Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Ronaldo Martins faz caminhada para questionar pesquisas eleitorais

494 14

eleicoes-2016-fortaleza-prb-0925

Uma multidão atendeu ao chamado do candidato do PRB à Prefeitura de Fortaleza, Ronaldo Martins, neste domingo (25), na Beira Mar, em uma caminhada para questionar as pesquisas eleitorais, que o colocam entre 1% a 7%, de acordo com a margem de erro. De acordo com a coordenação da campanha do candidato, cerca de 50 mil pessoas comparecem ao evento.

“A presença em massa de apoiadores, na tarde de hoje, é a demonstração de que a população quer mudança. E que esta mudança não está refletida nos resultados das pesquisas que vem sendo apresentadas”, comentou Ronaldo Martins.

VAMOS NÓS – Fortaleza possui cerca de 1,7 milhão de eleitores. Pelas pesquisas, Ronaldo Martins ficaria entre 17 mil a 119 mil votos. Se levarmos em conta a precisão da estimativa da coordenação do candidato, que todas as pessoas na caminhada são eleitoras e que todas atenderam a um chamado unicamente político, foi uma boa demonstração de força.

(Foto: Divulgação)

ONU convoca reunião de urgência para discutir situação da Síria

O Conselho de Segurança da ONU se reuniu neste domingo (25) para discutir a escalada de violência na Síria e a situação da cidade de Alepo que vem sendo bombardeada desde a última semana. A reunião de emergência foi convocada por iniciativa dos Estados Unidos, França e Grã-Bretanha. Centenas de pessoas já morreram, incluindo crianças. Este é o colapso do cessar-fogo que havia sido anunciado há duas semanas no país.

No sábado (24), o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou os novos ataques à cidade síria e disse estar ultrajado com o que chamou de uma escalada militar aterrorizadora. Ban Ki-moon disse que a cidade síria está enfrentando os bombardeios mais intensos desde o início do conflito, em março de 2011.

Em nota, o líder da ONU afirmou que desde o anúncio, há dois dias, pelo Exército sírio de uma ofensiva para retomar o controle de Alepo, estão sendo registrados bombardeios aéreos com munição avançada e as maciças bombas anti-bunker, que atingem especialmente refúgios e locais de proteção de civis.

Para Ban Ki-moon, o uso aparente de armas indiscriminadas em áreas densamente populosas pode representar um crime de guerra.

Os bombardeios deste domingo foram desencadeados pela retomada por facções islâmicas rebeldes do campo de refugiados palestinos Handarat, que está em uma posição privilegiada ao norte de Alepo, em vias de abastecimento para o leste da cidade. No sábado eles haviam sido retirados de lá pelo Exército sírio.

(Agência Brasil)

Deputados defendem texto original do marco legal da ciência e tecnologia

Deputados e senadores defendem a derrubada dos vetos e a retomada do texto original do novo marco legal da Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei nº 13.243/16). A ex-presidente Dilma Rousseff, ao sancionar a lei em janeiro último, vetou oito itens, a maior parte relacionada a questões tributárias.

O deputado Celso Pansera (PMDB-RJ), que era ministro da Ciência e Tecnologia à época da sanção e atualmente coordena uma subcomissão da Câmara que acompanha o assunto, afirmou que os vetos causaram insegurança jurídica.

“Como a lei mexe com tributos, particularmente a parte previdenciária, gera insegurança nas empresas, em quem incentiva pesquisadores, faz acordos com universidades. Acaba gerando uma insegurança sobre vínculo empregatício”, disse, mesmo ressaltando que, no contexto da Previdência Social, os valores envolvidos são pequenos.

O novo marco legal incentiva as atividades de pesquisa científica; prevê isenção e redução de impostos para importação de insumos; facilita processos licitatórios; e amplia o tempo máximo que professores universitários poderão se dedicar a projetos de pesquisa e extensão.

(Agência Câmara Notícias)

Hillary Clinton e Donald Trump se preparam para debate histórico

Donald Trump, do Partido Republicano, e Hillary Clinton, do Partido Democrata, fazem nesta segunda-feira (26) o primeiro de três debates previstos entre os dois candidatos, no horário nobre, em transmissão ao vivo para todo o país, a partir da Universidade de Hofstra, em Long Island, em Nova York.

O evento poderá definir quem será o futuro presidente dos Estados Unidos em eleições marcadas para 8 de novembro de 2016. O debate, a ser assistido por mais de 100 milhões de americanos, poderá se transformar em uma das maiores audiências de TV da história dos Estados Unidos. O debate adquiriu maior importância depois que rede de televisão ABC News e o jornal The Washington Post divulgaram pesquisa em que Hillary Clinton está com apenas dois pontos percentuais de diferença em relação a Donald Trump, na preferência do eleitorado, o que significa empate técnico. Segundo os organizadores do levantamento, essa diferença nada significa uma vez equivale à margem de erro prevista da pesquisa.

(Agência Brasil)

Roberto Cláudio diz que Fortaleza é livre, não conservadora

214 1

eleicoes-2016-fortaleza-pdt-0925-salmito-e-rc-selfie

Para o prefeito Roberto Cláudio (PDT), candidato à reeleição ao Palácio do Bispo, o que está em disputa nas eleições deste ano não é a questão partidária, mas como a cidade irá se comportar nos próximos quatros anos.

“Quando disputei a eleição, há quatro anos, Fortaleza pedia mobilidade urbana, mais educação e mais saúde. A população queria ocupar os espaços públicos e voltar a se encontrar nas praças, em campos de futebol e em academias ao ar livre. Para isso fomos eleitos”, disse Roberto Cláudio, neste domingo (25), no Marina Park, durante a plenária de Salmito Filho (PDT), candidato à reeleição à Câmara Municipal de Fortaleza.

“Hoje temos novas avenidas, transporte público mais rápido e a opção da bicicleta. Recuperamos índices na educação e colocamos escolas em tempo integral. Melhoramos ainda o atendimento na saúde, com novos postos, reformas em outros postos e a criação de cinco Upas. Mais do que isso, tão importante quanto cuidar da pessoa doente é evitar que ela fique doente. Por isso é que criamos as Areninhas e as academias ao ar livre, além de reformarmos as praças. Hoje a população pensa em uma vida mais saudável”, completou Roberto Cláudio

Para o prefeito de Fortaleza, o discurso que se opõe ao seu traz o medo para sugerir um enfrentamento das consequências da violência urbana, não o combate das causas. “Quando se fala em violência, logo o conservadorismo pensa na truculência, na agressão contra a agressão. Mas o verdadeiro combate deve ocorrer na causa. Dados apontam que 85% dos jovens, entre 11 e 15 anos, que mataram ou que morreram, estavam fora da escola. Então, a educação, a capacitação de jovens, o esporte, o incentivo à cultura e a ocupação dos espaços públicos são as verdadeiras armas contra a violência. São iniciativas que não resolvem o problema da insegurança de imediato, assim também como a agressão não resolverá. Mas essas iniciativas apontam o verdadeiro caminho. Fortaleza não é conservadora. É livre”, ressaltou Roberto Cláudio.

Já Salmito Filho lamentou que muitos candidatos à Câmara Municipal desconhecem o verdadeiro papel do vereador, quando prometem ações exclusivas do Poder Executivo. Salmito destacou que o apoio que vem recebendo dos ex-vereadores Márcio Lopes e Maurílio Assêncio, além da atual vereadora Germana Soares, que decidiu não concorrer à reeleição.

eleicoes-2016-fortaleza-pdt-0925-salmito-e-rc

(Fotos: Divulgação)

Lula nos ensinou

138 1

Em artigo no O POVO deste domingo, o sociólogo e professor titular da Universidade Federal do Ceará (UFC), André Haguette, questiona a declaração do ex-presidente Lula, sobre o analfabetismo político entre concursados, quando mo auge da sua popularidade não combateu o problema. Confira:

A nova presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, declarou que “há de se reconhecer que o cidadão não há de estar satisfeito, hoje, com o Poder Judiciário”. Ela poderia ter acrescentado que o cidadão também não há de estar satisfeito, hoje, com o Poder Executivo e, sobretudo, com a forma do governo adotada na Constituição; sabe-se que a Constituinte tergiversou entre o parlamentarismo e o presidencialismo e acabou nos legando um sistema bastardo, desestabilizador e corruptor, o presidencialismo de coalizão, ainda piorado com a multiplicação dos partidos políticos.

A ineficiência desse tipo de arranjo vem sendo mostrado por muitos, mas agora o sistema ficou desnudado por ninguém menos do que Lula no seu discurso do dia seguinte à denúncia do Ministério Público. Ele explicou que “muita gente que fez concurso são analfabetos políticos. Eles não têm noção do que seja um partido ser eleito com 50 deputados de 513 e ter que montar uma maioria. É o mesmo problema de qualquer instituição, como monta sua equipe o procurador Janot, o delegado da polícia federal, como monta sua equipe qualquer um neste país?”.

Pode-se concluir da tese de Lula que a perversidade do presidencialismo de coalizão não somente impede o bom governo, impossibilitando uma maioria, como corrói todo o conjunto institucional do País, convidando à corrupção para montar uma unidade de comando, a exemplo do que fizeram o Mensalão e a Lava Jato.

Grande serviço acaba de prestar Lula: agora nossa forma de governar está desnudada mostrando suas entranhas e tentáculos institucionais. A denúncia há de ser levada em consideração, embora seja irritante ver um ex-presidente denunciar quando sua função era emendar a Constituição, quando podia fazê-lo. No auge de sua popularidade, por que não o fez? E agora, diante da nudez do sistema, o que faremos?

O ideal seria adotar a sugestão dada pela ex-presidente Dilma de convocar uma Constituinte com o objetivo limitado de fazer uma reforma política. A proposta era ótima, mas foi bombardeada por todos os lados, pelos partidos políticos, inclusive o PT, e o STF. As numerosas sugestões de mudança não devem levar à inércia. O objetivo é claro: permitir a governança minimizando a corrupção. Isto é, dando a possibilidade de uma real maioria ao partido eleito de maneira que possa governar.

Há medidas que encontram grande apoio: a diminuição dos partidos e o fim do Fundo Partidário, por exemplo. Se a cláusula de desempenho e o voto distrital poderiam ser um grande instrumento para alcançar a redução do número de partidos, a proibição de coligação nas eleições proporcionais é ponto quase consensual. Evidentemente poder-se-ia pensar numa solução mais drástica: implantar o parlamentarismo. Certos “penduricalhos” como uma drástica diminuição dos cargos de confiança e a eliminação das ementas parlamentares não devem ser esquecidos. Agora ninguém pode dizer que não conhece a raiz de nosso impasse político: Lula nos ensinou e, desse assunto, ele entende.

Inmetro inicia Operação Especial Dia da Criança

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) inicia nesta segunda-feira (26) a Operação Especial Dia da Criança. A ação de fiscalização, coordenada pelo Inmetro e operacionalizada pelos institutos de pesos e medidas estaduais, ocorrem durante todo o ano, mas, em algumas épocas, são realizadas de forma especial, como a relativa ao Dia da Criança, disse o assistente da Diretoria de Avaliação da Conformidade do Inmetro Paulo Coscarelli.

“A gente vai concentrar esforços de fiscalização em cinco produtos: brinquedos; dispositivos de retenção infantil, que são as cadeirinhas de automóvel, para transporte de crianças; berços; carrinhos de bebê; e as bicicletas infantis”, informou.

Além de coibir a venda de produtos infantis irregulares, a operação visa garantir segurança às crianças. “O objetivo fazer o monitoramento, no mercado, se os produtos que o Inmetro regulamenta e certifica atendem aos requisitos que devem atender. É na linha de promover a segurança dos produtos que nós regulamentamos”. Não basta simplesmente o Inmetro regulamentar e certificar, disse. “O Inmetro tem que fazer essa ação de vigilância de mercado para saber se essas regras e esses requisitos estão sendo cumpridos pelas empresas”.

A operação contribui também para aumentar a confiança do consumidor, que está adquirindo um produto seguro para seu filho. Segundo Paulo Coscarelli, a intenção, no final, é a segurança das crianças que são, na verdade, os verdadeiros usuários desses produtos.

A operação prossegue até o dia 30. Os estabelecimentos em que forem encontradas produtos irregularidades terão até 10 dias para apresentar defesa ao Inmetro e estarão sujeitos às penalidades previstas na lei, que incluem multas financeiras que variam de R$ 100 a R$ 1,5 milhão. “Mas elas [penalidades] não terminam, necessariamente, com a ação do órgão delegado”, disse Coscarelli.

(Agência Brasil)

João Alfredo diz que população precisa conhecer belezas naturais de Fortaleza para começar a preservá-las

eleicoes-2016-fortaleza-psol-joao-alfredo

Uma bicicleata da Praça da Imprensa à Beira Mar marcou neste fim de semana a candidatura de João Alfredo (Psol) à Prefeitura de Fortaleza. Segundo a coordenação da campanha, a ideia é chamar a atenção para as pautas ambientais e relacionadas com a mobilidade urbana na capital cearense, com destaque para o uso de transporte não poluente.

“A gente precisa conhecer nossas belezas naturais. Quando a gente conhece, começa a cuidar e preservar melhor o nosso meio ambiente”, ressaltou João Alfredo, ao defender o fortalecimento de um turismo ecológico e a geração de renda local.

Com aplicativos para celular, eleitores podem fazer denúncias de compra de votos

De olho na conectividade cada vez maior dos brasileiros, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desenvolveu 11 aplicativos para smartphones e tablets para que os eleitores participem mais ativamente do processo eleitoral deste ano. Com os apps, é possível acompanhar o resultado das eleições municipais, fazer denúncias de irregularidades e até participar da verificação do número de votos registrados nas urnas eletrônicas.

“Desde que o processo se tornou informatizado, há 20 anos, o compromisso da Justiça Eleitoral é justamente utilizar os recursos e as funcionalidades que a tecnologia proporciona e evoluir o processo eleitoral na mesma velocidade que evolui a tecnologia”, diz o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino. Os aplicativos estão disponíveis para as plataformas IOS e Android. Atualmente, existem mais de 196 milhões de acessos em internet móvel no país, incluindo 3G e 4G.

Uma das principais apostas do TSE para este ano é o aplicativo Pardal, que permite que os eleitores façam denúncias de propaganda eleitoral irregular, tanto nas ruas como na internet e em veículos de comunicação. A denúncia é feita pelo próprio aplicativo, com o envio de fotos, vídeos ou áudios. Por exemplo, se um eleitor encontrar um outdoor de um candidato na rua, que é proibido, pode tirar uma foto e mandar pelo aplicativo, que automaticamente envia a denúncia para análise do Ministério Público Eleitoral. Também é possível denunciar outras irregularidades como compra de votos, uso da máquina administrativa ou gastos irregulares.

Em três semanas, o aplicativo já recebeu mais de 25 mil registros de irregularidades de todo o país. Janino estima que o número de denúncias deve subir com a proximidade das eleições, mas destaca que mais importante que isso é o caráter pedagógico das denúncias. “Sabendo que está sendo vigiado pelo cidadão, o candidato tem um comportamento adequado ao que prevê a lei”, diz.

(Agência Brasil)

Projeto diminui prazos para julgamento de crime praticado por e contra policial

A Câmara dos Deputados analisa proposta que diminui prazos para processo e julgamento de crime praticado por e contra policial (PL 4836/16). Pelo texto, apresentado pelo deputado Alberto Fraga (DEM-DF), o processo e julgamento de crimes dolosos (com intenção) praticados por policiais, no exercício da função ou em razão dela, obedecerão ao rito de réu preso, ainda que este esteja solto.

Fraga argumenta que ao estabelecer prazos processuais de réu preso, a proposta agilizará o processo, evitando o sentimento de impunidade das corporações policiais.

Os prazos processuais são menores no caso de o réu estar preso. Por exemplo, o Código de Processo Penal (Decreto-Lei 3.689/41) prevê prazo de cinco dias para oferecimento da denúncia estando o réu preso, contados da data em que o órgão do Ministério Público recebe os autos do inquérito policial, e de 15 dias se o réu estiver solto ou afiançado.

“Daremos uma rápida resposta à sociedade com relação à responsabilidade penal dos criminosos travestidos de policiais”, afirma. “O policial, como o cidadão que é, deve acreditar na eficácia da Justiça. Esta é a única forma de afastar o sentimento de impunidade”, acrescenta o parlamentar.

No caso de crimes cometidos contra policiais, Fraga observa que eles têm sido fonte de violência, uma vez que o policial não acredita na Justiça, principalmente quando é vítima de crimes menores como o desacato. “Urge resgatarmos a autoridade natural do policial, bem como sua autoestima”, diz ainda o deputado.

(Agência Câmara Notícias)

Polícia política: e eu com isso?

229 1

Em artigo no O POVO deste domingo, a professora de Filosofia da Unifor e integrante do Instituto Latino Americano de Estudos sobre Direito, Política e Democracia, Sandra Helena de Souza, avalia a violência policial contra manifestantes e os mais pobres. Confira:

Em novembro de 2013, realizei com alun@s um amplo seminário que reuniu Judiciário, Ministério Público, jornalistas, militantes políticos e a Polícia Militar do Ceará, na pessoa de seu comandante-geral a época, coronel Lauro Prado. O tema: Brasil nas Ruas – Mostra tua Democracia.

O Brasil havia sido sacudido por gigantescas manifestações naquele junho histórico, pulverizadas país afora, a irrupção inicial – a reivindicação por melhores serviços públicos e participação política – arrefecida, mas mantendo-se forte acento oposicionista galvanizado nas já célebres palavras de ordem ‘não vai ter Copa’ e ‘sem partido’.

Aquelas jornadas evidenciaram novos agentes e cenas – o midiativismo, a tática black bloc – e um velho conhecido – a violência policial. A presença do comandante da polícia entre nós foi saudada por um militante da velha guarda, exilado durante a última ditadura como um sinal da profunda diferença entre o presente (2013) e o passado de sua geração. À calorosa discussão sobre tática black bloc (muito distante da unanimidade contra ou a favor) e à pressão, pela irrequieta juventude presente quanto aos abusos e truculência gratuitas das forças policiais, fartamente documentadas pelas câmeras dos celulares, o comandante deu a resposta operacional padrão: as forças policiais agem cumprindo ordens dos mandatários que os senhores elegeram, estamos em regime democrático. Xeque-mate.

7 de setembro de 2016. A polícia militar ataca furiosamente na avenida Beira Mar transeuntes desarmados e pacíficos ao fim de uma grande manifestação que transcorrera tranquila e festiva por democracia e #foratemer. Tudo devidamente registrado pelas câmeras. Advogados, defensores públicos, ambulantes, manifestantes indistintamente agredidos. Diante da enorme repercussão negativa, o governador, do PT, vem a público com a resposta operacional padrão: “Qualquer ação que possa ser extrapolada, nós vamos apurar”. Mas, se o ato foi o próprio excesso, fica então clara de quem é a responsabilidade pela truculência das forças policiais: os cães são ferozes, mas fiéis ao dono. Sério, governador?

A institucionalidade vigente confere ao comandante-em-chefe, mas também ao Ministério Público e Controladoria, poder de averiguação e punição dos arbítrios. Essa é uma das maiores farsas de nossa vida política. Até os gatos sabem que as polícias violentam dia e noite os mais pobres. A prática da violência é televisionada, lucrativa, nacionalmente roteirizada, fartamente documentada, expandindo-se às guardas municipais – vide o episódio Gentilândia/Lions numa mesma noite – autônoma frente ao espectro político e solenemente ignorada por quem de direito. Corvos que criamos.

A violência policial é seletiva e com potencial de expansão diante do Estado Policial que se descortina, manifestando-se em todos os níveis agora que não mais vivemos em normalidade democrática: a polícia federal está aí para não me deixar enganar.

Ok, se estou delirando, é simples, amig@ leitor: exija-se republicanamente apuração e punição dos ‘excessos’ do dia 7. Com nome e patente sonegadas na ação. Você acredita? Eu não.

José Arnon ganha apoio do deputado Ely Aguiar em Juazeiro

199 1

eleicoes-2016-juazeiro-arnon-e-ely-aguiar

O presidente estadual do PSDB, deputado Ely Aguiar, declarou neste fim de semana apoio à candidato de José Arnon (PTB) à Prefeitura de Juazeiro do Norte, na Região do Cariri.

O anúncio do apoio foi divulgado ao eleitorado de Juazeiro do Norte durante caminhada pelas ruas do município, que contou ainda com as presenças do ex-prefeito Carlos Cruz e da ex-deputada Ana Paula Cruz.

(Foto: Divulgação)

Congresso debate Reformas da Previdência e Trabalhista

foto-sindicalismo-sinprece

“Política Sindical: da organização à luta dos trabalhadores” é o tema do XIII Congresso do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social (ConSinprece), que acontece no município de Beberibe, Litoral Leste do Ceará.

O evento, que teve início na sexta-feira (23) e será encerrado neste domingo (25), debate os mais polêmicos temas das reformas Trabalhista e da Previdência.

(Foto: Divulgação)

Oito presos fogem da cadeia pública de Aracati

A agitação de presos na cadeia pública de Aracati, no Litoral Leste do Ceará, levou a Polícia e agentes penitenciários a recontar o número de detentos. Na manhã deste domingo (25) foi constatada a fuga de oito presos.

Segundo os agentes penitenciários, fugiram Johnata Rafael, o “gato guerreiro”; Kainan Queiroz; Michel Nunes, o “mussum do pedregal”; Johny Dias de Lima, o “Johnny cabeção”; Valmir Martins da Silva, o “pernalonga do pedregal”; Josemar Queiroz de Matos, o “Zé Da Maloca”; Francisco Carlos da Silva Filho, o “tintin”; e Mikael Maikon Rodrigues, o “Mikael da Vila Rafael”.

A Polícia ainda não conseguiu recapturar nenhum dos fugitivos, como também não informou a forma como a fuga ocorreu.

Polícia americana prende suspeito de ter matado cinco pessoas em shopping

A Polícia do estado norte-americano de Washington prendeu na noite desse sábado (24) um homem de 20 anos, suspeito de ter atirado e matado cinco pessoas no shopping Cascade Mall, em Burlington, a 105 quilômetros de Seattle, capital estadual.

Identificado como Arcan Cetin – um imigrante turco com nacionalidade norte-americana – o suspeito entrou com um rifle no shopping na noite da sexta-feira (23), na hora do maior movimento, e dirigiu-se para a área de cosméticos da loja Macy’s, onde atirou e matou quatro mulheres. Um homem, também atingido pelos tiros, morreu no dia seguinte em um hospital. O motivo do crime não foi revelado pela Polícia. Depois dos tiros, o suspeito fugiu.

Em desespero, os clientes se esconderam em banheiros e vestiários das lojas. Enquanto vasculhava todas as áreas do prédio, a Polícia aconselhava às pessoas que ainda estavam escondidas que fossem imediatamente para casa e evitassem sair. O episódio ocasionou uma investigação policial em busca do suspeito, que envolveu não só a Polícia estadual como também o FBI (Polícia Federal dos Estados Unidos), devido à possibilidade de o ataque ter sido planejado por terroristas.

Na manhã desse sábado, o FBI informou que não tem nenhum indicação de que o suspeito tenha agido por motivações terroristas. À noite, porém, ao dar a informação sobre a prisão do suspeito, a Polícia local informou que não descarta ainda nenhuma hipótese como motivação para o ataque realizado no shopping.

Arcan Cetin, morador de Oak Harbor, situada a 32 quilômetros do shopping Cascade Mall, onde ocorreu o crime, foi preso quando caminhava por uma rua de sua cidade aparentemente desnorteado. Ele estava desarmado e não resistiu à ordem de prisão.

O suspeito foi preso depois que a Polícia analisou as imagens do shopping e identificou o carro do atirador. Além disso, a polícia recebeu informações sobre a presença do suspeito na cidade onde mora. Segundo policiais que acompanham as investigações, Arcan Cetin já tinha sido preso antes por assalto. Não deram detalhes sobre as vítimas e nem sobre a data desse assalto.

(Agência Brasil)

Cunha vai dizer em livro que impeachment foi golpe

173 1

cunhado

O deputado recentemente cassado Eduardo Cunha dirá, na publicação de dois livros, que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff foi exatamente o que aconteceu com Fernando Collor, em 1992, um “golpe parlamentar”, mas com o apoio do PT. Segundo o que foi publicado na Coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo, os interlocutores de Cunha relatam que o ex-deputado está dividindo o jogo, na narrativa dos livros, entre “eu” e “eles”.

Ainda de acordo com a coluna, o segundo livro deve ser lançado no início de 2017 e já tem até nome, “Delação não premiada”. Nesse, promete contar tudo sobre os seus desafetos e proteger sua turma.

Cunha recebeu “nãos” de várias editoras com quem quis negociar. Com três, contudo, foram iniciadas conversas — Planeta, Geração e Matrix. Contudo, o deputado cassado, que nunca pôde ser acusado de pensar pequeno, pede um adiantamento de estratosféricos R$ 1 milhão de reais e mais 20% sobre cada livro vendido.

Segundo apurou Lauro Jardim, tal adiantamento está completamente fora da realidade do mercado editorial brasileiro. Mais: o percentual sobre o preço de capa varia entre 10% e 15%. E como o colunista lembrou, o que Cunha pede neste quesito nem J. K. Rowling, autora de Harry Potter, recebe.

Dilma reforçará campanha de Luizianne Lins, em caso de segundo turno, diz colunista

257 3

foto-luizianne-e-dilma

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) será a atração da candidatura Luizianne Lins (PT), caso a candidata petista consiga ir para o segundo turno. A informação é do colunista Alan Neto, no O POVO deste domingo (25).

A vinda da ex-presidente seria uma continuidade de um dos pilares da campanha de Luizianne, que é o de denunciar um “golpe” no impeachment de Dilma.

Na quarta-feira (21), o ex-presidente Lula esteve em Fortaleza, quando pediu votos para Luizianne em ato político na Praça do Ferreira. A imprensa sulista, no entanto, avalia neste domingo (25), após a divulgação da pesquisa O POVO/Datafolha, que Lula não teria ajudado Luizianne a crescer na preferência do eleitorado.

Maioria das vítimas não denuncia violência sexual

Apesar do número de casos, a pesquisa realizada pelo Datafolha, encomendada Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), destaca que a maioria das pessoas que sofre violência sexual não registra denúncia na polícia, o que torna difícil estimar a prevalência deste crime.

“Em termos regionais, o maior medo é verificado nas regiões Norte e Nordeste do país, atingindo 72% de toda a população. No entanto, se verificamos apenas as respostas das mulheres, notamos que 90% das mulheres que residem no Nordeste afirmam ter medo de sofrer violência sexual, seguidas de 87,5% da população feminina do Norte, 84% no Sudeste e Centro-Oeste e 78% no Sul do país”, aponta o documento.

O levantamento aborda a culpabilização pela violência sofrida pela mulher como uma reação frequentemente relatada, até mesmo quando elas recebem atendimento nos serviços de justiça, segurança e saúde. “A dificuldade de reunir evidências materiais do não consentimento, bem como o risco de revitimização durante os procedimentos legais – humilhação, julgamento moral, procedimentos de coleta de provas que expõem o corpo violado da vítima a novas intervenções – são desafios específicos relacionados à violência sexual”.

A coordenadora de projetos do Instituto Avon, Mafoane Odara, ressalta que a mulher não se sente acolhida em espaços de atendimento após situações de abuso sexual. “As mulheres não reconhecem esses espaços como pontos acolhedores. Se sentem revitimizadas, não se sentem respeitadas nesses lugares. Com isso, as mulheres se sentem deslegitimadas a denunciar”.

O Datafolha fez 3.625 entrevistas com pessoas a partir de 16 anos, em 217 municípios.

(Agência Brasil)