.781.906 empregos com carteira de trabalho assinada, o que corresponde a uma retração de 4,34% do contingente trabalhadores formais. Com o resultado, o Brasil tem atualmente 39.244.949 trabalhadores com carteira de trabalho assinada.

O setor de serviços registrou a maior queda de vagas formais em maio de 2016, com fechamento de 36.960 postos de trabalho. O comércio diminuiu o ritmo de perdas, com a redução de 28.885 vagas em maio ante 30.507 postos fechados em abril. A indústria de transformação fechou 21.162 vagas contra 60.989 em abril.

(Agência Brasil)

Defensores ‘defendem’ foro privilegiado e subsídio de R$ 26 mil em meio à crise no país

80 9

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (25):

Diante da crise econômica que assola os estados brasileiros, tramita, na Assembleia Legislativa, projeto de lei de iniciativa da Defensoria Pública que dispõe, entre algumas pedidas, sobre:

1- foro privilegiado para os membros da Defensoria Publica;

2- subsídio equivalente aos desembargadores do TJ-Ceará;

3- revisão do subsídio igual à magistratura;

4- afastar-se do serviço por oito dias para casar;

5- afastar-se do serviço por dois dias no caso de falecimento de parentes de 3º grau;

6- aposentadoria compulsória aos 75 anos de idade;

7- receber fora os subsídios (R$ 26 mil por mês/inicial), mais a trigésima parte desse subsídio por plantão;

8- ajuda de custo de um mês de subsídio (R$ 26 mil), quando de sua promoção, para residir na sede na nova titularidade;

9- diárias para frequentar cursos, seminários e congressos;

10- auxílio funeral para a viúva(o) pensionista do defensor (a) no valor de um mês de subsídio, quando de seu falecimento, podendo se estender aos herdeiros.

A Defensoria Pública diz que quer adequar sua Lei Orgânica a dispositivos constitucionais. Como o Brasil e o Ceará encontram-se em ótima situação financeira, cabe a sociedade garantir esses direitos.