Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Declaração final do G20 destaca irreversibilidade do Acordo de Paris

Reunidos em Buenos Aires, os líderes do G20, grupo que engloba as maiores economias mundiais, aprovaram neste sábado (1º) a declaração final na qual destacam a irreversibilidade do Acordo de Paris, firmado por várias nações com o compromisso de adoção de medidas para atenuar os impactos do aquecimento global. Os termos desse acordo enfrentam resistência de líderes de países como Estados Unidos, China e Índia.

A declaração final traz ainda um apelo pela ajuda internacional aos países em situação de endividamento, ao cumprimento das regras fixadas internacionalmente nas negociações comerciais e detalham como prioridades o combate à fome e a implementação de medidas de igualdade de gênero. O texto sugere ainda mudanças no sistema da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O documento tem oito páginas e menciona os temas de forma ampla, evitando questões polêmicas na busca pelo consenso. Os pilares são o futuro do trabalho, a infraestrutura para o desenvolvimento, o futuro sustentável dos alimentos e uma estratégia de integração de gênero na agenda do G20.

Segurança financeira

Uma parte dos 25 pontos elencados no texto relaciona questões referentes à segurança financeira global. Nos parágrafos finais, os líderes destacam o apoio a um Fundo Monetário Internacional (FMI) “forte, baseado em cotas e com recursos adequados”. Para eles, é importante concluir a 15ª Revisão Geral de Cotas, incluindo mais uma.

As cotas são um componente central dos recursos financeiros do FMI. A cada país-membro é atribuída uma cota, de acordo com sua posição na economia mundial. Quanto mais forte o país, maior sua cota e seu poder de influência no fundo.

“Apelamos ao FMI e do Banco Mundial para trabalhar com os mutuários e credores para melhorar o registro, monitorização e relatórios transparentes das dívidas pública e privada. Aguardamos com expectativa a revisão da condicionalidade do programa pelo FMI e a revisão de sua política de limites de dívida.”

Dívidas internacionais

Na declaração, os líderes comprometem-se a tomar medidas para lidar com as vulnerabilidades da dívida em países de baixa renda, apoiando o fortalecimento da capacidade da dívida pública e da gestão financeira e fortalecendo as estruturas de políticas domésticas.

“Trabalharemos no sentido de aumentar a transparência e a sustentabilidade da dívida e melhorar as práticas de financiamento sustentável por mutuários e credores, tanto oficiais como privados, incluindo o financiamento de infraestrutura.”

Comércio internacional

Porém, o alerta é para as questões comerciais e as negociações entre os líderes dos países presentes na cúpula. O texto indica a preocupação com a instabilidade e a ausência de autonomia dos bancos centrais.

Indiretamente, o documento defende a atuação da Organização Mundial do Comércio (OMC), do respeito às regras e normas internacionais.

“Reafirmamos nossa promessa de usar todas as ferramentas de políticas para alcançar um crescimento forte, sustentável, equilibrado e inclusivo e salvaguardar os riscos negativos, intensificando nosso diálogo e nossas ações para aumentar a confiança.”

O texto apóia o multilaralismo e a globalização, respeitando os limites de cada nação, pois de acordo com o texto, as respostas políticas e de cooperação internacional “ajudarão a garantir que os benefícios da transformação tecnológica sejam amplamente compartilhados” por todos.

Inclusão

O documento final defende ainda a inclusão no mercado de forma justa e sustentável, promovendo o “trabalho digno, a formação profissional e o desenvolvimento de competências, incluindo a requalificação profissional e a melhoria das condições laborais em todas as formas de emprego”.

De acordo com o texto, os líderes se comprometem a melhorar a situação dos jovens, adotando as metas do Objetivo Jovem G20 Antalya, buscando erradicar o trabalho infantil, o trabalho forçado, o tráfico de pessoas e a escravidão moderna. O apelo para investimentos em educação principalmente para as meninas.

“O acesso à educação é um direito humano e uma área de política pública estratégica para o desenvolvimento de sociedades mais inclusivas, prósperas e pacíficas. Sublinhamos a importância da educação das meninas.”

Segurança digital

A declaração inclui ainda a preocupação com a segurança digital, de tal maneira que o fluxo de informações e a privacidade não sejam atingidos.

“Apoiamos o livre fluxo de informações, idéias e conhecimento, respeitando as estruturas legais aplicáveis ​​e trabalhando para construir a confiança do consumidor, a privacidade, a proteção de dados e a proteção dos direitos de propriedade intelectual.”

Alimentação

Para os líderes presentes, os desafios comuns se concentram no enfrentamento à segurança alimentar. Daí a determinação de incentivar mais áreas rurais, manejo sustentável dos solos, das águas e dos rios com o apoio dos pequenos agricultores. “É crucial para alcançar um mundo livre da fome e de todas as formas de desnutrição.”

Porém, o texto é claro ao considerar fundamental a colaboração dos entes públicos e privados. As autoridades comprometeram-se a aumentar os esforços para envolver o setor privado e a comunidade científica.

Igualdade

A declaração informa que será lançado, no âmbito do G20, um documento definindo ações para o desenvolvimento da primeira infância com as meninas. O texto também menciona os esforços para buscar a igualdade de gênero como elemento fundamental para o crescimento econômico e desenvolvimento justo e sustentável.

O documento cita que a diferença de gênero nas taxas de participação da força de trabalho deve ficar em 25% até 2025. “Continuaremos a promover iniciativas destinadas a pôr fim a todas as formas de discriminação contra mulheres e meninas e à violência baseada em gênero. Comprometemo-nos à promoção do empoderamento econômico das mulheres.”

Saúde

A declaração destaca a necessidade de apoiar as ações da Organização Mundial da Saúde (OMS) no desenvolvimento de medidas para atingir as metas fixadas para 2030, como a necessidade de sistemas de saúde mais fortes com segurança, qualidade e eficácia dos serviços.

As metas incluem abordagens para melhoria do sistema de saneamento, o fim da contaminação por HIV/AIDS e de doenças, como tuberculose e malária.

Refugiados

O documento menciona a preocupação comum com os “grandes movimentos de refugiados” e a necessidade de implementar “ações compartilhadas” para abordar as causas profundas do deslocamento e responder às crescentes necessidades humanitárias. Porém, o texto não detalha medidas, nem alerta sobre abusos.

A declaração vem à tona no momento em que os Estados Unidos enrijecem as leis anti-imigratórias e a Europa se fecha ao ingresso de imigrantes que tentam escapar da fome e da perseguição política e étnica. No Brasil e na América do Sul, as atenções estão voltadas para os venezuelanos e centro-americanos que buscam refúgio nos países vizinhos.

Clima

Às vésperas da conferência do clima (COP24), na Polônia, os líderes advertiram sobre os impactos do aquecimento global de 1,5 graus centígrados e a necessidade de apoio ao Acordo de Paris – conjunto de compromissos firmados por vários países na tentativa de minimizar os efeitos do aquecimento global no mundo.

“Os signatários do Acordo de Paris, que aderiram ao Plano de Ação de Hamburgo, reafirmam que o Acordo de Paris é irreversível e comprometem-se a implementá-lo integralmente, refletindo responsabilidades comuns, mas diferenciadas, e respectivas capacidades, à luz de diferentes circunstâncias nacionais. Continuaremos a enfrentar as mudanças climáticas, promovendo o desenvolvimento sustentável e o crescimento econômico.”

Fontes de energia

O documento destaca também o “papel crucial da energia” para ajudar a moldar o futuro compartilhado. No entanto, a declaração apela para que a busca por novas alternativas de energia seja baseadas em “segurança, sustentabilidade, resiliência, eficiência, acessibilidade e estabilidade”.

(Agência Brasil)

Prefeitura de Fortaleza leva VetMóvel ao Polo de Lazer da Sargento Hermínio

A Prefeitura de Fortaleza leva o VetMóvel, a partir da segunda-feira (3), ao Polo de Lazer Sargento Hernmínio, localizado na Avenida Sargento Hermínio Fonseca, s/n, no bairro São Gerardo. As consultas ocorrerão ao lado da administração do ambiente até sexta-feira (7), sempre de 8h às 12h e de 13 às 17h, e são destinadas a cães e gatos oriundos de ONGs, abrigos de animais e tutores baixa renda do bairro e adjacências. O equipamento itinerante também realiza castrações mediante agendamento prévio pelo telefone (85) 3272-3356 ou presencialmente na Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), localizada na Avenida Pontes Vieira, 2391.

As castrações são destinadas exclusivamente aos animais de tutores baixa renda, ONGs e protetores independentes. É obrigatório a apresentação do Número de Identificação Social (NIS), RG, CPF e comprovante de endereço dos cuidadores. Para realização do serviço, é necessário levar os animais devidamente banhados e sem carrapatos para dar prosseguimento à cirurgia. As atividades gratuitas de consulta veterinária, vacinação antirrábica e exame para diagnóstico do Calazar são disponibilizadas aos animais de tutores do público em geral até às 15h.

Atuam no VetMóvel quatro médicos veterinários, sendo um clínico geral, um anestesista e dois cirurgiões. O equipamento também oferece, gratuitamente, registro geral animal e distribuição de material educativo com informações sobre bem-estar animal e guarda responsável.

Gerido pela Coordenadoria Especial de Proteção e Bem-Estar Animal (Coepa), que é vinculada à Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), o VetMóvel faz parte do plano de ações programadas para 2018 com o objetivo de conscientizar a população de Fortaleza e envolvê-la no combate contra os maus tratos, cuidados e abandono de animais.

ATIVIDADES do VetMóvel

Normalmente, as atividades são desenvolvidas da seguinte forma:

– Segunda-feira

Atendimento clínico para animais com tutores e atendimento cirúrgico para os animais de ONGs de caninos (cães);

– Terça-feira

Atendimento cirúrgico previamente agendado para caninos (cães) de tutores de baixa renda;

– Quarta-feira

Atendimento clínico para animais com tutores e atendimento cirúrgico para os animais de ONGs de felinos (gatos);

– Quinta-feira

Atendimento cirúrgico previamente agendado para felinos (gatos) de tutores de baixa renda;

– Sexta-feira

a) Atendimento cirúrgico previamente agendado para felinos (gatos) de tutores de baixa renda;

b) Acompanhamento pós-cirúrgico no local da semana anterior.

Documentação e regras para atendimento

I – As atividades de consulta veterinária, vacinação antirrábica e exame para diagnóstico do Calazar são disponibilizadas aos animais do público em geral;

II – As castrações são destinadas exclusivamente aos animais de tutores de baixa renda e oriundos de ONGs e protetores independentes. É obrigatório a apresentação do NIS, RG, CPF e comprovante de endereço do tutor;

III – O retorno para o acompanhamento pós-cirúrgico será feito por um médico cirúrgico-veterinário no local da semana anterior, sempre das 8h às 10h. Caso o animal não seja levado ao local marcado para avaliação, o tutor poderá levá-lo aonde o VetMóvel estiver em atividade, tendo prioridade no atendimento. Durante a semana, os animais que precisarem retornar ao VetMóvel para avaliação pós-cirúrgica, poderão ir ao equipamento ou entrar em contato para orientação pelo telefone da Coepa: (85) 3272-3356;

IV – O VetMóvel irá atender os animais oriundos das ONGs e protetores independentes cadastrados na Coepa, cujo controle está sendo feito por meio de parceria com a ONG Deixa Viver, no sentido de encaminhar os animais para serem castrados, enquanto não for feito o chamamento público para credenciamento das clínicas veterinárias. Os protetores independentes cadastrados encaminharão suas demandas diretamente à Coepa;

V – Os animais deverão ter jejum alimentar de 12 horas e jejum hídrico (água) de 6 horas para as castrações previamente agendadas;

VI – Os animais de ponto de abandono só serão castrados se tiverem protetor independente que ofereçam lar temporário para o pós-operatório e assinem termo de responsabilidade, após passarem por avaliação clínica e exames complementares.

SERVIÇO

VetMóvel no Polo de Lazer Sargento Hermínio

Período: de 3 a 7 de dezembro de 2018

Local: ao lado da administração do Polo de Lazer Sargento Hermínio

Endereço: Avenida Sargento Hermínio, s/n – São Gerardo

Horário: de 8h às 12h e de 13h às 17h.

(Com informações da Prefeitura de Fortaleza / Foto: Divulgação)

Nunca mais seremos um país socialista, diz Eduardo Bolsonaro

209 1

Em viagem aos Estados Unidos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse que o Brasil nunca mais será “um país socialista”. A declaração foi dada na noite desta sexta-feira (30) em entrevista ao jornalista Lou Dobbs da Fox News e foi retuitada por Jair Bolsonaro hoje (1º).

“Estamos muito otimistas porque o Brasil está mudando de uma gestão extremamente socialista para uma economia muito mais liberal. O que eu vim fazer aqui nos Estados Unidos é dar os primeiros passos para o resgate da nossa credibilidade e mandar uma mensagem clara de que nunca mais seremos um país socialista”, disse. Ele acrescentou que o governo eleito está muito animado com a proximidade com os Estados Unidos.

Trump brasileiro

Sobre as comparações entre Jair Bolsonaro e o presidente norte-americano, Donald Trump, que surgiram durante a campanha a partir de alguns posicionamentos considerados mais radicais do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro disse que, assim como Trump, seu pai “não segue a agenda dos politicamente corretos”.

“Ele diz o que pensa, gostar ou não é uma escolha de cada um”. Para reforçar a afinidade com medidas adotadas por Trump, Eduardo Bolsonaro voltou a defender a mudança de sede da embaixada brasileira em Israel. “Também adoraríamos mudar a embaixada brasileira de Telaviv para Jerusalém”, disse.

O deputado disse ainda que o futuro governo, assim como fez Trump, pretende não reconhecer a última eleição na Venezuela, que, em maio, reconduziu Nicolás Maduro ao poder. À época, Brasil, Estados Unidos e outros 13 países não reconheceram a vitória de Maduro.

(Agência Brasil)

Camilo deverá retornar ao Ceará neste domingo

O governador Camilo Santana e a primeira-dama, Onélia Leite, são aguardados neste domingo (2) em Fortaleza, após uma semana de giro por Israel. E com direito a batismo no rio Jordão.

De volta ao Palácio da Abolição, nada de clima santo. Camilo quer fixar o teto do Estado no seu salário congelado até 2020. E a reação não veio dos órgãos de menor salário na máquina, mas da Sefaz e Seplag, onde estão os técnicos com a melhor bufunfa.

Bolsonaro critica forma como europeus defendem meio ambiente e índios

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), criticou neste sábado (1º) a forma como europeus defendem o meio ambiente e os indígenas. Segundo ele, sua preocupação é garantir apoio à ciência e à proteção ambiental, assim como à integração dos povos indígenas à sociedade, oferecendo as mesmas oportunidades dadas aos demais cidadãos.

“Eu acredito na ciência e ponto final. Mas o que a Europa fez para manter as suas florestas e as suas matas ciliares? E querem dar palpite aqui?”, afirmou Bolsonaro, em Resende (RJ), após cerimônia de formatura de aspirantes a oficial na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), que se formou na mesma instituição há 41 anos.

“Cada vez que um governo do passado saía para fora do Brasil, ele recebia de forma passiva e servil pressões por demarcações de terras indígenas. Eu quero o bem estar do índio. Quero integrá-lo à sociedade. O nosso projeto é fazê-lo igual a nós. Eles têm as mesmas necessidades. Ele quer médico, dentista, televisão, internet”, disse o futuro presidente.

Bolsonaro disse ainda que falta apoio concreto para as políticas em favor dos indígenas e do meio ambiente no país: “Eu fui, nas minhas andanças, ao Acre e à Rondônia. Em torno de 20% apenas dessas áreas podem ser usadas em benefício da população local. E 80% não. Isso está errado.”

Questionado sobre o nome que comandará o Ministério do Meio Meio Ambiente, Bolsonaro indicou que ainda está inclinado em favor do agrônomo Xico Graziano, que foi do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e no passado pertenceu aos quadros do PSDB.

Graziano também foi secretário de Meio Ambiente de São Paulo. Ontem, Bolsonaro havia dito que há “meia dúzia” de nomes sendo avaliados para o Ministério do Meio Ambiente.

(Agência Brasil)

Grupo explode agência bancária em Meruoca neste sábado

Grupo fortemente armado explodiu agência bancária de Meruoca, a 264,2 quilômetros de Fortaleza, na madrugada deste sábado, 1º. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as polícias Civil e Militar efetuam buscas na área para capturar os autores do crime.

A ocorrência foi registrada por volta das 2 horas. Segundo a SSPDS, os responsáveis pelo ataque à agência fugiram em três carros. No entanto, um dos veículos foi incendiado e abandonado na localidade Camilos. Até a publicação desta matéria, nenhum suspeito havia sido preso.

Composições da Força Tática (FT), do Comando Tático Rural (Cotar), do Batalhão de Divisas e do Policiamento Ostensivo Geral dos municípios de Massapê, Senador Sá, Uruoca, Alcântaras, Moraújo e Coreaú realizam buscas pela região.

O caso será investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), que já enviou uma equipe ao local da ocorrência. Além disso, a Perícia Forense Estado do Ceará esteve no local.

A Polícia Civil ressaltou que a população pode contribuir com as investigações repassando informações por meio do número (88) 3677-4711, da Delegacia Regional de Sobral, ou ainda para o (85) 3101-1140 / 3101-1141 / 3101-1142 / 3101-1143, da DRF. O sigilo é garantido.

(O POVO Online / Foto: Leitor do Blog)

Quem é a favor de indulto?

Em artigo no O POVO deste sábado (1º), a jornalista Letícia Alves sugere a discussão de políticas para evitar que as pessoas entrem no crime em vez de tirá-las da cadeia por meio de benefícios. Confira:

O debate sobre o indulto natalino ou, em outras palavras, o perdão da pena de criminosos, voltou a ser amplamente discutido nesta semana. O motivo: o Supremo Tribunal Federal retomou a análise da ação que questiona o indulto concedido por Michel Temer em 2017, que foi suspenso após a Procuradoria-Geral da República afirmar que o decreto presidencial “afrouxava” demais as regras para a concessão do benefício.

O indulto não foi invenção de Temer: ele está previsto na Constituição de 1988 e é válido para todos os criminosos condenados por crimes sem grave ameaça ou violência. Todos os anos, no período natalino, o presidente pode editar um decreto com as condições para que esse perdão seja dado: normalmente, o preso não pode ser reincidente e deve ter cumprido pelo menos um quarto da pena máxima de 12 anos.

Ano passado, porém, Temer foi benevolente demais: o seu decreto não só não exigia mais uma pena máxima como também permitia que reincidentes fossem contemplados, desde que tivessem cumprido um terço da pena. A medida incomodou profissionais da Operação Lava Jato, que afirmaram que ela poderia beneficiar condenados por corrupção.

Isso causou um rebuliço no debate público e repercutiu até mesmo na campanha eleitoral deste ano: quem não se lembra das acusações de que Fernando Haddad daria indulto a Lula se vencesse as eleições? Eu poderia explicar que o perdão a um preso específico não é indulto, mas uma graça (nome apropriado, não?), mas o que importa nessa discussão é o mérito: será razoável liberar presos de suas penas, sejam eles condenados por corrupção ou por qualquer outra coisa cuja consequência é a cadeia?

Não tenho a pretensão de falar pelo povo, mas arrisco dizer que ele não é a favor de tal medida, mesmo ela sendo constitucional. Há os que defendem que o indulto é importante para desafogar as penitenciárias. Não seria melhor discutir políticas para evitar que as pessoas entrem no crime em vez de tirar da cadeia as que já entraram?

O cidadão comum quer que bandido seja e permaneça preso. Parece que só o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) entendeu e soube capitalizar isso, ao prometer que não daria indulto no seu governo. De colarinho branco ou não, condenados por corrupção ou não, convenhamos, lugar de criminoso condenado é na prisão.

Letícia Alves

Jornalista do O POVO

Chove mais de 100 milímetros em Guaraciaba do Norte

Entre a manhã de sexta-feira, 30, e as 7 horas deste sábado, o município de Guaraciaba do Norte, a 300 km de Fortaleza, registrou 105 milímetros de chuva. Duas formações meteorológicas estão autuando em maior intensidade sobre o Ceará, o que está provocando as chuvas neste período de pré-estação.

Na Capital, os pluviômetros marcaram 84,4 milímetros. Já em Ibiapina, a 305 km de Fortaleza, choveu 58,5 milímetros. As informações são da Fundação Cearense da Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Imagens de satélite mostram que nuvens associadas a um sistema de circulação de baixa pressão atuam sobre o Estado, deslocando as massas de ar no sentido horário. Ao mesmo tempo, se aproxima do território cearense a Zona de Convergência Intertropical, que circunda a faixa equatorial do globo terrestre, resultado do encontro de ventos alísios do norte e do sul.

Ao todo, choveu em 22 municípios. A previsão para o fim de semana é de que as precipitações devem continuar. Até segunda-feira, 3, a Funceme indica tendência de nebulosidade variável com chuva em todas as regiões do Estado.

Confira as maiores chuvas no Ceará, neste fim de semana: Guaraciaba Do Norte (105 mm), Fortaleza (84,4 mm), Ibiapina (58,5 mm), Itapipoca (48 mm). São Gonçalo Do Amarante (43 mm), Graça (39 mm) e Paracuru (33,6 mm ).

(Foto: Arquivo)

Campeonato Cearense de Boxe será disputado este mês no CFO

O Conselho Cearense de Boxe Amador e Profissional (CCB) está com inscrições abertas para as disputas do campeonato estadual, que ocorrerá nos dias 15 e 16 deste mês, no Centro de Formação Olímpica, em uma parceria com a Secretaria de Esporte do Estado do Ceará (Sesporte).

Os atletas podem se inscrever nas categorias Elite (19 à 40 anos), Juvenil (17 e 18 anos) e Cadete (15 e 16 anos), tanto masculino como feminino. As categorias serão divididas ainda por peso.

De acordo com a organização do evento, os menores de idade deverão apresentar no ato da inscrição um documento com a autorização dos pais. Já as mulheres precisam entregar um atestado médico no dia do evento, comprovando que não estão grávidas. Além disso, será exigido o uso de capacete, protetor de seios e coquilha.

Segundo o presidente do CCB, Emanoel Barroso, a competição é uma forma de descobrir jovens talentos no Estado. “Nós queremos levar o boxe cearense para um novo patamar e precisamos incentivar a prática do esporte através dessas competições para conhecer os jovens talentos de boxe do nosso Estado.”. O dirigente destaca ainda que o evento contará com uma arbitragem profissional qualificada e regulamentada pelo Conselho Nacional de Boxe (CNB).

O público poderá ter acesso à competição, por meio de um quilo de alimento não perecível, que será doado a uma instituição de caridade.

SERVIÇO

Campeonato Cearense de Boxe
Inscrições: Facebook: (Conselho Cearense de Boxe A/P – CCB), Instagram:
(@conselhocboxeap) ou pelo telefone (85) 9 8200-1673.
Valor: R$ 30,00
Data da competição: 15 e 16 de dezembro
Local: CFO (arena de lutas)

(Foto: Divulgação)

O buraco na saúde

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (1º), pelo jornalista Érico Firmo:

O preenchimento de vagas no Mais Médicos mostra que o problema da falta de profissionais em municípios do Interior não será resolvido tão facilmente. Comemorou-se a rápida ocupação das vagas. Daí, houve quem concluísse que nunca faltaram médicos e que o programa era uma empulhação para financiar a ditadura cubana. Infelizmente, o problema maior que as futricas ideológicas. O que fica claro é que muita gente está se inscrevendo no Mais Médicos e deixando o Saúde da Família. Como se diz lá em Maranguape, cobrem um santo e descobrem outro.

A situação expõe vários dos dilemas da saúde brasileira. Por que esses profissionais preferem o Mais Médicos? Por se tratar de programa federal, com dinheiro garantido. O Saúde da Família fica a cargo das prefeituras. Muitas vezes o pagamento atrasa. Além disso, o Mais Médicos garante férias, o que nem sempre está assegurado nos contratos de Saúde da Família. (Lembra do argumento de que o Mais Médicos “escravizaria” os cubanos?)

Todas essas situações são absurdas. Os profissionais precisam receber em dia e ter direito a férias. Há muitos problemas a serem atacados. O mais grave deles: a população dos menores e mais pobres municípios precisa de médicos.

Em resumo: as vagas preenchidas com o edital do Mais Médicos podem ser de profissionais que já atuam na atenção básica. Não representarão novos médicos, mas outra situação contratual para os mesmos profissionais. Culpa dos médicos? Não. Culpa de uma situação trabalhista que já era problemática na Saúde da Família.

O ponto é: como será resolvido o problema? E resolvido no longo prazo, porque a vinda dos cubanos sempre foi tratada como saída emergencial.

Quando as vagas no último edital começaram a ser preenchidas, houve quem defendesse que nunca faltaram médicos. Mas, o fato é que os cubanos só eram chamados quando sobravam vagas. O Mais Médicos funcionava assim: a) A prioridade sempre foi de formados no Brasil; b) se as vagas não eram preenchidas, eram convocados os formados no Exterior que tenham passado na prova do Revalida; c) Se ainda sobravam vagas, eram chamados brasileiros formados no Exterior e que não fizeram Revalida; d) se ainda havia vagas, eram chamados estrangeiros formados no Exterior e sem diploma validado no Brasil. Depois de tudo isso, se ainda havia lugares sem médicos, eram contratados cubanos, por intermédio do governo da Ilha. Ou seja, eles estavam em locais, realmente, para os quais não havia interessados, brasileiros ou de outras nacionalidades.

O Globo mostrou ontem que ainda há municípios na Amazônia e comunidades indígenas para as quais ainda não apareceram interessados. Quando se soma às centenas de médicos que estão saindo do Saúde da Família, há buraco considerável aberto. O perigo é se ficar numa futrica de Bolsonaro contra PT e não se atacar o problema central: como garantir médicos nesses lugares?

Entidades dizem que não faltam médicos. Pode ser, mas também não falta emprego. Ou vocês conhece algum que esteja sem ter um local sequer onde trabalhar? Então, os médicos que têm emprego nas capitais e grandes cidades haverão de ir por que para os rincões, para as florestas? Esse é o ponto. Como já comentei, a solução poderia ser, talvez, carreira pública nos moldes da magistratura, com promoção dos pequenos para os grandes municípios conforme o tempo e a competência. É uma das ideias. Outras existem. É preciso colocar em prática.

Esse problema, é importante ficar claro, não é causado pelos médicos. Se eles têm emprego em outro lugar, não se pode obrigá-los a ir aonde não querem. Pode-se construir política pública indutora, que crie condições para tal.

Por um lado, não se resolve problema da saúde apenas com médico. Por outro, não há solução sem eles. Nem eles nem enfermeiros, farmacêuticos, técnicos? Como também já escrevi ao apontar o que considero problema do Escola Sem Partido: não se resolve educação sem professor, nem tratando-os como problema. Como não se resolve problema da segurança sem policiais.

Há questões a corrigir? Com certeza, em todas as áreas. Há incompetência, desonestidades, desvios em todas essas áreas? Claro. Situações que devem ser atacadas. Entretanto, a solução passa necessariamente por eles. No caso da saúde, médicos são solução. Até por isso, é preciso garantir que estejam em toda parte.

Mega-Sena tem prêmio de R$ 6 milhões neste sábado

O concurso 2.102 da Mega-Sena paga neste sábado (1º) o prêmio de R$ 6 milhões para o apostador que acertar sozinho os seis números que serão sorteados a partir das 20 horas (horário de Brasília), em Curitiba, capital paranaense. As apostas se encerram às 18 horas, ao preço mínimo de R$ 3,50.

Já o concurso 4.839 da Quina acumulou nessa sexta-feira (30) e prevê um prêmio de R$ 1,3 milhão para este sábado. A aposta mínima é de R$ 1,50. Os números sorteados na noite dessa sexta-feira foram: 06 – 11 – 15 – 33 e 39.

Bolsonaro não repassará recursos de multas ambientais para ONGs

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), criticou nessa sexta-feira (30) parte da comunidade de ambientalistas, acusando-a de achar que é dona do meio ambiente. Ele também afirmou que a decisão sobre quem será o futuro ministro do Meio Ambiente ainda não foi tomada e há “meia dúzia” de nomes sendo avaliados.

O presidente eleito disse que o futuro ministro terá de ser afinado com o Ministério da Agricultura e estar disposto a enfrentar o que voltou a chamar de “indústria da multa” . “Quero preservar, mas não dessa forma que vêm fazendo nos últimos anos. Dessas multas no campo, 40% vai para ONG. Isso vai deixar de existir”.

(Agência Brasil)

Uma radiografia sobre segurança do trabalho no Ceará

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (1º):

Tudo pronto para o II Fórum de Saúde e Segurança no Trabalho, promoção da Fundação Demócrito Rocha, em parceria com o Tribunal Regional do Trabalho do Ceará.

O evento, que ocorrerá a partir das 8 horas da segunda-feira, 3, na Federação das Indústrias do Estado (Fiec), debaterá e apresentará uma radiografia da situação dos acidentes de trabalho e questões relacionadas a assédio moral, bem como casos exemplares de boa relação entre empresa e profissionais.

Entre conferencistas, o gestor regional do Programa Trabalho Seguro, do TRT-CE, desembargador Francisco Gomes, o presidente do Comitê de Erradicação do Trabalho Infantil do Tribunal do Trabalho de Campinas, João Batista Martins, e, ainda, os juízes do trabalho Karla Yacy Carlos (13.ª região) e Ricardo Jahn (12.ª região).

As inscrições são gratuitas no site (especial.opovo.com.br/forumsegurancanotrabalho) ou, ainda, presencialmente no dia do evento.

Claro que os impactos da recente reforma trabalhista constarão no script desse encontro.

Morre George Bush, aos 94 anos

Morreu na noite desse sexta-feira (30), no Texas, o ex-presidente norte-americano George Bush, 94, que sofria de problemas respiratórios e de doença do tipo de Parkinson. O comunicado foi feito pelo filho George W. Bush, também ex-presidente do Estados Unidos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, George Bush foi piloto de avião, depois se tornou congressista, embaixador da ONU, diretor da CIA e vice-presidente de Reagan.

(Com Agências)

Economistas defendem inserção de idosos no mercado de trabalho

A maioria das empresas no Brasil ainda resiste a contratar pessoas com mais de 50 anos, mas essa realidade terá de mudar porque a tendência é de aumento gradativo da população idosa e de faltarem jovens para o mercado de trabalho. A afirmação foi feita hoje (30) pelo presidente do Conselho de Emprego e Relações do Trabalho da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FecomercioSP), José Pastore, durante encontro que discutiu a atual e a futura situação do idoso no mercado.

Segundo o economista, por enquanto, a sociedade não se deu conta da desproporção entre o envelhecimento dos profissionais e a oferta da mão de obra juvenil. Porém, à medida que a economia for retomando o crescimento, isso será mais facilmente constatado, já que “haverá dificuldade em preencher vagas”.

Pastore manifestou preocupação com o fato de os parlamentares federais estarem postergando a reforma da Previdência. “As pessoas estão envelhecendo muito depressa no Brasil e, daqui a alguns anos, vamos ter mais idosos do que jovens, e a Previdência não vai ter condições de sustentar as pessoas idosas, que vão durar mais tempo. Isso é inexorável, e temos de acompanhar o que já ocorre em sociedades avançadas: fazendo com que o idoso trabalhe por mais tempo”.

De acordo com o economista, algumas empresas já desenvolvem atividades para absorver empregados nessa faixa etária, mas não pelo sistema convencional,e sim por meio de empreendedores, autônomos ou à distância, modalidade em que os trabalhadores prestam serviços na própria casa. Esse tipo de trabalhadores aumenta no mundo todo, “e aqui não deve ser diferente”, afirmou Pastore. Ele alertou, no entanto, que, para se manterem ativos no mercado, os mais velhos terão que se requalificar, principalmente, no que se refere à tecnologia. Pastore lembrou, inclusive, que muitos fornecedores de ferramentas digitais vêm simplificando os aplicativos, o que ajuda nessa inserção.

Também presente no evento, o economista Hélio Zylberstajn disse que três quartos dos idosos no Brasil contam com algum tipo de cobertura, como aposentadoria ou pensão, ou, às vezes, com os dois, simultaneamente, no caso de viúvos, por exemplo. Na avaliação de Zylberstajn, os idosos recebem mais assistência do que as crianças pobres.

Para o economista, ainda é muito baixa a participação dos idosos no mercado de trabalho, em torno de 25%, enquanto o desemprego nessa faixa é de apenas 4%. Ele reconhece, porém, que muitos nem vão atrás de trabalho por temer o preconceito das empresas. “Precisamos atuar em duas frentes: abrir espaço para eles nas empresas e encorajá-los a trabalhar.”

Diante disso, Zylberstajn defende o projeto de lei que cria o Regime Especial de Trabalho do Aposentado (Reta), proposto em conjunto pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A flexibilização das regras seria aplicada sobre os aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e do funcionalismo público.

A ideia é empregar esse contingente, que teria apenas o salário mensal sem os demais direitos trabalhistas, como férias eFundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Com o estímulo da isenção da contribuição previdenciária e do FGTS para o empregador, a projeção é que, em 10 anos, poderiam ser incorporados ao mercado de trabalho 1,8 milhão de aposentados.

Na opinião do presidente do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, Nilton Molina, toda a sociedade deveria ser conscientizada sobre o desafio da longevidade. “As empresas que hoje dificultam a admissão de uma pessoa da terceira idade vão ter que pedir perdão, porque daqui a 15 ou 20 anos teremos muito poucos jovens para trabalhar.”

Dados apresentados no encontro mostram que, em 2015, havia 16,1% de pessoas com mais de 60 anos inseridas no mercado de trabalho, percentual que deve subir para 58,4% em 2060, ou seja, dentro de quatro décadas, mais da metade da população será idosa.

(Agência Brasil)

O POVO é o grande vencedor do Prêmio CDL de Comunicação

Com quatro premiações, nas categorias Fotojornalismo, Cinegrafia, WebJornalismo e Jornal Impresso, o O POVO foi o grande vencedor do Prêmio CDL de Comunicação, em divulgação na noite desta sexta-feira (30), na sede da entidade, no Centro.

A 13ª edição do Prêmio CDL de Comunicação reuniu ainda as categorias telejornalismo e radiojornalismo, que este ano trouxe o tema “Centro da Cidade: uma Cidade no Centro”.

(Foto: Paulo MOska)

Sucessão na Câmara – Antonio Henrique consegue o apoio de 35 vereadores

264 8

O vereador Antonio Henrique (PDT) fechou nesta sexta-feira (30) o apoio de 35 parlamentares para a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Fortaleza, que ocorrerá na manhã da segunda-feira (3).

As reuniões aconteceram no Gabinete da Presidência, com o apoio do atual presidente Salmito (PDT), que a partir do próximo ano cumprirá mandato na Assembleia Legislativa do Ceará, após eleito em outubro último.

Além de Antonio Henrique na presidência, do vereador Adail Junior na primeira vice-presidência e do vereador Zier Férrer na segunda secretaria, outros nomes foram definidos nesta sexta-feira. Raimundo Filho é o segundo vice-presidente na chapa, Gardel Rolim é o terceiro vice-presidente, Idalmir Feitosa é o primeiro-secretário e Lucimar Martins, a Bá, ocupa a terceira secretaria.

Antonio Henrique ressaltou que os apoios garantem a continuidade de um trabalho sério que há quatro anos foi firmado por todos os vereadores, diante da promoção da cidadania e do respeito para com a coisa pública.

O candidato do PDT à sucessão de Salmito disse que irá neste fim de semana conversar com os demais vereadores para uma eleição de consenso, pois a população de Fortaleza tem ganhado com a união de todos os parlamentares para que a Câmara Municipal seja de fato a “Casa do Povo”.

Já Salmito apontou a importância do perfil de gestor que a Câmara Municipal necessita para dar continuidade a projetos que têm favorecido a população, como a criação do Escritório Dom Aloísio Lorscheider, que presta assessoria jurídica ao cidadão, além do Pacto por Fortaleza e do Parlamento Metropolitano, que apontaram as maiores dificuldades e anseios do povo.

(Fotos: Divulgação)