Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Expresso 150 – PF cumpre quinta fase em Fortaleza e Juazeiro do Norte

A Polícia Federal cumpriu, nesta manhã de quarta-feira, 10, seis mandados de busca e apreensão, sendo dois em Fortaleza e quatro em Juazeiro do Norte (Região do Cariri), dentro da quinta fase da Operação Expresso 150. Essa ação apura suposta venda de liminares envolvendo advogados e magistrados no Estado.

Os mandados, segundo a assessoria de imprensa da PF, foram expedidos pelo ministro Herman Benjamin, do Superior Tribunal de Justiça, foram cumpridos em residências, escritórios de advocacia e empresa.

A Polícia Federal informa que não haverá coletiva de imprensa.

Arqueólogos acham pedra de 2 mil anos com inscrição Jerusalém

Especialistas da Autoridade de Arqueologia de Israel (AAI) encontraram uma pedra com uma inscrição de 2 mil anos de idade na qual se lê “Jerusalém” em hebraico.

Localizada em uma escavação sob o Centro de Convenções de Jerusalém (Binyanei Ha’Uma) durante a reforma de uma estrada, a pedra será exibida ao público no Museu de Israel, em Jerusalém.

*Agência Brasil com EFE confira aqui.

General Theophilo divulga nota agradecendo votos e parabenizando Camilo: “Desejo um bom mandato”

O General Theophilo, candidato tucano derrotado ao Governo do Ceará, divulga nota agradecendo os votos recebidos e destacando o apoio do senador Tasso Jereissati e do Capitão Wagner, este presidente regional do Pros. Ele parabeniza o vitorioso Camilo Santana (PT). Confira:

Nota

Durante este domingo, todo o Brasil participou de um dos maiores momentos da democracia. Eu, como militar e com 45 anos de serviço prestados à nação, fico imensamente feliz pelo povo poder participar ativamente das decisões do nosso país. E por isso, hoje, gostaria de agradecer aos cearenses pelos mais de 488 mil votos que recebi. Agradeço respeitosamente a cada eleitor e eleitora que confiou em nossa proposta de governo que apresentamos ao longo da nossa campanha.

Isso mostra que a luta da coligação “Tá na Hora de Mudar”, do PSDB – PROS, foi ouvida pelos cearenses e que nossa campanha foi limpa, transparente, coerente e muito bonita. Reitero aqui que aceitei o desafio de participar dessa disputa para promover a mudança que nosso Estado tanto precisa, diante de tantos problemas enfrentados.

Meu agradecimento especial à minha querida família, amigos, apoiadores e também aos líderes políticos: senador Tasso Jereissati e Capitão Wagner, afinal, todos muito me apoiaram nessa caminhada desde o princípio.

Parabenizo o candidato Camilo Santana pela vitória democrática nas urnas e desejo um bom mandato pelos próximos quatro anos à frente do Governo do Ceará.

O meu muito obrigado a todos os cearenses pelo carinho e receptividade.

*General Theophilo.

(Foto – Reprodução de TV)

Socorro França e a problemática Secretaria da Justiça e Cidadania

262 1

Ainda em agosto último, a secretária da Justiça e Cidadania do Estado, Socorro França, dava sinais de que não pretendia continuar numa nova gestão do governador Camilo Santana (PT). Havia pressão familiar naquela época. O que continua.

Pelo visto, Camilo vai ter que mexer numa pasta bem problemática, pois com presídios quase sempre superlotados, mesmo com novos em construção, a convivência com as facções criminosas em constante conspiração.

(Foto – Divulgação)

Sancionada lei que dispensa reconhecimento de firma e autenticação de documento

O presidente Michel Temer sancionou a Lei nº 13.726/18 que elimina a exigência de reconhecimento de firma por parte de órgãos públicos. Também não serão necessário para os órgãos e entidades dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios com o cidadão a autenticação de cópia de documento, juntada de documento pessoal do usuário, apresentação de certidão de nascimento, apresentação de título de eleitor e apresentação de autorização com firma reconhecida para viagem de menor se os pais estiverem presentes no embarque.

A lei, aprovada na Câmara e no Senado no mês passada, tem como objetivo a “racionalização de atos e procedimentos administrativos dos Poderes da União, dos estados e do Distrito Federal e dos Municípios mediante a supressão ou a simplificação de formalidades ou exigências desnecessárias ou superpostas”, descreve o texto publicado no Diário Oficial.

A nova regra torna responsabilidade do funcionário público, seja ele federal, estadual ou municipal, a comparação entre os documentos originais e suas cópias. Com isso, pretende-se facilitar a checagem da autenticidade dos dados dos trabalhadores, assim como a confirmação da semelhança entre as assinaturas presentes nos documentos e as escritas na frente do servidor.
Continua depois da publicidade

Também foi instituído pela lei o Selo de Desburocratização e Simplificação, que é “destinada a reconhecer e a estimular projetos, programas e práticas que simplifiquem o funcionamento da administração pública e melhorem o atendimento aos usuários dos serviços públicos”.

(Correio Braziliense/Foto – Agência Brasil)

PSD de Domingos Neto terá a quarta maior bancada na Câmara

Para o novo ano legislativo que se iniciará em 2019, a bancada do PSD contará com 34 parlamentares, passando da sétima para a quarta maior posição na Câmara dos Deputados. Vinte deputados foram reeleitos, entre eles, o líder, o cearense Domingos Neto. Outros 14 são novos no parlamento.

Domingos Neto alcançou 111.154 votos, 2,42% do eleitorado cearense. “Quero assegurar que vou orgulhar cada um dos cearenses na Câmara dos Deputados. Continuo trabalhando firme nas causas da Saúde, segurança hídrica e geração de trabalho e emprego. No cenário nacional, vou continuar trabalhando pelos valores democráticos”, garante o deputado que, em sua primeira eleição, foi o mais votado do Estado.

No Ceará, o PSD elegeu duas deputadas estaduais: Érika Amorim, a mulher mais votada do Ceará, com 86.320 votos; e Patrícia Aguiar, três vezes prefeita de Tauá, eleita com 60.269 votos.

(Foto – PSD)

Salmito teria sido eleito somente com os votos de Fortaleza

612 1

O deputado estadual eleito Salmito, atual presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, agradeceu ao eleitorado cearense pelos 91.293 votos recebidos nas urnas do último domingo (7), em especial ao eleitorado de Fortaleza, que proporcionou 54.018 votos.

Salmito teria sido eleito deputado somente com os votos de Fortaleza, o único da coligação PDT/PP/PR/DEM/PRP a conseguir o feito.

FPM – Primeiro repasse de outubro é liberado nesta quarta-feira

*

As prefeituras recebem, a partir desta quarta-feira, 10, o primeiro decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O montante a ser partilhado será de R$ 2,5 bilhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O valor transferido apresenta crescimento em relação ao mesmo período do ano passado.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM), entretanto, reitera o pedido de atenção na gestão dos recursos. Quando são levados em conta os valores brutos, ou seja, incluindo o Fundeb, o montante do 1º decêndio chega a R$ 3,2 bilhões. De acordo com dados da Secretária do Tesouro Nacional (STN), o 1º decêndio de outubro de 2018, comparado com o mesmo decêndio de 2017, apresentou crescimento de 25,18% em termos nominais, ou seja, levando em conta os valores sem considerar os efeitos da inflação.

Na situação em que o valor do repasse é deflacionado e comparado ao mesmo período de 2017, o crescimento chega a 20,26%, isto é, considerando a inflação do período. A CNM destaca que, do total repassado a todos os Municípios do país, as cidades de coeficientes 0,6, que representam a maioria (2.470 ou 44,36% das cidades), irão receber o valor de R$ R$ 643,8 milhões, ou seja, 20,03% do que será transferido. Outros Municípios do país que possuem coeficientes de 0,8 (594 ou 10,67% das cidades) irão ficar com o valor de R$ 209,1 milhões ou 6,51% do que será transferido.

“O futuro foi plantado”, diz Tasso sobre o PSDB no Ceará

544 12

O senador Tasso Jereissati publica nota na imprensa cearense, nesta quarta-feira (10), intitulada Carta aos Cearenses, quando destaca o papel do General Theophilo, da sua vice Emília Pessoa e da candidata ao Senado, Dra. Mayra, durante as eleições no Ceará. Para Tasso, o General, Dra. Mayra e Emília “se mostraram à altura dos desafios que o Brasil ainda tem a enfrentar”. Confira:

E aí, Tasso, qual o futuro do PSDB do Ceará?

243 1

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quarta-feira:

O PSDB do senador Tasso Jereissati no Ceará murchou com as derrotas do deputado estadual Carlos Matos e do deputado federal Raimundo Gomes de Matos. Os dois eram os poucos moicanos que sobreviveram ao canto da sereia oficial no pleito passado. Pagaram o preço da falta de estrutura em todos os sentidos de uma legenda que, tempos atrás, foi poderosa, porém personalista. A legenda girava em torno de Tasso, e os sucessores não vieram com o tempo.

Da eleição recente, não dá para creditar ao PSDB a vitória de Roberto Pessoa, vice de Maracanaú, para deputado federal, pois é liderança reconhecida e trilhou seu próprio caminho. Ele ainda puxou a reeleição da filha, deputada estadual neotucana Fernanda Pessoa. E Nelinho? Foi eleito para a Assembleia com respaldo de ser filho de Raimundinho da Funerária, ex-prefeito de Russas e dono de planos funerários em todo o Estado.

Os pajés tucanos vão tentar o ritual da cura e da purificação. Agora já falam em nova reestruturação, como nos revelou ontem Raimundo Gomes. Numa outra ponta, o também neotucano Danilo Forte, deputado federal que já foi MDB, PSB e migrou para o PSDB neste 2018, não foi reeleito e, pegando a onda, já se diz um apoiador de Jair Bolsonaro.

Assim está o ninho dos tucanos.

(Foto – Agência Brasil)

Por voto evangélico, PT alardeará casamento longevo de Haddad contra histórico de Bolsonaro

339 1

O PT, em sua tática eleitoral, vai alardear que o programa de Fernando Haddad converge com o que prega o cristianismo, principalmente no cuidado com os pobres. Outro mote são os costumes.

Segundo a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quarta-feira, o casamento de 30 anos do petista será comparado ao histórico de ex-mulheres de Jair Bolsonaro (PSL) para dizer que, se há uma família tradicional na disputa, é a do petista.

A coordenação da campanha de Haddad também espera que ele seja recebido nos próximos dias pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Ao UOL, do Grupo Folha, o secretário-geral da entidade pediu que os fiéis optem por nomes que “defendam a democracia”.

Na contramão da crise, indústria cearense cresce 1,5%

A produção industrial no Ceará aumentou 1,5% em agosto, no comparativo com julho deste ano. Já o Brasil registrou queda de 0,3% nesse mesmo mês. Os dados da Pesquisa Industrial Mensal Regional divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e mostram que este foi o quarto maior crescimento dentre os 15 estados pesquisados, atrás apenas do Mato Grosso (3%), Bahia (2,7%) e Pernambuco (2,6%).

Por outro lado, seis estados registraram taxas negativas de julho para agosto de 2018, na série com ajuste sazonal. A maior delas foi observada no Amazonas (-5,3%).

O Nordeste também apresentou alta de 1,5% no período. “Os três estados que pesquisamos do Nordeste conseguiram se manter acima da variação nacional, na passagem de julho para agosto. A Bahia, sofreu influência de veículos automotores, reboques e carrocerias. Pernambuco sofreu influência de produtos alimentícios. No Ceará, a influência positiva veio dos artefatos de couro”, explica Bernardo Almeida, analista da pesquisa.

Em 12 meses, a indústria cearense cresceu 1,4%. No acumulado do ano caiu 0,1%. No Brasil, a queda foi de 0,9% na produção industrial.

(Foto  Arquivo)

Haddad venceu na cidade mais pobre e Bolsonaro na mais rica

351 1

A análise da corrida eleitoral passa, necessariamente, pelo componente socioeconômico.

Na cidade com menor PIB do país, Novo Triunfo (BA), deu o candidato petista a presidente Fernando Haddad, com 76% dos votos válidos. Jair Bolsonaro obteve 11%.

Já na mais rica, São Caetano do Sul (SP), o candidato do PSL se deu melhor conseguiu 58%. Já o petista (8%) ficou ainda atrás de Ciro (14%) e João Amôedo (9%).

PSC declara apoio a Bolsonaro

240 1

O pastor fez o batismo de Bolsonaro no rio Jordão.

O PSC, partido que já abrigou Jair Bolsonaro, hoje no PSL< decidiu apoiar oficialmente a candidatura do capitão neste segundo turno. É o que informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

No primeiro turno, o PSC, presidido pelo Pastor Everaldo, indicou Paulo Rabello de Castro como vice da chapa de Alvaro Dias.

Agora, vai de Bolsonaro. A propósito, Wilson Witzel, o mais votado no primeiro turno da eleição para o governo do Rio de Janeiro e que foi apoiado informalmente pela família Bolsonaro, é filiado ao PSC.

(Foto – PSC)

Eleição: pactuação necessária

Com o título “Eleição: pactuação necessária”, eis o Editorial do O POVO desta quarta-feira:

Qualquer observador da campanha eleitoral não pode fugir à constatação de que a disputa do 2º turno será certamente a mais acirrada da história do País. Mas, é preciso que não seja encarniçada a ponto de transbordar para a violência – e os sinais já têm sido bastante claros de que a coisa poderá degringolar, se as forças responsáveis da sociedade civil não entrarem em ação para se estabelecer um mínimo de racionalidade na disputa. Quem deve dar o exemplo, nesse caso, são os dois concorrentes da peleja, pois o comportamento individual de cada um serve de referencial para os seus seguidores. Se queremos que a democracia sobreviva a esse quadro, é preciso uma pactuação mínima para conter potenciais desandamentos.

O noticiário tem divulgado o alastramento da intolerância em relação ao direito de divergir e fazer a opção que cada um considere a mais correta, sem ser “massacrado” por isso. Agressões e até assassinatos já foram registrados por conta disso. O mais recomendável seria que os dois candidatos concordassem com a formação de um grupo conjunto para definir as linhas mestras de um pacto de não-agressão e contrário à divulgação de notícias falsas e difamantes, pelas redes sociais, contra o adversário. Isso é imprescindível, porque a democracia não deve sustentar-se em bases falsas, em artimanhas condenáveis para se conquistar o poder a qualquer custo.

Os brasileiros já pagaram muito, ao longo de sua história, por não levarem a sério o respeito às regras de convivência democrática. Não se trata de um preciosismo formal, mas, a única maneira de pessoas das mais diversas origens sociais, culturais e visões de mundo conviverem juntas. A força da democracia reside na observação de regras estipuladas a serem observadas por todos. Caso, contrário, se estabelece o caos, a ilegitimidade e a violência.

Na democracia, não vale quem berra mais, mas quem está sintonizado com essas regras prévias, inscritas na Constituição, elaboradas por representantes eleitos. O povo é a fonte do poder político.

Quando chega uma eleição para a escolha de novos governantes e renovar a legitimidade do poder, os cidadãos necessitam posicionar-se em relação às propostas que disputam o direcionamento da sociedade. Por isso, precisam conhecê-las previamente e sabatinar os entrevistados para aferir o seu preparo na tarefa de colocá-las em prática, e checar seu compromisso com as regras do jogo democrático. Por isso, o primeiro dever de um candidato é comparecer aos debates em que as propostas serão confrontadas com a realidade, perante o eleitor. Só assim este estará munido dos instrumentos mínimos para fazer sua opção, livre e conscientemente. Com menos risco de errar.

(Editorial do O POVO)

Maioria dos partidos se mantém neutra no segundo turno

176 1

De olho nos estados, a maioria dos partidos que foram derrotados no primeiro turno da eleição presidencial decidiu se manter neutra quanto à disputa do segundo turno. Seis legendas liberaram os militantes para apoiar qualquer uma das duas opções: Jair Bolsonaro (PSL) ou Fernando Haddad (PT). Representantes de três siglas decidiram ficar do lado de Haddad, enquanto até agora apenas um declarou apoio unânime a Bolsonaro.

Até o momento, PP, Patriota, DC, PRB e PSDB anunciaram-se neutros na disputa presidencial do dia 28 de outubro. Apesar de declarar posição de “neutralidade” com relação aos dois candidatos, o partido Novo informou nessa terça-feira (9) que os integrantes da sigla são “absolutamente contrários ao PT”. Após reunião ocorrida em Brasília, o PSB manifestou apoio à candidatura petista, enquanto os presidenciáveis do PSOL e do PPL anteciparam que as legendas também se somarão ao petista.

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, anunciou apoio ao candidato do PSL, também depois de reunir a executiva nacional do partido.

O ponto que tem sido central para a definição dos correligionários são as diferenças regionais. Siglas que ainda têm chance de emplacar governadores no segundo turno optaram por não declarar apoio no pleito presidencial sob o risco de ampliarem suas divisões internas.

É o caso do PSDB, presidido por Geraldo Alckmin, quarto colocado no primeiro turno. O encontro da legenda ocorreu em clima tenso e ainda sob efeito do desempenho dos tucanos nas urnas, menor do que em anos anteriores. Apesar de quadros como o ex-prefeito de São Paulo João Doria defender abertamente o apoio a Bolsonaro, há nomes que preferem se manter isentos por discordarem das visões do candidato. O partido ainda enfrentará seis disputas estaduais e, segundo Alckmin, “o protagonismo agora tem que ser dos candidatos”.

Sigla da candidata ao cargo de vice na chapa do tucano, senadora Ana Amélia, o PP também não escolheu nenhum dos lados (LINK). Antes da reunião da executiva nacional do PPS, o presidente da sigla, Roberto Freire, antecipou que o partido ficará neutro na disputa. Essa é a mesma posição das legendas dos presidenciáveis Cabo Daciolo (Patriota) e José Maria Eymael (DC).

Após uma reunião encerrada no fim da noite de ontem, o Podemos não chegou a uma conclusão sobre o assunto. No entanto, o candidato à Presidência Álvaro Dias, com 860 mil votos (0,8% dos votos válidos), já se posicionou. “Não imaginem a hipótese de eu apoiar o PT no segundo turno desta eleição. Essa hipótese não existe, é surreal porque eu valorizo a coerência, a verdade, a coragem”, disse, fazendo críticas às gestões petistas que, segundo ele, assaltaram o Brasil.

Informalmente, outras lideranças políticos já sinalizaram como atuarão nesta reta final. O comando do PDT, de Ciro Gomes, que ficou em terceiro lugar, indicou que deve assumir um “apoio crítico” à candidatura de Haddad. No domingo, o ex-governador do Ceará já havia feito críticas a Bolsonaro.

João Goulart Filho, do PPL, foi outro que se antecipou ao anúncio formal da legenda e disse que apoiará Fernando Haddad para evitar o “risco de uma nova ditadura”. Essa é a mesma opinião dos correligionários de Guilherme Boulos, do PSOL, que declararam “apoio incondicional” ao petista.

Outros partidos terão encontros nos próximos dias para deliberar sobre o apoio. É o caso da Rede de Marina Silva, do DEM, PR, Solidariedade, PSD, PV e MDB.

(Agência Brasil)

Bolsonaro diz que não perdoa agressor e quer que ele “mofe na cadeia”

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, disse que não perdoa Adélio Bispo de Oliveira que o atacou com uma faca no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora, em Minas Gerais. “Eu não perdoo ele (sic) não. Se depender de mim, ele mofa na cadeia”, afirmou. “Bandido tem que apodrecer na cadeia. Se cadeia é lugar ruim, é só não fazer a besteira que não vai para lá. Vamos acabar com essa história de ficar com pena de encarcerado. Quem está lá fez por merecer”, acrescentou ao conceder entrevista ao site UOL, à rádio Jovem Pan e ao programa Pânico.

Bolsonaro afirmou que está “vivo por milagre” e defendeu que a pena de Adélio seja ampliada. “Como não podemos condenar ninguém por prisão perpétua, que, pelo menos, se cumpra 30 anos de cadeia. Vamos acabar com progressão de pena”, indicou. Para ele, o agressor sabia o que estava fazendo e se planejou para atacá-lo.

O candidato do PSL falou como se sente ao recuperar-se do ferimento, que provocou hemorragia no abdômen, além de atingir seu intestino. “Tô com mais vontade ainda, pode ter certeza. Essa facada aí me deu uma energia muito forte”, completou.

Fiscal das urnas

Bolsonaro voltou a criticar o sistema de votação só por urnas eletrônicas e a defender o voto impresso para evitar riscos de fraude – proposta que constou de projeto de sua autoria aprovado na Câmara em 2015.O candidato afirmou que recebeu centenas de vídeos com boletim de votação, em que não teria recebido qualquer voto e outros mostrando que quando o eleitor apertava o número 1 aparecia o 13 – imagens já confirmadas como falsas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Bolsonaro afirmou que a área jurídica de seu partido está pedindo ao TSE que problemas verificados no primeiro turno não se repitam para que dúvidas sobre a lisura do voto não permaneçam. Ele repetiu que respeitará os resultados das urnas e se mostrou confiante na vitória. “Vou respeitar o resultado das urnas, mas pelo que está acontecendo, ninguém teve até hoje, nem o Lula teve, uma votação tão maciça, no primeiro turno, como eu tive. O pessoal que vota em mim, a quase totalidade, está votando consciente. Ninguém foi cooptado por ninguém. A nossa votação vai ser muito maior que o primeiro turno”, disse.

Em um recado direto ao seu eleitor, sugeriu que fique atento, fiscalize as seções eleitorais e seja um dos primeiros a votar. Em caso de notar alguma irregularidade na urna, pediu que ele acione a fiscalização, um policial militar ou o mesário, para que seja resolvido imediatamente o problema na máquina que apresentar defeito.

Ativismo

Bolsonaro tentou explicar o que quer dizer quando afirma que quer acabar com o ativismo no Brasil. Ele afirmou que pretende botar um ponto final no”ativismo xiita que vive, geralmente, de dinheiro de ONG”. “Nós vamos respeitar o dinheiro público. Tem um grupo de mulheres do PT e o Haddad [candidato do PT] está distribuindo um montão de memes fake news, isso é ativismo, dizendo que eu vou acabar com o Bolsa Família, que vou criar CPMF, que vou cobrar imposto de renda do pobre. Esse tipo de ativismo aí”, exemplificou.

Ministério

Bolsonaro passou a terça-feira (9) gravando programas eleitorais na casa de um empresário, no bairro Jardim Botânico, na zona sul do Rio. Ao deixar o local, confirmou o nome do deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) como futuro ministro da Casa Civil em um eventual governo.

“No que depender de mim, sim. Ele é o homem da transição. Ele me apoia há mais de dois anos. Foi ele quem costurou, individualmente, com mais de 100 parlamentares, este apoio. Temos o apoio maciço da bancada ruralista, o apoio quase incondicional da bancada evangélica, a bancada da segurança cresceu. Nós estamos fazendo uma grande concertação”, disse.

Bolsonaro disse que seu ministério, que terá 15 pastas, ainda não está fechado, mas já estão cotados Onyx e o economista Paulo Guedes. “Queremos ministros competentes, que tenham autoridade e iniciativa para trabalhar para o bem do Brasil. E não para atender interesses políticos partidários”.

O candidato disse que amanhã (10) os médicos irão avaliar se têm condições de participar de debates.

Bolsonaro disse ainda que, se eleito, vai procurar a equipe do presidente Michel Temer para articular uma transição, incluindo a possibilidade de se votar alguma mudança na Previdência.

“Eu chegando lá, vou procurar o governo para a gente aprovar uma reforma da Previdência que tenha aceitação do Parlamento e a população entenda como justa e necessária. Eu creio que a proposta do Temer, da forma que está, dificilmente vai ser aprovada. Seria bom nós contermos os ralos, quem sabe aumentar em mais um ano o tempo de serviço para o trabalhador do serviço público. Eu acho que já seria um grande passo no final do governo Temer”, disse.

(Agência Brasil)